Abrir menu principal
Benito di Paula
Benito, em 2016
Informação geral
Nome completo Uday Vellozzo
Nascimento 28 de novembro de 1941 (78 anos)
Origem Nova Friburgo, RJ  Brasil
Gênero(s) Samba-joia
Instrumento(s) Voz
Piano
Período em atividade 1968presente
Página oficial Página oficial

Uday Vellozzo (Nova Friburgo, 28 de novembro de 1941), mais conhecido por seu nome artístico Benito di Paula, é um cantor, compositor, pianista e escritor brasileiro.[1]

BiografiaEditar

Carreira como músicoEditar

Uday Vellozzo obteve fama nacional como Benito di Paula, tendo tornado-se um dos grandes nomes da canção brasileiro dos anos 70.[2][3][1] Foi crooner de boates do Rio de Janeiro, e depois continuou tocando na noite paulistana.[2] Iniciou carreira pela gravadora Copacabana no início dos anos 70.[2] O seu estilo musical é conhecido como "samba-jóia", ao combinar o samba tradicional com piano e arranjos românticos e jazzisticos.[2][3] O seu primeiro disco "Benito Di Paula" de 1971 foi censurado por trazer a música "Apesar de Você" de Chico Buarque.[2][3][1]

O seu segundo LP "Ela" também não trouxe grande êxito. Mas estourou nas paradas de sucesso com o terceiro "Um Novo Samba", em cuja capa já aparecia com sua longa barba e cabelos além de correntes, brincos, pulseiras etc.. O grande sucesso desse disco foi a música "Retalhos de Cetim".[2][3][1]

Teve inúmeros sucessos ao longo de sua carreira como "Retalhos de Cetim", "Charlie Brown", "Vai Ficar Na Saudade", "Se Não For Amor", "Amigo do Sol, Amigo da Lua", "Mulher Brasileira" e "Ah! Como Eu Amei". É o quarto maior vendedor de discos da história do Brasil com cerca de 60 milhões de cópias vendidas, somente ficando atrás de Roberto Carlos, Nelson Gonçalves e Teixeirinha. Chegou nos anos 70 a disputar a venda de LPs juntamente com Roberto Carlos, tendo composto muitas músicas para este.[2][3]

Possui mais de 35 discos gravados, tendo parte importante de sua obra relançada em CD devido ao seu tão grande êxito. Chegou a fazer sucesso em nível internacional como no México, Japão, Estados Unidos e sobretudo na América Latina.[2][3][1]

Após 10 anos sem gravar, Benito lançou em 2009 pela EMI Music seu segundo CD e primeiro DVD ao vivo gravado no Vivo Rio e que traz seus maiores sucessos, como "Retalhos de Cetim", "Sanfona Branca" e "Charlie Brown".[2][3][1]

Em outras mídiasEditar

Benito comandou o programa "Benito di Paula e seus convidados - Brasil Som 75" na TV Tupi em 1975.

No meio literárioEditar

Teve parte de sua trajetória contada no livro "Eu Não Sou Cachorro Não" do historiador, jornalista e escritor Paulo Cesar de Araújo.[2][3]

No segundo semestre de 1997, iniciou-se[4] como um escritor ao publicar o livro de contos "Cantos e Contos do Benito di Paula".

DiscografiaEditar

  • 1971Benito di Paula (Copacabana)
  • 1972Ela (Copacabana)
  • 1973Um Novo Samba (Copacabana)
  • 1974Gravado ao Vivo (Copacabana)
  • 1975Benito di Paula e Seus Convidados - Brasil Som 75 (Copacabana)
  • 1975 – Benito di Paula (Copacabana)
  • 1976Benito di Paula (Copacabana)
  • 1977Benito di Paula / Assobiar ou Chupar Cana (Copacabana)
  • 1978Benito di Paula (Copacabana)
  • 1978 – Caprichos de La Vida Copacabana)
  • 1979Benito di Paula (Copacabana)
  • 1980Benito di Paula (Copacabana)
  • 1981Benito di Paula (WEA)
  • 1982Benito di Paula (WEA)
  • 1983Bom Mesmo É o Brasil (WEA)
  • 1984Que Brote Enfim o Rouxinol que Existe em Mim (RGE)
  • 1985Nação (RGE)
  • 1986Benito di Paula / Instrumental
  • 1987Quando a Festa Acabar (Copacabana)
  • 1990Fazendo Paixão (BMG Ariola)
  • 1992A Vida Me Faz Viver (Copacabana)
  • 1994Pode Acreditar (RGE)
  • 1996Baileiro (Paradoxx Music)
  • 1999Raízes do Samba
  • 2009Ao Vivo (CD e DVD, EMI Music)
  • 2016 - Essa Felicidade É Nossa (RYB8 Music)

ColetâneasEditar

Ligações externasEditar

Referências