Abrir menu principal

Biblioteca Pública do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa

Biblioteca Nacional
O INEP em Bissau
País Guiné-Bissau
Estabelecida 1984 (35 anos)
Localização Bissau
Acervo
Tamanho 70.000
Depósito legal Sim
Acesso e uso
População servida Aberta ao público

A Biblioteca Pública do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa, localizada na capital Bissau, é a biblioteca principal na República de Guiné-Bissau.

Desempenha as funções de biblioteca do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa e da vizinha Universidade Amílcar Cabral, de biblioteca pública de Bissau, e de biblioteca nacional do país, sendo responsável pelo sistema do depósito legal da Guiné-Bissau.[1]

Guarda um acervo de cerca de 70.000 títulos, repartidos nas secções principais de periódicos, monografias e documentos do período colonial.[1]

HistóriaEditar

Depois do fim do domínio português sobre o país em 1974, a biblioteca foi fundada em 1984. Herdou o acervo da biblioteca colonial da Guiné Portuguesa e passou a ser responsável pelo depósito legal no país.[2][1]

Durante a Guerra Civil na Guiné-Bissau a partir de 1998, o acervo sofreu grandes danos e perdas estimadas em 35 % da colecção. Com ajuda internacional, foi possivel a recuperação das colecções e dos materiais e equipamentos depois de 2000.[3]

Em 2011, a biblioteca pública do INEP recebeu uma pequena biblioteca americana, designadas estas por american corner. Sem embaixada própria na Guiné-Bissau e com a embaixada mais próxima situada em Dakar, no Senegal, esta biblioteca americana é atualmente a única representação oficial dos Estados Unidos no país.[1]

Referências

  1. a b c d «Biblioteca Pública do INEP (BP)». Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa. Consultado em 2 de abril de 2016 
  2. CRISTÓVAO, Fernando (dir. e coord.). Dicionário Temático da Lusofonia. Lisboa/Luanda/Praia/Maputo; Texto Editores. 2006, p. 149 (ISBN 972-47-2935-4)
  3. «Guiné Bissau - INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISA (INEP) BIBLIOTECA PÚBLICA». Biblioteca Digital Lusófona. Consultado em 2 de abril de 2016 

Ligações externasEditar