Abrir menu principal

BR-262

rodovia transversal brasileira que interliga os estados do Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo e Mato Grosso do Sul
BR-262
Identificador  BR-262 
Tipo Rodovia transversal
Extensão 2 213 km
Extremos
 • leste:
 • oeste:

Rua Francisco Lacerda de Aguiar, Vitória, Espírito Santo
Fronteira Bolívia–Brasil, Corumbá, Mato Grosso do Sul
Interseções BR-050
BR-060
BR-163
BR-158
BR-381
BR-116
BR-101

A BR-262 é um rodovia transversal brasileira que interliga os estados do Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo e Mato Grosso do Sul. É a nona maior rodovia do país, possuindo 2 213 quilômetros de extensão.

Começa em Vitória no estado do Espírito Santo, passa por cidades importantes como Manhuaçu, Belo Horizonte, Araxá, Uberaba, Três Lagoas e Campo Grande e termina junto à fronteira com a Bolívia, em Corumbá no estado de Mato Grosso do Sul.

Percorre 195,5 km no estado do Espírito Santo, 999,8 km no estado de Minas Gerais, 316,7 km no estado de São Paulo e 783 km no estado de Mato Grosso do Sul. O trecho paulista não é reconhecido oficialmente, apesar de aparentemente o traçado ser concomitante com o da SP-310 no trecho entre Nhandeara e Ilha Solteira.

A partir do município de João Monlevade a rodovia se une à BR-381 e compartilham o mesmo traçado. A BR-262 ainda faz um desvio passando pelas cidades de Caeté e Sabará até se encontrar novamente com a BR-381, já na cidade de Belo Horizonte.

O trecho de Betim a Nova Serrana já está duplicado. São 84 km de rodovia duplicada.

HistóriaEditar

 
Trecho da rodovia BR 262 dentro do município de Luz, Minas Gerais.
 
Trecho da BR-262 próximo ao trevo do município de Bom Despacho, Minas Gerais.

Até 1964, no sistema antigo de numeração das rodovias federais, a atual BR-262 era conhecida como BR-31.

O asfaltamento do trecho entre Belo Horizonte e Vitória foi concluído em 1968.

O trecho entre Campo Grande e Corumbá foi concluído anos depois em 1986, sendo a ponte do Rio Paraguai concluída em 2000 com a instalação de um pedágio.

Em 2009, a BR-262/381 registrou 280 mortes em 9.614 acidentes, 138 pessoas morreram e 2.159 ficaram feridas em 2.975 acidentes somente no percurso entre Belo Horizonte e Governador Valadares.[1]

Em 2010, 17 pessoas morreram em menos de 72 horas, no trecho entre Belo Horizonte e Governador Valadares entre os dias 23 e 25 de junho. Ao todo a BR-262/381 registrou 334 mortes em 9.890 acidentes.[1]

Referências

Ligações externasEditar