Abrir menu principal

Betina Viany

NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde Outubro de 2012) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Betina Viany
Nome completo Elisabeta Veiga Fialho
Nascimento 30 de setembro de 1950 (67 anos)
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro,  Brasil
Ocupação Atriz
Cônjuge Edward Monteiro.
IMDb: (inglês)

Elisabeta Veiga Fialho (Rio de Janeiro, 30 de setembro de 1950), mais conhecida pelo nome artístico Betina Viany.

Índice

BiografiaEditar

Filha do cineasta Alex Viany (um dos precursores do Cinema Novo)[1] e irmã da atriz Bibi Viany. Casada com o cenógrafo Edward Monteiro.

Iniciou a carreira na televisão em 1973, na TV Record, de São Paulo, quando atuou na novela Venha Ver o Sol na Estrada[2].

Em 1978, participou na Rede Globo Sinal de Alerta. Em 1983, atuou em Eu Prometo. Em 1987 no Direito de Amar e em 1988 em Mandala. Em 1989, transferiu-se para a Rede Manchete e participou de Kananga do Japão no papel de Olga Benário.

Em 1990, ainda na Manchete, fez: A História de Ana Raio e Zé Trovão. Em 1991, voltou para a Globo e participou da minissérie Meu Marido. No mesmo ano participou da novela globalO Dono Do Mundo e da na novela Amazônia da Manchete. Onde também fez em 1993, Família Brasil.

Em 1994, na Globo, fez: "Quatro por Quatro". Em 1995, fez: Engraçadinha,Seus Amores e Seus Pecados e ainda a novela vespertina Malhação. Em 1996 participou do programa Caça Talentos e em 1998 de Torre de Babel.

Participou das minisséries O Quinto dos Infernos(2002), Amazônia, de Galvez a Chico Mendes (2007) e Tudo Novo de Novo (2009).

Em agosto de 2007 Betina idealizou e iniciou o Projeto Memória-Mestres que visa registrar, em DVD, a trajetória de importantes e renomados artistas e técnicos brasileiros que contribuíram para a história das artes cênicas de nosso país)[3].

Senpre ligada ao pai participou em 2008 do curta Nós Somos um Poema a história da quase desconhecida parceria de dois gênios da música popular brasileira, Pixinguinha e Vinicius de Moraes. A convite de Alex Viany, a dupla compôs a trilha sonora de seu filme - SOL SOBRE A LAMA - produzido na Bahia, em 1963[4].

Alguns dias antes (08/05/2010) um incidente inusitado aconteceu. Betina iria apresentar a peça Monólogos da Vagina no Teatro Calil Haddad em Maringá, mas junto com a produtora e atriz Vera Setta, e a advogada e assessora Maria Domenica foram barradas na porta do Tetro e tiverem que esperar até que uma questão entre a produção da peça e a administração do teatro fosse resolvida. [5] .

FilmografiaEditar

TelevisãoEditar

Ano Título Personagem
1973 Venha Ver o Sol na Estrada
1978 Sinal de Alerta Justina
1982 Mandrake, Adeus Marido Meu
1983 Eu Prometo Zélia
1987 Direito de Amar Nanete
1988 Mandala Ondina /Madame Lorraine
1990 Kananga do Japão Olga
1991 Amazônia Janete
Ana Raio e Zé Trovão Letícia Ferreira
O Dono do Mundo Mariana
1994 Confissões de Adolescente Ofélia
Quatro por Quatro Clara
1995 Engraçadinha Mãe de Letícia
1996 Caça Talentos Fada Violeta
1998 Torre de Babel Dina
2000 Malhação Madalena
2001 Brava Gente Fanny
2002 Malhação Dora Miranda
O Quinto dos Infernos Escolástica [6]
2007 Amazônia, de Galvez a Chico Mendes Aída
2008 Beleza Pura Madre Superiora
2009 Tudo Novo de Novo Psicóloga
2015 I Love Paraisópolis Rafaela
2017 Enredo de Bamba Dona Tarozinha /Dona Silvaléria

CinemaEditar

Ano Título Personagem
1968 Edu, Coração de Ouro[7] Jovem
1973 A Noite do Desejo Ivete
1976 Luz, Cama, Ação! Glorinha
1977 A Casa das Tentações Cantora/Demônio [8]
1980 A Noiva da Cidade Lindalva[9]
O Grande Palhaço Suburbana
1988 Jardim de Alah
1989 Dias Melhores Virão Janete
1992 Perigo Negro Costureira
1998 Menino Maluquinho 2 - A Aventura Margarida

No TeatroEditar


Referências

  1. «Projeto Alex Viany». Consultado em 2 de abril de 2012. 
  2. «Venha Ver o Sol na Estrada». Consultado em 2 de abril de 2012. 
  3. Ministério da Cultura. «Centro Técnico Audiovisual: Memória-Mestres». 16 de julho de 2008. Consultado em 2 de abril de 2012. 
  4. Porta Curtas. «Nós Somos um Poema». Consultado em 2 de abril de 2012. 
  5. O Diário - Maringá. «Monólogos da Vagina abre Polêmica». Consultado em 2 de abril de 2012. 
  6. «O Quinto dos Infernos». Memória Globo. Consultado em 27 de junho de 2018. 
  7. Cinemateca Brasileira, Edu, Coração de Ouro [em linha]
  8. «A Casa das Tentações». Cinemateca Brasileira. Consultado em 27 de junho de 2018. 
  9. Cinemateca Brasileira, A Noiva da Cidade [em linha]

Ligações ExternasEditar