Abrir menu principal
Benjamin Moser
Benjamin Moser no Texas Book Festival de 2009
Nascimento 14 de setembro de 1976 (43 anos)
Houston, Condado de Harris, Grande Houston, Texas
Nacionalidade Estados Unidos estadunidense
Cônjuge Arthur Japin
Ocupação Escritor e Tradutor
Página oficial
Ben Moser.com

Benjamin Moser (Houston, 14 de setembro de 1976) é um escritor e historiador estadunidense que vive em Utrecht, Países Baixos.[1]

Por sua biografia de Clarice Lispector ele recebeu em 2016 o Prêmio Itamaraty de Diplomacia Cultural, concedido pelo Ministério das Relações Exteriores do Brasil.[2]

Vida pessoalEditar

Nascido em Houston, em 1976, Moser cursou o ensino médio no Texas e na França, antes de se formar em licenciatura em História pela Universidade Brown. Obteve seu doutoramento (título de PhD) e mestrado pela Universidade de Utrecht. Fluente em seis idiomas, o autor já publicou traduções do neerlandês, francês, espanhol e português, língua a qual decidiu aprender após um breve contato com o chinês.[3]

Atualmente mora em Utrecht com seu companheiro, o escritor neerlandês Arthur Japin (en).[1]

CarreiraEditar

EscritorEditar

O escritor é colunista de novos livros da Harper's Magazine,[4] bem como colaborador freqüente do The New York Review of Books, do jornal The New York Times.

Moser é autor de uma biografia da escritora brasileira Clarice LispectorWhy This World —,[5] cujos livros ele descobriu enquanto estudava literatura de língua portuguesa, apaixonando-se por ela e sua literatura imediatamente (ele a compara a Franz Kafka e Baruch Espinoza). Tal livro foi nomeado ao National Books Critics Circle Award.[6] Em 2015, foi responsável pela coletânea de contos da escritora em inglês — The Complete Stories — lançada pela editora New Directions nos Estados Unidos. A edição recebeu boas críticas[7][8] e esteve na lista dos 100 melhores livros do The New York Times do mesmo ano.[9] Em 2016 Moser recebeu na Festa Literária Internacional de Paraty o Prêmio Itamaraty de Diplomacia Cultural, concedido pelo Ministério das Relações Exteriores do Brasil.[2]

Em 2017 ele foi premiado com uma bolsa Guggenheim.[10]

Conhecedor e admirador do Brasil, em janeiro de 2019 Moser publicou no jornal Folha de S.Paulo uma carta aberta ao ministro das relações exteriores, Ernesto Araújo. Na carta Moser criticou duramente Araújo por uma publicação no site Bloomberg que "expôs o Brasil ao ridículo" por falta de conhecimento do idioma inglês e recomendou ao ministro que se comportasse "com a dignidade" que a posição de Embaixador do Brasil exige. Ele também criticou as posições do ministro sobre Ludwig Wittgenstein, que soam "bizarras, pretensiosas e deselegantes" naquele idioma e que as expressões conspiracionistas usadas por Araújo, como “globalistas”, “marxistas”, “anticosmopolitas” e “valores cristãos” têm conotação antissemita, e explicam o porquê das declarações sobre o aquecimento global de Araújo terem sido ridicularizadas pela imprensa internacional.[11]

PublicaçõesEditar

  • Benjamin Moser, Why This World: A Biography of Clarice Lispector, Oxford University Press (2009)/Haus Publishing Limited, ISBN 978-0-19-538556-4 (EUA), 978-1906598426 (UK)
  • Benjamin Moser, Clarice, uma biografia, Cosac Naify (2009).
  • Benjamin Moser (fevereiro de 2009). «Art is : the audacity of still life». Harper's Magazine. 318 (1905): 75-80, 82  Reviews Quentin Buvelot. The still lifes of Adriaen Coorte, 1683-1707. [S.l.]: Waanders 

ReferênciasEditar

  1. a b Liza Foreman (23 de janeiro de 2008). «Living in a Dutch Town House». The New York Times. Consultado em 4 de outubro de 2014 
  2. a b Lisboa, Vinícius (1 de julho de 2016). «Americano que biografou Clarice recebe Prêmio Itamaraty de Diplomacia Cultural». Agência Brasil. Cópia arquivada em 12 de janeiro de 2019 
  3. Adm. do sítio web (2010). «Benjamin Moser – biography». Site oficial. Consultado em 4 de outubro de 2014 
  4. Da redação (8 de janeiro de 2009). «Harper's Magazine Names Benjamin Moser as New Books Columnist». Reuters. Consultado em 4 de outubro de 2014 
  5. Fernanda Eberstadt (19 de agosto de 2009). «Untamed Creature». The New York Times. Consultado em 4 de outubro de 2014 
  6. «National Book Critics Circle Announces Finalists for Publishing Year 2014». National Book Critics Circle. 19 de janeiro de 2015. Consultado em 7 de julho de 2018 
  7. Rafferty, Terrence (27 de julho de 2015). «'The Complete Stories,' by Clarice Lispector». The New York Times. Consultado em 16 de agosto de 2017 
  8. Tóibín, Colm (17 de dezembro de 2015). «She Played Hard with Happiness». The New York Review of Books. Consultado em 16 de agosto de 2017 
  9. Da Redação (30 de novembro de 2015). «Livro 'perigoso' de Clarice Lispector está entre os melhores do ano do NYT.». Folha de S.Paulo. Consultado em 16 de agosto de 2017 
  10. «John Simon Guggenheim Foundation | Benjamin Moser» (em inglês). John Simon Guggenheim Foundation. 2017. Cópia arquivada em 12 de janeiro de 2019 
  11. «Imagem externa do Brasil mudou para pior no novo governo, diz Benjamin Moser». Folha de S.Paulo. 11 de janeiro de 2019. Cópia arquivada em 12 de janeiro de 2019. O racismo, a homofobia e a saudade da ditadura da nova administração têm sido fartamente comentados na imprensa mundial. Em inglês, o tom dessa cobertura tem sido extremamente negativo. Um chanceler deve poder responder num inglês sereno e compreensível e explicar as razões que levam o novo governo a adotar tal e tal medida. 

Ligações externasEditar