Banco da Amazônia

Banco criado pelo presidente Getúlio Dornelles Vargas com fins de desenvolver a economia da região norte do Brasil.

Banco da Amazônia S.A. (BASA) é um banco comercial de economia mista, organizado sob a forma de sociedade anônima de capital aberto, na qual Governo federal do Brasil detém a maioria das ações. Fundado durante a Segunda Guerra Mundial por Getúlio Vargas sob o nome de Banco de Crédito da Borracha, sua criação é resultado da estratégia de guerra dos aliados e contava com a participação acionária dos Estados Unidos e Brasil.[2] Inicialmente, seu objetivo era reativar a atividade seringueira, matéria-prima da borracha, em declínio desde a Primeira Guerra Mundial na Amazônia, já que era a única região — livre do conflito — que detinha condições de produzir látex nas proporções desejadas (O Segundo Ciclo da Borracha).

Banco da Amazônia
Razão social Banco da Amazônia S.A.
Empresa de capital aberto
Slogan Movimentando a Amazônia e a sua Vida!
Cotação B3BAZA3
Atividade Serviços financeiros
Gênero Sociedade de economia mista
Fundação 9 de julho de 1942 (78 anos) (como Banco de Crédito da Borracha)
1966 (54 anos) (como Banco da Amazônia)
Sede Belém, PA, Brasil
Área(s) servida(s) Em toda a Amazônia Legal
Locais Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins (Norte), Maranhão (Nordeste), Mato Grosso e Distrito Federal (Centro-Oeste) e São Paulo (Sudeste)
Proprietário(s) Governo do Brasil
Presidente Valdecir Tose
Empregados 3 081
Acionistas Governo do Brasil (51%)
Outros (49%)[1]
Valor de mercado R$ 800,441 milhões
Lucro R$ 248,968 milhões
Faturamento R$ 1,437 bilhões
Antecessora(s) Banco de Crédito da Borracha (1942-1966)
Website oficial www.bancoamazonia.com.br
  • Notas de rodapé / referências
  • dados de 2015

Em 1966 o governo militar muda seu nome para Banco da Amazônia S.A. ou simplesmente BASA.[3][4] É a principal instituição financeira federal de fomento com a missão de promover o desenvolvimento da região amazônica. Possui papel relevante tanto no apoio à pesquisa quanto no crédito de fomento, respondendo por mais de 60% do crédito de longo prazo da Região. Com 120 Agências distribuídas em 09 Estados diferentes, incluindo, o Distrito Federal e São Paulo, o Banco da Amazônia é focado na região Região Norte do Brasil e sua presença é vital e estratégica para o desenvolvimento econômico dos empreendimentos rurais e urbanos da região, especialmente, pelo fato da região representar 59% do território brasileiro. Especialista em fomento, 38% da sua Receita Bruta (2011) provém de Del Crede da administração de Fundos Constitucionais como: Fundo de Desenvolvimento da Amazônia (FDA), Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), Fundo da Marinha Mercante (FMM) e Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO). Sobre este último, detém a exclusividade de administração e operação. Além destes fundos, o Banco opera com linhas do Orçamento Geral da União (OGU), Recursos Obrigatórios (RO) e com as linhas do BNDES, principalmente, nas regiões fora da Amazônia Legal. Sua sede está situada na Avenida Presidente Vargas, em Belém do Pará.[5]

É associado à Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e seu código de compensação é o 003.[6]

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Comunicado ao mercado: participação acionaria» (PDF). acessodata 11 de maio de 2014 
  2. «DECRETO-LEI Nº 4.451, DE 9 DE JULHO DE 1942». Portal da Câmara dos deputados. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  3. Acesso em: 18 out. 2010
  4. Acesso em: 18 out. 2010
  5. [1]
  6. Segundo lista publicada no site da Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Acesso em: 18 out. 2010