Abrir menu principal
Bóris I de Czernicóvia
Príncipe de Czernicóvia
Reinado 1077
Antecessor(a) Usevolodo I
Sucessor(a) Usevolodo I
 
Casa ruríquida
Pai Viacheslau I

Bóris I (em russo: Борис Вячеславич; transl.: Boris Vyacheslavich) foi príncipe de Czernicóvia por 8 dias em 1077. Filho do príncipe de Esmolensco Viacheslau I, após a morte de seu pai em 1057, Bóris foi deserdado. Morreu lutando contra seus tios — o príncipe de Czernicóvia Usevolodo I e grão-príncipe de Quieve Iziaslau I — em 3 de outubro de 1078.

Principados rus'

Índice

VidaEditar

OrigensEditar

Bóris foi filho do príncipe de Esmolensco Viacheslau I, o filho mais jovem do grão-príncipe de Quieve Jaroslau, o Sábio.[1] Segundo o historiador Martin Dimnik, Bóris era uma criança quando seu pai morreu em 1057.[2] Bóris tornou-se um izgoi — membros da dinastia removeram-o da linha sucessória — após a morte de seu pai, pois seu tio Igor I sucedeu seu pai em Esmolensco.[3] A alegada íntima relação de Bóris com seus primos Olegue I e Romano I implica que o pai deles, o príncipe de Czernicóvia Esvetoslau II, apaziguou-o "de algum modo, indubitavelmente, dando-lhe uma cidade", segundo Martin.[4]

Em CzernicóviaEditar

Após a morte de Esvetoslau em 1077, seus irmãos Usevolodo I e Iziaslau I começaram uma intensa rivalidade pelo trono quievano. Usevolodo deixou Czernicóvia e marchou em direção a Iziaslau, que estava em campanha militar contra Quieve.[5] Bóris aproveitou a ausência de seu tio e tomou controle de Czernicóvia. Ele apenas conseguiu manter o poder por 8 dias e então fugiu para Tamatarcha ao ouvir do retorno de Usevolodo.[6]

Em TamatarchaEditar

Em Tamatarcha, Bóris foi recebido por seu primo Romano.[6] Os dois logo uniram-se ao irmão de Romano, Olegue, que foi banido por seus tios do Principado de Vladimir.[7] Bóris e Olegue aliaram-se com os cumanos e atacaram Usevolodo no rio Sozo, derrotando seu exército numa batalha sangrenta e capturando Czernicóvia em 25 de agosto de 1078.[8][9] Logo, Usevolodo e Iziaslau foram capazes de reunir um novo exército com ajuda de seus filhos e marcharam para Czernicóvia.[10]

Bóris e Olegue já haviam deixado a cidade no tempo de Usevolodo e Iziaslau se aproximaram, mas os cidadãos fecharam os portões e prepararam-se para o cerco. Os atacantes incendiaram as porções exteriores da cidade e quiseram avançar mais, mas receberam a notícia de que Olegue e Bóris estavam indo para Czernicóvia para salvá-la.[10] Olegue tentou convencer seu primo Bóris para não fazer nenhuma confrontação direta com os quatro príncipes, mas Bóris decidiu seguir em frente.[11] Bóris morreu numa luta intensa "num lugar próximo a uma vila sobre o prado de Nezata"[12] em 3 de outubro, segundo a Crônica de Nestor.[13]

Referências

  1. Dimnik 1994, p. 42, Tabela 1.
  2. Dimnik 1994, p. 42-43.
  3. Dimnik 1994, p. 43, 96.
  4. Dimnik 1994, p. 96.
  5. Dimnik 1994, p. 137.
  6. a b Dimnik 1994, p. 135.
  7. Dimnik 1994, p. 140, 142.
  8. Dimnik 1994, p. 147.
  9. Franklin 1996, p. 260.
  10. a b Dimnik 1994, p. 149.
  11. Dimnik 1994, p. 149-150.
  12. Cross 1953, p. 166 (ano 6586).
  13. Dimnik 1994, p. 150.

BibliografiaEditar

  • Cross, Samuel Hazzard; Sherbowitz-Wetzor, Olgerd P. (1953). The Russian Primary Chronicle: Laurentian Text (Translated and edited by Samuel Hazzard Cross and Olgerd P. Sherbowitz-Wetzor). Cambridge, Massachusetts: Medieval Academy of America. ISBN 978-0-915651-32-0 
  • Dimnik, Martin (1994). The Dynasty of Chernigov, 1054–1146. Ontário: Pontifical Institute of Mediaeval Studies. ISBN 0-88844-116-9 
  • Franklin, Simon; Shepard, Jonathan (1996). The Emergence of Rus 750–1200. Londres: Longman. ISBN 0-582-49091-X