Abrir menu principal

Batalha de Lomas Valentinas

Batalha de Lomas Valentinas
Guerra do Paraguai
Lomas Vallentinas.jpg
O então Marquês de Caxias na Batalha de Lomas Valentinas.
Data 21 a 27 de dezembro de 1868
Local Fortificações de Lomas Valentinas.
Desfecho Vitória aliada[1]
Beligerantes
Flag of Brazil (1870–1889).svg Império do Brasil
Flag of Argentina.svg República Argentina
Flag of Uruguay.svg República Oriental do Uruguai
Paraguai Paraguai
Comandantes
Flag of Brazil (1870–1889).svg Marquês de Caxias
Flag of Uruguay.svg Juan Andrés Gelly y Obes
Paraguai Francisco Solano Lopez
Forças
21.142 (27 de dezembro)[2] 10.000 (21 de dezembro)
(5.000 homens adultos)[3]
Baixas
Desconhecido, altas Aproximadamente 8000 mortos, uns 1.000 feridos[4]

A Batalha de Lomas Valentinas (também conhecida como a Batalha de Ita Ybate) foi travada no Departamento Central do Paraguai entre 21 e 27 de dezembro de 1868. O Exército Paraguaio, liderado pessoalmente pelo Presidente Francisco Solano López, foi decisivamente derrotado, embora tenha conseguido escapar. Em 30 de dezembro de 1868, a guarnição paraguaia em Angostura, com 1.907 homens, rendeu-se aos Aliados.[5]

BatalhaEditar

O marechal Caxias (na epóca Marquês de Caxias) havia deixado Villeta às 02:00 do dia 21, e estava pronto para invadir a fortificação Lomas Valentinas ao meio-dia. Duas colunas de infantaria, uma sob o comando do general José Luis Mena Barreto atacando as defesas ocidentais de Ita Ybate e outra sob o comando do general Jacinto Machado de Bittencourt, auxiliadas pela cavalaria sob o comando do general Andrade Neves atacando as defesas do norte em Loma Acosta. Onde a colina Cumbarity foi localizada, sendo tomada ao amanhecer.[6]

No dia 22 de dezembro, as tropas argentinas e uruguaias avançaram em direção a Lomas. O marechal Caxias passou o dia 23 reorganizando seus batalhões. Um dia depois, o marechal Caxias exigiu a rendição de Lopez, que foi recusada. O ataque aliado voltou a ser comemorado com o amanhecer nos dias 25 e 26. As defesas paraguaias foram finalmente tomadas em 27 de dezembro.[7]

FugaEditar

Lopez fugiu com a cavalaria Acavera atuando como sua escolta. Gens Resquín e Bernardino Caballero também escaparam. Garantindo que a guerra continuaria.[8]

GaleriaEditar

Referências

  1. Nonato 1996, p. 350.
  2. Nonato 1996, p. 349.
  3. Jiménez 1994, p. 329.
  4. Nonato 1996, p. 349-350.
  5. Hooker 2008, p. 95-99.
  6. Hooker 2008, p. 95-96.
  7. Hooker 2008, p. 97-98.
  8. Hooker 2008, p. 98.

BibliografiaEditar