Abrir menu principal

Benjamin Maranhão

Benjamin Maranhão em abril de 2016.

Benjamin Gomes Maranhão Neto (João Pessoa, 30 de novembro de 1971) é um político brasileiro, filiado ao SD. Foi deputado federal pela Paraíba por três legislaturas e prefeito de Araruna por dois mandatos.[1]

É cirurgião dentista e advogado.[2] Foi prefeito de Araruna (Paraíba) por dois mandatos consecutivos, de 1997 a 2002, tendo se elegido deputado federal pela primeira vez em 2002,[2] pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB).[3] Teve seu nome envolvido no Escândalo dos Sanguessugas, acusado de receber 40 mil reais para direcionar emendas que favorecessem a quadrilha.[3] Por conta do suposto envolvimento no esquema, desistiu da reeleição a pedido do seu tio, senador José Maranhão.[4]

Eleito novamente deputado federal em 2010 pelo PMDB, com 94.984 votos.[5]. Reeleito deputado federal em 2014, para a 55.ª legislatura (2015-2019), pelo SDD, com 63.433 votos. Votou a favor da admissibilidade do processo de impeachment de Dilma Rousseff.[6] Já durante o Governo Michel Temer, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[6] Em abril de 2017 foi favorável à Reforma Trabalhista.[6][7] Em agosto de 2017 votou contra o processo em que se pedia abertura de investigação do presidente Michel Temer, ajudando a arquivar a denúncia do Ministério Público Federal.[6][8] Candidato a reeleição mais uma vez, ao retornar ao PMDB, foi derrotado, obtendo 45.599 votos.[9] Em 2019, foi nomeado pelo governo federal diretor do Departamento de Fomento à Inclusão Social e Produtiva Rural da Secretária Especial do Desenvolvimento Social do Ministério da Cidadania.[10]

Referências

  1. Câmara dos Deputados - Benjamin Maranhão
  2. a b Solidariedade na Câmara
  3. a b Revista Veja - Rede de Escândalos: Benjamin Maranhão
  4. Jornal O Globo
  5. Terra
  6. a b c d G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  7. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  8. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  9. Jornal Folha de São Paulo
  10. Jornal da Paraíba (25 de fevereiro de 2019). «Benjamin Maranhão assume cargo no governo Bolsonaro». Consultado em 26 de fevereiro de 2019