Abrir menu principal

Barcelos (Amazonas)

município brasileiro localizado no estado do Amazonas
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o município do Amazonas. Para outras localidades ou artigos com este nome, veja Barcelos (desambiguação).
Barcelos
  Município do Brasil  
Orla da cidade vista do Rio Negro.
Orla da cidade vista do Rio Negro.
Símbolos
Bandeira de Barcelos
Bandeira
Hino
Apelido(s) "Capital do peixe ornamental"

"Cidade menina"

"Primeira Capital do Amazonas"

Gentílico barcelense
Localização
Localização de Barcelos no Amazonas
Localização de Barcelos no Amazonas
Barcelos está localizado em: Brasil
Barcelos
Localização de Barcelos no Brasil
Mapa de Barcelos
Coordenadas 0° 58' 30" S 62° 55' 26" O
País Brasil
Unidade federativa Amazonas
Municípios limítrofes Oeste: Santa Isabel do Rio Negro;
Norte: Venezuela;
Leste: Iracema e Caracaraí (RR);
Sudeste: Rorainópolis (RR);
Sul: Novo Airão, Codajás e Maraã
Distância até a capital 405 km
História
Fundação Aldeia de Mariuá: 1728

Elevação à Vila: 6 de maio de 1758 (261 anos)

Administração
Prefeito(a) Edson de Paula Rodrigues Mendes ([sem partido], 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [2] 122 475,728 km²
População total (estatísticas IBGE/2019[3]) 27 502 hab.
 • Posição AM: 28º
Densidade 0,22 hab./km²
Clima equatorial
Altitude 36 m
Fuso horário Hora do Amazonas (UTC-4)
CEP 69700-000 a 69729-999[1]
Indicadores
IDH (PNUD/2010[4]) 0,500 baixo
 • Posição AM: 53º
PIB (IBGE/2013[5]) R$ 134 484 mil
 • Posição AM: 37º
PIB per capita (IBGE/2013[5]) R$ 4 960,69
Outras informações
Padroeiro(a) Imaculada Conceição[6]
barcelos.am.gov.br (Prefeitura)

Barcelos é um município brasileiro no interior do estado do Amazonas, Região Norte do país. Fundada em 6 de maio de 1758, é uma cidade histórica, tendo sido a primeira capital da província do Amazonas antes de a sede administrativa ser transferida para Manaus. O município foi criado em 1931.

EtimologiaEditar

Barcelos é nome que tem origem no Latim. Sobrenome português toponímico; nome de uma cidade em Portugal (Barcelos), ou seja de origem geográfica. O nome tem origem no pré-romano "Barcela", que significa pequeno terreno, próximo a um rio que é inundado ou alagado com frequência.[7]

HistóriaEditar

A história da cidade de Barcelos teve início em 1728 com o nome de Missão de Nossa Senhora da Conceição de Mariuá (mari = grande; iuá = braço; significa, portanto, braço grande ou grande braço do Rio Negro) pelo Frei Carmelita Matias de São Boaventura, vindo do Rio Japurá.

A Aldeia de Mariuá foi construída pelo tuxaua Camandri, da nação Manau, à margem direita do Rio Negro sendo o primeiro registro daquilo que seria futuramente a cidade de Barcelos.[8]

A missão progrediu rapidamente e aos Manau juntaram-se Barés, Banibas, Passés e Uerequenas, e anos depois Frei Matias é substituído por Frei José de Madalena. Em 1754 o Capitão Francisco Xavier Mendonça Furtado chega à Mariuá, para cumprir tratado de limites entre Portugal e Espanha, fica por dois anos na Vila e executa as primeiras obras no lugar. Em 6 de Maio de 1758 a Aldeia de Mariuá é elevada a categoria de Vila com foros de capital da Capitania de São José do Rio Negro, tendo como primeiro Governador Joaquim de Melo e Póvoas. A partir daí, passou a ser chamada de BARCELOS, em homenagem a cidade portuguesa do Minho, obedecendo, assim, normas contidas no Diretório dos índios que estabelecia que os nomes das povoações indígenas deveriam ser mudados para nomes portugueses.[9]

Em 1788 o Coronel Manuel da Gama Lobo D’Almada é nomeado Governador da Capitania e três anos mais tarde a sede da capitania passa para o Lugar da Barra (Manaus), retornando à Barcelos em 1799. Em 1808 a sede é transferida definitivamente para o Lugar da Barra, e em 1806, obedecendo a ordens do Governador Joaquim Vitório da Costa, são demolidos todos os prédios da Vila de Barcelos, à exceção do palácio, da provedoria e da Igreja.

A partir dessa transferência, Barcelos entrou num profundo estado de decadência, ficando na condição de simples Comarca. Somente com a chegada dos salesianos no início do século 20 é que começou a erguer-se novamente e, através do Decreto-Lei estadual nº 68, de 31 de março de 1938, Barcelos recebeu foros de cidade. Trinta anos mais tarde é reconhecido como área de segurança nacional pela Lei Federal nº 5.449 de 04 de junho de 1968.

GeografiaEditar

 
Barcelos, final do século XVIII.

Situa-se na margem direita do rio Negro, a 405 km de Manaus (656 km por via fluvial). Seus limites são a Venezuela a noroeste e norte; os municípios roraimenses de Iracema a nordeste e Caracaraí a leste; Novo Airão a sudeste e sul; Codajás e Maraã a sudoeste; e Santa Isabel do Rio Negro a oeste.

Sua área, que é de 122.476 km², faz do município o maior do estado do Amazonas em área territorial, e o segundo maior do Brasil, atrás apenas de Altamira, no estado do Pará. Também integra a lista dos maiores municípios do mundo em área territorial. A área representa 7.7973 % do Estado, 3.1784 % da Região e 1.4415 % de todo o território brasileiro. Caso Barcelos fosse um estado do Brasil seria maior que vários estados, como Pernambuco, Santa Catarina, Paraíba, Rio Grande do Norte, Espírito Santo e Rio de Janeiro, entre outros.

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), referentes ao período de 1961 a 1975, 1981 a 1986 e a partir de 1993, a menor temperatura registrada em Barcelos foi de 15,7 °C em 21 de novembro de 1969,[10] e a maior atingiu 39,1 °C em 13 de outubro de 1997.[11] O maior acumulado de precipitação em 24 horas foi de milímetros (mm) em 171,9 mm em 12 de março de 2005.[12] Maio de 1966, com 588,5 mm, foi o mês de maior precipitação.[13]

Dados climatológicos para Barcelos
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 38,2 37,3 37,2 38,1 37 37,4 37 36,9 38,4 39,1 37,4 37 39,1
Temperatura máxima média (°C) 32,6 32,5 32,3 31,8 31,2 31,3 31,8 32,5 33 33,4 33,1 32,9 32,4
Temperatura média compensada (°C) 26,9 26,8 26,7 26,4 26 25,9 26 26,5 26,7 27 27 27 26,6
Temperatura mínima média (°C) 22,6 22,7 22,7 22,6 22,5 22,1 21,9 22,2 22,3 22,6 22,6 22,8 22,5
Temperatura mínima recorde (°C) 17,2 19,2 19,5 20 18,5 18,3 17 18,8 19 19,4 15,7 19,5 15,7
Precipitação (mm) 175,2 185,9 262,7 326,7 312,5 259,5 188,4 136,9 109,9 102,6 139,9 162,4 2 362,6
Dias com precipitação (≥ 1 mm) 13 13 15 18 21 18 15 12 10 10 10 12 167
Umidade relativa compensada (%) 85 84 86,4 87,9 89,7 88,5 86,5 84,8 84,4 83,9 85 84,1 85,9
Horas de sol 157,6 128,1 126,4 116,9 125,2 133,1 168,2 180,7 170,1 164,2 153,9 155,8 1 780,2
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica de 1981-2010;[14] recordes
de temperatura: 01/01/1961 a 31/12/1975, 01/01/1981 a 31/08/1986 e 01/02/1993-presente)[10][11]

EconomiaEditar

A produção agrícola, baseada nas culturas de banana, açaí, castanha, macaxeira e mandioca, e não supre as necessidades do município, que importa a maioria dos gêneros alimentícios que consome.[15]

Tem como sua principal fonte de renda a pesca sustentável de peixes ornamentais, destacando-se pela grande produção e pela exportação dos mesmos. Barcelos exporta mais de 20 milhões de peixes para todo o mundo, principalmente para o Japão,[15] sendo que de cada cinco peixes exportados, um é o cardinal.

TurismoEditar

Barcelos possui um bom potencial turístico. Uma cidade cercada de águas, um de seus grandes atrativos turísticos é a pesca desportiva e seus parques de conservação.

Atrações turísticasEditar

  • Parque Nacional do Jaú
 Ver artigo principal: Parque Nacional do Jaú
  • Parque Estadual Serra do Aracá
 Ver artigo principal: Parque Estadual Serra do Aracá
  • Cachoeira do El Dorado
 Ver artigo principal: Cachoeira do El Dorado
Considerada a maior queda d'água livre do Brasil, com quase 400m de altura.
  • Abismo Guy Collet
 Ver artigo principal: Abismo Guy Collet
Considerada a caverna mais profunda do Brasil.
  • Festival do Peixe Ornamental
Evento foi instituído no município em 1994, e homenageia a cultura do município e a vida dos pescadores conhecidos como "piabeiros". Na época da festa, o pescador expõe espécies raras de peixes e os turistas elegem o mais exótico. A festa costuma atrair milhares de visitantes e apresenta uma programação de pesca desportiva, ecoturismo e espectáculos.
  • Pesca desportiva
Barcelos possui a maior concentração de peixes tucunarés de toda a Amazônia.[15] O maior peixe tucunaré já pescado na história foi em Barcelos, com 12,445 kg.[15] A pesca desportiva é muito valorizada pelos seus habitantes e ecologicamente correta.

Barcelenses ilustresEditar

Ver tambémEditar

Referências

  1. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (28 de agosto de 2019). «Estimativas da população residente no Brasil e Unidades da Federação com data de referência em 1 de julho de 2019» (PDF). Consultado em 28 de agosto de 2019 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 3 de agosto de 2013 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2010-2013». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 19 de dezembro de 2015 
  6. Barcelos na Net. «Festejo de Nossa Senhora da Conceição, padroeira de Barcelos e do Amazonas». barcelosnanet.com. p. 1. Consultado em 7 de dezembro de 2018. Cópia arquivada em 4 de março de 2019 
  7. https://www.significadodonome.com/barcelos/
  8. Pessoa, Marcus. «Conheça a História do município de Barcelos, a primeira capital do Amazonas | Portal No Amazonas é Assim». Consultado em 25 de setembro de 2019 
  9. Redação; Garcia, Frank. «HISTÓRIA ILUSTRADA DE BARCELOS». Portal Barcelos na NET - Barcelos Amazonas. Consultado em 25 de setembro de 2019 
  10. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura mínima (°C) - Barcelos». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 22 de junho de 2018 
  11. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura máxima (°C) - Barcelos». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 22 de junho de 2018 
  12. «BDMEP - série histórica - dados diários - precipitação (mm) - Barcelos». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 22 de junho de 2018 
  13. «BDMEP - série histórica - dados mensais - precipitação total (mm) - Barcelos». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 22 de junho de 2018 
  14. «NORMAIS CLIMATOLÓGICAS DO BRASIL». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 22 de junho de 2018 
  15. a b c d «Barcelos». Cópia arquivada em 13 de janeiro de 2009 

Ligações externasEditar