Batalha de Roncesvales

Batalha perdida pelo exército de Carlos Magno

A Batalha de Roncesvales foi uma batalha, travada em 15 de agosto de 778, na qual a retaguarda do exército do rei franco (e Imperador) Carlos Magno foi dizimada por um ataque de guerreiros vascões. O confronto ocorreu próximo da localidade de Roncesvales (Roncesvalles em castelhano, Roncevaux em francês, Orreaga em basco), localizada em Navarra, próximo da atual fronteira entre Espanha e França.

Batalha de Roncesvales
Mort de Roland.jpg
Batalha de Roncesvales: Carlos Magno junto ao corpo morto de Rolando (iluminura de Jean Fouquet, "Grandes Chroniques de France", 1455-1460).
Data 15 de agosto de 778
Local Pirenéus
Desfecho Vitória dos vascões
Beligerantes
Francos vascões
Comandantes
Carlos Magno
Rolando
Lupo II, duque de Gasconha (supostamente)

Entre os francos mortos na batalha figurava Rolando, prefeito da marca da Bretanha e comandante da retaguarda de Carlos Magno. Esse fato é conhecido através da Vita Caroli Magni, a biografia de Carlos Magno escrita por Eginhardo por volta de 830. Essa biografia e os Anais Reais carolíngios são as únicas fontes documentais contemporâneas da batalha.

Ao longo da Idade Média, a batalha de Roncesvales foi objeto de recriações literárias por parte dos jograis e poetas. Nessas obras, o exército que ataca os guerreiros francos já não é composto por vascões mas sim por mouros muçulmanos, o que se explica pelo contexto em que foram escritas, em plena época da Reconquista e das Cruzadas. A mais antiga das obras a referir-se à batalha é A Canção de Rolando, uma canção de gesta escrita em francês antigo, por volta de 1100.

ReferênciasEditar

  • Gerard J. Brault. La Chanson De Roland: Oxford Text and English Translation. (French Edition) (v. 1) Penn State Press, 1984 [1]
  Este artigo sobre um conflito armado é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Batalha de Roncesvales