Bicicleta Basca

antiga competição ciclista no País Basco

A Bicicleta Basca (oficialmente: Euskal Bizikleta) era uma competição ciclista por etapas disputada no País Basco (Espanha) no mês de junho da cada ano cuja origem está na Bicicleta Eibarresa.

Tem estado catalogada com a categoria 2.1 e desde a criação dos Circuitos Continentais UCI em 2005, dentro da categoria 2.hc (máxima categoria destes circuitos).

HistóriaEditar

G. P. RepúblicaEditar

Foram os inícios da Volta a Espanha.

Grande Prêmio da Bicicleta EibarresaEditar

Tem as suas origens na Grande Prova Eibarresa, clássica de um dia que se disputa na localidade armera, nascendo como prova por etapas no ano 1952. Desde que deixou-se de organizar a Volta ao País Basco lá pelo ano 1935 teve várias tentativas de recuperar uma carreira por etapas que percorresse as estradas do País Basco, entre elas estão em Circuito del Norte, organizado em Bilbao que constou de cinco edições entre 1939 e 1945, e o G. P. Ayuntamiento de Bilbao, organizada primeiramente nos anos nos que não se celebrou em primeiro. Mas desde Eibar pensou-se que tinha que montar uma carreira por etapas na que se pudessem medir os ciclistas bascos com os estrangeiros e para isso, e festejando o vigésimo quinto aniversário do Clube Ciclista Eibarrés, se organizou o Grande Prêmio da Bicicleta Eibarresa, conseguindo a ajuda da maioria das fábricas e da gente de Eibar.

Esta primeira edição de disputou entre os dias 9 e 11 de maio e ia constar de três etapas, todas elas com meta e saída em Eibar, mas percorrendo todas as províncias de Hegoalde para realizar um total de 663 km. Conseguiu-se a participação de quatro franceses, três italianos e dois luxemburgueses, não podendo finalmente o fazer, apesar de estar inscrito, o francês Jean Dotto, vencedor nesse ano na etapas do Tour de France de Mont Agel e em Mont Faron, amem de ter terminado a Paris-Nice em quarta posição. Entre os favoritos não tinha nada claro, já que tinha um leque de corredores que qualquer deles podia fazer com o triunfo final, resultando o vencedor o francês Louis Caput.

Vídeo da Bicicleta Eibarresa em 1956

Unificação da Bicicleta Eibarresa com a Volta ao País Basco (1969-1973)Editar

Devido às grandes perdas económicas dos últimos anos, os organizadores eibarreses decidem unir a recuperada Volta ao País Basco com a Bicicleta Eibarresa. O diário “La Voz da Espanha” apoiou a iniciativa e converteu-se no principal patrocinador. Esta união durou até ano de 1973. Para não complicar o palmarés de ambas provas, nestes anos se costumam considerar pertencentes à Volta ao País Basco.

Subida a Arrate-Bicicleta EibarresaEditar

No ano 1987 recuperou-se a Bicicleta Eibarresa da mão da Subida a Arrate, que se vinha disputando desde o ano 1941. Assim foi até ano 1991, em que se tomou o nome atual de Euskal Bizikleta. A carreira disputou-se em três “critériums independentes”, de tal forma que ao triunfo parcial na cada etapa podia optar um corredor que se tivesse retirado na jornada anterior. Evidentemente no geral final da prova os retirados não podem aparecer. Foram três etapas duras, com dois portos de primeira categoria, cinco de segunda e outros cinco de terça e ao longo dos 593 km deviam de decidir quem ia ser o homem que vestiria na Subida a Arrate o precioso maillot azul de líder.

Euskal Bizikleta-Bicicleta BascaEditar

A partir do ano 1991 a nova denominação da carreira foi Euskal Bizikleta-Bicicleta Basca (a partir do 2004 só com a denominação em basco), com fins de conseguir uma maior projecção internacional e de ser mais operativos face a contactar com diferentes empresas, pois o nome da edição anterior, Subida a Arrate-Bicicleta Eibarresa-ETB Bira (devido ao patrocínio de Euskal Telebista), era demasiado longo e pouco concisso. De passagem de queria converter numa prova que não fora “só” de Eibar, senão que estivesse representado todo o território basco com o novo mome. O orçamento rondava os 65 milhões de pesetas e as etapas tiveram meta em Balmaseda, Tolosa, Loiola, Eibar e Arrate com um percurso de quase 849 km. A estrela deste ano ia ser o as italiano Gianni Bugno, corredor muito querido por terras bascas, que junto a Miguel Indurain, Toni Rominger e o anterior ganhador Thierry Claveyrolat eram os favoritos face à classificação final. O traçado dessa edição era adequado para a preparação daqueles que estavam afinando a sua forma face à grande cita do calendário, que não era outra que o Tour de France. Os escaladores partiram com vantagem ao não ter nenhuma etapa contra o relógio e terminar a carreira na Subida a Arrate.

Nos últimos anos constava de 5 etapas de quartas-feiras a domingo. Tinha a peculiaridade de:

  • 1ª etapa - Começa na localidade guipuzcoana de Eibar.
  • 4ª etapa - Nos últimos anos constava de 2 sectores. O sector matinal de menos de 100 km e pela tarde uma contrarrelógio de uns 15 km
  • 5ª etapa: faz-se entre as instalações da ETB em Durango e Arrate (monte de Eibar) com mais de 6 portos.

Ainda que nas edições do 2007 e 2008 variaram-se esses costumes tendo somente 3 etapas, ademais na do 2008 suprimiu-se o duplo-sector da penúltima etapa e a saída nas instalações da ETB numa última etapa de "somente" 4 portos. Todas essas mudanças não auguravam bom futuro à carreira provocando finalmente a fusão de novo com a Volta ao País Basco até mínimo 2012.[1]

Unificação da Euskal Bizikleta com a Volta ao País BascoEditar

Devido à crise económica de 2008-2016, a partir de 2009 voltou a unir com a Volta ao País Basco a instâncias do Governo Basco que patrocinava ambas provas, ainda que com uma percentagem muita maior para a Euskal Bizikleta, aliás a Euskal Telebista (Televisão Pública Basca) era um dos principais patrocinadores da Euskal Bizikleta. Dita união trouxe consigo que Organizações Desportivas El Diário Basco se renomeasse por Organizações Ciclistas Euskadi.[2] Com respeito aos percursos isso supôs a partir deste ano se atribuiu uma etapa com final em Arrate, começo da seguinte etapa em Eibar e vários passos por dita localidade.[3]

Para não complicar o palmarés de ambas provas, nestes anos se costumam considerar pertencentes à Volta ao País Basco.

PalmarésEditar

Ano Ganhador Segundo Terceiro
Eibarko Bizikleta
1952   Louis Caput   Willy Kemp   Espanha Hortensio Vidaurreta
1953   Espanha Vicente Iturat   Espanha Francisco Masip   Lido Sartini
1954   Espanha José Serra Gil   Espanha Federico Martín Bahamontes   Espanha Hortensio Vidaurreta
1955   Espanha José Escolano   Espanha Vicente Iturat   Espanha Bernardo Ruiz
1956   Espanha Jesús Loroño   Espanha Jesús Galdeano   Espanha Miguel Bover
1957   Espanha Antón Barrutia   Espanha Miguel Vidaurreta   Espanha Carmelo Morais
1958   Espanha Jesús Loroño   Espanha Antonio Karmany   Espanha Antonio Suárez
1959   Espanha Antonio Bertrán   Espanha Fernando Manzaneque   Espanha Salvador Botella
1960   Espanha Benigno Aspuru   Jean Claude Annaert   Espanha Carmelo Morais
1961   Espanha Antonio Karmany   Jean Claude Annaert   Espanha Luis Otano
1962 Predefinição:RDAb Rolf Wolfshohl   Espanha Antonio Karmany   Espanha Francisco Gabica
1963   Espanha Juan José Sagarduy   Espanha Antonio Karmany   Espanha Fernando Manzaneque
1964   Espanha Carlos Echeverría   Espanha Julio Jiménez   Espanha Joaquín Galera
1965   Espanha Sebastián Elorza   Espanha Luis Otano   Espanha José Luis Talamillo
1966   Espanha Eusebio Vélez   Lucien Aimar   Espanha José María Errandonea
1967   Espanha Carlos Echevarría   Espanha José María Errandonea   Espanha José Luis Uribezubia
1968   Espanha José María Errandonea   Espanha Aurelio González Puente   Espanha Francisco Gabica
Arrateko Igoera
1987   Marino Lejarreta   Pedro Muñoz   Iñaki Gastón
1988   Jokin Mujika   Robert Millar   Charly Mottet
1989   Federico Echave   Thierry Claveyrolat   Pedro Muñoz
1990   Thierry Claveyrolat   Federico Echave   Francisco Javier Mauleón
Euskal Bizikleta
1991   Gianni Bugno   Piotr Ugrumov   Miguel Indurain
1992   Franco Chioccioli   Piotr Ugrumov   Danny Nelissen
1993   Piotr Ugrumov   Franco Chioccioli   Stefano Della Santa
1994   Stefano Della Santa   Evgueni Berzin   Davide Rebellin
1995   Evgueni Berzin   Alex Zülle   Francesco Frattini
1996   Miguel Indurain   Alex Zülle   Marcelino García
1997   Abraham Olano   Fernando Escartín   Daniel Clavero
1998   Abraham Olano   Aitor Garmendia   Laurent Jalabert
1999   David Etxebarría   José Alberto Martínez   Unai Osa
2000   Haimar Zubeldia   Igor González de Galdeano   David Etxebarría
2001   Juan Carlos Domínguez   Joseba Beloki   Igor González de Galdeano
2002   Mikel Zarrabeitia   Raimondas Rumsas   José Azevedo
2003   José Antonio Pecharromán   Joseba Beloki   Francesco Casagrande
2004   Roberto Heras   Roberto Laiseka   Samuel Sánchez
2005   Eladio Jiménez   Adrián Palomares   Aketza Peña
2006   Koldo Gil   David Ferreiro   Jesús del Nero
2007   Constantino Zaballa   Jörg Jaksche   José Miguel Elías
2008   Eros Capecchi   Igor Antón   Adrián Palomares

Palmarés por paísesEditar

País Vitórias
  Espanha 30
  Itália 4
  França 2
  Alemanha 1
  Letônia 1
  Rússia 1

Ver tambémEditar

Notas e referênciasEditar

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Bicicleta Basca