Abrir menu principal

A Basílica da Assunção da Bendita Virgem Maria foi uma basílica em Alba Régia, Hungria.[1]

Foi construída no final da década de 1010, por Santo Estêvão I, o primeiro Rei da Hungria. A basílica foi um edifício impressionante, um dos maiores da Hungria. Ela nunca foi episcopal, mas era usada como igreja principal peos governantes da Hungria.

Era o lugar mais importante do Reino da Hungria, durante a Idade Média, enquanto continha as jóias da coroa, incluindo o trono, a Coroa Sagrada da Hungria, o tesouro nacional e os arquivos. Ao todo, 37 reis e 39 rainhas consorte foram coroados nesta basílica, e 15 foram enterrados nela. Em 1543, os turcos ocuparam Székesfehérvár. O túmulos reais foram saqueados e a basílica foi utilizada como depósito de pólvora, enquanto a Catedral de São Martinho, na Bratislava, tornou-se o novo local de coroação.

Em 1601, o valioso edifício foi destruído por um incêndio[2][3][4]. Durante este tempo, o governo Otomano da cidade foi interrompido por cerca de um ano. Ilustrações do século XVII sugerem que o fogo e a provável explosão foi causada por artilharia no curso da conquista cristã.

Suas ruínas foram demolidas e usadas na construção da nova residência episcopal e na reconstrução de uma outra antiga igreja, que no século XVIII, tornou-se a catedral da Diocese de Székesfehérvár, erguida em 1777.

O Theatrum Europaeum, de Matthäus Merian, apresenta uma saída quase pacífica (N) da guarnição turca de uma Székesfehérvár não destruída depois da provisória reconquista cristão, em 1601.
G = "igreja principal" – a basílica
O "True depiction of the royal city of S., as it was conquered by the Christians", de Johan Sibmacher, mostra a basílica destruída e queimando e mais alguns edifícios em chamas.
Vista aérea das ruínas

SepultamentosEditar

Treze reis e duas rainhas consorte foram sepultados na Basílica de Székesfehérvár.

  1. Estevão I
  2. Colomano
  3. Bela II
  4. Géza II
  5. Bela III, cujos restos mortais foram, mais tarde, movidos para a Igreja de Matias, em Budapeste
  6. Inês de Antioquia, cujos restos mortais foram, mais tarde, movidos para a Igreja de Matias, em Budapeste
  7. Ladislau III
  8. Bela IV
  9. Carlos I
  10. Maria de Bytom
  11. Luís I
  12. Isabel da Bósnia, cujos restos mortais foram, mais tarde, movidos da Igreja de São Crisógino, em Zadar, para a Basílica de Székesfehérvár.
  13. Alberto II
  14. Matias I
  15. Vladislau II
  16. Luís II

Os membros da família dos reis da Hungria, também foram enterrados na basílica, tais como Catarina da Hungria, a filha mais velha e herdeira presuntiva do Rei Luís I e de Isabel da Bósnia.

  • Pippo Spano está enterrado lá, também.



Referências

  1. «History of the Diocese of Székesfehérvár - Middle Ages» (em húngaro) 
  2. «Passado histórico». www.szekesfehervar.hu  Arquivado em 2014-07-15 no Wayback Machine.
  3. Phillips, Adrian; Scotchmer, Jo: Hungria, Bradt Guias De Viagem, 2010.
  4. Bedford, Neal; Dunford, Lisa; Fallon, Steve: Hungria, Lonely Planet, 2009.