People's Bike Library of Portland

escultura
Biblioteca de Bicicletas do Povo de Portland
People's Bike Library of Portland
Autor Brian Borrello e Vanessa Renwick
Data 2009
Género Escultura
Encomendador Conselho de Arte e Cultura Local
Localização Portland, Estados Unidos

People's Bike Library of Portland (Biblioteca de Bicicletas do Povo de Portland, em tradução livre), também conhecida como Pilar Zoobomb ou simplesmente "the pile" ("o pilar"),[1][2] é uma escultura de aço e folha de ouro de 2009 feita pelos artistas locais Brian Borrello e Vanessa Renwick, localizada em Portland, Oregon, nos Estados Unidos. Foi erguida em colaboração com o coletivo de bicicletas Zoobomb, serve como um bicicletário e um monumento a cultura de bicicletas da cidade. A escultura é composta por um pilar em espiral com uma pequena bicicleta banhada a ouro no topo; bicicletas de ciclistas do Zoobomb ficam presas na base e no pilar, os quais têm aros de metal que servem como um bicicletário.

A escultura é parte da Coleção de Arte Pública da Cidade de Portland e do Condado de Multnomah, cortesia do Conselho de Arte Regional e Cultura, que encomendou a obra com fundos do Departamento de Transportes de Portland. A colaboração entre os dois grupos foi possibilitada pelo programa "Arte nas Ruas" preparado pelo prefeito Sam Adams.

AntecedentesEditar

 
"Pilar Zoobomb" em 2007, antecessor da escultura erguida em 2009.

No início da década de 2000, "amantes de mini-bicicletas com aparência engraçada" começaram a se reunir para passeios semanais de bicicleta descendo um morro, começando perto do Zoológico do Oregon.[1] O evento recebeu o nome de Zoobomb, da descontrolada descida pelo morro, conhecida pelos ciclistas como "bombardeio" e pela proximidade com o zoológico.[1][3] A associação do grupo com a palavra "bombardeio" resultou em uma investigação do Escritório de Polícia de Portland, que temia que o grupo fosse composto por terroristas domésticos.[4] Antes da instalação da escultura, as bicicletas eram armazenadas no "pilar Zoobomb", localizado na décima avenida e na rua Oak.[1]

A Biblioteca de Bicicletas do Povo de Portland existia desde 2006 como um sistema informal de compartilhamento de bicicletas – o que os operadores chamavam de uma "biblioteca" de bicicletas – aberta para aqueles que comprassem um cartão de identificação de US$5 de depositário chamado "Handsome Dave".[5] A BikePortland.org trabalhou com a cidade para garantir US$10.000 do Departamento de Transporte de Portland, com o objetivo de criar um bicicletário e obra de arte do "pilar" da biblioteca.[1][6]

DescriçãoEditar

Biblioteca de Bicicletas do Povo de Portland é uma escultura de aço e folha de ouro projetada pelos artistas locais Brian Borrello e Vanessa Renwick.[7] Foi instalada em uma ilha no tráfego na interseção entre a Rua Burnside Oeste e a 13ª Avenida Sudoeste no centro de Portland, em 2009.[1][8][9] Erguida em colaboração com o Zoobomb, a escultura serve a múltiplos propósitos, serve como um bicicletário, um ponto de compartilhamento de bicicletas e um monumento a cultura de bicicletas de Portland.[6][9] Tem 5,2 metros de altura em uma base de 2,1 m por 2,1 m e tem como destaque um pilar em espiral, com uma pequena bicicleta folheada a ouro no topo, que Renwick chamou de a "cereja do bolo!"[1][6] Uma coleção de bicicletas de crianças, usadas por ciclistas nas reuniões semanais do Zoobomb, está presa a escultura.[9] A base tem loops que servem como um bicicletário.[1]

A obra é parte Coleção de Arte Pública da Cidade de Portland e condado de Multnomah, cortesia do Conselho de Arte & Cultura Local,[9] que encomendou o projeto por US$10.000 de fundos do Departamento dos Transportes de Portland.[1][6] O prefeito Sam Adams ajudou a tirar do papel a escultura através de seu novo programa conhecido como "Arte nas Ruas", um esforço colaborativo do Escritório dos transportes e do Conselho de Arte Local e Cultura.[1]

InauguraçãoEditar

 
O prefeito Sam Adams falou na cerimônia de inauguração da Biblioteca de bicicletas do Povo do Portland. Seu programa "Arte nas Ruas" ajudou a tirar a escultura do papel.

Em 29 de maio de 2009, Adams e outros líderes comunitários fizeram um evento para comemorar a escultura. Os participantes, que incluem uma variedade de entusiastas do ciclismo e antigos e atuais zoobombers, aglomerados em volta do antigo "Pilar Zoobomb". O desfile foi promovido pela Aliança dos Transportes por Bicicletas e pelo Projeto de Reparo Urbano.[7] Na cerimônia, a zoobomber de longa-data Shannon Palermo apresentou o gerente do Conselho de Arte Local e Cultura, que falou sobre a obra. "Handsome Dave" agradeceu aos que tornaram possíveis o Zoobomb e a escultura, então apresentou Adams, que cortou a fita após uma contagem regressiva e falou sobre as origens da obra.[1] Ele disse:

Foi há três ou quatro anos que o sr. Handsome disse: "você sabe, precisamos de um lugar para catalogar e armazenar nossas bicicletas" ... Ele disse que queremos fazer uma escultura ... e ele disse: 'Oh e nós queremos que você pague por isso' ... A cultura da bicicleta de Portland não é apenas divertida, é absolutamente necessária para o sucesso futuro desta cidade, para reduzir nossa pegada no meio ambiente, para nos tornarmos muito mais saudáveis ... e são coisas ótimas e peculiares como esta que fazem Portland, Portland, e eu estava realmente orgulhoso de ser uma pequena parte disso.[1]

Após o discurso de Adams, os participantes criaram o primeiro amontoado de bicicletas pequenas. Uma participante, que foi uma das primeira mulheres a entrar no Zoobomb, falou sobre a criação do primeiro amontoado.[1] Uma longa corrente foi enrolada através de cada uma das quase vinte bicicletas, que foram presas à escultura por Adams. Participantes do evento posaram para um foto em grupo e cantaram uma música chamada "12 rims", uma paródia da música "Mercedes Benz".[1] A comemoração acabou com dança nas ruas e com música dos The Sprockettes.[1]

RecepçãoEditar

Jonathan Maus da BikePortland.org descreveu a escultura como uma "obra funcional de arte pública que irá servir não apenas como um lugar para armazenar bicicletas e equipamentos do Zoobomb, mas também como um testemunho do que faz Portland, , e disse que o dia de sua instalação "irá viver para sempre na história da cultura de bicicletas de Portland".[1] Além do mais, ele disse que a obra é um reconhecimento ao Zoobomb como uma tradição, uma "instituição cívica e cultural com profundas conexões" com a cidade.[1] Em sua cobertura da cerimônia de inauguração, Maus escreveu: "É importante lembrar que isso não é apenas para o Zoobomb. Isso é para todos nós. É de uma cidade que encoraja e reconhece o poder da expressão criativa e ativismo não apenas presentes em um monumento físico, mas também no espírito de todos os habitantes de Portland."[1]

Em um guia de viagem, o autor Julian Smith chamou a escultura de um "amontoado num poste" e incluiu-a em uma lista de atrações "não populares".[10] Outros guias importantes de Portland listaram a obra como uma atração,[11][12] assim como guias especializados para ciclistas.[13][14]

NotasEditar

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q r Maus, Jonathan (1 de junho de 2009). «A monumental day for Zoobomb, and for Portland». BikePortland.org (em inglês). Consultado em 12 de dezembro de 2020 
  2. Feldman, Lucy (21 de julho de 2014). «In Portland, Riders on Tiny Bikes Go 'Zoobombing'». Wall Street Journal (em inglês). ISSN 0099-9660. Consultado em 12 de dezembro de 2020 
  3. Partridge, Eric (2009). The Routledge Dictionary of Modern American Slang and Unconventional English (em inglês). [S.l.]: Taylor & Francis 
  4. May 28, Sarah Mirk •; Pm, 2009 at 12:46. «Secret Sculpture Officially Cements Once-Fringe Zoobombers Into City». Portland Mercury (em inglês). Consultado em 12 de dezembro de 2020 
  5. «Zoobombers ponder 'pyle' options». BikePortland.org (em inglês). 23 de outubro de 2006. Consultado em 12 de dezembro de 2020 
  6. a b c d «"Public Art Search: People's Bike Library of Portland"». Regional Arts & Culture Council. Cópia arquivada em 23 de dezembro de 2017 
  7. a b Iserhott, Hinda (29 de abril de 2009). «"Zoobomb Public Art Unveiling"». City Repair Project. Cópia arquivada em 19 de outubro de 2014 
  8. «"Zoobomb Pyle, Portland, Oregon"». Public Art Archive. Cópia arquivada em 4 de março de 2016 
  9. a b c d «"People's Bike Library of Portland, 2009"». cultureNOW. Cópia arquivada em 22 de dezembro de 2017 
  10. Smith, Julian (2012). Frommer's Portland Day by Day. [S.l.]: John Wiley & Sons. p. 33. Cópia arquivada em 23 de dezembro de 2017 
  11. Cook, Sybilla Avery (2013). Walking Portland, Oregon. [S.l.: s.n.] p. 61. ISBN 0762794119. Cópia arquivada em 23 de dezembro de 2017 
  12. McCollon, Hollyanna (2016). Moon Portland. [S.l.]: Moon Publications/Avalon. p. 42. ISBN 1631212796. Cópia arquivada em 23 de dezembro de 2017 
  13. Roll, Todd (2014). Pedal Portland: 25 Easy Rides for Exploring the City By Bike. [S.l.]: Timber Press. p. 41. ISBN 978-1-60469-602-8 
  14. Weiss, Eben (2013). Bike Snob Abroad: Strange Customs, Incredible Fiets, and the Quest for Cycling Paradise. [S.l.]: Chronicle Books. p. 55. ISBN 978-1-4521-0525-3