Baixa Silésia (voivodia)

Disambig grey.svg Nota: Se procura a região histórica, veja Baixa Silésia.

Voivodia da Baixa Silésia (em polonês/polaco: województwo dolnośląskie) é uma unidade da divisão administrativa da Polônia e uma das 16 voivodias, com capital em Breslávia (Wrocław). Foi criada em 1999 a partir dos territórios das províncias anteriores de Breslávia, Legnica, Jelenia Góra, Wałbrzych e partes de Leszno e Kalisz. Está localizada no sudoeste da Polônia, cobre a parte ocidental da histórica Silésia, ou seja, a maior parte da Baixa Silésia, bem como as terras de Kłodzko, leste da Alta Lusácia e um pequeno pedaço da histórica Saxônia (Bogatynia e arredores).

Voivodia da Baixa Silésia
Województwo dolnośląskie
Brasão Bandeira de Voivodia da Baixa Silésia Województwo dolnośląskie
Voivodia da Baixa Silésia Województwo dolnośląskie no mapa da Polônia
Capital
habitantes
Breslávia
641 607 (2019)[1]
Voivoda Jarosław Obremski
Marechal Cezary Przybylski
Área (2015) 19 946,7 km²
População 2.900.000[2] hab.
(30 de junho de 2019)
Densidade pop 146 hab/km²
Urbanização 69,4%
Matrículas D
TERYT: 02 ISO: PL-DS
Voivodia da Baixa Silésia Województwo dolnośląskie
Condados urbanos 4
rurais 26
Comunas urbanas 35
urbana-rurais 56
rurais 78

pl. Powstańców Warszawy 1
50-951 Breslávia

Site Oficial

HistóriaEditar

 
Voivodias de 1975 a 1998 com a fronteira da atual voivodia da Baixa Silésia

A voivodia da Baixa Silésia foi criada em 1999 a partir das voivodias da divisão administrativa anterior:

GeografiaEditar

 
Mapa físico da voivodia

Segundo os dados de 1 de janeiro de 2014, a área da voivodia era de 19 946,74 km², o que corresponde a 6,4% da Polônia.[3]

Segundo dados de 31 de dezembro de 2012, na voivodia, as florestas da Baixa Silésia cobriram uma área de 591,3 mil ha, que constituía 29,6% de sua área. 9,7 mil ha de florestas estavam dentro de parques nacionais.[4]

Localização administrativaEditar

A voivodia está localizada no sudoeste da Polônia e faz fronteira com:[5]

e com as seguintes voivodias:

Localização físicaEditar

A voivodia da Baixa Silésia inclui fragmentos da planície da Europa Central (macrorregiões: planície Silésia-Lusânia, planície do sul da Grande Polônia, depressão Milicz-Głogów, Cumes do sul e planícies da Silésia) e maciço da Boêmia (macrorregiões: Sopé dos Sudetos, sopés dos Sudetos Ocidentais, Sudetos Ocidentais, Sudetos Centrais e Sudetos Orientais).

Localização históricaEditar

A área da voivodia cobre a maior parte da Baixa Silésia, terras de Kłodzko, leste da Alta Lusácia e uma parte da Saxônia.

TopografiaEditar

 
Topografia da voivodia

No sentido norte-sul, a voivodia se estende por mais de 190 km, ou seja, 1°42′31″. No sentido leste-oeste, a extensão da voivodia é de 208 km, o que na dimensão angular dá 2°58′40″.

Coordenadas geográficas dos pontos extremos:

A topografia é de planície (altura média é de 248,4 m acima do nível do mar) - 74,7% da voivodia está abaixo de 300 m a.n.m. e 0,5% acima de 1000 m a.n.m.[6]

O ponto mais alto é o cume Śnieżka – 1603 m a.n.m.
O ponto mais baixo é o fundo do vale do rio Oder, perto da vila de Dobrzejowice, Condado de Glogóvia - 69 m a.n.m.

Recursos hídricosEditar

 
Rede fluvial da voivodia (amarelo - a divisória continental do mar Báltico, vermelho - mar do Norte, verde - mar Negro)

Praticamente todo o território da voivodia da Baixa Silésia está localizado na bacia do rio Oder (98.886% da área da voivodia) pertencente à bacia hidrográfica do mar Báltico. As restantes secções do território situam-se na bacia do rio Elba (1,130%) pertencente à bacia hidrográfica do mar do Norte e na bacia do Danúbio (0,004%) pertencente à bacia hidrográfica do mar Negro.[7]

Grandes rios: rio Oder e seus afluentes Barycz, Bóbr e Kwisa, Bystrzyca, Kaczawa, Nysa Kłodzka, Nysa Łużycka, Oława, Ślęza e Widawa.

O maior lago é o Kunickie – 0,95 km², que faz parte do Legnickie, um conjunto de lagos glaciais. O maior reservatório artificial de água é o lago Mietkowski, criado em 1986 no rio Bystrzyca – 9,29 km². No nordeste, uma parte da voivodia possui um grande complexo de lagoas, as lagoas Milicz – aproximadamente 77 km² entre elas a lagoa Jan, Niezgoda, Rudy, Słoneczny Górny, Słupicki Duży e a maior delas, a Grabownica com uma área de 2,83 km².

ClimaEditar

A temperatura média anual na voivodia é de 7,7 °C (considerando apenas a parte das terras baixas - até 300 m a.n.m. esta temperatura sobe para 8,2 °C). No mês mais frio (janeiro) a temperatura média é de –3,2 °C (na planície –2,9 °C), e no mais quente (julho) atinge 17,3 °C (17,9 °C). A pluviosidade média anual é de 595,2 mm (568,9 mm na planície). No mês mais seco (janeiro), a pluviosidade é de 30,0 mm (28,9 mm), e no mês mais chuvoso (julho) atinge 82,0 mm (79,0 mm). O coeficiente médio anual de secura para todo a voivodia é 0,8, e para a parte da planície 0,7.[8]

Recursos naturaisEditar

A voivodia é uma das regiões mais ricas em recursos minerais da Polônia. As tradições mineiras remontam ao início do século XII. A maioria dos minerais conhecidos no país ocorre aqui, relacionada ao mosaico, à variada estrutura geológica dos Sudetos e ao seu sopé. Os minerais da voivodia da Baixa Silésia são divididos em: energéticos, metálicos, químicos e rochas.

 
Depósitos minerais
Minerais energéticos

Pequenos depósitos de gás natural são explorados na região de Góra - Żmigród - Milicz, depósitos de hulha localizados na Bacia de Carvão da Baixa Silésia finalmente deixaram de ser explorados em 2000, enquanto que depósitos de linhito, localizados no oeste da voivodia, são atualmente explorados apenas na mina de carvão Turów.[9]

Minerais metálicos

Dos 14 depósitos documentados de minério de cobre, a mineração é realizada em seis deles no distrito do cobre de Legnica-Głogów. Os minérios de níquel eram obtidos da vizinhança de Ząbkowice Śląskie e estão praticamente esgotados, e os últimos depósitos deixaram de ser explorados em 1983. O ouro na Polônia era obtido exclusivamente na Baixa Silésia, na região de Złoty Stok, Lwówek Śląski, Złotoryja e Legnica. Atualmente, as concentrações de ouro têm um significado econômico mínimo. O arsênio da vizinhança de Złoty Stok interrompeu a mineração em 1960. Atualmente, os minérios de estanho das montanhas Jizera devido à baixa qualidade do minério não são explorados.

Minerais químicos

Atualmente, a barita e a fluorita não são mais extraídas e as últimas minas desses minerais foram fechadas no final da década de 1990. Depósitos de gipsita e anidrita documentados perto de Lwówek Śląski e Bolesławiec são atualmente extraídos em duas minas. O único depósito de halita documentado está em Sieroszowice.

Rochas

Atualmente, as rochas ígneas intrusivas (granitoides, gabros) e vulcânicas (basaltos, pórfiros, meláfiros), rochas sedimentares (arenitos, grauvaques, calcários e dolomitos) e rochas metamórficas (gnaisses, anfibolitos, serpentinitos e mármores) são exploradas para as necessidades da indústria da construção civil e de estradas. Somente na voivodia da Baixa Silésia são explorados blocos de granito, sienito, gabro, meláfiro, anfibolito, serpentinito, corneana e dolomito.

Os granitoides são extraídos dos maciços de Strzegom, Strzelin, Karkonosze e Zona Niemcza. As aparições de gabro são em torno de Sobótka, Braszowice e Nowa Ruda.

Administração e políticaEditar

AutonomiaEditar

O corpo legislativo é o Parlamento da Baixa Silésia, composto por 36 conselheiros.[10] O Parlamento (Sejmik) elege o Conselho da voivodia (Zarząd województwa), o órgão executivo do governo autônomo da voivodia, que é equivalente ao Conselho de Ministros (Rada Ministrów) em nível regional. É composto por 5 pessoas, inclui o marechal da voivodia (Marszałek województwa) como presidente, vice-marechal ou dois vice-marechais (vice-presidente) e outros membros. A sede do conselho regional é em Breslávia.[11]


Marechais da voivodia da Baixa Silésia:
N.º Marechal da voivodia Mandato
de até
1 Jan Waszkiewicz (AWS)
01 01 1999
30 12 2001
2 Emilian Stańczyszyn (UW)
30 12 2001
31 01 2003
3 Henryk Gołębiewski (SLD)
31 01 2003
25 08 2004
4 Paweł Wróblewski (PiS)
25 08 2004
07 12 2006
5 Andrzej Łoś (PO)
07 12 2006
03 03 2008
6 Marek Łapiński (PO)
03 03 2008
01 12 2010
7 Rafał Jurkowlaniec (PO)
01 12 2010
12 02 2014
8 Cezary Przybylski (PO, BS)
13 02 2014

Administração governamentalEditar

O órgão de administração do governo é o Voivoda (Wojewoda) da Baixa Silésia, nomeado pelo Primeiro-ministro. A sede do voivoda é Breslávia,[11] onde está localizado o Gabinete da voivodia da Baixa Silésia em Breslávia. Existem também três filiais em Jelenia Góra, Legnica e Wałbrzych.[12][13]

 
Edifício do Gabinete da voivodia da Baixa Silésia
em Breslávia
Reorganização das delegações da administração governamental Cidades e condados regionais
1 Wałbrzych Świdnica, Kłodzko, Dzierżoniów, Ząbkowice Śląskie.
2 Legnica Głogów, Jawor, Lubin, Polkowice, Złotoryja.
3 Jelenia Góra Bolesławiec, Kamienna Góra, Lubań, Lwówek Śląski, Zgorzelec.

As delegações regionais do Gabinete da voivodia da Baixa Silésia abrange as áreas anteriores da voivodia:

  1. Wałbrzych
  2. Legnica
  3. Jelenia Góra.


Voivodas da Baixa Silésia:
N.º Voivoda Mandato Primeiro-ministro
de até
1 Witold Krochmal (-)
04 01 1999
22 10 2001
Jerzy Buzek
2 Ryszard Nawrat (SLD-UP)
22 10 2001
21 03 2003
Leszek Miller e Marek Belka
3 Stanisław Łopatowski (-)
31 03 2003
21 12 2005
4 Krzysztof Grzelczyk (PiS)
21 12 2005
29 11 2007
Kazimierz Marcinkiewicz
Jarosław Kaczyński
5 Rafał Jurkowlaniec
29 11 2007
01 12 2010
Donald Tusk
6 Aleksander Skorupa
28 12 2010
11 03 2014
7 Tomasz Smolarz
12 03 2014
08 12 2015
Donald Tusk e Ewa Kopacz
8 Paweł Hreniak
08 12 2015
11 11 2019
Beata Szydło e Mateusz Morawiecki
9 Jarosław Obremski
05 12 2019
atual
Mateusz Morawiecki

Divisão administrativaEditar

A voivodia da Baixa Silésia está dividida em 26 condados e 4 cidades com direitos de condados. Dados referentes a condados de 30 de junho de 2017. Foram distinguidas cidades com direitos de condados.

 
Mapa de condados
Brasão Bandeira Condados sub-região estatística Área
(km²)
População
(30 junho 2017)
Densidade populacional
(hab./km²)
População urbana
(%)
    Bolesławiec Jelenia Góra 1303,26 90263 69 48,5
    Dzierżoniów Wałbrzych 478,34 102375 214 81,3
    Głogów Legnica-Głogów 443,06 89829 203 76,4
    Góra Legnica-Głogów 738,11 35566 48 41,4
    Jawor Jelenia Góra 581,25 51042 88 56,2
    Jelenia Góra Jelenia Góra 109,22 80325 735 100,0
    Jelenia Góra Jelenia Góra 628,21 64280 102 45,8
    Kamienna Góra Jelenia Góra 396,13 44148 111 58,5
    Kłodzko Wałbrzych 1643,37 160832 98 64,4
    Legnica Legnica-Głogów 56,29 100455 1785 100,0
    Legnica Legnica-Głogów 744,60 55193 74 32,3
    Lubań Jelenia Góra 428,30 55095 129 63,1
    Lubin Legnica-Głogów 711,99 106215 149 75,0
    Lwówek Śląski Jelenia Góra 709,94 46342 65 50,7
    Milicz Breslávia 715,01 37114 52 31,5
    Oleśnica Breslávia 1049,74 106831 102 58,3
    Oława Breslávia 523.73 76402 146 63.6
    Polkowice Legnica-Głogów 779,93 63067 81 59,0
    Strzelin Breslávia 622,27 43992 71 33,5
    Środa Śląska Breslávia 703,68 53415 76 17,8
    Świdnica Wałbrzych 742,89 158630 214 69,1
    Trzebnica Breslávia 1025,55 84238 82 37,0
    Wałbrzych Wałbrzych 84,70 114065 1347 100,0
    Wałbrzych Wałbrzych 430,22 56597 32 65,6
    Wołów Breslávia 675,00 47016 70 52,9
    Breslávia Breslávia 293,00 638364 2179 100,0
    Breslávia Breslávia 1116,15 139295 125 15,2
    Ząbkowice Śląskie Wałbrzych 801,75 66233 83 44,9
    Zgorzelec Jelenia Góra 838,11 90882 108 68,4
    Złotoryja Jelenia Góra 575.45 44264 77 49.7

Sub-regiões estatísticasEditar

A voivodia da Baixa Silésia consiste em 4 sub-regiões estatísticas (GUS)[14] - em conformidade com a norma NUTS da União Europeia:

UrbanizaçãoEditar

 
Cidades da voivodia da Baixa Silésia dentro dos limites administrativos
 
Breslávia
 
Wałbrzych
 
Legnica
 
Jelenia Góra

As maiores cidades são: Breslávia, Wałbrzych, Legnica e Jelenia Góra.

Existem 91 cidades na voivodia da Baixa Silésia, incluindo 4 cidades com direitos de condados.

1.   Breslávia (cidade com direitos de condado)
2.   Wałbrzych (cidade com direitos de condado)
3.   Legnica (cidade com direitos de condado)
4.   Jelenia Góra (cidade com direitos de condado)
5.   Bardo
6.   Bielawa
7.   Bierutów
8.   Bogatynia
9.   Boguszów-Gorce
10.   Bolesławiec
11.   Bolków
12.   Brzeg Dolny
13.   Bystrzyca Kłodzka
14.   Chocianów
15.   Chojnów
16.   Duszniki-Zdrój
17.   Dzierżoniów
18.   Gryfów Śląski
19.   Góra
20.   Głogów
21.   Głuszyca
22.   Jawor
23.   Jaworzyna Śląska
24.   Jedlina-Zdrój
25.   Jelcz-Laskowice
26.   Kamienna Góra
27.   Karpacz
28.   Kowary
29.   Kudowa-Zdrój
30.   Kąty Wrocławskie
31.   Kłodzko
32.   Leśna
33.   Lubawka
34.   Lubań
35.   Lubin
36.   Lubomierz
37.   Lwówek Śląski
38.   Lądek-Zdrój
39.   Mieroszów
40.   Milicz
41.   Mirsk
42.   Międzybórz
43.   Międzylesie
44.   Niemcza
45.   Nowa Ruda
46.   Nowogrodziec
47.   Oborniki Śląskie
48.   Oleśnica
49.   Olszyna
50.   Oława
51.   Piechowice
52.   Pieszyce
53.   Pieńsk
54.   Piława Górna
55.   Polanica-Zdrój
56.   Polkowice
57.   Prochowice
58.   Prusice
59.   Przemków
60.   Radków
61.   Siechnice
62.   Sobótka
63.   Stronie Śląskie
64.   Strzegom
65.   Strzelin
66.   Syców
67.   Szczawno-Zdrój
68.   Szczytna
69.   Szklarska Poręba
70.   Ścinawa
71.   Środa Śląska
72.   Świdnica
73.   Świebodzice
74.   Świeradów-Zdrój
75.   Świerzawa
76.   Trzebnica
77.   Twardogóra
78.   Wiązów
79.   Wleń
80.   Wojcieszów
81.   Wołów
82.   Wąsosz
83.   Węgliniec
84.   Zawidów
85.   Zgorzelec
86.   Ziębice
87.   Ząbkowice Śląskie
88.   Złotoryja
89.   Złoty Stok
90.   Żarów
91.   Żmigród

DemografiaEditar

Dados de 30 de junho de 2017:

Descrição Total Mulheres Homens
unidade habitantes % habitantes % habitantes %
população 2 902 365 100 1 507 028 52 1 395 337 48
superfície 19 946,74 km²
densidade populacional
(hab./km²)
146 76 70
  • Pirâmide etária para residentes da Baixa Silésia em 2014.[15]


ReligiãoEditar

 
Interior da igreja da Paz em Świdnica

As seguintes denominações operam na voivodia: Igreja Católica, Igreja Católica grega, Igreja Católica polonesa, Igreja Católica Nacional Polonesa, Igreja Nacional Católica, Igreja Ortodoxa Polonesa, Igreja Evangélica de Augsburg, Igreja Cristã Batista, Igreja Pentecostal, Comunidade Pentecostal Cristã, Igreja dos Cristãos Livres, Igreja dos Cristãos Evangélicos, Igreja Evangélico-Metodista, Igreja Evangélica Reformada, Igreja Adventista do Sétimo Dia, Igreja de Cristo, Igreja dos Cristãos da Fé Evangélica, Igreja de Deus em Cristo, Igreja Nova Apostólica, Testemunhas de Jeová, Movimento Missionário Secular da "Epifania", A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Associação Budista da Linha Karma Kagyu Caminho do Diamante, Associação de Tradição Budista Karma Kamtzang, Drukpa, Associação Budista Khordong, Patrul Rinpoche, Escola Zen Kwan Um na Polônia, Taego, Missão Budista, Sōtō, Associação Budista Kanzeon Sangha, Associação Budista Zen "Bodhidharma", Associação Garuda na Polônia, Associação de Comunidades Religiosas Judaicas, Movimento Hare Krishna, União religiosa muçulmana, Liga Muçulmana na Polônia e União religiosa de Karaite.

EconomiaEditar

 
O maior centro comercial da Polônia - Aleja Bielany em Bielany Wroclawskie

Em 2012, o produto interno bruto da voivodia da Baixa Silésia atingiu 138,3 bilhões de PLN, o que representou 8,2% do PIB da Polônia. O produto interno bruto per capita foi de 47,4 mil. PLN (113,1% da média nacional), que colocou a Baixa Silésia em 2.º lugar em comparação com outras voivodias.[16]. Segundo o Eurostat, em 2009 o PIB per capita na voivodia da Baixa Silésia, de acordo com a paridade do poder de compra, atingiu 61,9% do PIB médio da União Europeia,[17], enquanto o PIB da voivodia sem poder de compra representou em 2009 37,9% do PIB médio da União (8900 euros por habitante em comparação com a média da União). 23500 euros).[18]

Em 2010, a venda da produção da indústria na voivodia da Baixa Silésia atingiu 89,3 bilhões de PLN, o que constituiu 9,1% da produção da indústria polonesa. As vendas da produção de construção e montagem na Baixa Silésia totalizaram 13,0 bilhões de PLN, o que constituiu 8,1% dessa venda da Polônia.[19]

O salário médio mensal de um habitante da voivodia da Baixa Silésia no terceiro trimestre de 2011 foi de 3.584,44 PLN brutos, o que os colocou em 4.º lugar em relação a todas as voivodias.[20]

No final de setembro de 2019, o número de desempregados registrados na voivodia era de aproximadamente 56,1 mil habitantes, que é a taxa de desemprego de 4,6% para os economicamente ativos,[21] no final de janeiro de 2014 a taxa de desemprego era de 13,8%, no final de outubro de 2014 - 10,6%[22] e em outubro de 2017 - 6,1%.[23]

Segundo dados de 2011, 4,7% dos residentes nos domicílios da voivodia da Baixa Silésia teve gastos abaixo da linha de extrema pobreza (isto é, estava abaixo do mínimo de subsistência).[24]

Quatro zonas econômicas especiais operam na voivodia: Kamienna Góra, Legnica, Tarnobrzeg e Wałbrzych.

Em Bogatynia, há a mina de carvão de Turów e a Central elétrica de Turów.

Wierzchowice possui o maior armazenamento subterrâneo de gás na Polônia.

Existem 35 cervejarias na voivodia: Spiż, Stu Mostów, Profesja, Genius Loci, Pol A Checa, Złoty Pies, Prost, Solipiwko, Warsztat Piwowarski, Baba Jaga, wBrew, Wielka Wyspa em Breslávia, Caminus em Kąty Wrocławskie, Widawa em Chrząstawa Mała, Sancti Lucas em Siechnice, Cześć Brat em Jelcz-Laskowice, Cztery Ściany em Trzebnica, Doctor Brew & Lwówek em Lwówek Śląski, Zielone Wzgórze em Sulistrowiczki, Browarnia em Sobótka-Górka, Wieżyca em [Sobótka]], Jamrozowa Polana em Duszniki-Zdrój, Jedlinka em Jedlina-Zdrój, Probus em Oława, Miedzianka em Miedzianka, Rebelia em Ząbkowice Śląskie, Roch em Nowe Rochowice, Craft Browar Świdnica em Świdnica, Hoppy Lab em Żarów, Browar Kamienica em Kamienica, Staromiejski Piwowar em Legnica, Browar Rzemieślniczy Sowie em Bielawa, Dolina BoBru em Wleń, Wagabunda em Niechlów, Browar Milicz em Milicz.

Existe uma fábrica de bebidas alcoólicas em Breslávia - Akwawit-Polmos Breslávia

O menor número de culturas de milho na Polônia está localizado na voivodia da Baixa Silésia. Também são cultivados cereais, principalmente trigo, cevada e triticale, bem como lúpulo, canola, nabo, maçã, groselha, morango e tabaco. Existem 9 vinhedos na voivodia.

A lista de produtos tradicionais inclui 44 produtos da voivodia da Baixa Silésia.[25]

TransportesEditar

Transporte rodoviárioEditar

 
Autoestrada A4 vista do viaduto em Pietrzykowice perto de Kąty Wrocławskie em direção ao oeste
Estradas nacionais na voivodia da Baixa Silésia[26]
Estrada Rota Comprimento atual na voivodia [km] Observações
ŚwinoujścieSzczecinGorzów WielkopolskiZielona GóraLubinLegnicaBolkówJelenia GóraJakuszyce – fronteira do país com a República Tcheca   165
ŚwinoujścieGoleniówSzczecin A6 (trevo "Rzęśnica") – ... – A6 (Szczecin) – Gorzów WielkopolskiZielona GóraA4 (Legnica) – BolkówLubawka – fronteira do país com a República Tcheca   ? O trecho Bolków-fronteira do país está em construção
fronteira do país com a Alemanha  JędrzychowiceKrzyżowaLegnicaBresláviaOpoleGliwiceKatowiceCracóviaTarnówRzeszówKorczowa – fronteira do país com a Ucrânia   194
  (Nowe Marzy) – ŚwiecieBydgoszczGnieznoPoznań (trevo "Poznań Wschód" – trevo "Poznań Komorniki") – LesznoBresláviaKostomłotyDobromierzBolkówKamienna GóraLubawka – fronteira do país com a República Tcheca   175
  (Ostróda) – A1 (Nowe Marzy) – BydgoszczPoznańLesznoA8 (Breslávia) – ... – S8 (Sobótka) – Świdnica  (Bolków) 48 existe uma ligação da fronteira da voivodia da Grande Polônia com a Baixa Silésia até Breslávia
fronteira do país com a República Tcheca  Kudowa-ZdrójKłodzkoZąbkowice ŚląskieBresláviaOleśnicaSycówKępnoZłoczewSieradz1 (trevo "Łódź Południe") – Piotrków TrybunalskiRawa MazowieckaWarszawaRadzyminWyszkówOstrów MazowieckaZambrówBiałystokKorycinAugustówRaczkiSuwałkiBudzisko – fronteira do país com a Lituânia   115
Desvio da autoestrada de Breslávia na secção A4Psie Pole 22 tudo dentro da voivodia
KłodzkoKobierzyceA8 (Breslávia) – ... – Breslávia (Psie Pole) – KępnoSieradzA1 (Łódź) – ... – A1 (Piotrków Trybunalski) – Rawa MazowieckaS2 (Opacz) – ... – S2 (Konotopa) – WarszawaOstrów MazowieckaZambrówS19 (Choroszcz) 57
fronteira do país com a Alemanha  ŁęknicaŻaryŻagańSzprotawa – Przemków – Radwanice – Drożów 3GłogówSzlichtyngowaWschowaLesznoGostyńJarocinPleszewKaliszBłaszkiSieradzŁaskRzgówPiotrków TrybunalskiSulejówOpoczno – Przysucha – RadomZwoleńPuławy – Kurów – Lublin – Piaski – ChełmDorohusk – fronteira do país com a Ucrânia   48
TrzebnicaMiliczKrotoszynJarocinMiąskowoMiłosławWrześniaGnieznoTrzemesznoWylatowoStrzelnoInowrocławToruńBrodnica – Lubawa – Ostróda 49
fronteira do país com a Alemanha  OlszynaGolniceKrzyżowa 21
fronteira do país com a Alemanha  OlszynaA4 5 estrada sul planejada
BoboliceBiały BórCzłuchówSępólno Krajeńskie – Koronowo – BydgoszczInowrocławStrzelnoŚlesinKoninKaliszOstrów Wielkopolski – Antonin – Oleśnica 28
  (trevo "Zgorzelec") – LubańGryfów ŚląskiPasiecznikJelenia Góra 67 tudo dentro da voivodia
KłodzkoMiędzylesieBoboszów – fronteira do país com a República Tcheca   45 tudo dentro da voivodia
ŚwiebodziceDobromierz 9 tudo dentro da voivodia
fronteira do país com a República Tcheca  GolińskMieroszówWałbrzychŚwiebodziceŚwidnica  (trevo "Bielany Wrocławskie") 91 tudo dentro da voivodia
ProchowiceLubinŚcinawa – Wińsko – Załęcze – RawiczKrotoszynOstrów Wielkopolski 70
ŁagiewnikiStrzelin – Biedrzychów – Owczary – BrzegNamysłówKępno 41
KłodzkoNysa – Pakosławice – Jaczowice – Niemodlin – Karczów – OpoleLubliniec – Blachownia – Częstochowa – Janów – Szczekociny 21
  (trevo "Zgorzelec") – BolesławiecKrzywaChojnówLegnicaProchowiceBresláviaBrzegOpoleStrzelce OpolskieToszekPyskowiceBytomBędzinSosnowiecDąbrowa GórniczaOlkusz7 (trevo "Modlniczka") – ... – 4 (trevo "Kraków Wieliczka") – TarnówRzeszów – Jarosław – Radymno – estrada 1698R 214

Transporte ferroviárioEditar

 
Estação ferroviária Wrocław Główny
 
220px Wołowiec, vista do lado de Jedlina-Zdrój
 
Viaduto ferroviário em Ludwikowice Kłodzkie
 
Viaduto ferroviário em Lewin Kłodzki

A estação principal de passageiros é a Wrocław Główny, localizada na junção de várias rotas importantes de Breslávia.

Existem instalações de engenharia nas rotas ferroviárias nos Sudetos, por exemplo, o túnel sob thumb|220px Wołowiec, o túnel sob Sajdak, os túneis sob Świerkowa Kopaki, a Ponte Negra em Nowa Ruda, o viaduto em Ludwikowice Kłodzkie, o viaduto ferroviário em Lewin Kłodzki.

Em 2017, um residente estatístico da voivodia da Baixa Silésia viajou 8,6 vezes de trem.[27]

Ferrovias (bitola normal) ativasEditar

Nota: o comprimento da linha e os anos de construção indicados em itálico aplicam-se apenas à seção dentro da voivodia da Baixa Silésia

Caminho de ferro de via estreita (fechado)Editar

 
Antiga estação ferroviária de bitola estreita na parte norte de Breslávia
  • ZittauBogatynia Wąskotorowa – Heřmanicé 15,8 km; 750 mm; 1 via; construção 1884; demolido 2004
  • PrzedkowiceMilicz Wąskotorowa – Sulmierzyce 23,1 km; 750 mm; 1 via; construção 1894; demolido 2004
  • Żmigród Wąskotorowa – Przedkowice 7,5 km; 750 mm; 1 via; construção 1894; demolido 2004
  • Trzebnica Gaj – Przedkowice 18,6 km; 750 mm; 1 via; construção 1895; demolida 2004
  • Wrocław Główny Wąskotorowa – Trzebnica Gaj 26,0 km; 750 mm; 1 via; construção 1898; demolido 1970
  • Kamieniec ZąbkowickiByczeńZłoty Stok 11,8 km; 1000 mm; 1 via; construção 1900; bitola padrão desde 1911
  • Bogatynia Wąskotorowa – Turoszów Wąskotorowa 6,0 km; 750 mm; 1 via; construção 1910; demolido 2004

Transporte coletivo públicoEditar

 
SA135 da ferrovia Koleje Dolnośląskie na estação de Wrocław Główny

A voivodia da Baixa Silésia possui 26 veículos comprados pelo gabinete do marechal.

Série Tipo Números Quantidade Fabricante Usuário Fonte
EN57 5B/6B 1542 1 Pafawag falta [28]
EN57AL 5B/6B 1501, 1938 2 Pafawag Koleje Dolnośląskie [28]
EN57AKD 5B/6B 1937 1 Pafawag Koleje Dolnośląskie [28]
SA109 212M 003 ÷ 004 2 Kolzam Koleje Dolnośląskie [29][30]
SA106 214M 011 1 Pesa Koleje Dolnośląskie [29][30]
SA135 214Mb 001 ÷ 003 9 Pesa Koleje Dolnośląskie [29][30]
004 ÷ 009 ZNTK „Mińsk Mazowiecki” Koleje Dolnośląskie [29][30]
SA132 218Ma 002 1 Pesa Koleje Dolnośląskie [29][30]
SA134 218Md 003 ÷ 007 8 Pesa Koleje Dolnośląskie [29][30]
023 ÷ 025 ZNTK „Mińsk Mazowiecki” Koleje Dolnośląskie [29][30]

Transporte aéreoEditar

 
Saguão da área pública no terminal T2 do Aeroporto de Breslávia-Copérnico

O principal e maior aeroporto da voivodia é o aeroporto internacional Breslávia-Copérnico, com uma pista de 2500/45 m e o ILS II.

Além disso, a voivodia possui vários pequenos aeroportos e aeródromos pertencentes a aeroclubes:

TelecomunicaçãoEditar

Zona de numeração; código de área.[31]

Segurança públicaEditar

Na voivodia da Baixa Silésia, existe um centro de notificação de emergência localizado em Breslávia e que atende chamadas de emergência direcionadas aos números de emergência 112, 997, 998 e 999.[32]

Flora e faunaEditar

FloraEditar

 
Taxus baccata – a árvore mais antiga da Polônia

A rica vegetação abrange tanto os tipos de florestas de várzea, como os bosques de carpinos, pinheirais, florestas de carvalhos acidófilos, bem como comunidades de plantas montanhosas e de contrafortes (relva xerotérmica, prados de montanha, orquídeas termofílicas de faia, plátanos). Existem várias espécies na voivodia que só são encontradas aqui no país. São elas: sino-barbudo, Aconitum plicatum, campânula-basáltica, Campanula bohemica, Pedicularis sudetica, Galium sudeticum, Asplenium adiantum-nigrum, Asplenium adulterinum, Asplenium cuneifolium, Coleanthus subtilis, Cryptogramma crispa, Carex magellanica, Cyclamen purpurascens, Gladiolus palustris. Além disso, várias espécies têm seu centro de distribuição nacional na região. São elas: Leopoldia comosa, Leucojum vernum, galium valdepilosum, Lindernia procumbens, Epipactis muelleri, Epipactis albensis, Epipactis purpurata, Montia fontana, Dactylorhiza sambucina, Orobanche pallidiflora e Ornithogalum collinum .[33][34]

PteridófitasEditar

Licófitas:
LycopodialesHuperzia selago, Lycopodiella inundata, Lycopodium clavatum, Lycopodium annotinum, Diphasiastrum alpinum , Diphasiastrum complanatum, Diphasiastrum × issleri, Diphasiastrum × zeilleri , Diphasiastrum tristachyum
SelaginellalesSelaginella selaginoides
IsoetalesIsoetes lacustris.

Equisetopsida:
EquisetalesEquisetum telmateia, Equisetum sylvaticum, Equisetum pratense, Equisetum arvense, Equisetum fluviatile, Equisetum palustre, Equisetum ramosissimum, Equisetum hyemale, Equisetum variegatum.

Samambaia:
OphioglossalesOphioglossum vulgatum, Botrychium multifidum, Botrychium lunaria, Botrychium matricariifolium
OsmundaceaeOsmunda regalis
HymenophyllaceaeVandenboschia speciosa
PolypodialesCryptogramma crispa; Pteridium aquilinum; Oreopteris limbosperma, Thelypteris palustris, Phegopteris connectilis; Asplenium septentrionale, Asplenium trichomanes, Asplenium viride, Asplenium adulterinum, Asplenium ruta-muraria, Asplenium cuneifolium, Asplenium adiantum-nigrum, Asplenium onopteris, Asplenium scolopendrium; Athyrium filix-femina, Athyrium distentifolium, Cystopteris fragilis, Cystopteris sudetica, Woodsia alpina, Woodsia ilvensis, Matteuccia struthiopteris; Polystichum lonchitis, Polystichum aculeatum, Polystichum braunii, Dryopteris cristata, Dryopteris filix-mas, Dryopteris carthusiana, Dryopteris dilatata, Gymnocarpium dryopteris, Gymnocarpium robertianum; Blechnum spicant; Polypodium vulgare, Polypodium interjectum.
SalvinialesSalvinia natans; Azolla caroliniana.

EspermatófitasEditar

Conífera:
PinalesAbies alba, Pseudotsuga menziesii, Picea abies, Larix kaempferi, lariço-europeu, Pinus banksiana, Pinus strobus, pinheiro-larício, pinheiro-da-escócia, Pinus mugo, cipreste-sawara, Chamaecyparis lawsoniana, Thuja occidentalis, Juniperus communis
TaxalesTaxus baccata.

Angiosperma:
NymphaealesNymphaea alba, Nymphaea candida, Nuphar lutea
Piperalesásaro, Aristolochia clematitis
CeratophyllaceaeCeratophyllum demersum, Ceratophyllum submersum
RanunculalesPapaver argemone, Papaver dubium, papoula, papoula-dormideira, Corydalis cava, Corydalis intermedia, Corydalis pumila, Corydalis solida, Fumaria officinalis, Fumaria schleicheri, Fumaria vaillantii; Berberis vulgaris, Mahonia aquifolium; Helleborus niger, Helleborus viridis, Eranthis hyemalis, Nigella damascena, Nigella arvensis, Nigella sativa, Trollius europaeus, Isopyrum thalictroides, Actaea spicata, Caltha palustris, Aconitum variegatum, Consolida regalis, Consolida ajacis, Consolida orientalis, Anemone sylvestris, Anemone nemorosa, Anemone ranunculoides, Hepatica nobilis, Anemone patens, Anemone vernalis, Anemone pratensis, Pulsatilla vulgaris, Clematis recta, Clematis vitalba, Adonis flammea, Adonis aestivalis, Adonis annua, Ranunculus aquatilis, Ranunculus peltatus, Ranunculus penicillatus, Ranunculus circinatus, Ranunculus trichophyllus, Ranunculus fluitans, Ranunculus ficaria, Ranunculus lingua, Ranunculus flammula, Ranunculus bulbosus, Ranunculus sceleratus, Ranunculus arvensis, Ranunculus repens, Ranunculus sardous, Ranunculus polyanthemos, Ranunculus serpens, Ranunculus cassubicus, Ranunculus auricomus, Ranunculus lanuginosus, Ranunculus acris, Myosurus minimus, Aquilegia vulgaris, Thalictrum aquilegiifolium, Thalictrum minus, Thalictrum lucidum, Thalictrum flavum
SaxifragalesCrassula aquatica, Jovibarba sobolifera, Sedum alpestre, Sedum album, Sedum spurium, Sedum acre, Sedum villosum, Sedum rupestre, Sedum sexangulare, Sedum maximum, Rhodiola rosea; Myriophyllum spicatum, Myriophyllum verticillatum; groselheira, Ribes alpinum, cassis, groselha, Ribes petraeum; Chrysosplenium oppositifolium, Chrysosplenium alternifolium, Saxifraga moschata, Saxifraga bryoides, Saxifraga oppositifolia, Saxifraga nivalis, Saxifraga tridactylites, Saxifraga granulata, Saxifraga sponhemica
VitalesParthenocissus inserta, Vitis vinifera
CelastralesEuonymus verrucosus, Euonymus europaeus, Parnassia palustris

FaunaEditar

InvertebradosEditar

 
Zanclognatha zelleralis

Os limites de alcance de muitas espécies passam pela voivodia, e assim: são encontradas no norte populações isoladas de aranha Chiracanthium elegans, lacraia Glomeris guttata, abelha Chalicodoma parietina (provavelmente extinta), lesma Tandonia rustica e borboleta Polyommatus daphnis. As populações do sul são formadas por espécies do Ártico, entre outras a mosca Rhamphomya caudata. Entre as relíquias glaciais deve ser mencionada a borboleta Ectoedemia woolhopiella encontrada nas Montanhas dos Gigantes e nos Montes Jizera. Das espécies dos Cárpatos, que atingem os Sudetos orientais incluem, entre outras, 8 espécies de caracóis, por exemplo, o Bielzia coerulans, ou o besouro Pterostichus negligens. Dos invertebrados calcários, deve-se mencionar o crustáceo terrestre Cylisticus convexus. As espécies conhecidas apenas em locais individuais incluem, entre outras, as borboletas Zanclognatha zelleralis e Aplota kadeniella no monte Ostrzyca, gorgulhos Ceutorhynchus niyazzi em Głogów, Ceutorhynchus leprieuri em Breslávia e montanhas Śnieżnik, besouro Anommatus pannonicus em Breslávia e verme Troglochaetus beranecki na Caverna Radochowska. Poucas espécies endêmicas também foram encontradas, como o inseto sem asas Onychiurus paxi das montanhas Bystrzyckie, minhoca Trichodrilus spelaeus e camarão Crangonyx paxi encontrado apenas em Kletno e o colêmbolo Oncopodura reyersdorfensis encontrado apenas na caverna Radochowska. Também vale a pena mencionar as espécies com um alcance limitado na Polônia, que foram extintas na voivodia – Margaritifera margaritifera e a Parnassius apollo.[35]

VertebradosEditar

Os vertebrados da voivodia da Baixa Silésia estão bem representados. Existem 77 espécies de mamíferos (incluindo 21 espécies de morcegos), 360 espécies de pássaros (das quais 200 espécies nidificam aqui e 29 espécies de pássaros que ocorrem na província são espécies ameaçadas listadas no Livro Vermelho polonês), 9 espécies de répteis, 15 espécies de anfíbios e 52 espécies de peixes (incluindo 11 introduzidas).[35][36]
espécies: † – extinta, r – reintroduzida, i – introduzida, espécies não reprodutoras (incluindo aves não reprodutoras) em itálico, espécies raras, de ocorrência irregular em fonte pequena.

Mamíferos:
InsetívorosErinaceus roumanicus, ouriço-terrestre; Talpa europaea; Crocidura suaveolens, Neomys anomalus, Neomys fodiens, Sorex araneus, Sorex alpinus, Sorex minutus
MorcegosRhinolophus hipposideros; morcego-negro, Eptesicus nilssonii, morcego-hortelão, Myotis alcathoe, Myotis bechsteinii, Myotis brandti, Myotis myotis, Myotis dasycneme, Myotis nattereri, morcego-lanudo, Myotis daubentonii, Myotis mystacinus, morcego-arborícola-pequeno, morcego-arborícola-grande, Pipistrellus pygmaeus, morcego-anão, morcego-de-nathusius, morcego-orelhudo-castanho, morcego-orelhudo-cinzento, Vespertilio murinus
Roedoresesquilo-vermelho, Spermophilus citellusr; Sicista betulina; castor-europeur; hamster-comum; nútriai; Arvicola amphibius, Arvicola scherman, Myodes glareolus, Microtus agrestis, Microtus oeconomus, rato silvestre, Microtus subterraneus, rato-almiscaradoi; Dryomys nitedula, Glis, arganaz; Apodemus agrarius, Apodemus flavicollis, Apodemus uralensis, Apodemus sylvaticus, Micromys minutus, Mus musculusi, rato-pretoi, Rattus norvegicusi
Lagomorfoscoelho-europeui, lebre-comum
Carnívoroslobo, cão-guaxinimi, raposa-vermelha; urso-pardo; lontra-europeia, fuinha, marta, texugo-europeu, doninha-anã, arminho, vison-europeu, vison-americanoi, tourão; guaxinimi; lince-euroasiáticor, gato-bravo
Artiodátilosmuflãoi, camurçai; javali; alce, corça, veado-vermelho, gamoi.

Aves:
Gaviiformesmobelha-pequena, mobelha-árctica, mobelha-grande
Podicipedidaemergulhão-pequeno, mergulhão-de-crista, mergulhão-de-pescoço-vermelho, mergulhão-de-pescoço-castanho, mergulhão-de-pescoço-preto
Procellariiformespainho-de-cauda-quadrada, painho-de-cauda-furcada
Pelecaniformespelicano-branco, pelicano-crespo; abetouro, garça-pequena, savacu, papa-ratos, garça-vaqueira, garça-branca-pequena, garça-branca-grande, garça-real-europeia, garça-vermelha; íbis-preto, colhereiro-europeu; corvo-marinho-de-faces-brancas, Microcarbo pygmeus; cegonha-preta, cegonha-branca
Phoenicopteriformesflamingo-comum
Anseriformescisne-branco, cisne-pequeno, cisne-bravo, ganso-campestre, ganso-de-bico-curto, ganso-grande-de-testa-branca, Anser erythropus, ganso-bravo, Anser rossii, ganso-do-canadái, ganso-de-faces-brancas, ganso-de-faces-negras, Branta ruficollis, ganso-do-egitoi, pato-ferrugíneo, pato-branco, pato-mandarimi, piadeira, frisada, marrequinha-comum, Anas carolinensis, pato-real, marreca-arrebio, Spatula querquedula, pato-trombeteiro, pato-de-bico-vermelho, zarro-comum, zarro-de-colar, zarro-castanho, zarro-negrinha, zarro-bastardo, êider-edredão, pato-de-cauda-afilada, pato-preto, Melanitta fusca, Bucephala clangula, Mergellus albellus, merganso-de-poupa, merganso-grande, pato-de-rabo-alçado, pato-de-rabo-alçado-americanoi
Accipitriformestartaranhão-apívoro, milhafre-preto, milhafre-real, rabalva, abutre-do-egito, abutre-fouveiro, abutre-preto, águia-cobreira, tartaranhão-ruivo-dos-pauis, tartaranhão-azulado, tartaranhão-rabilongo, tartaranhão-caçador, açor, gavião-da-europa, águia-de-asa-redonda, bútio-rabo-canela, bútio-patudo, águia-pomarina, águia-gritadeira, águia-imperial-oriental, águia-real, águia-pequena; águia-pesqueira
Falconiformespeneireiro-vulgar, falcão-de-pés-vermelhos, esmerilhão, ógea, falcão-da-rainha, falcão-sacre, falcão-gerifalte, falcão-peregrino
Galináceosperdiz-avelã, Lyrurus tetrix, tetraz-grander, perdiz-cinzenta, codorniz-comum, faisão-comumi
Gruiformesfrango-d'água-europeu, franga-d'água-grande, Zapornia parva, codornizão, galinha-d'água, galeirão-comum; grou-comum, grou-pequeno
Abetardasisão, Chlamydotis macqueenii, abetarda-comum
Charadriiformesostraceiro-europeu; pernilongo, alfaiate; alcaravão; perdiz-do-mar-comum, Glareola nordmanni; borrelho-pequeno-de-coleira, borrelho-grande-de-coleira, borrelho-ruivo, tarambola-dourada, tarambola-cinzenta, abibe-sociável, abibe-comum; seixoeira, pilrito-das-praias, pilrito-pequeno, pilrito-de-temminck, Calidris bairdii, pilrito-peitoral, pilrito-de-bico-comprido, pilrito-escuro, pilrito-comum, pilrito-falcinelo, pilrito-canela, combatente, narceja-galega, narceja-comum, narceja-real, maçarico-escolopáceo-americano, galinhola, maçarico-de-bico-direito, fuselo, maçarico-galego, maçarico-de-bico-fino, maçarico-real, perna-vermelha-escuro, perna-vermelha-comum, perna-verde-fino, perna-verde-comum, perna-amarela-grande, maçarico-bique-bique, maçarico-bastardo, maçarico-sovela, maçarico-das-rochas, maçarico-maculado, rola-do-mar, falaropo-de-bico-fino, falaropo-de-bico-grosso; moleiro-pomarino, moleiro-parasítico, moleiro-de-cauda-comprida, moleiro-grande; Ichthyaetus ichthyaetus, gaivota-de-cabeça-preta, gaivota-pequena, gaivota-de-sabine, guincho-comum, gaivota-de-delaware, gaivota-parda, gaivota-de-asa-escura, gaivota-prateada, Larus cachinnans, gaivota-de-patas-amarelas, gaivota-hiperbórea, alcatraz-comum, gaivota-tridáctila, gaivina-de-bico-preto, gaivina-de-bico-vermelho, garajau-comum, andorinha-do-mar-rósea, andorinha-do-mar-comum, andorinha-do-ártico, andorinha-do-mar-anã, gaivina-de-faces-brancas, gaivina-preta, gaivina-de-asa-branca
CortiçolSyrrhaptes paradoxus
Columbiformespombo-comumi, pombo-bravo, pombo-torcaz, rola-turca, rola-comum
Cuculiformescuco-rabilongo, cuco-canoro
Strigiformescoruja-das-torres; mocho-d’orelhas, bufo-real, coruja-das-neves, coruja-gavião, mocho-pigmeu, mocho-galego, aluco, coruja-dos-urais, coruja-pequena, coruja-do-nabal, Aegolius funereus
Caprimulgiformesnoitibó-da-europa; andorinhão-preto
Coraciiformesguarda-rios-comum; abelharuco-comum; rolieiro-europeu
Bucerotiformespoupa-eurasiática
PiciformesJynx torquilla, Picus canus, pica-pau-verde, pica-pau-preto, pica-pau-malhado-grande, Dendrocopos syriacus, Dendrocoptes medius, Dendrocopos leucotos, pica-pau-malhado-pequeno, Picoides tridactylus
Passeriformescalhandra-real, cotovia-de-poupa, cotovia-pequena, laverca, Eremophila alpestris; andorinha-das-barreiras, andorinha-das-chaminés, andorinha-dos-beirais; petinha-dos-campos, petinha-das-árvores, petinha-dos-prados, petinha-de-garganta-ruiva, petinha-ribeirinha, petinha-marítima, alvéola-amarela, alvéola-citrina, alvéola-cinzenta, alvéola-branca; Bombycilla garrulus; melro-d'água; carriça; ferreirinha-comum, ferreirinha-alpina; Geokichla sibirica, melro-de-peito-branco, melro-preto, tordo-escuro, Turdus naumanni, Turdus ruficollis, Turdus atrogularis, tordo-zornal, tordo-comum, tordo-ruivo, tordoveia; pisco-de-peito-ruivo, Luscinia luscinia, rouxinol, pisco-de-peito-azul, rabirruivo-preto, rabirruivo-de-testa-branca, cartaxo-nortenho, cartaxo-comum, chasco-cinzento, melro-das-rochas, papa-moscas-cinzento, papa-moscas-pequeno, Ficedula albicollis, papa-moscas-preto; toutinegra-de-cabeça-preta, Curruca nisoria, papa-amoras-cinzento, papa-amoras-comum, felosa-das-figueiras, toutinegra; Seicercus trochiloides, felosa-bilistada, felosa-de-bonelli, felosa assobiadeira, felosa-comum, felosa-ibérica, felosa-musical; estrelinha-de-poupa, estrelinha-de-cabeça-listada; felosa-malhada, Locustella fluviatilis, felosa-unicolor; felosa-real, felosa-aquática, felosa-dos-juncos, Acrocephalus palustris, rouxinol-pequeno-dos-caniços, rouxinol-grande-dos-caniços, felosa-icterina; Panurus biarmicus; chapim-rabilongo; Poecile palustris, Poecile montanus, chapim-de-poupa, chapim-carvoeiro, chapim-azul, Cyanistes cyanus, chapim-real; trepadeira-azul; trepadeira-dos-muros; trepadeira-do-bosque, trepadeira-comum; chapim-de-faces-pretas; papa-figos; picanço-de-dorso-ruivo, Lanius minor, Lanius excubitor, picanço-barreteiro; gaio-comum, pega-rabuda, quebra-nozes, gralha-de-bico-amarelo, gralha-de-nuca-cinzenta, gralha-calva, gralha-cinzenta, gralha-preta, corvo-comum; estorninho-comum, estorninho-rosado; pardal-doméstico, pardal-montês, pardal-francês, pardal-das-neves; tentilhão-comum, tentilhão-montês, chamariz, verdilhão-serrano, verdilhão, pintassilgo, lugre, pintarroxo-comum, pintarroxo-de-bico-amarelo, pintarroxo-de-queixo-preto, pintarroxo de Hornemann, Loxia leucoptera, cruza-bico, pintarroxo-vermelho, Pinicola enucleator, dom-fafe, bico-grossudo; escrevedeira-amarela, escrevedeira-de-garganta-preta, cia, sombria, escrevedeira-rústica, escrevedeira-pigmeia, escrevedeira-dos-caniços, Granativora melanocephala, trigueirão; escrevedeira-da-lapônia, escrevedeira-das-neves.

Répteis:
Tartarugascágado-de-carapaça-estriadar, Trachemys scriptai
Escamadoslagarto-ágil, Zootoca vivipara, lagartixa-dos-murosi; licranço; cobra-de-água-de-colar, cobra-lisa-austríaca; Vipera berus.

Anfíbios:
Urodelossalamandra-de-fogo, tritão-de-crista, tritão-comum, tritão-alpino
AnuraBombina bombina; Pelobates fuscus; sapo-comum, sapo-verde-europeu, sapo-corredor; rã-arborícola-europeia; Pelophylax lessonae, Pelophylax kl. esculentus, Pelophylax ridibundus, Rana temporaria, Rana arvalis.

Peixes:
Petromyzontiformeslampreia-marinha, Lampetra fluviatilis, lampreia-de-riacho
AcipenseriformesAcipenser oxyrinchus
AnguilliformesAnguilla anguilla
Clupeiformessável
CypriniformesBarbus barbus, carpa-comumi, pimpão, Carassius gibelioi, Ctenopharyngodon idellai, Gobio gobio, Gobio albipinnatus, tenca, Rhodeus sericeus, brema, Abramis bjoerkna, Ballerus ballerus, Vimba vimba, Rutilus rutilus, Scardinius erythrophthalmus, Chondrostoma nasus, Hypophthalmichthys molitrixi, Hypophthalmichthys nobilisi, Leuciscus aspius, Leucaspius delineatus, Phoxinus phoxinus, Leuciscus leuciscus, escalo-prateado, Squalius cephalus, Pelecus cultratus, alburno, Alburnoides bipunctatus, Pseudorasbora parvai; verdemã, Cobitis elongatoides, Sabanejewia aurata, Misgurnus fossilis; Nemacheilus barbatulus
Siluriformespeixe-gato-cabeçudo-castanhoi; siluro
EsociformesEsox lucius
OsmeriformesOsmerus eperlanus
SalmoniformesThymallus thymallus, Thymallus baicalensisi†, salmão-do-danúbioi, Salvelinus fontinalisi, Salmo salar, Salmo trutta m. trutta, Salmo trutta m. fario, truta-arco-írisi
GadiformesLota lota
GasterosteiformesPungitius pungitius, Gasterosteus aculeatus
ScorpaeniformesCottus gobio, Cottus poecilopus
Perciformesperca-soli; Perca fluviatilis, Acerina Eurasiana, Sander lucioperca.

Proteção ambientalEditar

 
"Inferno" em Szczeliniec Wielki
 
Vale do rio Baryczy
 
Vale do rio Baryczy

Na voivodia estão localizados:[37]

e muitas áreas cobertas pela Rede Natura 2000.

TurismoEditar

 
Castelo Książ em Wałbrzych
 
Antiga Câmara Municipal de Breslávia
 
Castelo de Czocha
 
Castelo Piast em Legnica
 
Castelo de Grodno
 
Castelo de Bolków

A maior cidade é Breslávia - a capital da voivodia e a capital histórica de toda a Silésia. A cidade tem o Salão do Centenário inscrito na lista da UNESCO e é reconhecido como monumento histórico. O complexo do centro histórico da Breslávia e muitos outros monumentos e atrações como a pintura Panorama de Racławice, a Fonte de Breslávia, o Jardim Japonês, o Jardim Zoológico mais antigo e maior da Polônia e o Jardim Botânico.

A lista da UNESCO também inclui as Igrejas da Paz em Jawor e Swidnica.

A voivodia é famosa por ter um grande número de castelos (99) e palácios (várias centenas): palácio em Bagieniec, palácio em Bagno, castelo em Bardo, palácio em Biskupice Podgórne, castelo em Bolczów, castelo em Bolków, palácio em Bożków, palácio em Brzezinka, palácio em Brzeźno, palácio em Bukowiec, castelo em Chobienia, castelo em Chocianowiec, palácio em Chocianów, castelo em Chojnik, castelo Piast em Chojnów, castelo em Tisza, palácio em Chwalimierz, Mansão Czarne em Jelenia Góra, castelo em Czernin Górna, palácio Czettritz em Struga, castelo em Czocha, palácio em Dąbrowica, palácio em Dobrocin, palácio em Gaworzyce, castelo em Gola Dzierżoniowska, castelo em Gorzanów, castelo em Gościeszów, castelo em Grodno, castelo em Grodziec, castelo em Gryf, castelo em Góra, castelo em Homole, Mansão em Janowice Wielkie, castelo em Jawor, palácio Jedlinka, castelo em Jelcz-Laskowice, castelo Grodztwo em Kamienna Góra, palácio em Kamieniec Ząbkowicki, castelo Karpień, castelo em Karpniki, castelo em Kliczków, castelo em Kłaczyna, palácio em Kobierzyce, palácio em Komarno, palácio Kornów em Pawłowice, palácio em Kościelniki Górne, palácio em Krasków, palácio em Krobielowice, Palácio Real em Breslávia, Książ, castelo dos Príncipes Głogów, palácio em Krzyżowa, castelo Piast em Legnica, castelo Leśna, castelo em Leśnica, castelo em Lipie, palácio em Łagów, palácio em Łomnica, palácio em Luboradz, castelo em Międzylesie, palácio classicista em Milicz, palácio em Miłków, mansão em Mniszków, palácio e hospital-palácio em Mokrzeszów, palácio em Mrowiny, palácio do barão von Münchhausen em Szalejów Dol, palácio em Mysłakowice, palácio Niemitz em Wojcieszów, castelo em Niesytno, palácio em Niwnice, palácio em Nowizna, castelo em Nowy Dwór, palácio em Ocice, castelo em Oleśnica, castelo em Opolnica, palácio em Osetno, castelo Owiesno, palácio em Parchów, palácio Paulinum em Jelenia Góra, palácio em Piotrówek, castelo em Płakowice, castelo em Podskale, castelo em Prochowice, palácio em Przyborów, castelo em Przystron, castelo em Quingenburg, Mansão em Radomierz, castelo em Radosno, castelo em Radłówka, palácio em Radomierzyce, castelo em Rajsko, castelo em Ratna Dolny, castelo em Rogowiec, castelo em Rokitnica, palácio em Roztoka, palácio em Roztocznik, castelo em Rybnica, palácio em Sarny, palácio Schaffgotsch em Cieplice, palácio Schaffgotsch em Breslávia, palácio em Siedlimowice, palácio em Skała, castelo Sobieski em Oława, castelo em Sobótka-Górka, palácio em Sokolniki, palácio em Staniszów, castelo em Stary Książ, palácio em Stolec, castelo em Stoszowice, castelo em Szczerba, palácio em Szczodre, castelo Topacz em Ślęza, palácio em Trzebieszowice, castelo em Urazie, castelo em Warta Bolesławiecka, palácio em Warmątowice Sienkiewiczowskie, castelo em Wleń, palácio em Wojanów, palácio em Wojanów-Bobrów, castelo em Wojnowice, castelo em Wołów, palácio em Zabardowice, castelo em Ząbkowice Śląskie, castelo do capitão em Ścinawka Średnia, castelo em Świecie, castelo em Świny, castelo em Żmigród.

Destacam-se também a Fortaleza de Kłodzko, a Fortaleza de Srebrna Góra, Wambierzyce, Legnickie Pole, Oleśnica Mała, Sokołowsko, a Abadia Cisterciense em Lubiąż, a Abadia Cisterciense em Krzeszów, a Abadia Cisterciense em Henryków, Museu de Mineração e Metalurgia em Zloty Stok, Mina de carvão de Nowa Ruda, Mina antiga em Wałbrzych, Museu Industrial e Ferroviário em Jaworzyna Śląska, Museu da Fabricação de Papel em Duszniki-Zdrój, Capela dos Crânios em Czermna, Igreja de Madeira de Vang, Basílica de São Pedro e São Paulo Apóstolos em Strzegom, Arboreto em Wojsławice e relacionados à história da Segunda Guerra Mundial - túneis do complexo de Riese, campo de concentração alemão Groß-Rosen, Cemitério de guerra alemão e Parque da Paz em Nadolice Wielkie e Primeira Guerra Mundial - Cemitério de soldados italianos em Breslávia.

A maioria das estâncias termais na Polônia estão na voivodia da Baixa Silésia:

A Caverna do Urso nas montanhas Śnieżnik é frequentemente visitada por turistas.

A voivodia tem três saltos de esqui: em Krucza Skała, Orlinek e Karpatka.

Rotas turísticas:


EsportesEditar

FutebolEditar

O clube de futebol mais famoso da voivodia é o Śląsk Wrocław - Campeão da Polônia em 1977 e 2012, vencedor da Copa da Polônia em 1976, 1987 e vencedor da Supercopa da Polônia em 1987, 2012, atualmente está em oitavo lugar na classificação histórica do Campeonato Polonês de Futebol (Ekstraklasa) e disputando partidas no Estádio Municipal de Breslávia.

Outros esportesEditar

  • Todos os anos, a Maratona de Breslávia é realizada em setembro na capital da voivodia - Breslávia.
  • Todos os anos, no primeiro sábado de agosto, a cidade de Szklarska Poręba organiza a Maratona de Karkonosze nas Montanhas dos Gigantes.
  • Todos os anos em junho, a cidade de Boguszów-Gorce organiza a ultramaratona Sudecka Setka.
  • Desde 2013, as cidades de Stronie Śląskie e Lądek-Zdrój organizam a Corrida dos Sete Picos em julho nos Sudetos (a mais longa da Polônia - 215 km).
  • Desde 2014, a cidade de Karpacz organiza a ultramaratona Gigante do Inverno em março nas Montanhas dos Gigantes, com um percurso de 52 km.

Regiões parceirasEditar

A lista das regiões com as quais o governo autônomo da voivodia iniciou a cooperação e assinou um acordo de parceria:[40]

Notas

  1. Algumas reservas naturais são categorizadas em mais de um tipo.

Referências

  1. «Resultados da pesquisa atual - Banco de Dados Demográficos - Escritório Central de Estatística da Polônia» (em polonês). Consultado em 30 de dezembro de 2019 
  2. «Escritório de Estatística em Breslávia» (em polonês). Consultado em 30 de dezembro de 2019 
  3. GUS. «Área e população em seção territorial em 2014». stat.gov.pl (em polonês). Consultado em 30 de dezembro de 2019 
  4. «Relatório de 2012 sobre o estado das florestas na Polônia». Lasy Państwowe (em polonês). Consultado em 30 de dezembro de 2019 
  5. «Geoportal.gov.pl». geoportal.gov.pl (em polonês). Consultado em 30 de dezembro de 2019 
  6. «Dados de elevação digital - com vazios SRTM preenchidos usando mapeamento topográfico preciso» (em inglês). Consultado em 30 de dezembro de 2019 
  7. Mapa computacional da divisão hidrográfica da Polônia MPHP VER. 09/2010.
  8. «WorldClim - Global Climate Data – Dados climáticos gratuitos para modelagem ecológica e SIG». www.worldclim.org. Consultado em 31 de dezembro de 2019 
  9. Skorek, Andrzej; Gębka, Andrzej; Babiński, Dariusz; Raczyńska, Dorota (Janeiro de 2013). «Estudo Ecofisiográfico para a voivodia da Baixa Silésia». Otolaryngologia Polska (em polonês). pp. 57–60. doi:10.1016/j.otpol.2012.12.001. Consultado em 31 de dezembro de 2019 
  10. Portaria nº 78 da Voivodia da Baixa Silésia, de 29 de março de 2010, relativa à determinação do número de conselheiros (Diário Oficial da Voivodia da Baixa Silésia de 2010, n.º 63, item 966).
  11. a b (Art. 3.) Lei de 24 de julho de 1998 (Diário de Leis de 1998 n.º 96, item 603).
  12. (§3. parágrafo 2. Estatuto da DUW em Breslávia) Portaria n.º 79 da voivodia da Baixa Silésia, de 27 de maio de 2009, relativa à concessão do Estatuto (Diário de Leis da voivodia da Baixa Silésia de 2009, n.º 104, item 2131).
  13. Internet, J. S. K. «Delegações do Gabinete». Dolnośląski Urząd Wojewódzki (em polonês). Consultado em 1 de janeiro de 2020 
  14. «Serviço Central de Estatística da Polônia / Estatísticas regionais / Unidades territoriais / Classificação NUTS» (em polonês). Consultado em 1 de janeiro de 2020 
  15. GUS. «População. Estado e estrutura na seção territorial. Em 30 de junho de 2017». stat.gov.pl (em polonês). Consultado em 1 de janeiro de 2020 
  16. GUS. «Anuários estatísticos». stat.gov.pl (em polonês). Consultado em 1 de janeiro de 2020 
  17. «Canto da imprensa». European Commission - European Commission (em inglês). Consultado em 1 de janeiro de 2020 
  18. «Produto interno bruto (PIB) a preços de mercado atuais por regiões NUTS 2 - Eurostat». ec.europa.eu (em inglês). Consultado em 1 de janeiro de 2020 
  19. Główny Urząd Statystyczny (Warszawa) (24 de janeiro de 2012). «Anuário estatístico das voivodias». Rocznik statystyczny województw (em inglês). pp. 58–59. OCLC 609930794. PMID 12305820. Consultado em 1 de janeiro de 2020 
  20. «Anúncio do Presidente do Escritório Central de Estatística, de 28 de novembro de 2011, referente à remuneração média mensal em voivodias no terceiro trimestre de 2011.». prawo.sejm.gov.pl. Consultado em 1 de janeiro de 2020 
  21. GUS. «Desempregados registrados e taxa de desemprego. No final de setembro de 2019.». stat.gov.pl (em polonês). Consultado em 1 de janeiro de 2020 
  22. «Baixa Silésia: grandes investimentos reduziram o desemprego em toda a região». wroclaw.onet.pl. 29 de dezembro de 2014. Consultado em 1 de janeiro de 2020 
  23. «Voivodia da Baixa Silésia: estamos nos tornando uma região competitiva em escala nacional». wroclaw.onet.pl. 17 de novembro de 2017. Consultado em 1 de janeiro de 2020 
  24. «Pobreza na Polônia em 2011» (PDF). Główny Urząd Statystyczny. 31 de maio de 2012. p. 15 
  25. «Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural - Portal Gov.pl». Ministerstwo Rolnictwa i Rozwoju Wsi (em polonês). Consultado em 2 de janeiro de 2020 
  26. «Regulamento do Conselho de Ministros de 24 de setembro de 2019 que altera o regulamento relativo à rede de autoestradas e vias expressas». prawo.sejm.gov.pl. Consultado em 2 de janeiro de 2020 
  27. «Os habitantes da Pomerânia usam as ferrovias com mais frequência». inforail.pl (em polonês). Consultado em 3 de janeiro de 2020 
  28. a b c «Infobus». infobus.pl (em polonês). Consultado em 3 de janeiro de 2020 
  29. a b c d e f g Chiżyński, Jacek (2011). Atlas de transportadoras ferroviárias na Polônia 2011 = As transportadoras ferroviárias ABC da Polônia 2011. Rybnik: Eurosprinter. ISBN 978-83-931006-5-1. OCLC 838650982 
  30. a b c d e f g Breslávia (7 de março de 2016). «Plano de desenvolvimento sustentável do transporte coletivo público para a voivodia da Baixa Silésia.». Consultado em 3 de janeiro de 2020 
  31. «UKE - Página inicial - UKE». archiwum.uke.gov.pl. Consultado em 3 de janeiro de 2020 
  32. «Wayback Machine» (PDF). web.archive.org. 15 de fevereiro de 2018. Consultado em 3 de janeiro de 2020 
  33. «Atlas de plantas polonesas atlas-roslin.pl - Atlas de plantas vasculares da Polônia». www.atlas-roslin.pl. Consultado em 3 de janeiro de 2020 
  34. Zając, Adam; Zając, Maria; Ciaciura, Marian; Bernacki, Leszek (1992). «Atlas de distribuição de plantas vasculares na Polônia (ATPOL)». Nakładem Pracowni Chorologii Komputerowej Instytutu Botaniki Uniwersytetu Jagiellońskiego. OCLC 848216315. Consultado em 4 de janeiro de 2020 
  35. a b «Estudo ecofisiográfico para a voivodia da Baixa Silésia». irt.wroc.pl. Consultado em 4 de janeiro de 2020 
  36. Ludwik Tomiałojć, Tadeusz Stawarczyk: Awifauna Polski. Rozmieszczenie, liczebność i zmiany. Polskie Towarzystwo Przyjaciół Przyrody „pro Natura”, 2003.
  37. «CRFOP - Pesquisa». crfop.gdos.gov.pl. Consultado em 6 de janeiro de 2020 
  38. «Vinisfera - Início da Rota da Cerveja e do Vinho da Baixa Silésia». www.vinisfera.pl. Consultado em 7 de janeiro de 2020 
  39. «Rota da cerveja e do vinho da Baixa Silésia» (em polonês). Consultado em 7 de janeiro de 2020 
  40. «BIP: Gabinete do marechal da voivodia da Baixa Silésia». www.bip.gov.pl. Consultado em 7 de janeiro de 2020 

Ligações externasEditar