Batalha de Antioquia (613)

Disambig grey.svg Nota: Para outras batalhas em Antioquia, veja Batalha de Antioquia.

A Batalha de Antioquia foi travada em 613 nas redondezas da cidade de Antioquia, Síria, entre o exército bizantino liderado pelo imperador Heráclio (r. 610-641) e o exército sassânida. Os persas, vitoriosos, conseguiram manter o controle do território recém-conquistado aos bizantinos.

Batalha de Antioquia
Guerra bizantino-sassânida de 602-628, Guerras Romano-Sassânidas
Roman-Persian Frontier, 565 AD-pt.svg
Fronteira oriental em 565
Data 613613
Local Nas redondezas de Antioquia, Síria
Desfecho Vitória decisiva e absoluta sassânida.
Mudanças territoriais Síria e a Anatólia Oriental anexadas pelo Império Sassânida.
Beligerantes
Império Bizantino
Derafsh Kaviani.png
Império Sassânida
Comandantes
Império Bizantino Heráclio
Teodoro
Nicetas
Império Sassânida Sarbaro
Império Sassânida Saíno
Forças
68,000 40,000
Baixas
Pesadas Mínimas

HistóriaEditar

Começando em 610, sob o comando dos generais Sarbaro e Saíno, o exército persa conquistou as regiões até então controladas pelos bizantinos da Mesopotâmia e do Cáucaso. No ano seguinte, continuando a esteira de vitórias, as forças persas invadiram a Síria e a Anatólia Oriental, capturando diversas cidades cristãs como Antioquia e Damasco. Aparentemente, o exército sassânida não conseguia adentrar muito em território bizantino sem ter que enfrentar o principal exército imperial, Em resposta à súbita perda de território na fronteira oriental, Heráclio juntou um grande exército e marchou para Antioquia. Seu contra-ataque foi, contudo, decisivamente derrotado em 613 próximo à cidade. Na batalha, as posições romanas se desorganizaram e um caos completo no exército bizantino resultou numa vitória fácil para Sarbaro e Saíno. A vitória assegurou aos persas o controle da região.

ResultadoEditar

Após a batalha, o Império Bizantino não ofereceu mais muita resistência aos invasores persas. O próprio Heráclio precisava de tempo para implementar diversas iniciativas internas para assegurar que ele conseguiria levantar os recursos e tropas necessários para uma nova guerra contra o ansioso rei persa Cosroes II. Na década seguinte, as forças sassânidas invadiram ainda mais o território bizantino. Jerusalém e toda a Palestina caíram em 614 perante Sarbaro (veja Revolta judaica contra Heráclio). O general Saíno penetrou também nas regiões central e ocidental da Anatólia[1], com o ápice da expansão persa ocorrendo no vitorioso cerco de Alexandria na primavera de 619, que levou à anexação do Egito[2].

Referências

  1. Foss, Clive (1975), «The Persians in Asia Minor and the End of Antiquity», The English Historical Review, 90 (357): 721–747 
  2. Mehta, Virasp (23 de dezembro de 2005), Causes of the Downfall of the Sassanian Empire, Palo Alto: vohuman.org