Bandeira de Cuiabá

A Bandeira de Cuiabá, foi criada pela Lei número 1.279 de 18 de agosto de 1 972, de autoria do vereador Evaldo de Barros. A Lei de criação da bandeira estabeleceu em seu artigo segundo que a Prefeitura realizaria um concurso público para a escolha do desenho da bandeira. A Bandeira de Cuiabá foi criada pelo Sr. Nilton Benedito de Santana, que contou com o apoio do jornalista Pedro Rocha Jucá, e oficializada pelo prefeito José Villanova Torres, através do Decreto nº 241, de 29 de Dezembro de 1972, que diz no Artigo 1º: "Fica oficializada a Bandeira Municipal de Cuiabá, com as seguintes características: a- um retângulo verde e branco; b- em primeiro plano, com as bordaduras ou círculo na cor amarelo ouro, com a inscrição em letras vermelhas: "VILA REAL DO BOM JESUS DE CUIABÁ - 1719". c- no centro o marco estereotipado na cor verde, representando o centro geográfico da América do Sul: logo abaixo, geometricamente triangulado, os vértices do marco representando um monte de ouro, símbolo da riqueza mineral de Cuiabá". Também recebeu a Medalha de Honra ao mérito, que configurava uma comenda.

O criador da bandeira de Cuiabá, Nilton Benedito de Santana, 61 anos, foi sepultado no dia 12/02/2010 na Capital. Ele era técnico em Edificações formado pela antiga Escola Técnica (ETF-MT), hoje Instituto Federal de Ensino, e estava internado há vários dias no Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá, onde morreu no final da manhã de sexta-feira.

Considerado um homem muito inteligente, Santana era um desenhista bastante requisitado por engenheiros e arquitetos cuiabanos. Ter criado a bandeira era o seu maior orgulho. Desde que venceu o concurso, a bandeira foi estendida sobre o seu caixão. O desejo dele foi atendido pela arquiteta Adriana Bussiki Santos, primeira dama e presidente do Instituto de Planejamento de Desenvolvimento Urbano. Adriana, que conhecia o desenhista há mais de 10 anos, esteve no velório e entregou a bandeira ao filho de Santana, Rodrigo Santana. De acordo com a família, o desenhista morreu em decorrência de complicações causada pela trombose que desenvolveu em uma das pernas.

Ver tambémEditar

Bandeiras das capitais do Brasil
  Aracaju   Belém   Belo Horizonte   Boa Vista   Campo Grande   Cuiabá   Curitiba
  Florianópolis   Fortaleza   Goiânia   João Pessoa   Macapá   Maceió   Manaus
  Natal   Palmas   Porto Alegre   Porto Velho   Recife   Rio Branco   Rio de Janeiro
  Salvador   São Luís   São Paulo   Teresina   Vitória
  Este artigo sobre vexilologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.