Abrir menu principal

Banco Comercial Português

Banco Comercial Português
Razão social Banco Comercial Português S.A.
Empresa de capital aberto
Cotação Euronext Lisboa: BCP
Atividade Serviços financeiros
Género Sociedade Anónima
Fundação 1985
Sede Porto, Portugal Portugal
Locais Portugal, Polónia, Moçambique, Angola
Pessoas-chave Miguel Maya (CEO)
Empregados 18.870 (Nacionais e Internacionais em Jun.2019)[1]
Produtos Banca


Banca de investimento
Private banking
Seguros

Subsidiárias ActivoBank
Ativos Aumento 80,9 mil milhões (Jun. 2019)[1]
Lucro Aumento EUR 169,8 milhões (Jun. 2019)[1]
Website oficial www.millenniumbcp.pt

Banco Comercial Português, conhecido como Millennium bcp a partir de 2004, é o maior banco privado português. Foi fundado em 1985, no seguimento da liberalização do sistema bancário português, que se seguiu a um período de quase uma década de controlo estatal da banca em Portugal. [2]

Produtos e ServiçosEditar

 
Sede do Millennium bcp na Praça de D. João I, no Porto.

O Millennium bcp oferece aos seus Clientes uma ampla gama de produtos e serviços bancários e financeiros: contas à ordem, meios de pagamento, produtos de poupança e de investimento, private banking, gestão de ativos e banca de investimento, abarcando ainda crédito imobiliário, crédito ao consumo, banca comercial, leasing, factoring e seguros, entre outros, servindo a sua base de Clientes de forma segmentada. Dispondo da segunda maior rede de sucursais em Portugal e de uma rede crescente nos países onde opera, o Banco oferece ainda canais de banca à distância (serviço de banca por telefone e pela Internet), que funcionam também como pontos de distribuição dos seus produtos e serviços financeiros.[3]

AtividadesEditar

O BCP opera em Portugal sob as marcas Millennium bcp e ActivoBank. O Millennium destaca-se com operações internacionais de banca de investimento através do Banco de Investimento Imobiliário. Na área de private banking, o Millennium bcp foi também pioneiro, com operações nos EUA (BCP Bank), Países Baixos (BCP Investment), Luxemburgo (Banque BCP), Suíça (Millennium Banque Privée), Macau (Millennium Macau e Banco Comercial de Macau), Ilhas Caimão (BCP Finance Bank e Millennium Bank & Trust), em Moçambique através do Millennium bim[4], e na Polonia como principal investidor do Bank Millenium.

Em 2018, foi classificado pela Forbes na 1 623ª posição, entre as maiores empresas do mundo.[5]

Para além das suas atividades bancárias, dá o seu apoio a atividades culturais ou científicas, através da sua Fundação. [6]

A marca Millennium bcpEditar

A introdução da nova marca Millennium bcp, em 2004, foi a etapa culminante de um processo iniciado formalmente com a implementação de um novo modelo comercial no final de 2001, mas que já tinha sido despoletado pela incorporação por fusão no BCP dos Bancos Atlântico, Mello e SottoMayor, em 2000. Na altura, a mudança para a marca única foi assumida como um projeto de refundação.[2]

Pretendeu-se que a marca única não só reunisse as diferentes identidades autónomas anteriores, mas as superasse e projetasse no futuro o desejo de fazer mais e melhor, colocando o cliente no centro da atuação e missão da instituição. [7]

Crise de 2014Editar

Em outubro de 2014, entre os três bancos portugueses avaliados pelo Banco Central Europeu (BCE), o Banco Comercial Português foi o único que falhou no teste de stress, apresentando rácios de solidez insuficientes para fazer face a uma crise económica grave.[8] Os prejuízos do BCP fixaram-se em 98,3 milhões nos primeiros nove meses de 2014 - um valor que corresponde a menos de um sexto dos €597,3 milhões apurados do ano anterior. Isto apesar de o banco ter registado imparidades de €544 milhões para ajustar o seu balanço à avaliação do BCE.

Já em 2015 o Millennium bcp registou um lucro de €235,3 milhões, após quatro anos de constantes prejuízos.[9]

Referências

  1. a b c «Indicadores» (HTML). Millennium bcp. Consultado em 02 de setembro de 2019  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  2. a b Fortunato Nini, Bruna Marisa (2012). Estratégias de crescimento na banca: Os casos do BCP e do BES (PDF) (Tese). Lisboa: ISCTE Business School, Instituto Universitário Lisboa, Departamento de Finanças. Consultado em 3 de março de 2018 
  3. site (2017). «Produtos e Serviços». 2017. Consultado em 29 de janeiro de 2018 
  4. site (2017). «Estrutura do Grupo». 2017. Consultado em 29 de janeiro de 2018 
  5. Forbes site (2018). «The World's Biggest Public Companies». 2018. Consultado em 29 de janeiro de 2018 
  6. site (2017). «Estrutura do Grupo». 2017. Consultado em 29 de janeiro de 2018 
  7. site (2017). «Marca Millennium bcp». 2017. Consultado em 20 de fevereiro de 2018 
  8. http://www.publico.pt/economia/noticia/bcp-falha-teste-de-stress-no-cenario-mais-adverso-1674184
  9. «Quatro anos depois, BCP regressa aos lucros». 2016. Consultado em 20 de fevereiro de 2018 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar