Benedita d'Este

Benedita Maria Ernesta d'Este[1] (Módena, 18 de agostoSassuolo, 17 de setembro de 1777) foi uma princesa do Ducado de Módena e Reggio.

Benedita d'Este
Princesa de Módena
Casa Este
Nome completo Benedita Maria Ernesta
Nascimento 18 de agosto de 1697
  Palácio Ducal, Módena,
Módena e Reggio, Sacro Império Romano-Germânico
Morte 17 de setembro de 1777 (80 anos)
  Sassuolo, Módena e Reggio, Sacro Império Romano-Germânico
Enterro Igreja de São Vicente, Módena, Itália
Pai Reinaldo III d'Este
Mãe Carlota Felicidade de
Brunsvique-Luneburgo

BiografiaEditar

Era filha do duque de Módena e Reggio Reinaldo III d'Este e da princesa Carlota Felicidade de Brunsvique-Luneburgo, filho do duque João Frederico de Brunsvique-Luneburgo. O casamento de seus pais exigira a dispensa papal por causa das diferenças religiosas das famílias ducais de Brunsvique e Módena.

Ela recebeu o nome de Benedita, que significa "abençoada", em homenagem a sua avó materna Benedita Henriqueta do Palatinado-Simmern.

Seu primo Jaime Francisco Eduardo Stuart, na época o pretendente jacobita aos tronos da Inglaterra, Escócia e Irlanda, fez uma visita a Módena em março de 1717. Ele conheceu e rapidamente se apaixonou por Benedita e solicitou-lhe a seu pai para que se casasse com ela.[2] No entanto, a sua união era visto como um emaranhado indesejável por Reinaldo d'Este, que queria manter boas relações com Jorge I da Grã-Bretanha.[3] Reinaldo primeiro insistiu que o noivado permanecesse em segredo, e então definitivamente recusou seu consentimento em setembro de 1717, enquanto Jaime residia em Urbino.[4]

Benedita nunca se casou ou teve filhos. Ela morreu no dia 17 de setembro de 1777 aos 80 anos de idade, em Módena.

TítulosEditar

  • 18 de agosto de 1697 – 17 de setembro de 1777: Sua Alteza Benedita Maria d'Este, Princesa de Módena

AncestraisEditar

Referências

  1. Leo van de Pas. «Benedetta Maria Ernesta d'Este, Princess of Modena». Genealogics.org 
  2. Bevan (1967), pp. 98-99.
  3. Bevan (1967), p. 99.
  4. Bevan (1967), pp. 99, 103.

BibliografiaEditar

  • Bevan, Bryan (1967). Rei Jaime III da Inglaterra: Um Estudo da Realeza no Exílio. London: Robert Hale.
  • Rocca, Emilio Nasalli (1969). I Farnese. Dell'Oglio Editore.