Abrir menu principal

Avenida Almirante Reis

avenida em Lisboa, Portugal
Avenida Almirante Reis
Freguesia(s): Areeiro
Arroios
Santa Maria Maior
Início: Rua da Palma
Término: Praça Francisco Sá Carneiro
Homenageado(s): Carlos Cândido dos Reis, revolucionário republicano
Designação anterior: Avenida no prolongamento da Rua da Palma até à Estrada da Circunvalação
Avenida dos Anjos
Avenida Dona Amélia
Coordenadas: 38° 44′ 00,41″ N, 9° 08′ 03,86″ O
Toponímia de Lisboa

A Avenida Almirante Reis, é uma avenida localizada nas freguesias de Arroios, Santa Maria Maior e Areeiro, no centro de Lisboa. Vai desde a Rua da Palma até à Praça Francisco Sá Carneiro. Homenageia a figura do almirante Carlos Cândido dos Reis (1852- 1910), revolucionário republicano.

Antigamente denominada Avenida D. Amélia, viu, após a revolução republicana de 1910, o seu nome ser mudado para a denominação actual. É um local de passagem quotidiana para qualquer Lisboeta que se desloque para o centro da cidade, vindo do Areeiro ou de Arroios. É uma das zonas mais multiculturais da cidade.

Índice

EdifíciosEditar

Na parte inferior encontram-se belos exemplos de edifícios Arte Nova.

Em Portugal, os edifícios na Avenida Almirante Reis estão localizados, como o próprio nome indica, à Avenida Almirante Reis em Lisboa, e trata-se de um trio de edifícios classificados como Imóveis de Interesse Público, sendo eles:

  • Edifício situado na Avenida do Almirante Reis, 1 a 1-C, tornejando para a Rua Nova do Desterro, 2 e 2-A
  • Prédio com fachada de azulejo arte nova na Avenida Almirante Reis, 74-B
  • Prédio situado no gaveto formado pela Avenida do Almirante Reis, 2 a 2-K, e Largo do Intendente Pina Manique, 1 a 6

1 a 1-CEditar

 
Av Almirante Reis, nº 1

Foi classificado como Imóvel de Interesse Público pelo Decreto n.º 8/83, DR, I Série, n.º 19, de 24-01-1983.[1]

Trata-se de um edifício construído em 1905 e desenhado pelo arquitecto Joaquim Francisco Tojal. Nele são usados elementos de Arte Nova, ferro e vários elementos revivalistas. Possui também azulejos na parte de cima das janelas e nas trapeiras.[2]

74-BEditar

 
Av Almirante Reis nº 74

Foi classificado como Imóvel de Interesse Público pelo Decreto n.º 95/78, DR, I Série, n.º 210, de 12-09-1978.[3]

Trata-se de um exemplo da introdução da Arte Nova do início do século XX em Lisboa, como tal, tem elementos como azulejos, em painel ou friso, cantarias e ferro forjado. O edifício teve como responsável de obra, Joaquim Craveiro Lopes. Destacam-se os azulejos na fachada, com motivos vegetais, que a cobrem totalmente, e elaborador por Alfreso Pinto, no ano de 1911.[4]

2 a 2-KEditar

 
Avenida Almirante Reis nº 2

Foi classificado como Imóvel de Interesse Público pelo Decreto n.º 95/78, DR, I Série, n.º 210, de 12-09-1978[5]

O edifício, de quatro pisos, foi construído em 1908, tendo no mesmo ano sido galardoado como o Prémio Valmor. O arquitecto foi Adães Bermudes. As fachadas possuem azulejos com motivos animais e vegetais. Também é um exemplo do uso de Arte Nova. Nele é usado o ferro forjado, sendo patente na cúpula o estilo neo-barroco.[6]

Referências

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre Arruamentos, integrado no Projecto Grande Lisboa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Avenida Almirante Reis