Bascortostão

Rússia República do Bascortostão

Республика Башкортостан (russo)
Башҡортостан Республикаһы (basquir)

 
  República  
Símbolos
Bandeira de República do Bascortostão
Bandeira
Brasão de armas de República do Bascortostão
Brasão de armas
Localização
Localização da República do Bascortostão na Rússia.
Localização da República do Bascortostão na Rússia.
País  Rússia
Distrito federal Volga
Região econômica Urais
História
Estabelecido em 28 de novembro de 1917
Administração
Capital Ufa
Líder Rustem Khamitov
Características geográficas
 • Total 143 600 km²
 • Total 4 072 292
Informações
Fuso horário UTC+5
Outras informações
Língua oficial Russo e basquir
IDH (2010) 0,832 (18.º) – muito alto[1]
Código ISO 3166-2 RU-BA
Website www.bashkortostan.ru

O Bascortostão (por vezes Basquiristão ou Bashkortostão; russo: Башкортостан, tr. Bashkortostan, em basquir: Башҡортостан, tr. Başqortostan), oficialmente República do Bascortostão (russo: Республика Башкортостан, tr. Respublika Bashkortostan; em basquir: Башҡортостан Республикаһы, tr. Başqortostan Respublikahı), antigamente conhecido com Basquíria[2] ou Baquíria (russo: Башки́рия, tr. Bashkíria), é uma divisão federal da Federação da Rússia. Tem 4 104 336 habitantes, o que faz dela a sétima mais habitada da Federação. Sua capital é a cidade de Ufa.

HistóriaEditar

Os primeiros assentamentos no território do Bascortostão foram criados no início do Paleolítico, porém, foi durante a Idade do Bronze, que o território foi altamente povoado.

O Bascortostão está ao sul dos Urais e nos Cis-Urais, nomeado nos termos do seu povo nativo — os basquírios (bashkort). Após o fim do Império Mongol, o território do Bascortostão foi dividido entre os canatos de Cazã e da Sibéria e a Horda Nogai.

As tribos que ali viviam eram chefiadas por bi (chefes tribais). Depois Cazã foi dominada por Ivan, o Terrível, em 1554–1555, representantes do oeste se aproximaram do czar com um pedido para aderir voluntariamente a Moscóvia.

A partir da segunda metade do século XVII, o território da Basquíria começou a tomar forma como uma parte do estado russo. Em 1798, a Assembleia Espiritual dos Muçulmanos da Rússia foi criada, uma indicação de que o governo czarista reconheceu os direitos dos basquírios, tártaros, e outras nações muçulmanas a professar o Islã e realizar rituais religiosos. Em 1865, foi criado o governorado de Ufa, com capital na cidade de mesmo nome.

Após a Revolução Russa, a República Socialista Soviética Autônoma Basquir (RSSAB) foi criada dentro da República Socialista Federativa Soviética Russa, em 1919, primeiro como Pequeno Bascortostão, mas o governorado de Ufa foi incorporado à recém-criada república. Durante o período soviético, foi concedido amplo direito autônomo, o primeiro entre outras regiões da Rússia. A estrutura administrativa da RSSA Basquir foi baseada em princípios semelhantes aos das outras repúblicas autônomas da Rússia.

A extração de petróleo começou em 1932. No final de 1943, grandes depósitos de petróleo foram descobertos. Durante a Segunda Guerra Mundial, a região se tornou uma das principais da URSS para acomodar centrais elétricas e fábricas evacuados da Rússia Ocidental, bem como grandes massas de pessoas, gerando capacidade para dotar o país com armas, combustíveis e géneros alimentícios. Após a guerra, um bom número de indústrias foi desenvolvido, ligadas sobretudo à mineração, construção de máquinas e, principalmente, refinação de petróleo.

Em 11 de outubro de 1990, o Soviete Supremo da República aprovou a Declaração sobre a soberania do Estado da RSSA Basquir. Em 25 de fevereiro de 1992 a RSSA Basquir foi renomeada República do Bascortostão.

Em 31 de março de 1992 um pacto federativo "sobre a separação dos poderes e das competências entre os órgãos federais do poder da Federação Russa e os órgãos de poder da República do Bascortostão" foi assinado. Em 3 de agosto de 1994 um pacto "sobre a separação dos poderes e mútua delegação de poderes entre os órgãos de poder da Federação da Rússia e os órgãos de poder da República do Bascortostão" foi assinado.

GeografiaEditar

 
Rio Belaya na altura de Ufa.

O Bascortostão está localizado na parte sul dos Montes Urais e também engloba planícies próximas.

Dados geraisEditar

Área Total: 143.600 km².

Fronteira: A norte Krai de perm; a nordeste o Oblast de Sverdlovsk; a nordeste, leste e sudeste o Oblast de Chelyabinsk; a sudeste, sul e sudoeste o Oblast de Orenburg; a oeste a República do Tartaristão; a noroeste a República do Udmurt.

Ponto mais elevado: Monte Yamantau (1.638 metros de altitude).

CaracterísticasEditar

Por estar localizado em áreas com planícies, o Bascortostão possui uma ampla hidrografia, servida por mais de 13 mil rios, muitos deles oferecem ligação com o sistema hidroviário russo. Também em consequência das áreas planas, são encontrados muitos lagos, dos quais o principal é o Lago Asylykül. Além das planícies, a república também possuí planalto com curvas que vão dos 800 aos 1200 metros de altitude.

Recursos MineraisEditar

A República do Bascortostão é um dos territórios mais ricos em recursos minerais da Rússia. Os principais recursos minerais da região são os combustíveis fósseis (petróleo, gás natural e carvão). Outros recursos encontrados em abundância são os minérios de manganês, o cromita, de ferro, de chumbo,e de tungstênio. Para além ainda são encontrados depósitos de pedras preciosas e semipreciosas como a malaquita e o jade.

EconomiaEditar

A economia do Bascortostão, sendo um dos maiores centros industriais da Rússia, tem uma estrutura diversificada e destaca-se pela alta concentração de produção. Possui um grande setor agrícola, de alta qualidade. As atividades industriais mais importantes são o processamento químico e o refinamento de petróleo. Bascortostão processa mais petróleo no país do que qualquer outra região, cerca de 26 milhões de toneladas por ano, e fornece 17% da gasolina na Rússia e 15% do diesel. Outros importantes produtos fabricados na república incluem álcoois, pesticidas e plásticos. Seu produto interno bruto (PIB) em 2007 foi de 645,000 milhões de rublos (mais de 18 bilhões de euros, ou 18 mil milhões de euros, usando a escala longa)[3]. Mais da metade da indústria se concentra em Ufa.

DemografiaEditar

Possuí uma população de mais de 4 milhões de habitantes e uma densidade demográfica de 28,6 hab./km².[4]

Dados demográficosEditar

População Total: 4.063.293 de habitantes, segundo a estimativa para 2018.[4]

Grupos étnicos: O Bascortostão possuí três principais grupos étnicos: os russos, que representam 36% da população; os bashikirs, que representam 29% da população; os tártaros, que representam 25% da população. Ainda existem algumas minorias chuvaques, maris, ucranianas, moldavas e bielorrussas.

Religião: A principal religião da república é o Islamismo, do qual 55% da população são adeptos. A segunda principal religião é o Cristianismo Ortodoxo, com cerca de 22% de adeptos. Cristãos não ortodoxos somam 5% da população. Fiéis de outras religiões, agnósticos e ateus representam 18% da população.

Idioma: A língua oficial e amplamente usada na mídia e pelo governo é o russo. O bashkir e o tártaro são comumente usadas pela população.

IDH: 0,832(muito alto).[2]

Maiores cidadesEditar

Posição Cidade População
1 Ufa 1.062.319
2 Sterlitamak 273.486
3 Salavat 156.095
4 Neftekamsk 121.733
5 Oktyabrsky 109.474
6 Beloretsk 68.806
7 Tuymazy 66.836
8 Ishimbay 66.259
9 Kumertau 62.851
10 Sibay 62.763

CulturaEditar

O Bascortostão é um dos grandes centros culturais da Rússia. Há uma rede de teatros nacionais, museus e bibliotecas. Além disso, possui um folclore diversificado, com conjuntos de dança folclórica. A fama da escola de dança basquir é mundial, muitos dos estudantes têm elevados prêmios internacionais, como Rudolf Nureiev.

O Islão é a religião principal entre os povos das etnias basquir e os tártaros. A maioria dos russos, chuvaches, maris e ucranianos são cristãos ortodoxos. Ainda há 13 mil judeus na república[4].

Referências

O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Bascortostão
  Este artigo sobre Geografia da Rússia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.