Abrir menu principal

Wikipédia β

Beija-Flor (escola de samba)

(Redirecionado de Beija-Flor de Nilópolis)

Grêmio Recreativo Escola de Samba Beija-Flor (popularmente referida como Beija-Flor de Nilópolis) é uma escola de samba brasileira do município de Nilópolis, no Rio de Janeiro. Com treze conquistas (1976,[5] 1977, 1978,[6] 1980,[7] 1983,[8] 1998,[9] 2003,[10] 2004,[11] 2005,[12] 2007,[13] 2008,[14] 2011[15] e 2015[16]), e ficando apenas atrás de Portela e Mangueira, a escola assume a posição de terceira maior vencedora no rol das campeãs do carnaval do Rio de Janeiro e maior campeã da "era sambódromo".[17] A escola ainda foi vice-campeã em outras 12 oportunidades (1979, 1981, 1985, 1986, 1989, 1990, 1999, 2000, 2001, 2002, 2009 e 2013).

Beija-Flor
Bandeira do GRES Beija-Flor.jpg
Fundação 25 de dezembro de 1948 (68 anos) [1][2]
Escola-madrinha Portela [1][3]
Cores

Azul

Branco
Símbolo Beija-flor [4][3]
Bairro Centro de Nilópolis [1][2]
Presidente Ricardo Abrahão David
Presidente de honra Anísio Abraão David [2]
Comissão de carnaval Laíla, Cid Carvalho, Victor Santos, Bianca Behrends, Léo Mídia e Rodrigo Pacheco
Intérprete oficial Neguinho da Beija-Flor [2]
Diretor de carnaval Laíla [2]
Diretor de harmonia Laíla [2]
Diretor de bateria Mestre Plínio e
Mestre Rodney [2]
Rainha da bateria Raíssa de Oliveira [2]
Mestre-sala e porta-bandeira Claudinho e Selminha Sorriso [2]
Coreógrafo Marcelo Misailidis [2]
Desfile de 2018
Enredo "Monstro é aquele que não sabe amar. Os filhos abandonados da pátria que os pariu"
Posição de desfile 6.ª de segunda-feira
Site oficial
www.beija-flor.com.br/

A quadra da escola está localizada na Pracinha Wallace Paes Leme, número 1025, município de Nilópolis, Baixada Fluminense

Índice

Lugar de origemEditar

 
Centro de Nilópolis, onde se localiza a quadra da Beija-Flor.

O município de Nilópolis, na Baixada Fluminense, é o berço da Beija-Flor. A cidade e a escola de samba trilharam caminhos semelhantes, uma vez que parte dos governantes de Nilópolis também administrava a agremiação.[18]

Nilópolis integrou parte da capitania hereditária de São Vicente, pertencente a Martim Afonso de Sousa, a partir de 1531. Foi dividida em sesmarias e, mais tarde, transformada na Fazenda de São Mateus, tornando-se um grande engenho produtor de açúcar e aguardente. Em 22 de setembro de 1900, a região foi vendida ao criador de cavalos e mulas João Alves Mirandela e seu sócio Lázaro de Almeida.[19] A fazenda foi desmatada e dividida em lotes, colocados à venda a partir de 1914.[20] Em pouco tempo, a fazenda se transformou no povoado Engenheiro Neiva, integrado a São João de Meriti, na época, o 4.º distrito de Nova Iguaçu. Em 9 de novembro de 1916, o povoado foi desligado de São João de Meriti, vindo a ser o 7.º distrito de Nova Iguaçu.[21] Ainda em 1916, foi fundada a agremiação “Bloco Progresso de Nilópolis”. Encabeçada pelo Coronel Júlio de Abreu e formada por políticos do Rio de Janeiro e de São Paulo, dentre eles, Nilo Peçanha, o grupo levou ao distrito serviços de abastecimento de água potável, igrejas, comércios, imprensa, pontes, além da primeira escola municipal e estadual da região. Em 1 de janeiro de 1921, a região foi renomeada para Nilópolis, em homenagem à Nilo Peçanha.[22] Em 21 de agosto de 1947, Nilópolis foi emancipada de Nova Iguaçu.[23]

Os principais locais de sociabilidade da cidade encontram-se nas imediações da estação de trem: a Avenida Mirandela (onde a Beija-Flor realiza seu tradicional desfile pós-carnaval); e do outro lado, a Praça Paulo de Frontin (antigo palco das manifestações públicas e do carnaval de rua da cidade).[24]

Apesar do forte comércio e da presença de indústrias, é a escola de samba a maior expressão do município.[25] Juridicamente "GRES Beija-Flor", a escola passou a ser chamada formalmente de "Beija-Flor de Nilópolis", tamanha identificação. Na cidade, também é comum locais de comércio que levam o nome da escola, sem ligação com a agremiação, apenas em forma de homenagem. No pórtico de entrada da cidade, foi construída uma escultura de um beija-flor, em homenagem à escola.[26][18] A escultura foi retirada pelo prefeito Alessandro Calazans em seu mandato. Porém, seu sucessor, Farid Abrahão David, ao ser eleito em 2016, anunciou a reconstrução da escultura.[27]

 
Farid Abrahão David, afastado da presidência da Beija-Flor para assumir a Prefeitura de Nilópolis.

Ligação com o poder público

No início do Século XX, imigrantes judeus, principalmente sírio-libaneses, se fixaram na cidade, dentre eles, os patriarcas das famílias Sessim e Abraão David, que se estabeleceram como comerciantes locais.[24] Na década de 1960, a família iniciou carreira na política. Em 1962, o médico Jorge Sessim David foi eleito deputado estadual pela UDN. Em 1972, Simão Sessim foi eleito prefeito de Nilópolis pela ARENA.[26] Na mesma época, Anísio Abraão David (primo de Simão) e seu irmão, Nelson Abraão David, entraram para o jogo do bicho, controlando as bancas de aposta em Nilópolis. A ascensão da família Abraão-Sessim em Nilópolis, coincide com a ascensão da Beija-Flor. Também em meados da década de 1970, a escola de samba passou a ser controlada pelo clã Abraão David e a contar com o aporte financeiro da família. Nesta mesma época, a Beija-Flor se firmou na elite do carnaval carioca, com desfiles caros e luxuosos. A ligação entre o poder público e a escola de samba foi mantida, ao longo dos anos, com a eleição de membros da família Abraão-Sessim, que comandavam tanto a cidade como a escola de samba.[28]

FundaçãoEditar

O Bloco Associação Carnavalesca Beija-Flor (mais tarde escola de samba) foi fundado em 25 de dezembro de 1948 por um grupo de amigos formado por Milton de Oliveira (Negão da Cuíca), Edson Vieira Rodrigues (Edinho do Ferro Velho), Helles Ferreira da Silva, Hamilton Floriano, José Fernandes da Silva e os irmãos Mário Silva e Walter da Silva.[29][30] O grupo comemorava o Natal na esquina da Avenida Mirandela com a Rua João Pessoa, no Centro de Nilópolis, quando tiveram a ideia de criar um bloco carnavalesco para suprir a extinção dos blocos Irineu Perna-de-Pau e dos Teixeiras.[24] A reunião oficial do Bloco ocorreu no Grêmio Teatral de Nilópolis. Negão da Cuíca foi eleito presidente e Edinho do Ferro Velho foi eleito secretário do Bloco. Durante a reunião, também foram escolhidos nome, cores, símbolo e madrinha da agremiação.[1]

Nome, cores, símbolo e apadrinhamentoEditar

Após horas de reunião, os integrantes do bloco não chegavam a um consenso sobre o nome da nova agremiação. "Flor do Abacate" teria sido uma das sugestões.[24] Após muita indecisão, Dona Eulália, mãe de Negão da Cuíca (o presidente do bloco) sugeriu o nome Beija-Flor.[29][30] O nome foi inspirado no Rancho Beija-Flor, que existia na cidade de Valença, na região serrana do Rio e que Dona Eulália desfilava quando mais nova.[31][32] Dona Eulália foi admitida como fundadora do Bloco por ter escolhido seu nome, sendo a única mulher entre os fundadores.[29] Há duas versões para a escolha das cores azul e branco. Uma versão sustenta que seria em homenagem à Nilópolis, que desde 1947, com sua emancipação, passou a adotar as duas cores em sua bandeira. A outra versão aponta para uma inspiração na bandeira de Israel. A escola madrinha da Beija-Flor é a Portela.[1] É comum o beija-flor, símbolo da agremiação, vir representado em alegorias dos desfiles da escola, principalmente no carro abre-alas.

A Beija-Flor é conhecida como "A Deusa da Passarela" e "Maravilhosa e Soberana".[25] Também é comum utilizar o gentílico da cidade de Nilópolis (nilopolitana).[33] Algumas composições da agremiação fazem referência à esses apelidos, como os sambas de 2007 ("Então dobre o Run / Pra Ciata de Oxum imortal / Soberana do meu carnaval, na princesa nilopolitana"); de 2014 ("A Deusa do samba na Passarela / A marca do carnaval... É ela"); de 2015 ("Oh minha deusa soberana / Resgata sua alma africana"); e de 2016 ("Sou Beija-Flor, na alegria ou na dor / A deusa da passarela, é ela! / Primeira na história do Marquês / Que na Sapucaí é soberana / De fato nilopolitana").[34]

Bandeira e logomarcaEditar

Bandeira

A bandeira, ou pavilhão, possui em dezesseis raios de cores intercaladas (oito azuis e oito brancos) partindo de uma circunferência central de cor branca em direção às extremidades da bandeira. Dentro a circunferência central está a logomarca da escola, em detalhes azuis. A logomarca da bandeira consiste em um beija-flor beijando uma flor; a inscrição "G.R.E.S. Beija-Flor de Nilópolis"; e estrelas azuis na quantidade de títulos de campeã da escola. Abaixo da circunferência central, na parte inferior da bandeira, está inscrito o ano de utilização da mesma. Ao longo dos anos a bandeira da escola sofreu um processo de escurecimento. Até o desfile de 1995 era utilizada a cor azul claro. O tom de azul foi sendo escurecido até que, em 2010, foi lançado o modelo vigente, em azul escuro. A bandeira pode sofrer pequenas variações a cada ano, como, por exemplo, a disposição de cores dos raios.

Logomarca

A logomarca da escola, adotada desde 30 de julho de 2017, consiste no desenho de um beija-flor azul, beijando uma flor estilizada, com pétalas formadas por cinco corações, cada um com uma cor e um significado diferente. Os corações representam os projetos sociais da Beija-Flor. O coração verde representa os projetos ambientais; o coração amarelo, o carnaval; o coração roxo, a educação; o coração laranja, a profissionalização; e o coração vermelho, os esportes. Abaixo do desenho, a inscrição "G.R.E.S. Beija-Flor de Nilópolis" em letras azuis. A logomarca utilizada anteriormente continha a foto de um beija-flor beijando uma flor, o nome da escola e estrelas representando os títulos de campeã da agremiação.[35][36]

HistóriaEditar

 
Sala de troféus da Beija-Flor.

O bloco foi campeão municipal logo em 1949, seu primeiro ano de desfile, tendo sido tricampeão até 1953, seu último desfile como bloco.[37] Um fato curioso é que nessa época um dos blocos rivais da Beija-Flor era o Bloco do Centenário, que chegou a ser presidido por Aniz Abraão David, o Anísio. Segundo depoimento de integrantes antigos da Beija-Flor, havia uma certa rivalidade entre os dois blocos, chegando até mesmo a Anísio ter, certa vez, desligado a iluminação durante o desfile da Beija-Flor.[38] Por outro lado, seu irmão Nelson, ainda jovem, gostava de frequentar os eventos sociais da Beija-Flor, e mais tarde, lá conheceria sua futura esposa, Marlene Sennas, filha do primeiro presidente da escola.[39]

Em 1953, através da articulação do compositor Cabana, que morava em Nilópolis, mas tinha família oriunda do Rio Comprido, na capital, começou-se as articulações para a transformação do bloco em escola de samba, que se inscreveu na Confederação Brasileira de Escolas de Samba para participar dos desfiles do segundo grupo carioca,[40] onde obteve a primeira colocação. Seu primeiro presidente, após a transformação em escola de samba, foi José Rodrigues Sennas, ex-militar, morador da comunidade, que não estava entre os fundadores originais, mas foi convidado por eles para assumir o posto.[41] Vice-campeã do segundo grupo novamente em 1962, foi novamente rebaixada após o décimo e último lugar de 1963. Em 1964, amargou novo rebaixamento, indo parar na terceira divisão do carnaval. Em 1965, Anísio, ex-adversário, então já em ascensão no jogo do bicho, teve uma rápida passagem pela presidência da escola. Posteriormente, seu irmão Nelson foi eleito presidente, em 1972, derrotando em eleição o ex-presidente Helles, e um terceiro candidato.[42]

Após vários anos pelas divisões inferiores, apenas em 1973, o primeiro sob a administração de Nelson, quando apresentou um enredo sobre a educação, conquistou o vice-campeonato do segundo grupo, retornando à divisão principal. A partir de então, seu irmão Anísio tornou-se patrono e presidente de honra,[42] transformando-se numa espécie de mecenas, e assumindo cada vez mais as decisões na escola.

A história da agremiação, pode ser dividida em duas partes: antes e depois de Joãozinho Trinta, que assumiu o cargo de diretor em 1976, com um enredo em homenagem ao jogo do bicho. Os desfiles assinados são considerados pela maior parte da crítica como antológicos, pois mesmo quando não vencia, provocava admiração nos espectadores.

Foi o que aconteceu em 1989 quando a escola, conhecida pelo luxo de suas alas e alegorias, surpreendeu o público com o enredo "Ratos e urubus, larguem a minha fantasia" levando para o Sambódromo carros e alas repletos de lixo, além de uma réplica do Cristo Redentor mendigo.[43]

Após uma ação judicial proposta pela Igreja Católica, a imagem foi proibida pela Justiça, e a alegoria passou pelo desfile coberta por um plástico, a frente do qual se podia ler "mesmo proibido, olhai por nós". Mesmo com isso no meio do desfile das campeãs daquele ano integrantes da escola arrancaram o plástico que cobria o cristo, levando o público ao delírio e a plateia a aplaudir. Naquele ano a Beija-Flor ficou com o segundo lugar, mas Joãozinho foi considerado por algumas pessoas o campeão moral do desfile [carece de fontes?].

No carnaval de 1992, um casal desfilou completamente desnudo. Joãozinho Trinta foi levado à Delegacia de Policia, onde alegou que era uma homenagem a obra de Leonardo Da Vinci.

Após a saída do carnavalesco, após o carnaval de 1992, a escola colocou no posto Maria Augusta (1993) e o jovem Milton Cunha (1994-1997).

Com a criação de uma comissão de carnaval, em 1998, a escola voltou a vencer um campeonato, empatada com a Mangueira.

 
Quadra da Beija-Flor durante a final do concurso de Samba-enredo para 2011.

Durante os anos 2000 a escola se manteve sempre nas primeiras colocações, sendo que no período 2003/2005 conquistou seu segundo tri campeonato.[44][45][46][47][48][49]

[50][51] Em 2007, voltou a ganhar, dessa vez com uma diferença considerável em relação à segunda colocada.[52][53] Meses após o Carnaval, a Polícia Federal, durante a Operação Hurricane, prendeu, entre outros bicheiros envolvidos com escolas de samba e a Liesa, o patrono a escola, Anísio Abraão David, e apreendeu uma volumosa quantia de dinheiro, que segundo o delegado responsável pela operação, seria para comprar os jurados do desfile e assim garantir a conquista do título para a Beija-Flor.[54][55] Após isto, instalou-se uma CPI na Câmara Municipal da cidade do Rio de Janeiro,[56] que não comprovou nenhuma fraude, já que os kits alegados eram para tão-somente os mapas de votação e o delegado que afirmou tal fraude se recusou a comparecer para testemunhar na CPI [carece de fontes?], assim como a investigação da Polícia Federal nunca comprovou tais acusações.

Ainda em 2003, surgiu como revelação a passista mirim Raíssa de Oliveira, que tornou-se conhecida por tornar-se rainha de bateria com apenas 12 anos [57] e por sua efetividade num posto altamente rotativo.

Em 2008, a comissão de carnaval escolheu o enredo "Macapaba: Equinócio Solar, viagem fantástica ao meio do mundo"[58] e conquistou o bicampeonato e o seu 11º título.[58][59][60]

No ano seguinte, o tema escolhido foi "No chuveiro da alegria, quem banha o corpo lava a alma na folia", que falava sobre o hábito de se banhar, e os diversos tipos de banho.[61][62] Houve naquele ano uma pequena mudança no estilo do samba-enredo escolhido. Aquele carnaval também ficou marcado por ter sido realizado em plena passarela, pouco antes do desfile, o casamento do intérprete Neguinho da Beija Flor, que naquele ano se recuperava de um câncer.[63] A cerimônia teve sua parte final transmitida ao vivo pela Rede Globo, sendo que Luiz Inácio Lula da Silva, que esteve presente nos camarotes do Carnaval, foi padrinho do casamento de Neguinho. Naquele ano, a escola conquistou um vice-campeonato, perdendo o título para o Salgueiro.

Em 2010, a Beija-Flor trouxe para a Marquês uma homenagem aos 50 anos de Brasília, sendo considerado um enredo bastante polêmico, e que acabou sendo ofuscado pelos escândalos políticos que estavam acontecendo no Distrito Federal,durante o ano de 2009 e o início de 2010.[64][65][66]

Para 2011, o tema escolhido para o carnaval foi uma homenagem ao cantor Roberto Carlos,[67][68] que se declarara torcedor da agremiação, e no passado já participara de alguns eventos em conjunto com integrantes da escola: Neguinho da Beija-Flor, em julho de 2009, no show carioca da turnê Roberto Carlos - 50 Anos de Música; o próprio Roberto esteve presente no casamento de Neguinho e integrantes da agremiação participaram de shows realizados em cruzeiros onde o cantor também se apresentou. Boatos chegaram a ser divulgados na imprensa sobre um suposto relacionamento entre Roberto e a rainha de bateria Raíssa de Oliveira.[69] No concurso de samba enredo, após a inscrição de dezenas de parcerias, recebeu destaque o samba enredo composto por Erasmo Carlos, Eduardo Lages e Paulo Sérgio Valle, que ficou entre os oito, mas acabou sendo eliminado da disputa.[70] Confirmando o favoritismo, o samba de Samir Trindade (nº 39) derrotou as parcerias de nº 35 (Tom Tom, Miguel Menezes, Gelson, Barbosão e Diogo Rosa) e 77 (Marcelo Guimarães, Ribeirinho, Paulo Lopitas, Almir da Ilha, Milton Tubarão e Veni Vieira).[71] Sagrou-se campeã de 2011. Devido a desentendimentos, Alexandre Louzada deixou a escola após os carnaval.[72]

 
Integrantes da escola no palco, após a escolha do samba 39, para o Carnaval 2011

Para 2012 com a inclusão de André Cezari, junto com Laíla, Fran-Sérgio, Ubiratan Silva e Victor Santos, a Beija-Flor homenageou os 400 anos da cidade de São Luís do Maranhão.[73][74] Além disso trouxe Fábio de Mello como coreógrafo da comissão de frente.[75]

Fora do carnaval, ainda em 2011, a escola sediou um evento de MMA denominado Beija-Flor Fight Combat,[76] onde contou com lutadores da Região Metropolitana, em evento que lotou sua quadra, em 2011.[77]

Em 2013, a escola contou a história do cavalo, com patrocínio da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Mangalarga Marchador.[78][79] Com o vice-campeonato, garantiu sua vaga no desfile das campeãs, do qual participava desde 1993.

O presidente de honra da agremiação manifestou desejo de ter Boni como enredo de 2014 e o próprio disse que aceitaria a homenagem. O enredo foi confirmado após o desfile das campeãs.[80]

Para o carnaval de 2014 a escola escolheu o samba enredo da parceria de Sidney de Pilares, JR Beija-Flor, Junior Trindade, Adilson Brandão, Zé Carlos e Diogo Rosa.[81] sendo este eleito por internautas do site SRZD, como o melhor desse ano.[82] Além de mais uma vez trazer uma inovação para a Marquês de Sapucaí em 2014 que será a interação entre o 1º Casal de MS e PB e a comissão de frente, gerando uma maior expectativa para o desfile;[83] Porém, as notas que a escola recebeu, foram, em sua maioria, baixas, chegando a ganhar 9,5 (em uma escala de 9,0 a 10) no quesito samba-enredo e outro em comissão de frente. No resultado final, a escola ficou em sétimo lugar, fora do desfile das campeãs, sendo o seu pior resultado desde 1992.[84]

Em 2015, a Beija-Flor levou para a Sapucaí o enredo "Um griô conta a história: Um olhar sobre a África e o despontar da Guiné Equatorial. Caminhemos sobre a trilha de nossa felicidade", que abordou a cultura e história da Guiné Equatorial. O samba escolhido foi o de número 13, parceria de J.Velloso, Samir Trindade, Jr Beija Flor, Marquinhos Beija Flor, Gilberto Oliveira, Elson Ramires, Dílson Marimba e Silvio Romai. A escola foi a terceira a desfilar na segunda-feira de carnaval. Venceu o campeonato com um total de 269,9 pontos de 270 possíveis (contando descartes).[85][86][87]

Em 2016, a azul e branca de Nilópolis tenta o bicampeonato levando para Avenida a história de vida de Cândido José de Araújo Viana, o Marquês de Sapucaí. O enredo e a sinopse foram divulgados no dia 8 de junho de 2015, no barracão da escola na Cidade do Samba.

Em 2017, a azul e branca de Nilópolis levou para a avenida o enredo "Iracema, a virgem dos lábios de mel" baseada no grande romance do escritor cearense José de Alencar, que narra a história da índia Iracema. Mesmo com a inovação de abolir a estrutura de alas e formar tribos na avenida através de cenas, a escola terminou em sexto lugar mesmo ganhando o estandarte de Ouro de melhor Samba-Enredo, considerado o melhor pela crítica especializada. [88]

Após o carnaval de 2017, a escola anunciou o fim da Comissão de Carnaval ao demitir todos os profissionais que trabalhavam nela. A Comissão durou vinte carnavais e rendeu à escola oito títulos e seis vices.

SegmentosEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Beija-Flor (escola de samba)
 
O presidente da escola, Farid Abrahão David, e o intérprete, Neguinho da Beija-Flor.
 
O diretor geral de carnaval, de harmonia e coordenador da comissão de carnaval da Beija-Flor, Laíla.[89]

PresidênciaEditar

Presidente Mandato Ref.
Milton de Oliveira 1948–1949 [90]
Helles Ferreira da Silva 1949–1953 [90]
José Rodrigues Sennas 1953–1958 [90]
Vilson Neves 1958–1960 [90]
Helles Ferreira da Silva 1960–1962 [90]
Arthur Severino Pinto 1962–1963 [90]
Heitor Silva 1963–1965 [90]
Anísio Abraão David 1965–1966 [90]
Heitor Silva 1966–1972 [90]
Nelson Abrahão David 1972–1983 [90]
Farid Abrahão David 1984–1992 [90]
Anísio Abraão David 1987–1990 [90]
Nelson Abrahão David 1991 [90]
Luiz Carlos Duarte Baptista 1992–1993 [90]
Farid Abrahão David 1994–2011 [90]
Nelson Alexandre Sennas David (Nelsinho) 2012–2013 [90]
Farid Abrahão David 2013–2016 [91]
Ricardo Abrahão David 2017–presente

Presidência de honraEditar

Nome Mandato Ref.
Anísio Abraão David aprox. 1973–atualidade [42]

IntérpretesEditar

 
Neguinho da Beija-Flor, na quadra da escola, em imagem de 2015.

Em 1976, Neguinho da Beija-Flor foi apresentado por Laíla ao presidente da Beija-Flor, Anísio Abraão David para assumir o posto de intérprete da escola, substituindo Bira Quininho, que havia falecido.[92] Ainda utilizando o nome "Neguinho da Vala", Luiz Antônio Feliciano Marcondes participou e venceu a disputa de samba-enredo daquele ano na escola. Em sua estreia na agremiação, e cantando um samba de sua autoria, Neguinho e a Beija-Flor foram campeões do carnaval carioca de 1976. Com o passar do tempo, devido à forte identificação com a agremiação, o cantor adotou o nome artístico de Neguinho da Beija-Flor. Em 2016, o cantor completou 40 anos ininterruptos como intérprete oficial da escola.[93]

Carnavais Intérprete oficial Referências
1972 Sílvio [94]
1974 Zamba [95]
1975 Bira Quininho [96][97]
1976–presente Neguinho da Beija-Flor [98][93][99]
 
O atual casal de Mestre-sala e Porta-bandeira da Beija-Flor, Claudinho e Selminha Sorriso, no desfile de 2014.[89]
 
A bateria "Poderosa" da Beija-Flor no desfile de 2016.[100]
 
A atual rainha de bateria da Beija-Flor, Raíssa de Oliveira, no desfile de 2013.

Comissão de frenteEditar

Coreógrafo (a) Período Referência
Amir Haddad 1989–1990 [101][102]
Geraldo Laclau 1991 [103]
Ramilton Fernandes 1993 [104]
Carlos Muvuca 1994–1996 [105][106]
Ghislaine Cavalcanti 1997–2010 [107][108]
Carlinhos de Jesus 2011 [109]
Fábio de Mello 2012 [110]
Augusto Vargas, Marlus Fraga,
Ruidglan Barros e Raimundo Rodrigues
2013 [111][112]
Marcelo Misailidis e Patrick Carvalho 2014 [113]
Marcelo Misailidis 2015–presente [114][115]

Mestre-sala e Porta-bandeiraEditar

Casal Período Referência
Zequinha e Juju Maravilha 1976–1977 [116][117]
Élcio PV e Juju Maravilha 1978–1984 [118][119]
Élcio PV e Dóris 1985–1988 [120][121]
Marco Aurélio e Rosária 1989–1990 [101][102]
Marco Aurélio e Rosana 1991–1992 [103][122]
Edmar e Juju Maravilha 1993–1995 [104][123]
Claudinho e Selminha Sorriso 1996–presente [106][124]

BateriaEditar

A bateria da Beija-Flor é apelidada de "Poderosa".[100] Atualmente é dirigida por Mestre Plínio e Mestre Rodney.[125] Raíssa de Oliveira é a rainha de bateria da escola de Nilópolis, cargo que ocupa desde 2003.[126] No ano de 2016, a bateria da escola recebeu o seu primeiro Estandarte de Ouro de melhor bateria, entre outros prêmios como o Estrela do Carnaval, Prêmio SRZD-Carnaval e Prêmio S@mba-Net.[127][128][129][130]

MestresEditar

Direção de bateria Período Ref.
Mestre Milton Rodrigues (Pelé) 1982 - 1985 [120][131]
Mestres Pelé, Bitinha e Janinho 1986 - 1987 [132][133]
Mestre Milton Rodrigues (Pelé) 1988 - 1989 [101][121]
Mestres Pelé e Bitinho 1990 [102]
Mestre Milton Rodrigues (Pelé) 1991 - 1992 [103][122]
Mestre Odilon 1993 - 1995 [104][123]
Mestre Milton Rodrigues (Pelé) 1996 [106]
Mestre Plínio 1997 [107]
Mestres Plínio e Paulinho Botelho 1998 - 2009 [134][135]
Mestres Plínio e Rodney 2010 [136]
Mestres Plínio e Binho 2011 [109]
Mestres Plínio, Binho e Rodney 2012 [110]
Mestres Plínio e Rodney 2013 - atualmente [111]

RainhasEditar

Rainha de bateria Período Ref.
Soninha Capeta 1988 - 2002 [137]
Raíssa de Oliveira 2003 - atualmente [126]

DireçãoEditar

CarnavalEditar

Direção de carnaval Período Ref.
Laíla 1976 - 1980 [116][138]
Laíla 1989 - 1992 [139]
Ramilton Farias Fernandes 1994 [105]
Luis Carlos Batista 1995 [123]
Laíla 1996 - atualmente [106]

HarmoniaEditar

Direção de harmonia Período Ref.
Laíla 1976 - 1980 [116][138]
Cézar e Hamilton 1986 [132]
Laíla 1989 - 1992 [133][139]
César Roberto 1994 [105]
Laíla 1995 - atualmente [123]

CarnavaisEditar

Carnavais da Beija-Flor
Ano Colocação Divisão Enredo Carnavalesco Ref.
1954 Campeã Grupo 2 "O Caçador de Esmeraldas"
(Samba-enredo composto por Ozório de Lima)
Cabana [140][141]
1955 6.º Lugar Grupo 1 "Páginas de ouro da poesia brasileira"
(Samba-enredo composto por Ozório de Lima)
Nilo [140][142]
1956 12.º Lugar Grupo 1 "O Gaúcho"
(Samba-enredo composto por Cabana)
Nilo [140][143]
1957 10.º Lugar Grupo 1 "Riquezas áureas do Brasil"
(Samba-enredo composto por Cabana)
Augusto de Almeida [140][144]
1958 10.º Lugar Grupo 1 "Tomada de Monte Castelo ou Exaltação às Forças Armadas"
(Samba-enredo composto por Vacele)
Benedito dos Santos [140][145]
1959 9.º Lugar Grupo 1 "Copa do Mundo"
(Samba-enredo composto por Pardal)
Augusto de Almeida [140][146]
1960 6.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo 1 "Regência Prima"
(Samba-enredo composto por Cabana)
Augusto de Almeida [140][147]
1961 8.º Lugar Grupo 2 "Homenagem à Brasília"
(Samba-enredo composto por Cabana)
Josefá [140][148]
1962 Vice-campeã Grupo 2 "Dia do fico"
(Samba-enredo composto por Cabana)
Cabana [140][149]
1963 10.º Lugar Grupo 2 "Peri e Ceci"
(Samba-enredo composto por Cabana)
Josefá [140][150]
1964 12.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo 2 "Café, riqueza do Brasil"
(Samba-enredo composto por Cabana)
Cabana [140][151]
1965 3.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo 3 "Lei do Ventre Livre"
(Samba-enredo composto por Nicanor de Oliveira)
Cabana [140][152]
1966 3.º Lugar Grupo 3 "Fatos que culminaram com a Independência do Brasil"
(Samba-enredo composto por Jair e Timbó)
Augusto de Almeida [140][153]
1967 Vice-campeã Grupo 3 "A queda da Monarquia"
(Samba-enredo composto por Anésio Tavares da Silva)
Augusto de Almeida [140][154]
1968 9.º Lugar Grupo 2 "Exaltação a José de Alencar"
(Samba-enredo composto por Anésio)
Anésio [140][155]
1969 9.º Lugar Grupo 2 "O paquete do exílio"
(Samba-enredo composto por Aloísio e Ivancué)
Cabana [140][156]
1970 6.º Lugar Grupo 2 "Rio, quatro séculos de glórias"
(Samba-enredo composto por Walter de Oliveira)
Abílio [140][157]
1971 7.º Lugar Grupo 2 "Carnaval, sublime ilusão"
(Samba-enredo composto por Walter de Oliveira)
Abílio [140][158]
1972 6.º Lugar Grupo 2 "Bahia dos meus amores"
(Samba-enredo composto por Adeson, Isaias Pereira e Sebastião Adilson)
Abílio [140][159]
1973 Vice-campeã Grupo 2 "Educação para o desenvolvimento"
(Samba-enredo composto por César Roberto Neves e Darvin)
Manuel Antônio Barroso [140][160]
1974 7.º Lugar Grupo 1 "Brasil Ano 2000"
(Samba-enredo composto por João Rosa e Walter de Oliveira)
Rosa Magalhães [140][161]
1975 7.º Lugar Grupo 1 "O grande decênio"
(Samba-enredo composto por Bira Quininho)
Manuel Antônio Barroso [140][162]
1976 Campeã Grupo 1 "Sonhar com rei dá leão"
(Samba-enredo composto por Neguinho da Beija-Flor)
Joãosinho Trinta [116][140]
1977 Campeã Grupo 1 "Vovó e o Rei da Saturnália na Corte Egipciana"
(Samba-enredo composto por Luciano da Beija-Flor e Savinho da Beija-Flor)
Joãosinho Trinta [117][140]
1978 Campeã Grupo 1 "A criação do mundo na tradição nagô"
(Samba-enredo composto por Gilson Dr., Mazinho e Neguinho da Beija-Flor)
Joãosinho Trinta [118][140]
1979 Vice-campeã Grupo 1A "O paraíso da loucura"
(Samba-enredo composto por Luciano da Beija-Flor, Savinho da Beija-Flor e Walter de Oliveira)
Joãosinho Trinta [140][163]
1980 Campeã Grupo 1A "O sol da meia-noite, uma viagem ao país das maravilhas"
(Samba-enredo composto por Alceu, Wilson Bombeiro e Zé do Maranhão)
Joãosinho Trinta [138][140]
1981 Vice-campeã Grupo 1A "Carnaval do Brasil, a oitava das sete maravilhas do mundo"
(Samba-enredo composto por Dicró, Neguinho da Beija-Flor e Picolé)
Joãosinho Trinta [140][164]
1982 6.º Lugar Grupo 1A "O olho azul da serpente"
(Samba-enredo composto por Carlinhos Bagunça, Joel Menezes e Wilson Bombeiro)
Joãosinho Trinta [131][140]
1983 Campeã Grupo 1A "A grande constelação das estrelas negras"
(Samba-enredo composto por Nêgo e Neguinho da Beija-Flor)
Joãosinho Trinta [140][165]
1984 3.º Lugar Grupo 1A
(Segunda-feira)
"O gigante em berço esplêndido"
(Samba-enredo composto por Nêgo e Neguinho da Beija-Flor)
Joãosinho Trinta [119][140][166][167]
5.º Lugar Supercampeonato
1985 Vice-campeã Grupo 1A "A Lapa de Adão e Eva"
(Samba-enredo composto por Carnaval, Carlinhos Bagunça, H.O., Patrício e Zé do Cavaco)
Joãosinho Trinta [120][140]
1986 Vice-campeã Grupo 1A "O mundo é uma bola"
(Samba-enredo composto por Betinho e Jorge Canuto)
Joãosinho Trinta [132][140]
1987 4.º Lugar Grupo 1 "As mágicas luzes da Ribalta"
(Samba-enredo composto por Gilson Dr. e Mazinho)
Joãosinho Trinta [133][140]
1988 3.º Lugar Grupo 1 "Sou negro, do Egito à liberdade"
(Samba-enredo composto por Aloísio Santos, Cláudio Inspiração, Ivancué e Marcelo Guimarães)
Joãosinho Trinta [121][140]
1989 Vice-campeã Grupo 1 "Ratos e urubus, larguem minha fantasia"
(Samba-enredo composto por Betinho, Glyvaldo, Osmar e Zé Maria)
Joãosinho Trinta [101][140]
1990 Vice-campeã Grupo Especial "Todo mundo nasceu nu"
(Samba-enredo composto por Aparecida, Betinho, Bira e Jorginho)
Joãosinho Trinta [102][140]
1991 4.º Lugar Grupo Especial "Alice no Brasil das maravilhas"
(Samba-enredo composto por Cláudio Inspiração, Paulo Roberto, Pelé e Tonho Magrinho)
Joãosinho Trinta [103][140]
1992 7.º Lugar Grupo Especial "Há um ponto de luz na imensidão"
(Samba-enredo composto por Dinoel Sampaio, Itinho e Neguinho da Beija-Flor)
Joãosinho Trinta [122][140]
1993 3.º Lugar Grupo Especial "Uni-duni-tê, a Beija-flor escolheu: é você"
(Samba-enredo composto por Edeor de Paula, Sérgio Fonseca e Wilson Bombeiro)
Maria Augusta [104][140]
1994 5.º Lugar Grupo Especial "Margareth Mee, a Dama das Bromélias"
(Samba-enredo composto por Almir Moreira, Arnaldo Matheus e J. Santos)
Milton Cunha [105][140]
1995 3.º Lugar Grupo Especial "Bidu Sayão e o Canto de Cristal"
(Samba-enredo composto por Bira, Dequinha Pottier, Jorginho e Tião Barbudo e Zé Carlos do Cavaco)
Milton Cunha [123][140]
1996 3.º Lugar Grupo Especial "Aurora do povo brasileiro"
(Samba-enredo composto por Miro Barbosa)
Milton Cunha [106][140]
1997 4.º Lugar Grupo Especial "A Beija-Flor é festa na Sapucaí"
(Samba-enredo composto por Almir Sereno, Arnaldo Matheus, Bombeiro, J. Santos e Wilson)
Milton Cunha [107][140]
1998 Campeã Grupo Especial "O mundo místico dos Caruanas nas águas do Patu-Anu"
(Samba-enredo composto por Alencar de Oliveira, Baby, Marcão, Noel Costa e Wilsinho Paz)
Comissão de carnaval
( Cid Carvalho, Amarildo de Mello, Anderson Müller, Fran-Sérgio, Nélson Ricardo, Paulo Führo, Ubiratan Silva e Victor Santos)
[134][140]
1999 Vice-campeã Grupo Especial "Araxá, lugar alto onde primeiro se avista o sol"
(Samba-enredo composto por Wilsinho Paz, Noel Costa e Serginho do Porto)
Comissão de carnaval
(Cid Carvalho, Fran Sérgio, Nélson Ricardo, Shangai e Ubiratan Silva)
[140][168]
2000 Vice-campeã Grupo Especial "Brasil, um coração que pulsa forte. Pátria de todos ou terra de ninguém?"
(Samba-enredo composto por Igor e Amendoim da Beija-Flor)
Comissão de carnaval
(Cid Carvalho, Fran-Sérgio, Nélson Ricardo, Shangai e Ubiratan Silva)
[140][169]
2001 Vice-campeã Grupo Especial "A saga de Agotime, Maria mineira naê"
(Samba-enredo composto por Déo, Caruso, Cleber e Osmar)
Comissão de carnaval
(Cid Carvalho, Fran-Sérgio, Nélson Ricardo, Shangai e Ubiratan Silva)
[140][170]
2002 Vice-campeã Grupo Especial "O Brasil dá o ar de sua graça. De Ícaro a Rubem Berta, o ímpeto de voar"
(Samba-enredo composto por: Wilsinho Paz, Elcy, Gil das Flores, Alexandre Moraes, Tamir, Tom Tom, Igor Leal)
Comissão de carnaval
(Cid Carvalho, Laíla, Fran-Sérgio, Nélson Ricardo, Shangai, Ubiratan Silva e Victor Santos)
[140][171]
2003 Campeã Grupo Especial "O povo conta a sua história: Saco vazio não para em pé. A mão que faz a guerra faz a paz"
(Samba-enredo composto por Betinho, J.C.Coelho, Ribeirinho e Glyvaldo)
Comissão de carnaval
(Cid Carvalho, Laíla, Fran-Sérgio, Shangai e Ubiratan Silva)
[140][172]
2004 Campeã Grupo Especial "Manôa, Manaus, Amazônia, Terra Santa: Alimenta o corpo, equilibra a alma e transmite a paz"
(Samba-enredo composto por Claudio Russo, José Luis, Marquinhos e Jessey Beija-Flor)
Comissão de carnaval
(Cid Carvalho, Laíla, Fran-Sérgio, Shangai e Ubiratan Silva)
[140][173]
2005 Campeã Grupo Especial "O vento corta as terras dos pampas. Em nome do pai, do filho e do espírito guarani. Sete povos na fé e na dor... Sete missões de amor"
(Samba-enredo composto por J.C. Coelho, Ribeirinha, Adilson China, Serginho Sumaré, Domingos P.S., Sidnei de Pilares, Zequinha do Cavaco, Wanderley Novidade, Jorginho Moreira, Paulinho Rocha e Walnei Rocha)
Comissão de carnaval
(Cid Carvalho, Laíla, Fran-Sérgio, Shangai e Ubiratan Silva)
[140][174]
2006 5.º Lugar Grupo Especial "Poços de Caldas derrama sobre a Terra suas águas milagrosas. Do caos inicial à explosão da vida... Água - A nave-mãe da existência"
(Samba-enredo composto por Wilsinho Paz, Noel Costa, Alexandre Moraes e Silvio Romai)
Comissão de carnaval
(Cid Carvalho, Laíla, Fran-Sérgio, Shangai e Ubiratan Silva)
[140][175]
2007 Campeã Grupo Especial "Áfricas - Do berço real à corte brasiliana"
(Samba-enredo composto por Cláudio Russo, J. Veloso, Carlinhos do Detran e Gilson Dr.)
Comissão de carnaval
(Alexandre Louzada, Laíla, Fran-Sérgio, Shangai e Ubiratan Silva)
[140][176]
2008 Campeã Grupo Especial "Macapaba - Equinócio solar. Viagens fantásticas ao meio do mundo"
(Samba-enredo composto por Cláudio Russo, Carlinhos Detran, J. Veloso, Gilson Dr., Kid e Marquinhos)
Comissão de Carnaval
(Alexandre Louzada, Laíla, Fran-Sérgio e Ubiratan Silva)
[140][177]
2009 Vice-campeã Grupo Especial "No chuveiro da alegria, quem banha o corpo lava a alma na folia"
(Samba-enredo composto por Tom Tom, Marcelo Guimarães, Lopita, Jorge Augusto e Veni Vieira)
Comissão de carnaval
(Alexandre Louzada, Laíla, Fran-Sérgio e Ubiratan Silva)
[135][140]
2010 3.º Lugar Grupo Especial "Brilhante ao sol do novo mundo, Brasília: Do sonho à realidade, a capital da esperança"
(Samba-enredo composto por Picolé da Beija Flor, Serginho Sumaré, Samir Trindade, Serginho Aguiar, Dison Marimba e André do Cavaco)
Comissão de carnaval
(Alexandre Louzada, Laíla, Fran-Sérgio e Ubiratan Silva)
[136][140]
2011 Campeã Grupo Especial "A simplicidade de um Rei"
(Samba-enredo composto por Samir Trindade, Serginho Aguiar, JR Beija Flor, Sidney de Pilares, Jorginho Moreira e Théo M. Neto)
Comissão de carnaval
(Alexandre Louzada, Laíla, Fran-Sérgio, Ubiratan Silva e Victor Santos)
[109][140]
2012 4.º Lugar Grupo Especial "São Luís - O poema encantado do Maranhão"
(Samba-enredo composto por J. Velloso, Adilson China, Carlinhos do Detran, Silvio Romai, Hugo Leal, Gilberto Oliveira, Samir Trindade, Serginho Aguiar, Jr Beija-Flor, Ricardo Lucena, Thiago Alves e Romulo Presidente)
Comissão de Carnaval
(Laíla, Fran-Sérgio, , Ubiratan Silva, Victor Santos e André Cezari)
[110][140]
2013 Vice-campeã Grupo Especial "Amigo fiel - Do Cavalo do Amanhecer ao Mangalarga marchador"
(Samba-enredo composto por J Veloso, Ribeirinho, Marquinho Beija-Flor, Gilberto, Silvio Romai e Dilson Marimba)
Comissão de carnaval
(Laíla, Fran Sérgio, Ubiratan Silva, Victor Santos, André Cezari e Bianca Behrends)
[111][140]
2014 7.º Lugar Grupo Especial "O astro iluminado da comunicação brasileira"
(Samba-enredo composto por J. Beija-Flor, Sidney de Pilares, Júnior Trindade, Adilson Brandão, Zé Carlos, Diogo Rosa, Carlinhos e Samir Trindade)
Comissão de carnaval
(Laíla, Fran Sérgio, Ubiratan Silva, Victor Santos, André Cezari, Bianca Behrends e Adriane Lins)
[113][140]
2015 Campeã Grupo Especial "Um griô conta a história: Um olhar sobre a África e o despontar da Guiné Equatorial. Caminhemos sobre a trilha de nossa felicidade"
(Samba-enredo composto por J.Velloso, Samir Trindade, JR Beija-Flor, Marquinhos Beija-Flor, Gilberto Oliveira, Elson Ramires, Dílson Marimba e Sílvio Romai)
Comissão de carnaval
(Laíla, Fran Sérgio, Ubiratan Silva, Victor Santos, André Cezari, Bianca Behrends e Cláudio Russo)
[140]

[114]

2016 5.º Lugar Grupo Especial "Mineirinho Genial! Nova Lima – Cidade natal. Marquês de Sapucaí – O poeta imortal!"
(Samba-enredo composto por Marcelo Guimarães, Sidney de Pilares, Manolo, Jorginho Moreira, Kirraizinho e Diogo Rosa)
Comissão de carnaval
(Laíla, Fran Sérgio, Victor Santos, André Cezari, Bianca Behrends e Cláudio Russo)
[115][140]
2017 6.º Lugar Grupo Especial "A Virgem dos lábios de mel - Iracema"
Compositores: Claudemir, Maurição, Ronaldo Barcellos, Bruno Ribas, Fábio Alemão, Wilson Tatá, Alan Vinicius e Betinho Santos
Comissão de carnaval
(Laíla, Fran-Sérgio, Ubiratan Silva, André Cezari, Bianca Behrends, Cristiano Bara, Rodrigo Pacheco, Wladimir Morellembaum, Brendo Vieira, Gabriel Mello, Adriane Lins e Léo Mídia)
[140][178]
2018 Grupo Especial Monstro é aquele que não sabe amar. Os filhos abandonados da pátria que os pariu Laíla, Cid Carvalho, Victor Santos, Bianca Behrends, Rodrigo Pacheco e Léo Mídia [179]

TítulosEditar

Títulos da Beija-Flor
Divisão Títulos Temporadas Ref.
  Grupo Especial 13 1976, 1977, 1978, 1980, 1983, 1998, 2003, 2004, 2005, 2007, 2008, 2011, 2015 [16][180]
  Grupo 2
(Atual Série A)
1 1954 [181]

PremiaçõesEditar

Estandarte de OuroEditar

 Ver artigo principal: Estandarte de Ouro
Estandartes de Ouro da Beija-Flor
Categoria Total Ano Ref.
Escola 5 1978, 1986, 1989, 2001 e 2007 [182]
Samba-enredo 4 1999, 2005, 2007, 2017 [183][184]
Enredo 3 1976, 1989 e 2001 [185]
Bateria 1 2016 [127]
Intérprete 5 1985, 2002, 2003, 2009 e 2013 [186][187]
Porta-bandeira 6 1983, 1998, 2000, 2002, 2005 e 2009 [188]
Mestre-sala 10 1979, 1981, 1983, 1984, 1989, 1996, 2002, 2005, 2006 e 2015 [189][190]
Comissão de frente 1 1980 [191]
Ala 10 1977, 1978, 1985, 1987, 1994, 1997, 1999, 2002, 2003 e 2006 [192]
Passista feminino 2 1993 e 1994 [193]
Passista masculino 4 1986, 1991, 2000 e 2011 [194]
Personalidade 3 1988, 1989 e 2010 [195]
Destaque feminino
(Categoria extinta em 1986)
2 1983 e 1985 [196]
Destaque masculino
(Categoria extinta em 1986)
2 1978 e 1986 [197]

Outros prêmiosEditar

Outros prêmios recebidos pelo GRES Beija-Flor.

Ano Prêmio Categoria / premiados Ref.
1999 Tamborim de Ouro Melhor escola [198]
Samba-enredo
("Araxá, lugar alto onde primeiro se avista o sol" - Compositores: Noel Costa, Serginho do Porto e Wilsinho Paz)
Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira (Claudinho e Selminha Sorriso)
2000 Tamborim de Ouro Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira (Claudinho e Selminha Sorriso) [199]
2001 Tamborim de Ouro Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira (Claudinho e Selminha Sorriso) [200]
Comissão de frente (Coreógrafa: Ghislaine Cavalcanti)
Ala das baianas
Ala mirim
2002 Tamborim de Ouro Enredo ("O Brasil dá o ar de sua graça de Ícaro a Rubem Berta - O ímpeto de voar") [201]
Bateria (Mestres Plínio e Paulinho Botelho)
Intérprete (Neguinho da Beija-Flor)
Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira (Claudinho e Selminha Sorriso)
Comissão de frente (Coreógrafa: Ghislaine Cavalcanti)
Ala das baianas
Ala mirim
2003 Tamborim de Ouro Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira (Claudinho e Selminha Sorriso) [202]
2004 Tamborim de Ouro Melhor escola [203]
Ala das baianas
2005 Tamborim de Ouro Samba-enredo
("O vento corta as terras dos pampas. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito guarani. Sete Povos na fé e na dor... Sete missões de amor" - Compositores: Adilson China, Domingos P.S., J.C. Coelho, Jorginho Moreira, Paulinho Rocha, Ribeirinha, Serginho Sumaré, Sidnei de Pilares, Walnei Rocha, Wanderley Novidade e Zequinha do Cavaco)
[204]
Intérprete (Neguinho da Beija-Flor)
Plumas & Paetês Cultural Destaque feminino (Zeza Mendonça) [205]
2006 Tamborim de Ouro Intérprete (Neguinho da Beija-Flor) [206]
Apoteose do Samba Porta-bandeira (Selminha Sorriso) [207]
Comissão de frente (Coreógrafa: Ghislaine Cavalcanti)
2007 Tamborim de Ouro Samba-enredo
("Áfricas, do berço real à corte brasiliana" - Compositores: Carlinhos do Detran, Cláudio Russo, Gilson Dr. e J. Veloso)
[208]
Intérprete da década (Neguinho da Beija-Flor)
Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira da década (Claudinho e Selminha Sorriso)
S@mba-Net Ala de passistas [209]
Plumas & Paetês Cultural Destaque feminino (Zeza Mendonça) [210]
Carnavalesco do Grupo Especial (Alexandre Louzada)
Iluminador (Mário Sergio)
Destaque performático (Paulo Robert)
2008 Tamborim de Ouro Melhor escola [211]
Estrela do Carnaval Melhor escola (Eleita pela Associação dos Correspondentes Estrangeiros) [212]
Apoteose do Samba Melhor escola [213]
Plumas & Paetês Cultural Diretor de carnaval (Laíla) [214]
Historiador / pesquisador (Bianca Behrends)
Figurinista (Bruna Bee)
Destaque feminino (Hermínia Paiva)
2009 Tamborim de Ouro "Eu sou o samba" - Personalidade (Neguinho da Beija-Flor) [215]
"Samba no pé" masculino (Edson Bittencourt)
Estrela do Carnaval Intérprete (Neguinho da Beija-Flor) [216][217]
Apoteose do Samba Personalidade (Neguinho da Beija-Flor) [218]
Plumas & Paetês Cultural Destaque feminino (Hermínia Paiva) [219]
Aderecista (Rodrigo Pacheco e comissão)
Bordadeira (Elizabeth Leite)
Costureira (Vera Lucia)
Figurinista (Bruna Bee)
Maquiador artístico (Marcelo Augusto)
Pintor (Kennedy Prata)
2010 Tamborim de Ouro "Samba no pé" feminino (Aline) [220]
"Samba no pé" masculino (Anderson)
S@mba-Net Velha guarda [221]
Apoteose do Samba Porta-bandeira (Selminha Sorriso) [222]
Mestre-sala (Claudinho)
Plumas & Paetês Cultural Escultor (Rossy Amoedo, Élson Cardoso, William Mansur e Wagner de Souza) [223]
Pintor (Kennedy Prata)
Iluminador (André Reis e Marcos Antonio Oliveira)
Destaque masculino (Zezito Ávila)
2011 Tamborim de Ouro Melhor escola [224][225]
Gato de Prata Melhor escola [226]
Estrela do Carnaval Samba-enredo
("A simplicidade de um rei" - Compositores: Jorginho Moreira, JR Beija Flor, Samir Trindade, Serginho Aguiar, Sidney de Pilares e Théo M. Neto)
[217][227]
Tupi Carnaval Total Harmonia [228]
Plumas & Paetês Cultural Intérprete (Neguinho da Beija-Flor) [229]
Revelação (Thaiam Marques)
2012 SRZD-Carnaval Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira (Claudinho e Selminha Sorriso) [230]
Gato de Prata Rainha de bateria (Raíssa de Oliveira) [231]
Plumas & Paetês Cultural Escultor (Rossy Amoedo) [232]
Artesão (Cristiano Bara)
Costureiro (Ademildes Silvino de Souza)
2013 Tamborim de Ouro Intérprete (Neguinho da Beija-Flor) [233]
Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira (Claudinho e Selminha Sorriso)
SRZD-Carnaval Rainha de bateria (Raíssa de Oliveira) [234]
Estrela do Carnaval Conjunto de alegorias [217][235]
S@mba-Net Ala de passistas [236]
Apoteose do Samba Mestre-sala (Claudinho) [237]
Plumas & Paetês Cultural Carnavalescos do Grupo Especial (André Sezari, Fran Sergio, Ubiratan Silva e Victor Santos) [238]
Aderecista (Cristiano Bara)
Artesão (Orlando Sergio Junior)
Desenhistas (André Sezari, Fran Sergio, Ubiratan Silva e Victor Santos)
Pintor artístico (Kennedy Prata)
2014 Apoteose do Samba Ala de passistas [239]
Veja Rio Carnaval Intérprete (Neguinho da Beija-Flor) [240]
Tamborim de Ouro Intérprete (Neguinho da Beija-Flor) [241]
Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira (Claudinho e Selminha Sorriso)
2015 Tamborim de Ouro Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira (Claudinho e Selminha Sorriso) [242]
S@mba-Net Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira (Claudinho e Selminha Sorriso) [243]
Velha guarda
Estrela do Carnaval Samba-enredo
("Um griô conta a história: Um olhar sobre a África e o despontar da Guiné Equatorial. Caminhemos sobre a trilha de nossa felicidade" - Compositores: Dílson Marimba, Elson Ramires, Gilberto Oliveira, J. Velloso, JR Beija-Flor, Marquinhos Beija-Flor, Samir Trindade e Sílvio Romai)
[244]
Tupi Carnaval Total Samba-enredo
("Um griô conta a história: Um olhar sobre a África e o despontar da Guiné Equatorial. Caminhemos sobre a trilha de nossa felicidade" - Compositores: Dílson Marimba, Elson Ramires, Gilberto Oliveira, J. Velloso, JR Beija-Flor, Marquinhos Beija-Flor, Samir Trindade e Sílvio Romai)
[245]
Gato de Prata Personalidade (Neguinho da Beija-Flor) [246]
Porta-bandeira (Selminha Sorriso)
Mestre-sala (Claudinho)
Plumas & Paetês Cultural Aderecistas (Cristiano Bara, Dionísio Babu, Márcia Medeiros, Rodrigo Pacheco, Rogério Madruga, Thiago Vinicius Medeiros e Túlio Neves) [247]
Pintor artístico (Kennedy Prata)
Destaque de luxo feminino (Fabiola Abraão)
Destaque de luxo masculino (Zezito Ávila)
2016 Tamborim de Ouro Prêmio Especial (Neguinho da Beija-Flor, Claudinho e Selminha Sorriso) [248]
SRZD-Carnaval Bateria (Mestres Plínio e Rodney) [129]
Estrela do Carnaval Bateria (Mestres Plínio e Rodney) [128]
Intérprete (Neguinho da Beija-Flor)
Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira (Claudinho e Selminha Sorriso)
Comissão de frente (Coreógrafo: Marcelo Misailidis)
Conjunto de alegorias
S@mba-Net Bateria (Mestres Plínio e Rodney) [130]
Comissão de frente (Coreógrafo: Marcelo Misailidis)
Intérprete (Neguinho da Beija-Flor)
Troféu Sambista Bateria (Mestres Plínio e Rodney) [249][250]
Comissão de frente (Coreógrafo: Marcelo Misailidis)
Gato de Prata Bateria (Mestres Plínio e Rodney) [251][252]
Destaque (Fabíola Abraão)
Homenagem especial (Anísio Abraão David)
Troféu Bateria Ala de repique [253]
Plumas & Paetês Cultural Pesquisadores (Bianca Behrends e Claudio Russo) [254]
Iluminador (Mário Sergio)
Machine - Bastidores do Carnaval Carioca Torcida organizada (Soberanos da Beija-Flor) [255][256]
2017 Estrela do Carnaval Samba-enredo
("A Virgem dos lábios de mel - Iracema" Compositores: Claudemir, Maurição, Ronaldo Barcellos, Bruno Ribas, Fábio Alemão, Wilson Tatá, Alan Vinicius e Betinho Santos)
[257]
Alegorias e Adereços

BibliografiaEditar

  • Bastos, João (2010). Acadêmicos, unidos e tantas mais - Entendendo os desfiles e como tudo começou 1.ª ed. Rio de Janeiro: Folha Seca. ISBN 978-85-87199-17-1 
  • Bezerra, Luiz Anselmo (2010). A Família Beija-Flor (PDF) (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal Fluminense; Instituto de Ciências Humanas e Filosofia; Departamento de História. 243 páginas. Consultado em 26 de agosto de 2017 
  • Cabral, Sérgio (2011). Escolas de Samba do Rio de Janeiro 1.ª ed. São Paulo: Lazuli; Companhia Editora Nacional. ISBN 978-85-7865-039-1 
  • Diniz, Alan; Medeiros, Alexandre; Fabato, Fábio (2014). As Três Irmãs - Como um trio de penetras "arrombou a festa" 1.ª ed. Rio de Janeiro: Nova Terra Editora e Distribuidora LTDA. ISBN 978-85-61893-12-5 
  • Diniz, André (2012). Almanaque do Samba - A história do samba, o que ouvir, o que ler, onde curtir 1.ª ed. Rio de Janeiro: Zahar. ISBN 978-85-37808-73-3 
  • Diniz, André; Cunha, Diogo (2014). Na Passarela do Samba - O Esplendor das Escolas em 30 anos de desfiles de carnaval no Sambódromo 1.ª ed. Rio de Janeiro: Casa da Palavra. ISBN 978-85-7734-445-1 
  • Gomyde Brasil, Pérsio (2015). Da Candelária à Apoteose - Quatro décadas de paixão 3.ª ed. Rio de Janeiro: Multifoco. ISBN 978-85-7961-102-5 
  • Motta, Aydano André (2012). Maravilhosa e Soberana: Histórias da Beija-Flor 1.ª ed. Rio de Janeiro: Verso Brasil Editora. pp. 111–113. ISBN 978-85-62767-03-6 

Referências

  1. a b c d e «Dados Básicos». Site Galeria do Samba. Consultado em 26 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 10 de novembro de 2014 
  2. a b c d e f g h i j «Ficha Técnica». Site Oficial da Beija-Flor. Consultado em 26 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 26 de agosto de 2017 
  3. a b http://www.sambariocarnaval.com/beija.pdf
  4. «O Símbolo». Site Oficial da Beija-Flor. Consultado em 26 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 26 de agosto de 2017 
  5. Academia do Samba. «Grupo Especial 1976». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  6. Academia do Samba. «Grupo Especial 1978». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  7. Academia do Samba. «Grupo Especial 1976». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  8. Academia do Samba. «Grupo Especial 1983». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  9. Academia do Samba. «Grupo Especial 1998». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  10. Academia do Samba. «Grupo Especial 2003». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  11. Academia do Samba. «Grupo Especial 2004». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  12. Academia do Samba. «Grupo Especial 2005». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  13. Academia do Samba. «Grupo Especial 2007». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  14. Academia do Samba. «Grupo Especial 2008». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  15. Academia do Samba. «Grupo Especial 2011». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  16. a b «G1 - Beija-Flor é a campeã do carnaval do Rio pela 13ª vez na história». 18 de fevereiro de 2015 
  17. Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. «GRES Beija-Flor». Consultado em 15 de outubro de 2010 
  18. a b Diniz, Alan; Medeiros, Alexandre; Fabato, Fábio (2014). As Três Irmãs - Como um trio de penetras "arrombou a festa" 1.ª ed. Rio de Janeiro: Nova Terra. pp. 174–178. ISBN 978-85-61893-12-5 
  19. «Fazenda São Matheus». Site Oficial de Nilópolis. Consultado em 26 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 26 de agosto de 2017 
  20. «Surgimento do Povoado». Site Oficial de Nilópolis. Consultado em 26 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 26 de agosto de 2017 
  21. «Engenheiro Neiva». Site Oficial de Nilópolis. Consultado em 26 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 26 de agosto de 2017 
  22. «Nilópolis». Site Oficial de Nilópolis. Consultado em 26 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 26 de agosto de 2017 
  23. «A Emancipação de Nilópolis». Site Oficial de Nilópolis. Consultado em 26 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 26 de agosto de 2017 
  24. a b c d Bezerra, Luiz Anselmo (2010). «Capítulo III». A Família Beija-Flor (PDF) (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal Fluminense; Instituto de Ciências Humanas e Filosofia; Departamento de História. p. 120-126. Consultado em 26 de agosto de 2017 
  25. a b «Beija-Flor: do luxo ao lixo, brilha a comunidade da Baixada na Avenida». Site O Globo. Consultado em 26 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 14 de julho de 2015 
  26. a b Motta, Aydano André (2012). Maravilhosa e Soberana: Histórias da Beija-Flor 1.ª ed. Rio de Janeiro: Verso Brasil Editora. pp. 111–113. ISBN 978-85-62767-03-6 
  27. «Prefeito vai repor símbolo da escola na entrada de Nilópolis». Site Sambarazzo. Consultado em 26 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 26 de agosto de 2017 
  28. Jupiara, Aloy; Otavio, Chico (2015). Os porões da contravenção: jogo do bicho e ditadura militar: a história da aliança que profissionalizou o crime organizado 1.ª ed. Rio de Janeiro: Record. pp. 45–54. ISBN 978-85-01-10644-5 
  29. a b c «História da Beija-Flor». Site Oficial da Beija-Flor. Consultado em 26 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 26 de agosto de 2017 
  30. a b «Beija-Flor de Nilópolis». Site Academia do Samba. Consultado em 26 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 26 de agosto de 2017 
  31. «Historico da Beija-Flor». Site Apoteose. Consultado em 26 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 26 de agosto de 2017 
  32. «Beija-Flor de Nilópolis no Dicionário MPB». Site Dicionário MPB. Consultado em 26 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 26 de agosto de 2017 
  33. Diniz, Alan; Medeiros, Alexandre; Fabato, Fábio (2014). As Três Irmãs - Como um trio de penetras "arrombou a festa" 1.ª ed. Rio de Janeiro: Nova Terra. pp. 150–154. ISBN 978-85-61893-12-5 
  34. «Histórico». Site Sambario Carnaval. Consultado em 26 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 11 de agosto de 2017 
  35. «Beija-Flor apresenta nova marca e fala em mudança administrativa». Carnavalesco.com. Consultado em 26 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 26 de agosto de 2017 
  36. «Com nova logo, Beija-Flor apresenta enredo para o Carnaval 2018». Site O Dia. Consultado em 26 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 26 de agosto de 2017 
  37. Luiz Anselmo Bezerra. A Família Beija-Flor, pág. 125
  38. Luiz Anselmo Bezerra. A Família Beija-Flor, págs. 141 e 142
  39. Luiz Anselmo Bezerra. A Família Beija-Flor, págs. 143 e 144
  40. Luiz Anselmo Bezerra. A Família Beija-Flor, pág. 126
  41. Luiz Anselmo Bezerra. A Família Beija-Flor, pág. 127
  42. a b c Luiz Anselmo Bezerra. A Família Beija-Flor, págs. 144-146
  43. Almanaque Brasil. «Cristo mendigo agitou o Carnaval carioca de 1989». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  44. «"Beija-Flor espacial" traz mitos e sonhos à avenida». Terra. Consultado em 17 de novembro de 2013. Cópia arquivada em 4 de junho de 2004 
  45. «Beija-Flor pede fim da fome na avenida». Terra. Consultado em 17 de novembro de 2013. Cópia arquivada em 5 de junho de 2004 
  46. Folha de S. Paulo (4 de março de 2003). «Beija-Flor encerra desfile polêmico». 1h24. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  47. Folha de S. Paulo (25 de fevereiro de 2004). «Com enredo sobre a Amazônia, Beija-Flor é bicampeã no Rio». 17h13. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  48. «Campeã de 2004, Beija-Flor cantou enredo religioso». Terra. Consultado em 17 de novembro de 2013. Cópia arquivada em 9 de abril de 2005 
  49. Folha de S. Paulo (8 de fevereiro de 2005). «Beija-Flor fecha Carnaval carioca brincando de desfilar». 8h21. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  50. UOL (27 de fevereiro de 2006). «Beija-Flor encerra primeiro dia de desfiles no Rio como favorita». 8h43. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  51. Folha de S. Paulo (27 de fevereiro de 2006). «Beija-Flor faz desfile "molhado" sobre o poder das águas». 6h29. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  52. G1 (22 de fevereiro de 2007). «BEIJA-FLOR É CAMPEÃ NO RIO». 8h44. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  53. Folha de S. Paulo (20 de fevereiro de 2007). «Beija-flor encerra Carnaval no Rio com desfile suntuoso». 6h36. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  54. Folha de S.Paulo (13 de março de 2012). «Anísio da Beija-Flor está entre presos por integrar máfia dos jogos». 12h08. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  55. Extra (15 de dezembro de 2010). «Hurricane: título de campeã da Beija-Flor está sob suspeita; mais 40 pessoas são investigadas». 13:02. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  56. Extra (20 de junho de 2007). «CPI investiga possível manipulação do carnaval 2007». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  57. Revista Época. «Atualizado em 05/02/2010 - 23:00 - Rainha da polêmica - A Viradouro pode colocar à frente da bateria uma passista de 7 anos?». Consultado em 17 de fevereiro de 2010 
  58. a b G1 (6 de fevereiro de 2008). «Belezas naturais e artesanato marcam desfile da Beija-Flor». 14h40. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  59. Terra (5 de fevereiro de 2008). «Beija-Flor defende título com fenômeno solar». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  60. Folha de S.Paulo (5 de fevereiro de 2008). «Beija-Flor ilumina Sapucaí com sol de Macapá». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  61. G1 (23 de fevereiro de 2009). «Beija-Flor conta história do banho nas civilizações antigas». 5h18. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  62. Folha de S.Paulo (23 de fevereiro de 2009). «Alegorias gigantes e tecnologia marcam desfile da Beija-Flor». 4h44. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  63. UOL (23 de fevereiro de 2009). «Neguinho da Beija-Flor se casa antes de entrar na avenida». 3h00. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  64. G1 (17 de fevereiro de 2010). «Beija-Flor deixa polêmica de lado em desfile sobre Brasília». 17h49. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  65. UOL (15 de fevereiro de 2010). «Beija-Flor encerra o primeiro dia de desfiles com enredo sobre Brasília». 5h46. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  66. SRZD-Carnaval (15 de fevereiro de 2010). «Luxuosa, Beija-Flor faz um bom desfile, mas passa sem vibração pela Avenida». 6h08. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  67. G1 (8 de março de 2011). «Beija-Flor une romantismo e samba em homenagem a Roberto Carlos». 10h13. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  68. Terra (8 de março de 2011). «Com Roberto Carlos emocionado, Beija-Flor encerra desfiles». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  69. Ego - Globo.com (1 de março de 2009). «Rainha da Beija-Flor comenta boatos de que Roberto Carlos estaria encantado por ela». Consultado em 15 de dezembro de 2010 
  70. SRZD Carnavalesco (10 de setembro de 2010). «Samba de Erasmo é cortado na Beija-Flor; Roberto Carlos confirma presença na final». Consultado em 15 de outubro de 2010 
  71. Alberto João e Rafaella Javoski para o SRZD Carnavalesco (15 de outubro de 2010). «Beija-Flor 'bota pra fora a felicidade e mostra a simplicidade do Rei'». Consultado em 15 de outubro de 2010 
  72. Globeleza (8 de março de 2011). «Briga de carnavalescos causa mal-estar na Beija-Flor». Consultado em 25 de março de 2011 
  73. G1 (20 de fevereiro de 2012). «Beija-Flor resgata 'Cristo mendigo' para reverenciar Joãosinho Trinta». 19h04. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  74. Jornal do Brasil (20 de fevereiro de 2012). «Com desfile impecável, Beija Flor tem chances de conseguir bicampeonato». 17h59. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  75. Comissão de frente da Beija-Flor tem novo coreógrafo
  76. OBatuque.com (17 de novembro de 2011). «Beija-Flor de Nilópolis vai promover evento de MMA». Consultado em 1 de dezembro de 2011 
  77. SRZD-Carnaval (5 de dezembro de 2011). «MMA lota quadra da Beija-Flor». 12h46. Consultado em 18 de dezembro de 2011 
  78. G1 (12 de fevereiro de 2013). «Beija-Flor desfila no ritmo do cavalo mangalarga marchador». 1h59. Consultado em 17 de dezembro de 2013 
  79. UOL (12 de fevereiro de 2013). «Com resposta do público, Beija-Flor faz desfile competente com enredo sobre cavalo». 00h30. Consultado em 17 de dezembro de 2013 
  80. O Globo (17 de fevereiro de 2013). «Começa a corrida pelos enredos para 2014». Consultado em 18 de fevereiro de 2013 
  81. Carnavalesco (18 de outubro de 2013). «'Tá na mídia a Beija-Flor'. Parceria de Sidney de Pilares vence samba para 2014». 3:54. Consultado em 19 de outubro de 2013 
  82. [1]
  83. Galeria do Samba (31 de outubro de 2013). «Beija-Flor: Casal de MS e PB irá interagir com a comissão de frente no desfile de 2014». 9:54. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  84. Raphael Azevedo (3 de abril de 2013). «Beija-Flor: Enredo sobre Boni também contará história da comunicação no mundo». O Dia. Consultado em 4 de maio de 2013 
  85. Carnavalesco (18 de junho de 2014). «Beija-Flor entrega sinopse nesta terça-feira». 15h51 
  86. SRZD-Carnaval (18 de junho de 2014). «Conheça o título do enredo da Beija-Flor para 2015». 16h43 
  87. Manchete na Folia (18 de junho de 2014). «Beija-Flor entrega sinopse nesta terça-feira» 
  88. Caio Barbosa (8 de junho de 2015). «Beija-Flor contará a história do Marquês de Sapucaí no Carnaval 2016». O Dia. Consultado em 9 de junho de 2015 
  89. a b «Personalidades | Beija-Flor». Beija-Flor. Consultado em 23 de fevereiro de 2016 
  90. a b c d e f g h i j k l m n o p «título=diretoria beija flor». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 22 de fevereiro de 2016 
  91. O Dia (24 de maio de 2013). «Nelsinho Abraão David renuncia e Farid é o novo presidente da Beija-Flor». Consultado em 27 de maio de 2013 
  92. «ENTREVISTA: Laíla é o nosso convidado da semana». Carnavalesco.com. 24 de maio de 2011. Consultado em 26 de dezembro de 2016 
  93. a b «Neguinho da Beija-Flor completa 40 anos de Avenida: "Quero cantar mais 40"». UOL. 23 de janeiro de 2016. Consultado em 23 de dezembro de 2016 
  94. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1972 - Bahia dos meus amores - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  95. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1974 - Brasil ano 2000 - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  96. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1975 - O grande decênio - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  97. «Bira Quininho». Sambario Carnaval. Consultado em 26 de dezembro de 2016 
  98. «Neguinho 1». Carnavalesco.com. 26 de dezembro de 2015. Consultado em 24 de dezembro de 2016 
  99. «Neguinho da Beija-Flor». Sambario Carnaval. Consultado em 26 de dezembro de 2016 
  100. a b «Alô, Bateria! Trabalho e muita raça embalam bateria da Beija-Flor para 2015». Carnavalesco. Consultado em 3 de abril de 2016 
  101. a b c d «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1989 - Ratos e urubus larguem minha fantasia - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  102. a b c d «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1990 - Todo mundo nasceu nu - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  103. a b c d «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1991 - Alice no Brasil das Maravilhas - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  104. a b c d «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1993 - Uni-duni-tê, a Beija-Flor escolheu: é você - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  105. a b c d «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1994 - Margareth Mee, a dama das bromélias - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  106. a b c d e «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1996 - Aurora do povo brasileiro - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  107. a b c «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1997 - A Beija-Flor é festa na Sapucaí - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  108. «Beija-Flor: Ghislaine Cavalcanti deixa o comando da comissão de frente». SRZD | Sidney Rezende. Consultado em 22 de fevereiro de 2016 
  109. a b c «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 2011 - A simplicidade de um rei - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  110. a b c «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 2012 - São Luís - o poema encantado do Maranhão - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  111. a b c «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 2013 - Amigo fiel - Do cavalo do amanhecer ao Mangalarga Marchador - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  112. «LIESA - Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Alessandra Pirotelli/Camarote Brasil)». liesa.globo.com. Consultado em 22 de fevereiro de 2016 
  113. a b «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 2014 - O astro iluminado da comunicação brasileira - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  114. a b «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 2015 - Um Griô conta a história: um olhar sobre a África e o despontar da Guiné Equatorial. Caminhemos sobre a trilha de nossa felicidade - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  115. a b «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 2016 - Mineirinho genial! Nova Lima - Cidade natal. Marquês de Sapucaí, o poeta imortal! - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  116. a b c d «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1976 - Sonhar com rei dá leão - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  117. a b «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1977 - Vovó e o rei da saturnália na corte egipciana - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  118. a b «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1978 - A criação do mundo na tradição nagô - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  119. a b «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1984 - O gigante em berço esplêndido - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  120. a b c «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1985 - A Lapa de Adão e Eva - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  121. a b c «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1988 - Sou negro, do Egito à liberdade - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  122. a b c «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1992 - Há um ponto de luz na imensidão - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  123. a b c d e «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1995 - Bidu Sayão e o canto de cristal - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  124. «Ícones do Carnaval, Selminha e Claudinho completam 25 anos juntos - O Dia na Folia - O Dia». O Dia. Consultado em 22 de fevereiro de 2016 
  125. «Cada vez mais renovada, bateria da Beija-Flor trabalha em cima das justificativas na busca pelos 40 pontos». www.apoteose.com. Consultado em 3 de abril de 2016 
  126. a b Terra (27 de setembro de 2012). «Rainha de Bateria 2013 - Beija-Flor». Consultado em 28 de fevereiro de 2014 
  127. a b «Mangueira ganha o Estandarte de Ouro de melhor escola». O Globo. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  128. a b «Portela vence o Estrela do Carnaval 2016 na categoria Desfile do Ano». Carnavalesco. Consultado em 11 de fevereiro de 2016 
  129. a b «Portela vence Prêmio SRZD-Carnaval de Melhor Escola do Grupo Especial». SRZD | Sidney Rezende. Consultado em 11 de fevereiro de 2016 
  130. a b «S@mba-Net 2016». www.sambanet.com.br. Consultado em 22 de março de 2016 
  131. a b «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1982 - O olho azul da serpente - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  132. a b c «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1986 - O mundo é uma bola - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  133. a b c «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1987 - As mágicas luzes da ribalta - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  134. a b «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1998 - O mundo místico dos Caruanas nas águas do Patu-Anu - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  135. a b «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 2009 - No chuveiro da alegria, quem banha o corpo lava a alma na folia - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  136. a b «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 2010 - Brilhante ao sol do novo mundo, Brasília: do sonho à realidade, a capital da esperança - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  137. «Soninha Capeta, ex-rainha de bateria da Beija-Flor, conta em documentário que se casou com uma mulher». Extra Online. Consultado em 22 de fevereiro de 2016 
  138. a b c «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1980 - O sol da meia-noite, uma viagem ao país das maravilhas - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  139. a b «título=Laila». www.sambariocarnaval.com. Consultado em 22 de fevereiro de 2016 
  140. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad ae af ag ah ai aj ak al am an ao ap aq ar as at au av aw ax ay az ba bb bc bd be bf bg bh bi bj bk bl «Carnavais Beija-Flor de Nilópolis». www.sambariocarnaval.com. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  141. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1954 - O caçador de esmeraldas - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  142. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1955 - Páginas de ouro da poesia brasileira - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  143. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1956 - O gaúcho - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  144. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1957 - Riquezas áureas do Brasil - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  145. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1958 - Tomada de Monte Castelo ou Exaltação às Forças Armadas - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  146. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1959 - Copa do Mundo - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  147. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1960 - Regência prima - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  148. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1961 - Homenagem à Brasília - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  149. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1962 - Dia do Fico - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  150. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1963 - Ceci e Peri - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  151. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1964 - Café, riqueza do Brasil - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  152. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1965 - Lei do ventre livre - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  153. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1966 - Fatos que culminaram com a Independência do Brasil - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  154. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1967 - A queda da monarquia - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  155. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1968 - Exaltação a José de Alencar - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  156. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1969 - O paquete do exílio - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  157. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1970 - Rio, quatro séculos de glórias - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  158. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1971 - Carnaval, sublime ilusão - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  159. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1972 - Bahia dos meus amores - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  160. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1973 - Educação para o desenvolvimento - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  161. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1974 - Brasil ano 2000 - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  162. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1975 - O grande decênio - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  163. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1979 - O paraíso da loucura - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  164. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1981 - Carnaval do Brasil, a oitava das sete maravilhas do mundo - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  165. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1983 - A grande constelação das estrelas negras - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  166. «Carnaval de 1984 - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Carnavais. Consultado em 28 de março de 2016 
  167. «Beija-Flor 1984». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 28 de março de 2016 
  168. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 1999 - Araxá, lugar alto onde primeiro se avista o sol - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  169. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 2000 - Brasil, um coração que pulsa forte, pátria de todos ou terra de ninguém? - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  170. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 2001 - A saga de Agotime, Maria mineira Naê - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  171. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 2002 - O Brasil dá o ar da sua graça. De Ícaro a Rubem Berta, o ímpeto de voar - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  172. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 2003 - O Povo conta a sua história: saco vazio não para em pé, a mão que faz a guerra, faz a paz - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  173. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 2004 - Manõa, Manaus, Amazônia, Terra Santa: alimenta o corpo, equilibra a alma e transmite a paz - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  174. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 2005 - O vento corta as terras dos Pampas. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Guarani, sete povos na fé e na dor... Sete missões de amor - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  175. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 2006 - Poços de Caldas: Derrama sobre a terra suas águas milagrosas - Do caos inicial à explosão da vida - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  176. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 2007 - Áfricas - Do berço real à corte brasiliana - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  177. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 2008 - Macapaba: equinócio solar, viagens fantásticas ao meio do mundo - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  178. «Beija-Flor de Nilópolis - Carnaval de 2017 - A Virgem dos lábios de mel - Iracema - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Beija-Flor de Nilópolis. Consultado em 19 de junho de 2016 
  179. #EAÍ?, Redação. «Bom pra Carvalho! Cid está de volta à Beija-Flor | Sambarazzo». sambarazzo.com.br. Consultado em 14 de março de 2017 
  180. «Beija-Flor tem 13 títulos na história; Portela lidera com 21». Terra. Consultado em 3 de abril de 2016 
  181. «Carnaval de 1954 - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Carnavais. Consultado em 3 de abril de 2016 
  182. Academia do Samba. «Estandarte de Ouro - Melhor Escola». Consultado em 7 de novembro de 2013 
  183. Academia do Samba. «Estandarte de Ouro - Melhor Samba Enredo». Consultado em 7 de novembro de 2013 
  184. «Estandarte 2017». G1. 28 de fevereiro de 2017. Consultado em 1 de março de 2017 
  185. Academia do Samba. «Estandarte de Ouro - Melhor Enredo». Consultado em 7 de novembro de 2013 
  186. Academia do Samba. «Estandarte de Ouro - Melhor Intérprete». Consultado em 7 de novembro de 2013 
  187. «Mangueira ganha o Estandarte de Ouro 2013 e se mantém na liderança». O Globo. Consultado em 22 de março de 2016 
  188. Academia do Samba. «Estandarte de Ouro - Melhor Porta Bandeira». Consultado em 7 de novembro de 2013 
  189. Academia do Samba. «Estandarte de Ouro - Melhor Mestre Sala». Consultado em 7 de novembro de 2013 
  190. «Imperatriz Leopoldinense conquista o Estandarte de Ouro». O Globo. Consultado em 22 de março de 2016 
  191. Academia do Samba. «Estandarte de Ouro - Melhor Comissão de Frente». Consultado em 7 de novembro de 2013 
  192. Academia do Samba. «Estandarte de Ouro - Melhor Ala». Consultado em 7 de novembro de 2013 
  193. Academia do Samba. «Estandarte de Ouro - Melhor Passista Feminino». Consultado em 7 de novembro de 2013 
  194. Academia do Samba. «Estandarte de Ouro - Melhor Passista Masculino». Consultado em 7 de novembro de 2013 
  195. Academia do Samba. «Estandarte de Ouro - Personalidade». Consultado em 7 de novembro de 2013 
  196. Academia do Samba. «Estandarte de Ouro - Destaque Feminino». Consultado em 7 de novembro de 2013 
  197. Academia do Samba. «Estandarte de Ouro - Destaque Masculino». Consultado em 7 de novembro de 2013 
  198. «Tamborim de Ouro 1999». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  199. «Tamborim de Ouro 2000». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 22 de março de 2016 
  200. «Tamborim de Ouro 2001». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 22 de março de 2016 
  201. «Tamborim de Ouro 2002». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 22 de março de 2016 
  202. «Tamborim de Ouro 2003». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 22 de março de 2016 
  203. «Tamborim de Ouro 2004». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 22 de março de 2016 
  204. «Tamborim de Ouro 2005». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 22 de março de 2016 
  205. «Plumas e Paetês Cultural 2005». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  206. «Tamborim de Ouro 2006». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 22 de março de 2016 
  207. «Rádio 94FM entrega domingo o Troféu Apoteose os melhores do Carnaval 2006». Galeria do Samba - Notícias. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  208. Academia do samba. «Tamborim de Ouro 2007». academiadosamba.com 
  209. «S@mba-Net 2007». www.sambanet.com.br. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  210. «Plumas e Paetês Cultural 2007». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  211. Academia do Samba. «Tamborim de Ouro 2008». academiadosamba.com 
  212. Academia do Samba. «Estrela do Carnaval 2008». academiadosamba.com 
  213. «Definidos os premiados com o Troféu da Rádio Manchete». Galeria do Samba - Notícias. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  214. «Plumas e Paetês Cultural 2008». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  215. Academia do Samba. «Tamborim de Ouro 2009». academiadosamba.com 
  216. Academia do Samba. «Estrela do Carnaval 2009». academiadosamba.com 
  217. a b c «Confira aqui todos os ganhadores do ESTRELA DO CARNAVAL de 2008 a 2014». Carnavalesco. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  218. «Rádio Manchete entrega troféu aos melhores do Carnaval 2009». SRZD | Sidney Rezende. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  219. «Plumas e Paetês Cultural 2009». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  220. Academia do Samba. «Tamborim de Ouro 2010». academiadosamba.com 
  221. «S@mba-Net 2010». www.sambanet.com.br. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  222. «Rádio Manchete faz festa nesta quinta-feira para entregar o Troféu Manchete aos melhores do Carnaval». Galeria do Samba - Notícias. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  223. «Plumas e Paetês Cultural 2010». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  224. O Dia (12 de março de 2011). «Superação após incêndio também vale Tamborim». odia.ig.com 
  225. «Tamborim de Ouro 2011». Academia do Samba 
  226. «Troféu Gato de Prata aos melhores do carnaval 2011 é neste sábado». Carnavalesco. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  227. Academia do Samba. «Estrela do Carnaval 2011». academiadosamba.com 
  228. «Super Rádio Tupi entrega prêmio aos melhores do carnaval 2011». SRZD | Sidney Rezende. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  229. «Plumas e Paetês Cultural 2011». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  230. «Prêmio SRZD-Carnaval 2012: veja a lista dos vencedores». SRZD | Sidney Rezende. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  231. «Troféu Gato de Prata aos melhores do Carnaval 2011 será entregue nesta sexta-feira». Galeria do Samba - Notícias. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  232. «Plumas e Paetês». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  233. «Salgueiro leva o Tamborim de Ouro - O Dia». O Dia. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  234. «Vila ganha Prêmio SRZD-Carnaval 2013 de melhor desfile no ano!». SRZD | Sidney Rezende. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  235. «Vila Isabel ganha ESTRELA DO CARNAVAL 2013 como Desfile do Ano do Grupo Especial». Carnavalesco. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  236. «S@mba-Net 2013». www.sambanet.com.br. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  237. «Entrega do Troféu Apoteose será neste domingo». Rádio Arquibancada - O melhor do carnaval. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  238. «PRÊMIO PLUMAS & PAETÊS DIVULGA LISTA COM SEUS VENCEDORES». MARQUÊS DA FOLIA. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  239. «Confira os vencedores do troféu Apoteose do Samba». Carnavalesco. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  240. «Samba e celebração». VEJA Rio. Consultado em 22 de março de 2016 
  241. «Salgueiro é a bicampeã do troféu Tamborim de Ouro - O Dia na Folia - O Dia». O Dia. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  242. «Salgueiro é a vencedora do Tamborim de Ouro - O Dia na Folia - O Dia». O Dia. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  243. «S@mba-Net 2015». www.sambanet.com.br. Consultado em 22 de março de 2016 
  244. «Confira todos os vencedores do prêmio ESTRELA DO CARNAVAL 2015». Carnavalesco. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  245. «Tupi Carnaval Total 2015». carnaval.tupi.am. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  246. «Confira os ganhadores da 6ª edição do Troféu Gato de Prata». CARNAVAL CARIOCA - O melhor carnaval do mundo - Ano 6. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  247. «Prêmio Plumas & Paetês Cultural será entregue sábado na Cidade do Samba». Carnavalesco. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  248. «Salgueiro é hexacampeã do prêmio Tamborim de Ouro - O Dia na Folia - O Dia». O Dia. Consultado em 11 de fevereiro de 2016 
  249. «Primeira edição do 'Troféu Sambista' agita a Zona Norte com entrega de 34 prêmios». SRZD - Sidney Rezende. Consultado em 8 de junho de 2016 
  250. «1ª edição do Troféu Sambista será neste sábado no River Futebol Clube». CARNAVAL CARIOCA - O melhor carnaval do mundo - Ano 7. Consultado em 8 de junho de 2016 
  251. «Diretora do SRZD será homenageada na 7ª edição do Troféu Gato de Prata». SRZD - Sidney Rezende. Consultado em 7 de junho de 2016 
  252. «7ª Edição do Troféu Gato de Prata vai homenagear os 100 anos do samba – Ziriguidum». ziriguidum.net.br. Consultado em 7 de junho de 2016 
  253. «Troféu Bateria 2016». www.trofeubateria.com.br. Consultado em 8 de junho de 2016 
  254. «Confira a relação dos agraciados com Prêmio Plumas & Paetês Carnaval 2016». Manchete Online na Folia. Consultado em 22 de março de 2016 
  255. «Prêmio 'Machine Bastidores do Carnaval Carioca': SRZD fatura o de melhor cobertura». SRZD - Sidney Rezende. Consultado em 22 de março de 2016 
  256. «Prêmio Machine - Bastidores do Carnaval Carioca será entregue hoje com festa na quadra da Estácio». Galeria do Samba - Notícias. Consultado em 22 de março de 2016 
  257. «Estrela do Carnaval 2017». Carnavalesco.com. Consultado em 11 de março de 2017. Cópia arquivada em 2 de março de 2017 

Ligações externasEditar