Abrir menu principal

Bicicletas, Bolos e Outras Alegrias

Bicicletas, Bolos e Outras Alegrias
Álbum de estúdio de Vanessa da Mata
Lançamento 13 de outubro de 2010
Gênero(s) MPB, Pop
Duração 45:14
Gravadora(s) Sony Music Brasil
Produção Kassin
Cronologia de Vanessa da Mata
Multishow ao Vivo: Vanessa da Mata
(2009)
Vanessa da Mata canta Tom Jobim
(2013)
Singles de Bicicletas, Bolos e Outras Alegrias
  1. "O Tal Casal"
    Lançamento: 9 de setembro de 2010
  2. "Te Amo[1][2]"
    Lançamento: 21 de março de 2011
  3. "As Palavras"
    Lançamento: 2 de novembro de 2011

Bicicletas, Bolos e Outras Alegrias é o quarto álbum de estúdio da cantora mato-grossense Vanessa da Mata, e o quinto de sua carreira, lançado em 13 de outubro de 2010, através da Jabuticaba Records, selo da cantora ligado à Sony Music Brasil. Todas as faixas do álbum foram compostas por Vanessa da Mata, sendo que duas faixas em parceria com Lokua Kanza e Gilberto Gil, que também canta em uma das canções do álbum.

Índice

Gravação e produçãoEditar

Originalmente, o álbum seria produzido, gravado e lançado em 2011. Entretanto, Da Mata disse que surgiu uma oportunidade de parceria com a Natura e ela aceitou.[3] Isso fez com que ela se retirasse para um sítio, onde começou a compor as canções;[4] a cantora e compositora mato-grossense disse que era hora de fazer um novo álbum, pois, as canções começaram a tomar sua cabeça. Segundo a própria, "as músicas pedem para ser gravadas". O produtor do disco, Alexandre Kassin, disse que o novo projeto é diferente do último, pois, Vanessa não tinha muitas músicas acabadas, mas, tinha mais ideias. Antes das sequencias de ensaios, os dois encontraram-se para analisar as letras, mesmo sendo um álbum em que Vanessa da Mata teve pouco tempo após compor.[5]

Kassin ainda disse que apesar de Vanessa não toca nenhum instrumento, ela chega ao estúdio com a canção e a melodia pronta. Devido a isso, os ensaios são importantíssimos para ela passar à cada músico o que "está na cabeça dela".[6] Segundo a cantora, o processo de criação de seus álbuns são totalmente artesanais, pois, ela canta as melodias para os demais integrantes da banda.[6] Sobre essa, a Da Mata disse que ela trouxe os músicos para formar o estilo que ela gostaria para o álbum.[7]

A cantora disse que o produtor do álbum, Kassin, é um amigo dentro do estúdio. Ela revelou ao portal Terra, que ele conhece as preferências dela e que, ambos vão palpitando sobre as canções, um convencendo ao outro.[8] Além disso, Da Mata leva todas as ideias para o Kassin e escolhe, ao lado dele, as músicas que são "mais inspiradoras", fazendo uma mistura para que o álbum seja "fértil e colorido".[8] O álbum conta apenas com teclado, baixo, guitarra e bateria, como base. Diferente de algumas gravações tradicionais, todos os instrumentos foram registrados juntos, segundo o produtor, para manter uma unidade ao projeto.[9] Para o jornal O Povo, Vanessa disse que acredita que neste disco ela consegue "cumprir um antigo desejo meu que era adequar poesia, letra e melodia. Antes eu notava que precisava dar rodeios para chegar ao ponto que eu queria dizer. Dessa vez, acho que consegui fazer as coisas mais diretas”.[10]

MúsicasEditar

O primeiro single do álbum, "O Tal Casal", e a canção "As Palavras" arrebataram a gravadora, segundo Vanessa,[11] mas, a primeira era uma canção que não entraria no projeto inicialmente. Apenas, após mudar o arranjo ela foi "encaixada". Segundo a cantora, ela sempre ouvia as pessoas falarem "quem eu quero não me quer, e quem me quer eu mandei embora. O romântico gosta de quem não gosta dele. E eu quis falar um pouco disso de uma maneira gostosa, pois, encontrar é se encontrar".[12] A canção "As Palavras" veio para explicar o que a música tem de significado para a cantora, Vanessa faz uma alusão sobre isso, referindo-se ao "pecado", dizendo que várias pessoas podem ter interpretações diferentes sobre a mesma palavra.[13] Em "Bolsa de Grife", Vanessa da Mata fala sobre o fato de não precisar de coisas caras para se sentir realizada ou aliviadas de alguma angústia.[14] Já "Moro Longe", para a Vanessa, é uma canção direta e objetiva, "Se eu for ai/Faça valer a pena".[15] A faixa que dá o nome ao álbum, "Bicicletas, Bolos e Outras Alegrias", é uma canção que faz homenagem a avó da cantora, Sinha, e uma receita. Ela revela influência de Chico Buarque na faixa, no trecho: "Quem disse que faniquito não cura/Quem disse que açúcar e afeto não podem curar".[16]

  As letras tem a ver comigo, e não tem a ver. É uma maneira minha de interpretar as coisas, mas, essas coisas não acontecem na minha vida. É muito difícil eu falar de mim na letra  

Vanessa da Mata, para o portal Terra[17]

"Te Amo", segundo da Mata, foi escrita, por que ela queria uma canção que falasse de amor, que houvesse a expressão "te amo",[18] e que falasse do medo de se entregar à outra pessoa. "Vê Se Fica Bem", para Vanessa, é uma letra que pode ser entendida como um amor não assumido de uma das partes. No entanto, a cantora disse que a canção tem um forte cunho homossexual, de alguém que está se descobrindo sexualmente.[19]

A canção "Vá", é uma canção de despedida, de dor profunda. A canção foi enviada a uma cantora, mas, ela foi devolvida à Vanessa. A cantora presenteada, disse que não poderia cantar a canção, pois, quando ela ouvia a canção ela só chorava. Da Mata disse que não sabe como compôs a canção, de onde tirou inspiração, mas, imagina que pode ser de uma desilusão passada.[20] "Quando Amanhecer" surgiu quando Vanessa estava na casa de Gilberto Gil, e ambos estavam falando sobre projetos futuros, até o momento que Da Mata o convidou para compor uma canção. Então, Gil deu à Da Mata uma melodia para ela fazer a letra ("Lá Vem Ela"), enquanto Gil fez as harmonias para algumas canções para Vanessa da Mata. Em estúdio, a cantora pediu para que Gilberto Gil cantasse e ele aceitou.[21]

Segundo a própria cantora, a ideia de fazer a canção "Fiu Fiu" vem de dois anos, pois, para Vanessa é algo totalmente brasileiro, apesar de não saber se a expressão é utilizada nos demais países. No entanto, ela revela que descobriu, durante uma viagem à Alemanha, que existe um pássaro que reproduz a sonoridade em questão.[22] Vanessa disse que a canção tem o objetivo de retratar o desencontro entre o homem e a mulher, pois, "o homem gosta da mulher voluptuosa, gostosa [por isso a inserção da construção civil],[22] enquanto a mulher gosta de estar mais magra [retratada através da dieta, retrata da música].[22] Isso já faz um tempo, então, existe uma sintonia e um empasse da mulher, quando o namorado acha que ela está ótima e diz 'adoro pegar nesse bracinho fofinho', ela quer morrer. É uma brincadeira e uma crítica a isso".[12] A cantora disse que quis falar de quando você está magra ninguém te nota, mas, se engorda um pouco, você é notada.[22] "Meu Aniversário" foi feito em 10 de fevereiro, na Bahia e retrata o gosto da cantora pelo aniversário, sendo a data, para ela, um dia único e especial.[23]

Recepção da críticaEditar

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
O Estado de S. Paulo[24]      
allmusic[25]      
Época[26] (Positivo)
Jornal do Commercio[4] (Positivo)
Rolling Stone Brasil      [27]
Caipirinha Lounge (Positivo)[28]

O escritor moçambicano Mia Couto disse que se sente leve após escutar o novo álbum de Vanessa da Mata, para ele "essa leveza surge pelo talento de Vanessa para costurar palavra e som, como se ela soubesse que poesia e música são dois nomes de uma mesma linguagem divina".[29] O crítico Beto Feitosa, do site ZiriGuidum.com, disse que Vanessa apresenta um álbum com farto material radiofônico com refrões "chiclete" e que, para ele é um "drops de delícias pop, baladas, um toque de África e um chão de Brasil; tudo muito bem embaladinho em bom papel". Feitosa, ainda elogia a canção "Fiu Fiu" a quem chama de "divertida, que flerta com velhos clichês eletrônicos" e compara "Bolsa de Grife" às canções dos Mutantes.[30] Ceci Alves, do jornal baiano Correio, inicia a crítica caracterizando Vanessa da Mata como uma diva e dizendo que o seu novo álbum é uma "conversa ao pé de ouvido", pois, para ela, da Mata, traz "seu universo pessoal… mas pleno de referências que dialogam com o ouvinte. E qualquer que seja ele: desde o sisudo cult ao flanador de dial de rádio". Além disso, Alvez diz que "Te Amo" traz referências de Roberto Carlos, e, assim como Beto Feitosa, diz que "Bolsa de Grife", possui arranjos similares ao dos Mutantes.[31] Paralelamente à crítica de Alves, o mesmo jornal publicou uma análise de Hagamenon Brito, que identifica na obra de Vanessa sua infância no interior do estado do Mato Grosso, "onde natureza exuberante e riquezas se misturam o tempo todo". Para Brito, Vanessa tem um "frescor telúrico" e mostra seu ecletismo único ao falar de romantismo (com "O Tal Casal" e "Te Amo"), criticar o consumismo (em "Bolsa de Grife") e celebrar a alegria ("Meu Aniversário"). Concluindo sua análise, Hagamenon Brito diz que Vanessa está acima da média das produções da música popular brasileira e elogia os arranjos simples e sofisticados, além de sua banda.[31] Depois de critica o fechamento de Gal Costa e chama Marisa Monte de incompreensível, Thiago Mariano, do Diário do Grande ABC, diz que Vanessa da Mata é a "grande refência de agudos e voz suave da música brasileira com boa produção e excelente apelo popular" e, assim como os críticos do jornal baiano "Correio", Mariano, diz que o álbum apresenta um frescor, com uma roupagem sonora moderna e criativa, revelando referências da infância da cantora. Para o crítico, "o disco é uma opção de trazer alegria aos momentos cinzentos em reminiscências das fases mais felizes da vida".[32] A crítica de Mariano Prunes, da allmusic, diz que depois de uma trajetória de sucessos, Vanessa "desfruta dos frutos do seu trabalho duro" com o novo álbum. Para Prunes, a cantora "cresceu com confiança e independência" - principalmente devido a criação de seu próprio selo -, e não tem mais a responsabilidade de criar um "nome"; Mariano diz que Kassin é um "multi-talensoso produtor", que ao lado de Moreno Veloso e Domenico, criam trabalhos formidáveis na cena musical brasileira. Diz que o álbum é "excelente", apesar de não ter hits e, que, a última faixa (interpretada ao lado de Gilberto Gil), revela que a cantora está em um nível de composição que apenas poucos artistas alcançam.[25]

Para Adriana Del Ré, do jornal O Estado de S. Paulo, Vanessa não quis ter resquícios de seus trabalhos anteriores. Del Ré diz que chamar alguém para participar do álbum poderia soar como uma repetição do single "Boa Sorte/Good Luck", com Ben Harper, porém, Vanessa diz que "não queria fazer outro Sim" e, por isso o cuidado com a participação de Gil, em "Quando Amanhecer". A crítica do jornal ainda diz que "Biciletas, Bolos e Outras Alegrias busca uma confluência de sonoridades africana e brasileira, dentro de um universo familiar a qualquer pessoa", pois, segundo a crítica, "qualquer um pode viver o clichê de se rasgar de amor" ("Te Amo"), qualquer um pode viver uma desilução ("Vá") ou ter uma "avó quituteira de mão cheia", etc.[24] A análise da revista Época diz que o fato de Vanessa ter como base suas raízes para marcar o trabalho não é novo, mas, vem de 1999, quando compôs, ao lado de Chico César, "A Força Que Nunca Seca", para Maria Bethânia, e após isso as canções como "Não Me Deixe Só" e "Ai, Ai, Ai…", por exemplo. Para Mariana Shirai, crítica da revista, o álbum de Da Mata traz "delicadeza" e o "despojamento" que consagrou a cantora em canções de amor, mesmo experimentando "novas rotas de estilo, em 'Te Amo'" e possui arranjos "piscodélicos", pois mesclam diferente referências (ritmos latinos, africanos, tecnobrega, reggae e jovem guarda), dando crédito ao produtor por isso.[26] José Teles, do Jornal do Commercio, publicou em 11 de outubro de 2010, um artigo intitulado como "exuberância sonora de Vanessa da Mata", onde diz que "a fossa passou longe" do novo álbum, mais sofisticado, que consolida seu "estilo melódico e temas bem particulares". Para Teles, a faixa-título, recebe uma levada do axé, enquanto "O Tal Casal", começa calmo e engata uma "levada de balda, levemente acelerada". Mas, diferente das demais críticas, José Teles diz que "Fiu Fiu" tem forte posibilidades de se tornar um hit, dizendo que a canção é um "pop perfeito com ótima letra" e estende o elogio à cantora, dizendo que apesar de ter artistas que buscam uma batida perfeita, Vanessa chega ao pop perfeito, com o novo álbum.[4]

O crítico musical angolano Claudio Silva, que avalia músicas em língua portuguesa no blog bilíngue "Caipirinha Lounge", conceituou o álbum entre os melhores que ouviu no último ano "Mais uma vez a qualidade de produção está exemplar, ainda mais que o Sim, e ouvindo estas músicas em headphones de verdade é uma experiência por si só. Há muitos que dizem que às vezes a MPB é monótona e repetitiva mas quase que cada seis meses saem álbuns como este e nos derretem a todos. Sinto-me, sei lá, mais próximo a esta artista por causa deste álbum… Creio que este é talvez o melhor dela, e com certeza o mais maduro. Sinto que ela está mais livre, mais solta. O álbum tem elementos de rock, reggae, samba, bossa, uma pitada de electronica e bué de atitude".

Lista de faixasEditar

N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "O Tal Casal"  Vanessa da Mata 4:20
2. "Fiu Fiu"  Vanessa da Mata 4:17
3. "Te Amo"  Vanessa da Mata 3:36
4. "Meu Aniversário"  Vanessa da Mata 3:00
5. "Vê Se Fica Bem"  Vanessa da Mata 4:02
6. "Bolsa de Grife"  Vanessa da Mata 2:45
7. "As Palavras"  Vanessa da Mata 4:10
8. "Bicicletas, Bolos e Outras Alegrias"  Vanessa da Mata 4:21
9. "Vá"  Vanessa da Mata, Lokua Kanza 4:38
10. "Moro Longe"  Vanessa da Mata 3:23
11. "O Masoquista e o Fugitivo"  Vanessa da Mata 3:26
12. "Quando Amanhecer" (Part. Gilberto Gil)Vanessa da Mata, Gilberto Gil 3:19
Duração total:
45:14

Posições nas paradasEditar

Parada (2010) Melhores
posições
  Brasil ABPD - Top CD[33] 4

Vendas e certificaçõesEditar

País / Certificadora Certificação Vendas
  Brasil (ABPD) - CD   Platina 150.000

Editar

Referências

  1. «Twitter/Sony Music Brasil: RT: Novo clipe da Vanessa da Mata, "Te amo", nas rádios e nas telas. Confira!». 21 de março de 2011. Consultado em 22 de março de 2011 
  2. «Twitter/Vanessa da Mata: Te amo" - nas rádios e nas telas:». 21 de março de 2011. Consultado em 22 de março de 2011 
  3. LICHOTE, Leonardo (6 de outubro de 2010). «Vanessa da Mata celebra as alegrias simples da vida em seu novo disco - O Globo». O Globo. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  4. a b c TELES, José (11 de outubro de 2010). «Jornal do Commercio». Facebook. Consultado em 12 de dezembro de 2010 
  5. «"As músicas pedem para ser gravadas", diz Vanessa - Vídeos de Diversão - TerraTV» (Vídeo). Terra Networks. 16 de setembro de 2010. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  6. a b «Acompanhe o ensaio de Vanessa da Mata e banda - Vídeos de Diversão - TerraTV» (Vídeo). Terra Networks. 30 de setembro de 2010. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  7. «Vanessa da Mata apresenta sua banda - Vídeos de Diversão - TerraTV» (Vídeo). Terra Networks. 15 de setembro de 2010. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  8. a b «Vanessa da Mata apresenta o produtor de seu novo disco - Vídeos de Diversão - TerraTV» (Vídeo). Terra Networks. 21 de setembro de 2010. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  9. «Músicos gravam juntos no disco de Vanessa da Mata - Vídeos de Diversão - TerraTV» (Vídeo). Terra Networks. 5 de outubro de 2010. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  10. FILHO, Luciano Almeida (7 de outubro de 2010). «O POVO Online - Vida e Arte - Sol e flores». O Povo Online. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  11. «Vanessa da Mata - Faixa a faixa: "O Tal Casal"» (Vídeo). Site oficial. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  12. a b DA MATA, Vanessa (8 de outubro de 2010). «Facebook - Quer saber como a...». Facebook. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  13. «Vanessa da Mata - Faixa a faixa: "As Palavras"» (Vídeo). Site oficial. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  14. «Vanessa da Mata - Faixa a faixa: "Bolsa de Grife"» (Vídeo). Site oficial. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  15. «Vanessa da Mata - Faixa a faixa: "Moro Longe"» (Vídeo). Site oficial. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  16. «Vanessa da Mata - Faixa a faixa: "Bicicletas, Bolos e Outras Alegrias"» (Vídeo). Site oficial. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  17. «Vanessa da Mata fala do processo de composição - Vídeos de Diversão - TerraTV» (Vídeo). Terra Networks. 24 de setembro de 2010. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  18. «Vanessa da Mata - Faixa a faixa: "Te Amo"» (Vídeo). Site oficial. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  19. «Vanessa da Mata - Faixa a faixa: "Vê Se Fica Bem"» (Vídeo). Site oficial. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  20. «Vanessa da Mata - Faixa a faixa: "Vá"» (Vídeo). Site oficial. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  21. «Vanessa da Mata - Faixa a faixa: "Quando Amanhecer"» (Vídeo). Site oficial. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  22. a b c d «Vanessa da Mata - Faixa a faixa: "Fiu Fiu"» (Vídeo). Site oficial. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  23. «Vanessa da Mata - Faixa a faixa: "Meu Aniversário"» (Vídeo). Site oficial. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  24. a b DEL RÉ, Adriana. «Fotos de Vanessa da Mata - Fotos do mural». O Estado de S. Paulo. Facebook. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  25. a b PRUNES, Mariano. «Bicicletas, Bolos e Outras Alegrias - Vanessa da Mata : AllMusic». allmusic. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  26. a b SHIRAI, Mariana (7 de outubro de 2010). «Mente Aberta - NOTÍCIAS - Na garupa psicodélica de Vanessa». Época. Consultado em 12 de dezembro de 2010 
  27. FERREIRA, Mauro. «Guia - CDs - Rolling Stone Brasil». Rolling Stone Brasil. Consultado em 25 de dezembro de 2010 
  28. SILVA, Claudio (14 de dezembro de 2010). «Caipirinha Lounge: Bicicletas, Bolos, e Outras Alegrias, by Vanessa da Mata». Caipirinha Lounge. Consultado em 26 de janeiro de 2011 
  29. «Vanessa da Mata : "A bebedora de sóis"». Site oficial. 5 de outubro de 2010. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  30. FEITOSA, Beto. «ZiriGuidum.com | As coisas simples de Vanessa da Mata». ZiriGuidum.com. Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  31. a b ALVES, Ceci; BRITO, Hagamenon (7 de outubro de 2010). «CORREIO / O QUE A BAHIA QUER SABER: Vanessa da Mata lança o álbum Bicicletas, Bolos e Outras Alegrias». Correio. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  32. MARIANO, Thiago (11 de outubro de 2010). «A roça pop de Vanessa da Mata - Diário do Grande ABC». Diário do Grande ABC. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  33. Pesquisa entre 07/2013 e 08/2013 na parada de CDs: «Portal Sucesso - Top CD». Portal Sucesso. Consultado em 17 de agosto de 2013