Batalha de Bucha

A Batalha de Bucha fez parte da ofensiva de Kiev na invasão russa da Ucrânia em 2022 pelo controle da cidade de Bucha. Os combatentes eram elementos das Forças Armadas Russas e Forças Terrestres Ucranianas. A batalha durou de 27 de fevereiro de 2022 a 31 de março de 2022 e terminou com a retirada das forças russas. A batalha foi parte de uma tática maior para cercar Kiev, a capital da Ucrânia.[4][5]

Batalha de Bucha
Parte da ofensiva de Kiev durante a Invasão da Ucrânia pela Rússia em 2022
Working trip of the President of Ukraine to the Kyiv region 09 (cropped).jpg
Equipamento militar russo destruído em Bucha
Data 27 de fevereiro – 31 de março de 2022
Local Bucha, Oblast de Kiev, Ucrânia
Desfecho Cidade sob controle da Ucrânia
Primeira fase: Forças russas capturam a totalidade da cidade em 12 de março de 2022
Segunda fase: Forças russas se retiram da cidade em 31 de março de 2022 e forças ucrânianas limpam a cidade logo em seguida
Beligerantes
 Ucrânia  Rússia
Comandantes
Desconhecido Rússia Gennady Bayur [1]Rússia Azatbek Omurbekov[2]
Unidades
Ensign of the Ukrainian Armed Forces.svg Forças Armadas da Ucrânia Flag of Kyiv Kurovskyi.svg Milícia voluntária civil Banner of the Armed Forces of the Russian Federation (obverse).svg Forças Armadas Russas

Flag of National Guard of Russia.png Guarda Nacional da Rússia

Baixas
Desconhecido Segundo a Ucrânia:
  • Ao menos 100 veículos terrestres destruídos
  • Número de mortos e feridos desconhecido
Segundo a Ucrânia: 403 civis mortos e diversos feridos[3]

As forças armadas da Ucrânia resistiram ao avanço russo nos subúrbios ocidentais da capital de Irpin, Bucha e Hostomel.[4][5] Bucha estava entre os locais que a Administração Estatal do Oblast de Kiev nomeou como os lugares mais perigosos do Oblast de Kiev .[6] Depois que as forças russas se retiraram de Bucha, relatos de atrocidades cometidas pelos militares russos atraíram a atenção internacional.

PrelúdioEditar

Em 25 de fevereiro, as forças russas avançaram no subúrbio de Hostomel e seu aeroporto do noroeste depois de romper parcialmente as defesas ucranianas em Ivankiv, capturando o aeroporto e estabelecendo uma base na cidade. Embora ainda houvesse resistência ucraniana em andamento em Hostomel, as forças russas começaram a avançar para o sul para capturar as cidades vizinhas de Irpin e Bucha com o objetivo de cercar Kiev.[4][5] Mais tarde naquele dia, soldados russos foram vistos saqueando um prédio de apartamentos perto de Bucha.[7][8]

BatalhaEditar

Luta inicialEditar

FevereiroEditar

Em 27 de fevereiro, as forças terrestres russas avançaram para Bucha.[9][10] A força russa era composta por paraquedistas, tanques, unidades de engenharia militar e reservas do 36º Exército de Armas Combinadas.[5] A força russa também tinha unidades da Unidade Especial de Resposta Rápida (SOBR) e da Unidade Móvel de Propósito Especial (OMON), duas forças policiais especiais dentro da Guarda Nacional da Rússia.[11] A artilharia russa bombardeou a cidade, danificando vários edifícios e infraestruturas. Alguns moradores perderam o acesso a água, gás e eletricidade devido ao bombardeio.[9][10]

Alguns elementos da força russa conseguiram romper Bucha e avançaram em direção à cidade vizinha de Irpin.[5][12] Uma unidade blindada russa foi registrada atacando um memorial para o memorial da Guerra no Afeganistão em Bucha; o memorial tem a forma de um APC.[13][14] Andriy Tsaplienko, um jornalista ucraniano, relatou mais tarde que as forças russas atacaram um veículo civil, matando um homem e ferindo outro.[15]

 
Um edifício industrial na vila de Chaiky, perto de Bucha, que continha espuma de spray, é atingido por um míssil russo

As forças ucranianas usaram bombardeios de foguetes, artilharia e ataques aéreos para deter os avanços russos em Bucha.[16] O Serviço de Comunicações Especiais do Estado da Ucrânia informou que a artilharia ucraniana havia bombardeado um comboio de veículos blindados russos, com o governo ucraniano alegando que mais de 100 unidades de equipamento russo foram destruídas.[17][18] As forças ucranianas destruíram uma ponte que ligava Bucha e Irpin, matando um oficial da OMON e impedindo que as forças russas avançassem para Irpin.[11][15]

Oleksiy Arestovych, um oficial ucraniano, afirmou que alguns moradores de Bucha começaram a lutar contra as forças russas, jogando coquetéis molotov em veículos e soldados russos. Anton Herashchenko, outro funcionário do governo ucraniano, afirmou que os moradores atacaram uma coluna de veículos blindados russos, incendiando pelo menos um veículo.[16][19][20]

Mais tarde, em 27 de fevereiro, as autoridades ucranianas alertaram os moradores de Bucha para não entrarem nos ônibus que estavam saindo da cidade, pois as autoridades ucranianas não haviam iniciado nenhum procedimento de evacuação. Autoridades ucranianas alegaram que era parte de um plano das forças russas, em que os russos usariam os civis como escudos humanos seguindo atrás dos ônibus, a fim de entrar em Kiev.[21][22]

Em 28 de fevereiro de 2022, as forças ucranianas engajaram e destruíram uma coluna blindada russa em Bucha. Anatoliy Fedoruk, o prefeito de Bucha, publicou um vídeo mostrando veículos russos fumegantes. Fedoruk afirmou que os ucranianos não sofreram baixas na escaramuça.[23]

MarçorEditar

Em 1º de março, fotos de equipamentos russos destruídos e abandonados começaram a circular pela mídia ucraniana, com alguns descrevendo Bucha como "um cemitério para os equipamentos russos destruídos".[24][25][26][27]

Em 2 de março de 2022, o governo ucraniano começou a enviar ajuda humanitária para Bucha.[28] No dia seguinte, a Administração Estatal de Kiev Oblast anunciou evacuações em Bucha e Irpin. Mais de 1.500 mulheres e crianças foram evacuadas de trem, enquanto 250 foram evacuadas de ônibus.[29][30] Autoridades ucranianas relataram que as evacuações foram complicadas, pois alguns trilhos de trem foram destruídos durante os combates.[31]

Mais tarde, em 3 de março, as forças terrestres ucranianas anunciaram que as forças ucranianas recapturaram Bucha, postando um vídeo de soldados ucranianos levantando a bandeira ucraniana perto do prédio do conselho da cidade.[32][33][34][35] Equipes de emergência ucranianas restauraram a eletricidade na cidade.[32][33] As forças russas continuaram a lutar dentro de Bucha e foram repelidas pelas forças ucranianas e empurradas para os arredores da cidade.[36][37]

Em 4 de março de 2022, Fedoruk confirmou que a cidade permanecia sob controle ucraniano, apesar das forças russas lançarem ataques continuamente.[38] As forças russas mataram três civis ucranianos desarmados que tinham acabado de entregar ração para um abrigo de cães e estavam voltando para casa em um carro.[39]

Em 5 de março de 2022, as forças russas continuaram a atacar Bucha.[40] Mais tarde, Arestovych afirmou que as forças russas haviam recapturado Bucha e Hostomel e não estavam permitindo que os civis evacuassem.[41] Por volta das 7h15 daquele dia, dois carros que transportavam duas famílias foram vistos por soldados russos que abriram fogo contra o comboio, matando um homem no segundo veículo. O carro da frente foi atingido por tiros, incendiando-o e matando duas crianças e sua mãe.[42]

Em 6 de março de 2022, a Rússia intensificou o bombardeio da cidade, resultando em algumas baixas civis. A Câmara Municipal de Bucha informou que os civis estavam se refugiando em porões e que a cidade não conseguia receber ajuda humanitária devido aos constantes bombardeios.[43][44] A Rádio Svoboda informou que a cidade ocupada estava ficando sem suprimentos e que soldados russos estavam matando civis.[45] No dia seguinte, as forças russas implantaram três unidades blindadas em Bucha, em preparação para um avanço em direção a Irpin.[46] Mais tarde, Volodymyr Karplyuk, o ex-prefeito de Irpin, afirmou que as forças russas destruíram o Glass Plastic and Fiber Research Institute em Bucha, liberando fumaça de acetona e outros produtos químicos.[47]

Em 8 de março de 2022, Fedoruk afirmou que as forças ucranianas ainda estavam lutando em Bucha e conseguiram recuperar o território. Ele também afirmou que as forças russas detinham o controle de todas as principais rodovias da cidade, intensificaram os bombardeios e não permitiram que os moradores de Bucha deixassem suas casas.[48][49][50] Mais tarde, em 8 de março, os ocupantes russos permitiram que os civis saíssem por um período limitado de tempo para remover corpos e cozinhar alimentos. A cidade ainda não tinha eletricidade, pois as forças russas mantinham todas as subestações elétricas.[51]

Em 9 de março de 2022, as forças ucranianas conduziram uma evacuação em larga escala em Kyiv Oblast, inclusive em Bucha. Até 20.000 civis foram evacuados em Kiev Oblast.[52] A Administração Estatal de Kiev Oblast descreveu a situação em Bucha como tensa em meio aos combates e evacuação.[53]

Em 12 de março de 2022, a Câmara Municipal de Bucha anunciou que as forças russas haviam ocupado totalmente a cidade. O conselho afirmou que a força russa não permitiria que os moradores saíssem de suas casas e às vezes atirava em civis.[54] Apesar da tomada, alguns civis conseguiram evacuar com sucesso da cidade em um comboio de 20 ônibus.[55]

Controle russoEditar

Em 13 de março, os moradores enterraram 67 pessoas em uma vala comum perto de uma igreja em Bucha. Os enterrados foram mortos pela artilharia russa, e alguns corpos não puderam ser identificados.[56][57][58] Mais tarde, alguns soldados russos foram vistos saqueando casas na cidade.[59]

Em 15 de março, as forças russas começaram a ocupar a prefeitura e capturaram funcionários no prédio. Os civis foram libertados no dia seguinte.[60] Enquanto isso, Obozrevatel publicou um vídeo mostrando veículos blindados russos abandonados estacionados em calçadas e garagens residenciais.[61][62]

Em 16 de março, de acordo com os militares ucranianos, suas forças lançaram um contra-ataque contra locais controlados pelos russos ao redor de Kiev, inclusive em Bucha.[63]

Em 22 de março, o chefe da Administração Militar Regional de Kiev, Oleksandr Pavlyuk, afirmou que Bucha e Hostomel estavam sob o controle do exército russo e que nenhuma ação ofensiva ucraniana poderia ser realizada naquele momento. A principal tarefa dos militares ucranianos era impedir que as forças russas cruzassem o rio Irpin.[64]

Ucrânia recupera o controleEditar

  Vídeos externos
    Forças especiais da Polícia Nacional estão a limpar a cidade de Bucha vídeo da Polícia Nacional da Ucrânia
 
Polícia ucraniana entra em Bucha para retomar ordem em 2 de abril

Em 29 de março, o vice-ministro da Defesa russo, Alexander Fomin, anunciou que os militares russos reduziriam sua atividade perto de Kiev e Chernihiv.[65] Em 31 de março, as forças ucranianas estavam se movendo para Bucha em meio a uma retirada geral russa na área, resultando em intensos combates com tropas russas locais.

No dia seguinte, Oleksandr Pavliuk, chefe da administração militar ucraniana para a região de Kiev, anunciou que o distrito de Bucha havia sido retomado. Segundo ele, as tropas russas tentavam recuar, enquanto os ucranianos continuavam a atacá-los. O combate continuou ao norte de Bucha e no eixo Hostomel-Bucha-Vorzel. Enquanto isso, o prefeito Anatolii Fedoruk e o Instituto para o Estudo da Guerra relataram que Bucha havia sido totalmente retomada das forças russas em 31 de março.[66]

MassacreEditar

 Ver artigo principal: Massacre de Bucha

Depois que as forças ucranianas recuperaram o controle de Bucha, começaram a circular relatos e testemunhos de crimes de guerra cometidos pelos militares russos. Jornalistas da Agence France-Presse encontraram 20 corpos caídos em uma rua em Bucha. Pelo menos um deles estava com as mãos amarradas e todas as vítimas eram do sexo masculino.[67] Segundo o prefeito Anatoly Fedoruk, cerca de 280 pessoas foram enterradas em uma vala comum.[68]

The Guardian informou que depois que as forças ucranianas recapturaram Kyiv Oblast, "[eles] foram recebidos com uma devastação chocante ao retornar à área: corpos nas ruas, evidências de execuções de civis, valas comuns e crianças assassinadas".[69]

De acordo com The Times e The Washington Post, dezoito corpos mutilados de homens, mulheres e crianças assassinados foram encontrados em um porão. Os corpos apresentavam provas de tortura; orelhas cortadas e dentes arrancados. Cadáveres de outros civis mortos foram deixados na estrada, supostamente alguns deles presos com explosivos por soldados russos como iscas antes de recuarem.[70][71]

Moradores e o prefeito da cidade confirmaram que as vítimas foram mortas por tropas russas. Muitas das vítimas pareciam estar fazendo suas rotinas diárias, passeando com cães ou carregando sacolas de compras. Os corpos estavam inteiros, indicando que haviam sido baleados, em vez de mortos por munições explosivas.[72] As imagens mostraram civis mortos, com as mãos amarradas. Outras imagens mostraram um homem morto, ao lado de sua bicicleta. Animais de estimação e outros animais foram baleados.[73]

As evidências pareciam indicar que os russos haviam escolhido civis ucranianos e os matado de forma organizada, com muitos de seus corpos em particular encontrados mortos com as mãos amarradas nas costas.[74] Em 2 de abril, um repórter da AFP afirmou ter visto pelo menos vinte corpos de civis caídos nas ruas de Bucha, com dois dos corpos de mãos amarradas, implicando uma execução sumária. Fedoruk disse que todos esses indivíduos foram baleados na parte de trás da cabeça.[75]

Moradores, conversando com a Human Rights Watch após a retirada das forças russas, descreveram o tratamento das pessoas na cidade durante a curta ocupação: soldados russos foram de porta em porta, questionando as pessoas, destruindo seus pertences e saqueando suas roupas para usá-las.[76] Civis foram alvejados ao sair de suas casas para comida e água, e seriam obrigados a voltar para suas casas ocupando as tropas russas, apesar da falta de necessidades básicas, como água e aquecimento, devido à destruição da infraestrutura local.[76]

Snipers dispararam contra civis. Veículos armados russos disparavam aleatoriamente contra prédios da cidade. As tropas russas recusaram ajuda médica aos civis feridos. Uma vala comum foi cavada para as vítimas locais e as tropas de ocupação realizaram execuções extrajudiciais.[76]

A CNN,[77] a BBC e o Bild[78] divulgaram documentações em vídeo de vários cadáveres de civis deitados nas ruas e quintais de Bucha, alguns deles com braços ou pernas amarrados. As atrocidades em Bucha, incluindo pelo menos um caso de execução sumária, também foram documentadas Human Rights Watch.[79]

Referências

  1. Mark Krutov; Oleksandra Vagner (6 de abril de 2022). «As Evidence Of War Crimes In Bucha Mounts, A Hunt For Russian Military Units». Radio Free Europe. Consultado em 10 de abril de 2022 
  2. Newsweek. 6 de abril de 2022 https://www.newsweek.com/russia-ukraine-war-azatbek-omurbekov-putin-bucha-1695385. Consultado em 21 de abril de 2022  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  3. «Mayor of Bucha asked a neighboring town to bring hundreds of coffins because his city was 'not ready to have so many dead bodies'». Business Insider. 12 de abril de 2022 
  4. a b c «Latest Military Situation in Ukraine, 27 February 2022 (Map Update)». Islamic World News (em inglês). 27 de fevereiro de 2022. Consultado em 1 de março de 2022. Arquivado do original em 28 de fevereiro de 2022. On February 27, the southern areas of Hostomel Airport, including Bucha and Irpin, witnessed one of the heaviest battles in the past four days between Russian and Ukrainian forces. Russian forces trying to block the western entrances to the city of Kiev by advancing in this area. 
  5. a b c d e Clark, Mason; Barros, George; Stepanenko, Kateryna (27 de fevereiro de 2022). «Russia-Ukraine Warning Update: Russian Offensive Campaign Assessment, February 27, 2022». Critical Threats. Consultado em 5 de março de 2022. Arquivado do original em 28 de fevereiro de 2022 
  6. «Буча, Ірпінь, Гостомель: Кулеба назвав найнебезпечніші місця Київської області». depo kyiv. 2 de março de 2022. Consultado em 5 de março de 2022. Arquivado do original em 4 de março de 2022 
  7. Горбач, Наталия (25 de fevereiro de 2022). «"Повыбрасывали людей из квартир": Очевидец о том, что происходит в Буче и Гостомеле». depo kyiv. Consultado em 5 de março de 2022. Arquivado do original em 5 de março de 2022 
  8. «Вырывали замки и стучали в двери: Силовики РФ захватили ЖК в Буче, после чего сбежали в лес». antikor. 25 de fevereiro de 2022. Consultado em 5 de março de 2022. Arquivado do original em 5 de março de 2022 
  9. a b «Немає води та зв'язку: жителі Бучі розповіли про ситуацію у місті після обстрілів». TCH. 28 de fevereiro de 2022. Consultado em 5 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  10. a b «У Бучі під Києвом тривають бої, колона ворога проривається до столиці (відео)». Konkurent. 27 de fevereiro de 2022. Consultado em 6 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  11. a b «'Sent As Cannon Fodder': Locals Confront Russian Governor Over 'Deceived' Soldiers In Ukraine» (em inglês). Radio Free Europe / Radio Liberty. Consultado em 20 de março de 2022 
  12. Орлова, Віолетта (27 de fevereiro de 2022). «Бої за Ірпінь, Бучу, та Гостомель: що відбувається в цих населених пунктах на Київщині». UNIAN. Consultado em 5 de março de 2022. Arquivado do original em 1 de março de 2022 
  13. Лисичкіна, Любава (27 de fevereiro de 2022). «Буча є Буча. Як російські окупанти вступили в бій з пам'ятником афганцям». Big Kyiv. Consultado em 5 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  14. Tiefenthäler, Ainara; Willis, Haley; Cardia, Alexander (27 de fevereiro de 2022). «Videos show Russian losses on outskirts of Kyiv.». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 20 de março de 2022 
  15. a b Горбач, Наталія (27 de fevereiro de 2022). «Колона окупантів заблокована: ЗСУ підірвали міст між Бучею та Ірпенем (ВІДЕО)». Depo Kyiv. Consultado em 6 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  16. a b «Advisor to the President of Ukraine: Russian invaders broke through into Bucha, Irpin, and Hostomil, their advance was stopped». pravda. 27 de fevereiro de 2022. Consultado em 5 de março de 2022. Arquivado do original em 5 de março de 2022 
  17. Davidovich, Joshua (27 de fevereiro de 2022). «Ukraine says it destroyed Russian military convoy outside of Kyiv». The Times of Israel. Consultado em 6 de março de 2022. Arquivado do original em 8 de março de 2022 
  18. «Russian invasion update: Artillery destroys Russia's Group V in Kyiv region». Ukrinform. 27 de fevereiro de 2022. Consultado em 6 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  19. Черенкова, Інна (27 de fevereiro de 2022). «Жители Бучи закидали коктейлями Молотова колонну российской бронетехники, – ВИДЕО». 44. Consultado em 6 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  20. «Мешканці Бучі спалили коктейлями Молотова два російських БМД — Арестович». HB. 27 de fevereiro de 2022. Consultado em 6 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  21. «Данилов – жителям Бучи: Не садитесь в автобусы для "эвакуации", это подвох россиян для входа в Киев, чтобы пустить их перед собой». censor.net. 27 de fevereiro de 2022. Consultado em 5 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  22. «Окупанти хочуть використати дітей та жінок з Бучі як "живий щит"». Ukrinform. 27 de fevereiro de 2022. Consultado em 5 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  23. Ворона, Галина (28 de fevereiro de 2022). «У Бучі знищили колону ворожої техніки – відео від мера Федорука». Big Kyiv. Consultado em 5 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  24. «Сожженная российская техника, одежда, армейский паек. Появились новые фото и видео из Бучи». HB. 1 de março de 2022. Consultado em 6 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  25. «Разбитая техника российских оккупантов на улицах Бучи. ВИДЕО+ФОТОрепортаж». censor.net. 2 de março de 2022. Consultado em 6 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  26. «Фото: Буча перетворилася на кладовище знищеної техніки агресора». UA. 2 de março de 2022. Consultado em 6 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  27. «Улица в Буче превратилась в "кладбище" для уничтоженной вражеской техники РФ». Antikor. 2 de março de 2022. Consultado em 6 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  28. Орлова, Віолетта (2 de março de 2022). «Київ відправив гуманітарну допомогу в місто Буча на підступах столиці». UNIAN. Consultado em 5 de março de 2022. Arquivado do original em 5 de março de 2022 
  29. «ІРПІНЬ ТА БУЧА – УКРАЇНСЬКІ!». КИЇВСЬКА ОБЛАСНА ДЕРЖАВНА АДМІНІСТРАЦІЯ. 3 de março de 2022. Consultado em 5 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  30. БАЛАЧУК, ІРИНА (3 de março de 2022). «З Ірпеня і Бучі вивезли понад 1,5 тисячі жінок і дітей, з Фастівщини – ще 500». Pravda. Consultado em 6 de março de 2022. Arquivado do original em 5 de março de 2022 
  31. «Буча, Ірпінь, Гостомель і Ворзель: що відбувається в найгарячіших точках Київщини». Ukrinform. 3 de março de 2022. Consultado em 6 de março de 2022. Arquivado do original em 5 de março de 2022 
  32. a b «В Буче не только подняли флаг, но и восстановили электроэнергию». 24tv. 3 de março de 2022. Consultado em 5 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  33. a b Ворона, Галина (3 de março de 2022). «Важлива перемога! Бучу звільнили від окупантів». Big Kyiv. Consultado em 6 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  34. «Буча – наша! ЗСУ підняли український прапор у місті (відео)». Segodnya. 3 de março de 2022. Consultado em 6 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  35. Барабан, Анна (3 de março de 2022). «Еще один украинский город освобожден от российских нацистов: видео». Telegraf. Consultado em 6 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  36. РОЩИНА, ЕЛЕНА (3 de março de 2022). «Бои поблизости Бучи не утихают 4 часа, вышли кадыровцы – мэр». Pravda. Consultado em 6 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  37. «Снова было горячо в Буче, Гостомеле и Ирпене: оккупанты безуспешно пытались прорвать оборону». 24tv. 3 de março de 2022. Consultado em 6 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  38. «Місто Буча залишається українським – мер». Ukrinform. 4 de março de 2022. Consultado em 6 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  39. Myroniuk, Anna (8 de março de 2022). «Russian soldiers murder volunteers helping starving animals near Kyiv». The Kyiv Independent. Consultado em 8 de março de 2022. Arquivado do original em 9 de março de 2022 
  40. «Появилось видео боев в Буче под Киевом с высоты птичьего полета». 24tv. 5 de março de 2022. Consultado em 6 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  41. Tim Lister; Josh Pennington; Julia Hollingsworth; Radina Gigova (6 de março de 2022). «Fears grow for safety of civilians fleeing Ukrainian cities after deadly explosion at checkpoint». CNN. Consultado em 6 de março de 2022. Arquivado do original em 7 de março de 2022 
  42. «'It is a war crime': two young boys among neighbours shot dead during attempted evacuation». The Guardian (em inglês). 2 de abril de 2022. Consultado em 2 de abril de 2022 
  43. БАЛАЧУК, ИРИНА (6 de março de 2022). «Враг беспощадно обстреливает Бучу, убивает даже детей, город в осаде – городской совет». Pravda. Consultado em 6 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  44. «Буча в осаде: российские войска обстреливают жилые кварталы, город просит помощи». RBC. 6 de março de 2022. Consultado em 6 de março de 2022. Arquivado do original em 6 de março de 2022 
  45. «Поранені діти в підвалах: хто чекає на зелений коридор з Бучі, Ірпеня, Бородянки». Radio Svoboda. 6 de março de 2022. Consultado em 10 de março de 2022. Arquivado do original em 8 de março de 2022 
  46. «Оккупанты готовятся к наступлению на Вышгород, Гостомель, Ирпень, Сумы и Запорожье, – оперативная информация Генштаба ВСУ по российскому вторжению на 12:00 7 марта». Censor.net. 7 de março de 2022. Consultado em 19 de março de 2022 
  47. «Fiberglass institute blown up in Bucha, chemical fumes go up in sky – Irpin ex-mayor Karpliuk». Interfax-Ukraine (em inglês). Consultado em 20 de março de 2022 
  48. КАЛАТУР, АНАСТАСИЯ (8 de março de 2022). «Мэр Бучи рассказал об ужасной ситуации в городе». Pravda. Consultado em 10 de março de 2022. Arquivado do original em 9 de março de 2022 
  49. «Буча снова была под массированным артобстрелом». 24tv. 8 de março de 2022. Consultado em 10 de março de 2022. Arquivado do original em 11 de março de 2022 
  50. «Заложники российских оккупантов: Буча под Киевом фактически находится в осадном положении». TCH. 8 de março de 2022. Consultado em 10 de março de 2022. Arquivado do original em 9 de março de 2022 
  51. «Буча в огне: оккупанты разрешили убрать с улиц трупы погибших горожан, вопрос с "зеленым коридором" не решен». Ukrainenews.fakty. 8 de março de 2022. Consultado em 10 de março de 2022. Arquivado do original em 9 de março de 2022 
  52. «До 20 тысяч человек были эвакуированы из Бучи, Ирпеня, Гостомеля, Ворзеля и других городов Киевской области». TCH. 10 de março de 2022. Consultado em 10 de março de 2022. Arquivado do original em 10 de março de 2022 
  53. «Житомирська траса, Буча, Ірпінь, Макарів – найнебезпечніші напрямки Київщини». Ukrinform. 10 de março de 2022. Consultado em 10 de março de 2022. Arquivado do original em 10 de março de 2022 
  54. КАЛАТУР, АНАСТАСИЯ (12 de março de 2022). «Напуганы и деморализованы: депутат из Бучи рассказала о моральном состоянии захватчиков города». Pravda. Consultado em 17 de março de 2022 
  55. «Сумы, Буча, Гостомель: в Украине 12 марта идет эвакуация мирных жителей. ВИДЕО». Censor.net. 12 de março de 2022. Consultado em 19 de março de 2022 
  56. Mass graves in Ukraine: Battered cities are digging makeshift burial sites Arquivado 14 março 2022 no Wayback Machine

    Mass graves return in war-torn cities Arquivado 14 março 2022 no Wayback Machine
  57. «У Бучі поховали в братській могилі людей, які загинули внаслідок обстрілу окупантів». nv.ua. 13 de março de 2022. Consultado em 17 de março de 2022 
  58. «В Буче в братской могиле похоронили 67 мирных жителей». TCH. 13 de março de 2022. Consultado em 17 de março de 2022 
  59. «Они жили хорошо, не чета нам: под Киевом оккупанты задерживают мирных жителей и хвастаются мародерствами (перехваченный разговор)». TCH. 13 de março de 2022. Consultado em 17 de março de 2022 
  60. «Occupiers release volunteers previously captured in Bucha – city council». Interfax-Ukraine. 16 de março de 2022. Consultado em 16 de março de 2022. Arquivado do original em 17 de março de 2022 
  61. Тимченко, Олег (15 de março de 2022). «В Буче оккупанты прячут бронетехнику во дворах местных жителей. Видео». Obozrevatel. Consultado em 17 de março de 2022 
  62. «У КОЖНОМУ ДВОРІ – БРОНЕМОТЛОХ ОКУПАНТІВ: У МЕРЕЖІ ПОКАЗАЛИ, ЯКИЙ ВИГЛЯД МАЄ БУЧА – ВІДЕО». 5.ua. 16 de março de 2022. Consultado em 17 de março de 2022 
  63. Alan Cullison; Isabel Coles; Yaroslav Trofimov (16 de março de 2022). «Ukraine Mounts Counteroffensive to Drive Russians Back From Kyiv, Key Cities». The Wall Street Journal. Consultado em 16 de março de 2022. Arquivado do original em 16 de março de 2022 
  64. «Буча и Гостомель под контролем РФ. ВСУ дали задачу не дать врагу перейти реку Ирпень и пойти на Киев». strana.today 
  65. «Russia says it will sharply cut military activity near Kyiv, Chernihiv». reuters. 29 de março de 2022. Consultado em 1 de abril de 2022 
  66. «Kyiv satellite town Bucha recaptured by Ukraine, mayor says» (em inglês). Yahoo!. Consultado em 1 de abril de 2022 
  67. AFP. «At least 20 bodies in civilian clothes seen on one street in town near Kyiv». Times of Israel (em inglês). Consultado em 2 de abril de 2022 
  68. «Almost 300 people buried in 'mass grave' in Bucha outside Kyiv: Mayor». Al Arabiya English. 2 de abril de 2022 
  69. Ho (now), Vivian; Badshah, Nadeem; Thomas, Tobi; Skopeliti, Clea; Davidson (earlier), Helen (2 de abril de 2022). «Russia-Ukraine war latest: Ukrainian troops retake entire Kyiv region as evidence emerges of execution of civilians – live». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077. Consultado em 2 de abril de 2022 
  70. Stern, David (3 de abril de 2022). «Bodies and Rubble in the streets of Bucha following Russian retreat». The Washington Post. Consultado em 3 de abril de 2022 
  71. Callaghan, Louise (2 de abril de 2022). «Bodies of mutilated children among horrors the Russians left behind». The Times (em inglês). ISSN 0140-0460. Consultado em 3 de abril de 2022  Verifique o valor de |url-access=subscription (ajuda)
  72. Gardner, Simon; Bensemra, Zohra; Boumzar, Abdelaziz (2 de abril de 2022). «Russian retreat leaves trail of dead civilians in Bucha, a town near Kyiv». Reuters (em inglês). Consultado em 3 de abril de 2022 
  73. «War in Ukraine: Street in Bucha found strewn with dead bodies» (em inglês). BBC News. 2 de abril de 2022. Consultado em 3 de abril de 2022 
  74. Rudenko, Olga (2 de abril de 2022). «Hundreds of murdered civilians discovered as Russians withdraw from towns near Kyiv (GRAPHIC IMAGES)». The Kyiv Independent (em inglês). Consultado em 3 de abril de 2022 
  75. «Almost 300 people buried in "mass grave" in Bucha, dozens of bodies found in the streets». Ukrayinska Pravda (em inglês). Consultado em 3 de abril de 2022 
  76. a b c «Devastation and Loss in Bucha, Ukraine: Life for Civilians in a Town Encircled by Russian Forces». Human Rights Watch. 30 de março de 2022. Consultado em 3 de abril de 2022. Cópia arquivada em 1 de abril de 2022 
  77. «En la ciudad ucraniana de Bucha, los cuerpos sin vida yacen en las calles» (em espanhol). CNN. Consultado em 3 de abril de 2022 
  78. «TOTE AUF DEN STRASSEN, VERSCHARRTE FRAUEN, LEICHEN IN GULLI-ÖFFNUNGEN - Klitschko wirft Putin Völkermord vor». Bild (em alemão). Consultado em 3 de abril de 2022 
  79. «Human Rights Watch documents alleged war crimes by Russian forces in occupied regions of Ukraine» (em inglês). CNN. 3 de abril de 2022. Consultado em 3 de abril de 2022