Abrir menu principal

Batalhão de Polícia Ambiental da Polícia Militar do Estado do Paraná

Este artigo foi proposto para eliminação por consenso. Você é encorajado a melhorá-lo(a), mas não remova este aviso, o que seria considerado vandalismo.

Dê a sua opinião e caso ela seja transformada numa votação após uma semana, vote (se tiver direito a voto) na discussão.

Se aprovada, a eliminação ocorrerá a partir de 19 de novembro.

Batalhão de Polícia Ambiental - Força Verde
Quartel da Força Verde da PMPR 1.jpg
Sede do BPMAmb em São José dos Pinhais.
País  Brasil
Estado  Paraná
Corporação Bandeira PMPR.png PMPR
Missão Policiamento Ambiental
Denominação Polícia Ambiental - Força Verde
Sigla BPAmb - FV
Criação 1957 (62 anos)
Aniversários 4 de abril
Extinção Batalhão de Polícia Florestal - BPFlo
Lema "A natureza também pertence aos que ainda estão por vir"
Grito de Guerra Selva!
Mascote Gralha azul
Logística
Logística
(2012)
Insígnias
Brasões do BPMAmb e do BPFlo BPFlo PMPR.PNG Brasão do BPFlo.PNG
Comando
Tenente-coronel Major Manoel Jorge Neto
Sede
Sede São José dos Pinhais
Endereço Avenida das Torres, 650

O [[Batalhão de Polícia Ambiental - Força Verde é uma Organização Policial Militar (OPM) da Polícia Militar do Paraná (PMPR), especializada em policiamento ambiental; tendo sido a segunda unidade policial militar especializada nesse tipo de policiamento a ser criada no Brasil.[1]

HistóriaEditar

A criação de uma Guarda Florestal, na Secretaria Estadual de Agricultura (SEAG), estava prevista na Lei n° 2.509, de 23 de novembro de 1955, quando a Divisão Florestal foi anexada ao Departamento de Produção Vegetal. A efetivação dessa Guarda nunca ocorreu, pois pressupunha a criação de uma estrutura autônoma de fiscalização. A competência pelo policiamento florestal foi então repassada para a Polícia Militar, com vinculação à SEAG.

A Lei n° 3.076, de 4 de abril de 1957, previu seu efetivo, inicialmente como uma companhia, mas foi somente a partir de 18 de setembro de 1962 que a Polícia Florestal passou verdadeiramente a existir; após a especialização de um grupo de oficiais, e a conclusão de um curso especial para os praças. Os primeiros destacamentos foram nos Parques Estaduais de Vila Velha, Campinhos, e Monge da Lapa.

Em 1967 a corporação passou a denominar-se Corpo de Polícia Florestal.[2] E em 24 de agosto de 1970, por um acordo com o Governo Federal, a Polícia Florestal assumiu a responsabilidade pelo Parque Nacional do Iguaçu, na cidade de Foz do Iguaçu. Assumindo também nesse mesmo ano a Floresta Nacional de Irati, na cidade de Irati.

Em 1974 passou a designar-se Batalhão de Polícia Florestal.[3]

Recentemente, em 2005, recebeu a atual denominação de Batalhão de Polícia Ambiental.[4]

Pela Portaria do Comando Geral nº 121, de 01 de Fevereiro de 2013, passou a designar-se Batalhão de Polícia Ambiental - Força Verde.

Desdobramento OperacionalEditar

1ª Companhia de Polícia Militar AmbientalEditar

 
Viatura do Batalhão de Polícia Militar Ambiental.
 
Aeronave de patrulha da Força Verde - Curitiba.

Sede: Paranaguá.

1° Pelotão: Paranaguá (abrangendo Pontal do Paraná e Matinhos)
Postos Ambientais: Nova Brasília e Encantadas, ambos na Ilha do Mel.
2° Pelotão: Guaratuba .
3° Pelotão: Morretes (abrangendo Antonina).
Postos Ambientais: Porto de Cima, Guaraqueçaba e Cacatu.
4° Pelotão: Tunas do Paraná.
Postos Ambientais: Tunas do Paraná e Represa do Vossoroca.

2ª Companhia de Polícia Militar AmbientalEditar

Sede: Londrina.

1° Pelotão: Londrina.
2° Pelotão: Maringá.
3° Pelotão: Umuarama.
Posto Ambiental: Rio Paraná.
Posto Ambiental: Cianorte.
4° Pelotão: Jacarezinho.
Posto Ambiental: Carlópolis.

4ª Companhia de Polícia Militar AmbientalEditar

Sede: Guarapuava.

1° Pelotão: Guarapuava.
Destacamento: Usina Salto Segredo.
2° Pelotão: Parque Estadual de Vila Velha.
3° Pelotão: Telêmaco Borba.
4° Pelotão: Lapa.

5ª Companhia de Polícia Militar AmbientalEditar

Sede: Foz do Iguaçu.

1° Pelotão: Usina Hidrelétrica de Itaipu.
2° Pelotão: Usina Hidrelétrica de Salto Caxias.
Posto Ambiental: Cascavel.
3° Pelotão: Francisco Beltrão.
4° Pelotão: Toledo.
Posto Ambiental: Santa Helena.

MissãoEditar

 
Apresentação de policiamento ambiental na Rua das Flores, Curitiba.
  • A missão primordial da Polícia Militar Ambiental é zelar pelo cumprimento da legislação ambiental de defesa da flora e fauna silvestres em todo o Estado do Paraná; atuando preventivamente no sentido de orientar e dissuadir as transgressões.
  • Desenvolver programas de educação ambiental junto à comunidade; realizando palestras em estabelecimentos de ensino, e exposições técnicas a entidades públicas e privadas com participação popular;
  • Realizar a prisão de infratores no cometimento de crimes ambientais; os encaminhando para a lavratura do flagrante e inquérito policial;
  • Suas atividades são exercidas em estreita harmonia e cooperação com órgãos de proteção ambiental, tais como: o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMA), Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMMA), dentre outros.

AtuaçãoEditar

Palestras, caminhadas ecológicas, exposições, e outros.
 
Moto aquática de policiamento ambiental.
  • Fiscalização
Mineração: emissão de poluentes, poluição, transporte de cargas perigosas, etc..
Fauna: caça, pesca, transporte, maus tratos, cativeiro, tráfico, etc..
Flora: desmatamento, transporte, comércio ilegal, etc..

Modalidades de policiamentosEditar

  • Policiamento ostensivo a pé;
  • Policiamento motorizado;
  • Policiamento montado;
  • Policiamento de trânsito;
  • Policiamento com embarcações;
  • Policiamento com aeronaves.
  • Ronda Ostensiva Tático Móvel da Polícia Militar Ambiental (ROTAM) - tipo especial de policiamento que atua em ocorrências que necessitam de técnicas e pessoal especializado.

Programas sociaisEditar

Força Verde MirimEditar

 
Desfile de Guardiões da Natureza.

O Projeto Força Verde Mirim é um trabalho da PMPR, com o apoio dos demais órgãos públicos, junto à comunidade. Ele é um curso complementar às atividades escolares, ministrado durante todo o ano letivo, a crianças na faixa etária de 12 a 14 anos. Esse curso visa auxiliar na formação do caráter, da personalidade e da consciência ecológica do jovem; bem como instruir sobre a missão e objetivos do policiamento ambiental.

Guardiões da NaturezaEditar

O Projeto Guardiões da Natureza procura conscientizar as crianças sobre a preservação ambiental e é voltado para crianças de dez a quatorze anos de escolas municipais que, através de convênio, participam de aulas de instrução prática e teórica de preservação do meio ambiente e ações de civismo.[5]

Referências

  1. Projeto de renascimento da PM decreta “morte” de batalhões especializados - Pioneira Jornal Gazeta do Povo - acesso em 5 de agosto de 2012
  2. Decreto Lei n° 5.651, de 19 de junho de 1967.
  3. Lei n° 6.774, de 8 de janeiro de 1976.
  4. Lei n° 14.960, de 21 de dezembro de 2005.
  5. Página oficial da Polícia Militar do Paraná.

Ligações externasEditar