Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2011). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Boeing 707
Avião
Boeing 707-382B da TAP Portugal.
Descrição
Tipo / Missão Avião comercial
País de origem  Estados Unidos
Fabricante Estados Unidos Boeing
Período de produção 1958-1979
Quantidade produzida 856
Custo unitário US$ 4,3 milhões (1955)
Primeiro voo em 20 de dezembro de 1957 (61 anos)
Introduzido em 21 de outubro de 1958 com a Pan American World Airways
Tripulação 3 (piloto, copiloto e engenheiro de voo)
Passageiros 166
Número de classes 2 classe(s)
Especificações
Dimensões
Comprimento 46,61 m (153 ft)
Envergadura 44,42 m (146 ft)
Altura 12,93 m (42,4 ft)
Peso(s)
Peso vazio 49 900 kg (110 000 lb)
Peso máx. de decolagem 151 320 kg (334 000 lb)
Propulsão
Motor(es) 4x PW JT3C-6
4x PW JT4A-3s
4x PW JT3D-1
4x PW JT3D-3 e PW JT3D-7
Performance
Velocidade de cruzeiro 972 km/h (524 kn)
Alcance (MTOW) 5 040 km (3 130 mi)
Notas
Dados da Wikipédia anglófona - 707

O Boeing 707 é um avião comercial a jato quadrimotor de porte médio e fuselagem estreita produzido pela Boeing entre os anos de 1958 e 1979 com capacidade de 140 até 219 passageiros, com autonomia de 2.500 a 5.750 milhas náuticas (4.630 a 10,650 km). [1]

O 707 foi o primeiro avião comercial a jato produzido pela Boeing. Embora não tenha sido o primeiro avião comercial a jato, o 707 foi um grande sucesso comercial e dominou o transporte aéreo de passageiros durante as décadas de 60 e o início da década de 70. Foi graças ao 707 que a Boeing se tornou a maior fabricante de aviões comerciais do mundo.

HistóriaEditar

Até a década de 1950, a Boeing era uma fabricante sem muita expressão, entre as muitas existentes nos Estados Unidos. Era conhecida apenas por suas aeronaves militares. Como a primeira grande cartada da Boeing para entrar ao mesmo tempo no mercado civil e militar com um avião de asas e enflechadas e propulsão a jato, a Boeing desenvolveu o 367-80 (Dash 80), do qual nasceram a versão civil 707 e a versão militar, o KC-135A, para reabastecimento em vôo na era do jato.

O Boeing 707 foi o primeiro a ter grande sucesso de vendas, bem como a primeira aeronave série 7X7 da Boeing. O seu principal concorrente era o Douglas DC-8 da ex-maior fabricantes de aviões comerciais, a Douglas.

O DC-8 se mostrou um formidável concorrente, porém o Boeing 707 vendeu mais de 800 unidades, vencendo a disputa entre as duas fabricantes.

No BrasilEditar

 
Boeing 707-300 da Varig.

A unica empresa aérea a operar o 707 para vôos de passageiros foi a Varig, que iniciou as operações com o modelo 400 em 1960, e em 1965 começou a operar os modelos 300. No total foram 20 modelos operados, em 1987 a Força Aérea Brasileira adquiriu quatro desses modelos utilizando um deles como avião presidencial (o FAB 2401), a Varig operou o modelo até o ano de 1989.

O avião também foi operado por diversas empresas cargueiras. A última empresa a operar o avião foi a BETA Cargo até o ano de 2008.[2][3]

CaracterísticasEditar

 
Boeing 707-100.
 
Boeing 707-300 British Caledonian (1976).

O 707 é um quadrijato, possuindo dois motores sob cada asa. A primeira linha aérea a operá-lo foi a Pan Am, realizando a rota Nova Iorque - Paris, em 26 de outubro de 1958.

O alcance do Boeing 707 é de aproximadamente 5.700 mn (10659 km), velocidade de cruzeiro de 815 km/h, e a capacidade de passageiros, de até 202 pessoas. O Boeing 737, o Boeing 727 e o Boeing 747 utilizaram muito da tecnologia do seu antecessor, e podem ser consideradas como descendentes diretos dele.

ProduçãoEditar

 
Uma aeronave da El Al em Zurique.

A produção do 707 começou em 1954 e terminou em 1978, embora as versões de uso militar tenham continuado em produção até 1991. A Boeing fabricou um total de 856 unidades do avião.

VariantesEditar

 
Boeing 707-400.
  • Boeing 367-80 : Foi o primeiro modelo desenvolvido da série 707, voando pela primeira vez em 1954.
  • Boeing 707-100 : Foi a primeira versão, vendida para a Pan Am.
  • Boeing 707-200 : Com motores Pratt & Whitney.
  • Boeing 707-300 : A versão de maior sucesso, com melhorias e novos motores.
  • Boeing 707-400 : Com motores Rolls-Royce.
  • Boeing 720 : Versão menor, para pistas curtas.

Dados TécnicosEditar

707-100 707-300
Tripulação de cabine 3 ou 4
Passageiros 110-179 147-219
Comprimento 44,07 m 46,61 m
Envergadura 39,90 m 44,42 m
Altura 12,93 m 12,93 m
Peso máximo de decolagem (MTOW) 116570 kg 151320 kg
Peso da aeronave vazia 55580 kg 66406 kg
Pista mínima para decolagem 3330 m 3280 m
Capacidade de combustível 65600 L 90300 L
Pista mínima para pouso 1875 m 1813 m
Alcance Operacional 5200 km 6,920 km
Alcance Máximo (MTOW) 8704 km 10650 km
Velocidade de cruzeiro 1000 km/h 972 km/h
Largura da fuselagem 3,76 m
Motores (4 x) Pratt & Whitney JT3D-1 Pratt & Whitney JT3D-3 ou JT3D-7

CuriosidadesEditar

 
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios (desde dezembro de 2009).
  • Em 7 de agosto de 1955, o piloto de teste Tex Johnston, durante um voo de exibição com o então protótipo Boeing 367-80 (mais tarde denominado B707) realizou uma manobra “Tonneau” com o avião (giro de 360º sobre o eixo da aeronave) diante dos olhos estupefatos de um público de expectadores e do então presidente da Boeing, Bill Allen, em Lake Washington, nos arredores de Seattle. A cena foi registrada em vídeo e mais tarde rendeu uma dura repreensão ao piloto, mas o feito encorajou os investidores sobre a confiabilidade da aeronave.[4]
  • O ator John Travolta possui um Boeing 707.[5]
  • Sua operação é vetada na maioria dos aeroportos do primeiro mundo, pelo alto nível de ruído.
  • A primeira operadora no Brasil foi a Varig, que o fez seu principal avião nas rotas internacionais, até a chegada dos DC-10. Também com um 707, a empresa brasileira protagonizou um dos maiores mistérios da aviação mundial: em 1979, o Voo Varig 967 decolou de Tokyo com destino a Los Angeles. A aeronave com prefixo PP-VLU desapareceu minutos depois, sem deixar rastros.
 
Aeronave particular do ator e piloto John Travolta.

Alguns OperadoresEditar

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

Referências