Bobadela (Oliveira do Hospital)

freguesia do município de Oliveira do Hospital, Portugal

Bobadela é uma freguesia portuguesa do município de Oliveira do Hospital, com 5,68 km² de área e 759 habitantes (2011). A sua densidade populacional é de 127,3 hab/km².

Portugal Portugal Bobadela 
  Freguesia  
Bobadela PM 33334.jpg
Símbolos
Brasão de armas de Bobadela
Brasão de armas
Gentílico Bobadelense
Localização
Bobadela está localizado em: Portugal Continental
Bobadela
Localização de Bobadela em Portugal
Coordenadas 40° 21' 37" N 7° 53' 36" O
Município OHP1.png Oliveira do Hospital
Administração
Tipo Junta de freguesia
Presidente Vasco Marques Brântuas Ribeiro (PS)
Características geográficas
Área total 5,68 km²
População total (2011) 759 hab.
Densidade 133,6 hab./km²
Código postal 3400
Outras informações
Orago Nossa Senhora da Graça

LocalizaçãoEditar

Povoação e freguesia da província da Beira Alta, concelho e comarca de Oliveira do Hospital, distrito e bispado de Coimbra. Um vale de onde não se avistam outras povoações, na margem direita do rio Alva e na esquerda do rio Mondego.

PopulaçãoEditar

População da freguesia de Bobadela [1]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
848 851 771 789 816 743 677 826 923 830 803 750 759 761 759

     

HistóriaEditar

Antigamente foi da câmara de Linhares e pertencente à Casa do Infantado, que apresentava o prior, o qual tinha de renda 300$000 rs. Foi concelho, tendo dois juízes ordinários e câmara. A terra é muito fértil e saudável.

Diz o cronista: «Em tempos remotos Bobadela foi cidade, ou pelo menos povoação muito populosa, pelo que se vê em seus arrabaldes, em que se encontram pedras lavradas, colunas e outros objetos antiquíssimos em grande quantidade. Dentro da vila, ainda existia há anos um arco de pedra lavrada de muita magnificância e antiguidade, que indicava ser porta de muralha. Ignora-se que cidade seria ou por que nome seria conhecida.

A igreja de três naves é muito antiga, assim como a capela do Santo Cristo, que tem a parede feita de arcos hoje tapados, exceto o que serve de porta. Fica perto do adro da matriz, muito extenso, cheio de sepulturas e de grande quantidade de pedras à maneira de marcos lavrados. Aos lados, cabeceiras e pés de todas elas se veem lavradas cruzes como as das comendas. Julgava-se que nas proximidades houve grande batalha contra os romanos ou os mouros, e que tais sepulturas pertencem aos cavaleiros lusitanos mortos na peleja. As contínuas guerras da Idade Média portuguesa destruíram tanto a vila que em 1750 contava somente 78 habitantes. Mas como vila portuguesa, é antiga, pois D. Afonso III lhe deu foral na Guarda em 1256; e D D Manuel I foral novo em Lisboa em 15 de outubro de 1513.

Foi vila e sede de concelho até ao início do século XIX. Era constituído por uma freguesia e tinha, em 1801, 634 habitantes.

PatrimónioEditar

MuseusEditar

Referências

  1. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes

Ligações externasEditar


  Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.