Beatriz Pardi ou Bia Pardi (São José do Rio Preto, (SP), 6 de junho de 1942[1][2]) é uma educadora, política e ativista do direito à educação.

Beatriz Pardi
Bia Pardi
Deputada estadual de São Paulo
Período 15 de março de 1991
a 1º de fevereiro de 1999
(2 mandatos consecutivos)
Subprefeita de Pinheiros
Período 2001
a 2004
Antecessor(a) Marcos Roberto dos Santos
Sucessor(a) Antonio Marsiglia Neto
Dados pessoais
Nascimento 06 de junho de 1942
São José do Rio Preto,  São Paulo
Nacionalidade brasileiro
Partido Partido dos Trabalhadores
Profissão educadora, política

Carreira política

editar

Membro fundadora do PT com experiência anterior como professora e dirigente sindical da APEOESP, Bia Pardi foi eleita deputada estadual pela primeira vez em 1990, assumindo o seu mandato parlamentar em 1991.[3]

Candidata em 1994, foi reeleita deputada federal pelo PT para o mandato parlamentar de 1995 a 1999.[3] Durante o seu mandato parlamentar, foi integrante da Comissão de Educação na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP).

Durante o seu mandato parlamentar, ela foi autora de vários projetos de lei, destacando-se o Projeto de lei n. 463/1992, que dispunha sobre a obrigatoriedade do ensino de educação artística nas escolas públicas estaduais, o qual foi aprovado e sancionado pelo Presidente da ALESP, o deputado Ricardo Tripoli, dando origem à Lei nº 9.164, de 17 de maio de 1995.[4]

Nas eleições de 1998, disputando pelo PT, ela não conseguiu se reeleger como deputada estadual, ficando na suplência.[1][2]

Outros cargos públicos

editar

Em 2001, durante a gestão de Marta Suplicy na Prefeitura Municipal de São Paulo, Beatriz Pardi foi nomeada subprefeita de Pinheiros, tendo exercido o cargo até 2004.[3][5]

Entre 2006 a 2017, Bia Pardi ocupou o cargo comissionado de assessora de Educação da Bancada do PT na ALESP.[3]

Referências

  1. a b «Informações eleitorais - Fundação Seade». Sistema Estadual de Análise de Dados. Consultado em 3 de julho de 2022 
  2. a b «Poder 360 - BIA PARDI». Poder 360. Consultado em 3 de julho de 2022 
  3. a b c d «'Em vez de construirmos nossas opções, grudamos no banqueiro, no açougueiro', diz fundadora do PT». Estadão. 17 de agosto de 2017. Consultado em 3 de julho de 2022 
  4. «Lei nº 9.164, de 17/05/1995». ALESP. Consultado em 3 de julho de 2022 
  5. Diário Oficial da Cidade de São Paulo, de 2 de agosto de 2002