Abrir menu principal

Béji Caïd Essebsi

Advogado e político tunisiano
(Redirecionado de Beji Caid Essebsi)
Gnome globe current event.svg
Este artigo ou seção é sobre alguém que morreu recentemente. A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis. (data da marcação: 25 de agosto de 2019; editado pela última vez em 24 de agosto de 2019) Twemoji 1f464.svg
Béji Caïd Essebsi
محمد الباجي قائد السبسي‎
Muhammad al-Bājī Qā’id as-Sabsī
6.º Presidente da Tunísia
Período 31 de dezembro de 2014
a 25 de julho de 2019
Antecessor Moncef Marzouki
Sucessor Mohamed Ennaceur (interino)
Dados pessoais
Nascimento 29 de novembro de 1926
Sidi Bou Saïd
Protetorado Francês da Tunísia
Morte 25 de julho de 2019 (92 anos)
Tunes, Tunísia
Cônjuge Chadlia Saïda Farhat (c. 1958)
Filhos Amel Caïd Essebsi
Mohamed Hafedh Caïd Essebsi
Salwa Caïd Essebsi
Khélil Caïd Essebsi
Partido Nidaa Tounes
Religião Islamismo sunita
Profissão Advogado
Website www.carthage.tn/

Mohammed Béji Caïd Essebsi, ou el-Sebsi (em árabe: محمد الباجي قائد السبسي, translit. Muhammad al-Bājī Qā’id as-Sibsī, Sobre este sompronúncia ; Sidi Bou Saïd, 29 de novembro de 1926Tunes, 25 de julho de 2019), foi um advogado e político tunisiano que serviu como o 6.º presidente da Tunísia de 2014 até a data de sua morte em 2019.

Ele foi decano da Ordem dos Advogados da Tunísia e Ministro das Relações Exteriores no governo do presidente Habib Burguiba. Ele também foi presidente da Câmara dos Deputados, durante o regime de Ben Ali, entre 1990 e 1991.

Serviu como primeiro-ministro de 27 de fevereiro a 24 de dezembro de 2011, após a renúncia de Mohamed Ghannouchi, no contexto da Revolução de Jasmim que depôs o presidente Ben Ali, tendo sido sucedido por Hamadi Jebali após a realização de eleições.[1] Foi eleito presidente de seu país em 21 de dezembro de 2014, assumindo o cargo dez dias depois.

Em 22 de dezembro de 2014, os resultados oficiais das eleições presidenciais mostraram que Essebsi venceu o seu candidato rival Moncef Marzouki por 55,68% dos votos na primeira eleição presidencial da Tunísia após a Revolução de Jasmim, em 2011.[2] Após o fechamento das urnas no dia anterior, Essebsi disse na televisão local que dedicava sua vitória aos "mártires da Tunísia".[3]

Essebsi morreu em 25 de julho de 2019, aos 92 anos, cinco meses antes de seu mandato terminar. Posteriormente, a comissão eleitoral anunciou que seu sucessor seria eleito antes da data original: 17 de novembro.[4] Por fim, a eleição foi remarcada para 15 de setembro.[5] Isso aconteceu porque a Constituição da Tunísia estipula que novas eleições devem ser realizadas dentro de 90 dias no caso de morte do presidente.[6] O presidente da Assembleia dos Representantes do Povo, Mohamed Ennaceur, servirá como presidente interino durante esse período.[7]

Referências

  1. Veterano do antigo regime é o novo Presidente da Tunísia
  2. «Essebsi elected Tunisian president with 55.68 percent». Reuters. 22 de dezembro de 2014. Consultado em 22 de dezembro de 2014. Cópia arquivada em 22 de dezembro de 2014 
  3. «Tunisia election: Essebsi claims historic victory». BBC News. 22 de dezembro de 2014. Consultado em 22 de dezembro de 2014. Cópia arquivada em 22 de dezembro de 2014 
  4. «Tunisia's first freely elected president dies». BBC. 25 de julho de 2019. Consultado em 25 de julho de 2019 
  5. «Tunisie: l'élection présidentielle reprogrammée au 15 septembre». Le Figaro (em francês). 25 de julho de 2019. Consultado em 27 de julho de 2019 
  6. Parker, Claire; Fahim, Kareem (25 de julho de 2019). «Tunisian President Beji Caid Essebsi dies at 92». Washington Post. Consultado em 25 de julho de 2019 
  7. Amara, Tarek (26 de julho de 2019). «Mourning leader, Tunisians look forward to smooth transition». Reuters. Consultado em 27 de julho de 2019 

Ligações externasEditar