Abrir menu principal

Beatriz de Espanha

Beatriz
Infanta da Espanha
Princesa de Civitella-Cesi
Retrato por Philip de László, 1927
Marido Alessandro Torlonia, 5.º Príncipe de Civitella-Cesi
Descendência Sandra Torlonia
Marco Torlonia, 6.º Príncipe de Civitella-Cesi
Marino Torlonia
Olimpia Torlonia
Casa Bourbon
Nome completo
Beatriz Isabel Frederica Alfonsa Eugénia Cristina Maria Teresa Benvinda Ladisléia de Bourbon e Battenberg
Nascimento 22 de junho de 1909
  Palácio Real de La Granja de San Ildefonso, San Ildefonso, Espanha
Morte 22 de novembro de 2002 (93 anos)
  Roma, Itália
Enterro Cemitério Campo Verano, Roma, Itália
Pai Afonso XIII da Espanha
Mãe Vitória Eugénia de Battenberg
Religião Catolicismo
Brasão

Beatriz de Bourbon e Battenberg (em espanhol: Beatriz Isabel Federica Alfonsa Eugenia Cristina María Teresa Bienvenida Ladislaa de Borbón y Battenberg; (San Ildefonso, 22 de junho de 1909Roma, 22 de novembro de 2002) foi uma infanta espanhola, e filha do rei Afonso XIII da Espanha e da rainha Vitória Eugénia de Battenberg, e esposa de Alessandro Torlonia, 5.º Príncipe de Civitella-Cesi. Ela era tia paterna do rei Juan Carlos da Espanha.

Início de vidaEditar

 
Infanta Beatriz c. 1912

Beatriz foi a terceira dos filhos do rei Afonso XIII de Espanha e da princesa Vitória Eugénia de Battenberg, sendo como tal neta paterna de Afonso XII de Espanha e da sua segunda esposa Maria Cristina da Áustria e, pelo lado materno, do príncipe alemão Henrique de Battenberg e da sua esposa, a princesa Beatriz do Reino Unido, filha mais nova da rainha Vitória.

Beatriz, tal como o resto da família real espanhola, teve de ir para o exílio no dia 15 de abril de 1931 após a proclamação da Segunda República no dia anterior. A infanta Beatriz acabou por fixar-se em Roma, onde vivia o seu pai. A sua mãe instalou-se perto de Lausana. Em 1950, Beatriz regressou pela primeira vez a Espanha desde o exílio, alojando-se no Hotel Ritz de Madrid. Apareceram milhares de pessoas à porta do hotel para mostrar o seu apoio à monarquia, mas perante estes acontecimentos, o general Franco ordenou a sua saída de território espanhol. Passava várias temporadas no seu país natal, mas nunca se voltou a fixar nele. Pouco antes de morrer, passou férias em Santander, durante as quais recordou a sua infância.

CasamentoEditar

O rei Afonso XIII, prevenindo-se, queria que os pretendentes das suas filhas soubessem dos perigos da hemofilia que tinha afectado dois dos seus filhos varões (Afonso, príncipe das Astúrias e o infante Gonçalo).

Beatriz contraiu matrimônio na igreja do Santo Nome de Jesus de Roma, no dia 14 de Janeiro de 1935, com Dom Alessandro Torlonia, 5.º Príncipe de Civitella-Cesi, filho do príncipe Dom Marino Torlonia e da sua esposa, a norte-americana Mary Elsie Moore, mas como Alessandro era príncipe de uma casa não-reinante, Beatriz teve de renunciar aos seus direitos dinásticos ao trono espanhol. Eles tiveram quatro filhos:

  • Sandra Torlonia (1936–2014)[1];
  • Marco Torlonia (1937–2014)[2] 6.º Príncipe de Civitella-Cesi;
  • Marino Torlonia (1939–1995);
  • Olimpia Torlonia (1943).

A infanta Beatriz morreu na sua residência de Roma, o Palácio Torlonia, na Vía Bocca di Leone, 78, e foi enterrada nessa cidade. Os seus sobrinhos, os reis de Espanha, Juan Carlos e Sofia assistiram ao funeral.

Honras e armasEditar

HonrasEditar

ArmasEditar

AncestraisEditar

Referências

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Beatriz de Espanha