Abrir menu principal
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde junho de 2017) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Bento Kangamba
Empresario
Dados pessoais
Nome completo Bento Dos Santos Kangamba
Nascimento 6 de junho de 1965 (54 anos)
Moxico, Angola,
 Angola
Cônjuge Avelina Escórcio Dos Santos (2010–presente)
Partido MPLA
Profissão Empresário

Bento dos Santos Kangamba (Moxico, 6 de Junho de 1965) é um empresário, político e General de três estrelas de Angola e dono da equipa de futebol Kabuscorp Sport Clube do Palanca.[1][2] Kangamba é acusado por autoridades brasileiras de comandar uma rede de tráfico internacional de mulheres para fins de prostituição de luxo, tendo sido incluído brevemente na lista vermelha de procurados da Interpol.[3][4][5]

Índice

Inicio de vida e carreiraEditar

Nascido no bairro operário um dos bairros da Cidade do Moxico em Angola, mas foi nas Lundas que cresceu. Na vida académica chegou até à 12ª classe. Serviu o braço armado do regime e chegou à patente de brigadeiro cuja reserva faz parte. Trabalhou na área da logística e foi um dos impulsionadores da venda de forma “ortodoxa” de carne/frango do exército, no mercado negro. Na altura, as vendedoras de rua vulgo “Quínguilas” levaram-lhe a tribunal após terem se queixado de o terem dado dinheiro sem que tivessem recebido a mercadoria. Foi declarado culpado em tribunal cumprindo pena de dois anos de prisão. Na altura o Comitê Central do MPLA, ao qual fazia parte, expulsou-lhe para que o seu caso não manchasse o partido. Após o incidente Kangamba refez-se politicamente tornando-se num dos mais mediáticos militantes do MPLA na zona urbana de Luanda (e em algumas áreas do país). É presentemente o primeiro secretario do CAP 114, no Palanca (O cartão de militante é LA-525291). Foi readmitido nas estruturas do partido (Comitê Provincial de Luanda e Comitê Central) e ao mesmo tempo aprendeu a não ter muita confiança nos seus colegas do MPLA. Não come ou bebe em casa dos mesmos como medida de prevenção das armadilhas partidárias. Aceita comer apenas em casa de dois amigos, Rui e Joaquim.

Aos 15 anos de idade aderiu ao MPLA. O seu pai era conhecido como apoiante dos guerrilheiros deste partido que andavam pela zona Leste do país. A família era detentora de alguns bens, entre os quais alguns camiões que teriam sido queimados pela UNITA, ao tempo do conflito armado. Os pais estão no Leste e o filho é criticado por “esbanjar dinheiro em Luanda enquanto os país não estão muito bem no Luena”. Serviu o braço armado do regime e chegou à patente de brigadeiro, de cuja reserva faz parte. O seu património económico é considerado complexo, a começar pelo facto de não se conhecer o seu Gabinete. Há informação de que através do Ministério das Finanças recebe verbas “por impulso” de uma “interminável” divida antiga que o estado tem para com ele. Está associado à exploração de diamantes na área das Lundas, tendo como sócio, numa das dragas, Eduardo Kwangana, Presidente do PRS. Fundou na década de noventa uma empresa, a “Organizações Kabuscorp”, cujo património inclui um terreno na Samba, uma Quinta em fase de construção, nas áreas do Futungo, à qual deu o seu nome, “Quinta Kamgamba”. É conotado com uma sociedade anónima de representações, Rangel, com sede no Bairro Operário. O que mais lhe dá visibilidade é uma equipa de futebol, o clube Kabuscorp Sport Clube do Palanca, que criou em Dezembro de 1994, tornando-se o primeiro angolano a ter um clube de futebol no país. Tem vocação de interferir no trabalho do treinador da sua equipa. Há mais de 10 anos que deixou de viver no Bairro Palanca (viveu no Alvalade e agora num apartamento T4 no Nova Vida ), mas dentro do partido passa-se por morador ou soba do bairro, como é chamado e aos fins de semanas visita o Palanca. Dedica especial atenção à filantropia e apoia iniciativas de entretenimento (concursos, espectáculos musicais, etc) pelo que ganhou a fama de “empresário da juventude”. Um dos seus maiores vícios é o jogo/casino. Já chegou a gastar cerca de 100 mil dolares americanos numa só noite.[6]

Sua Equipa de FutebolEditar

Kabuscorp Sport Clube do Palanca, conhecido somente por Kabuscorp, é um clube de futebol que possui sua sede em Luanda capital de Angola. Foi fundado em Dezembro de 1994. O Kabuscorp do Palanca teve origem no município do Cazenga, onde aos finais de semana os jovens residentes nos bairros do Palanca, Rangel e do Cazenga promoviam jogos a nível comunal e inter-municipal. Neste sentido, e depois de algum tempo, formou-se um clube cujos integrantes eram os jovens do Cazenga e do Palanca, que uniram esforços e começaram a fazer jogos na amigáveis na província de Luanda. Com o decorrer do tempo, o clube foi organizado, e oficializou-se os estatutos que regulamentam a sua actuação. O Clube foi reconhecido pela Delegação Provincial dos Desportos, e participa dos campeonatos provinciais e nacionais. O mais alto patamar alcançado na vertente desportiva foi a classificação ao 1º lugar no Campeonato Nacional da 1ª Divisão (em futebol), no ano corrente do torneio Girabola.

Vida PessoalEditar

Avelina Escórcio Dos Santos, casou-se com Bento Kangamba no ano de 2011. Filha do irmão mais velho do presidente angolano, o empresário Avelino dos Santos, e irmã de Catarina dos Santos, uma influente e bem conhecida figura de Luanda. A noiva trabalha como secretária do tio, o presidente José Eduardo dos Santos, e com este casamento, Bento Dos Santos Kangamba, tornou-se da família presidencial. Para padrinhar o casamento Bento Kangamba escolheu outra grande figura do partido maioritário, o general Higino Carneiro. Durante o casamento, o presidente da república, José Eduardo Dos Santos, marcou presença por ser tio da noiva.

Referências

  1. «Bento dos Santos "Kangamba"». Consultado em 20 de outubro de 2013 
  2. «Bento Kangamba, Empresário desportivo». Consultado em 10 de outubro de 2013 
  3. Camila Campos (12 de novembro de 2013). «Bento Kangamba na lista de procurados pela Interpol». Deutsche Welle. Consultado em 28 de janeiro de 2014 
  4. «Ficha de Bento Kangamba na Lista Vermelha». Interpol. Consultado em 28 de janeiro de 2014 
  5. «Pedido de habeas coripus de bento Kangamba na justiça brasileira». Diário eletrônico da justiça federal da 3ª região,Edição nº 234/2013 - São Paulo. 18 de dezembro de 2013. Consultado em 28 de janeiro de 2014 
  6. «Bento Kangamba pede colaboração das igrejas para o desenvolvimento do país». Consultado em 7 de novembro de 2013