Boeing Orbital Flight Test

Boeing Orbital Flight Test, também conhecido como Boe-OFT, é a primeira missão orbital do Starliner, conduzida pelo Boeing Defense, Space & Security como parte do Commercial Crew Program. A missão deveria ser um voo de oito dias, envolvendo uma manobra e acoplagem com a Estação Espacial Internacional e um pouso no Oeste dos EUA. A missão foi lançada de forma bem sucedida dia 20 de dezembro de 2019, entretanto, um problema com o relógio mission elapsed time da nave fez com que a nave entrasse numa órbita incorreta, impedindo uma manobra com a ISS. Essa anomalia fez com que a missão fosse reduzida para dois dias e ela terminou dia 22 de dezembro de 2019, as 12:58:02 UTC.

Boe-OFT
Insígnia da missão
Boeing Orbital Flight Test
Informações da missão
Operadora
Foguete Atlas V N22 (AV-080)
Espaçonave Calypso
Base de lançamento Cabo Canaveral SLC-41
Lançamento 20 de dezembro de 2019 11:36:43 UTC[1][2]
Cabo Canaveral SLC 41
Aterrissagem 22 de dezembro de 2019 12:58:02 UTC
White Sands
Órbitas 33[3]
Duração 2d, 1h, 21m, 19s
Navegação
Boe-PAT
Boe OFT-2
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Boeing Orbital Flight Test

Em, 6 de abril de 2020, a Boeing anunciou que eles vão refazer o voo para provar e atingir todos os objetivos. A NASA aceitou a proposta de outro voo e este está marcado para outubro de 2020.[4]

Missão editar

O primeiro voo do Atlas V N22, com a designação AV-080, lançou o CST-100 Starliner num voo não tripulado para a Estação Espacial Internacional. A cápsula deveria acoplar com a estação para então retornar para pousar no Oeste dos Estados Unidos depois se um teste orbital antes do BOE-CFT.[carece de fontes?]

OFT é o primeiro voo de um Atlas V sem uma coifa e seu primeiro voo com um estágio superior Centauro de dois motores. O Centauro de dois motores é preciso para os voos da Starliner terem uma trajetória que permita um aborto bem sucedido em qualquer ponto da missão.[5]

A missão foi lançada de forma bem sucedida dia 20 de dezembro de 2019 as 11:36:43 UTC,[6] mas trinta e um minutos após o lançamento, o relógio MET cometeu um erro e forçou um aborto da missão para a ISS. Quando se tornou claro que a missão não ocorreria como o esperado, NASA e Boeing enviaram comandos para colocar a Starliner de volta no caminho, mas a posição da nave, que estava mudando entre os satélites TDRS, fez com que o erro fosse inevitável.[carece de fontes?] Isso resultou num aborto da manobra com a ISS. A decisão foi feita pela NASA e Boeing, já que a nave havia gastado muito combustível para alcançar a ISS mesmo depois do Controle de Missão ter arrumado o timer. Oficiais da NASA e Boeing colocaram a nave numa órbita diferente e todo o plano de voo foi refeito, fazendo com que a missão durasse dois dias.[carece de fontes?]

 
Apogeu e Perigeu da Starliner, fonte space-track.com

As 12:30 UTC, a Starliner estava numa "órbita estável", entretanto, havia uma "inserção orbital incomum".[7] Depois foi confirmado que a Starliner estava numa órbita de 187 x 222 km.[8] Por isso, a transmissão oficial terminou de forma prematura.[9]

As 13:55 UTC, o controle da missão percebeu que a acoplagem com a ISS estava fora de cogitação.[10]

Uma coletiva de imprensa ocorreu as 14:30 UTC[11][12] Durante a coletiva de imprensa, foi declarado que o erro não foi causado pelo foguete, mas pela nave, em específico, o timer, e que o erro poderia ser evitado por uma tripulação. De acordo com Jim Bridenstein, Administrador da NASA, no momento, não é claro se seria preciso um segundo voo não tripulado para a ISS. A nave "parece saudável" e retornou para White Sands[13][2][14] as 12:58:02 UTC.[15]

Apesar da manobra com a ISS não ter acontecido, a Starliner foi capaz de completar os testes principais no decorrer de seus dois dias no espaço.[carece de fontes?]

Dia 22 de dezembro de 2019 as 11:55 UTC, a Starliner recebeu autorização para reentrar.[carece de fontes?] Uma queima de de-órbita de 55 segundos foi iniciada as 12:23 UTC. A separação do módulo de serviço ocorreu as 12:26 UTC e entrou na atmosfera da Terra as 12:41 UTC.[carece de fontes?] O escudo térmico foi ejetado e os paraquedas de controle foram liberados as 12:53 UTC.[carece de fontes?] Os paraquedas principais foram liberados as 12:54 UTC. A Starliner pousou de forma bem sucedida em White Sands as 12:58:02 UTC.[carece de fontes?]

Carga editar

Em vez de levar astronautas, esse voo tinha um Anthropomorphic Test Device (ATD) usando um traje espacial customizado. O ATD é chamado de Rosie (ou "Rosie the Rocketeer"[16]), como uma homenagem para todas as mulheres que contribuiram no Programa Starliner.[17] A cápsula tinha um peso parecido de quando houver astronautas abordo e carregava aproximadamente 270 kg de suprimentos e equipamentos, incluíndo um boneco do Snoopy e presentes de Natal para a Expedição 61. Devido a anomalia, esse cargo jamais foi entregue.

Ver também editar

Referências

  1. Clark, Stephen (3 de dezembro de 2019). «Launch of first Starliner orbital test flight slips to Dec. 19». Spaceflight Now. Consultado em 3 de dezembro de 2019 
  2. a b Live coverage: Overnight countdown underway for Friday’s Starliner launch
  3. Boeing Starliner Orbital Flight Test Landing
  4. @BoeingSpace (6 de abril de 2020). «We've decided to fly a second Orbital Flight Test because we are committed to the safety of those who design, build and ultimately will fly on #Starliner. Read the full statement here: boeing.mediaroom.com/2020-04-06-Boe...» (Tweet) – via Twitter 
  5. «Starliner arrives at launch pad in major pre-flight milestone». NASASpaceFlight.com (em inglês). 21 de novembro de 2019. Consultado em 17 de dezembro de 2019 
  6. Expedition 61
  7. «Boeing, ULA launches of Starliner, suffers orbital insertion issue». NASASpaceFlight.com. 19 de dezembro de 2019 
  8. Bassa, Cees (20 de dezembro de 2019). «There's a second set of orbital elements released now. 187 x 222 km, with epoch at 13:20UTC.». @cgbassa (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2019 
  9. Boeing's Starliner Launch to the International Space Station (em inglês), consultado em 20 de dezembro de 2019 
  10. Bridenstine, Jim (20 de dezembro de 2019). «Because #Starliner believed it was in an orbital insertion burn (or that the burn was complete), the dead bands were reduced and the spacecraft burned more fuel than anticipated to maintain precise control. This precluded @Space_Station rendezvous.». @JimBridenstine (em inglês). Consultado em 20 de dezembro de 2019 
  11. Space, Boeing (20 de dezembro de 2019). «Boeing and NASA are working together to review options for the test and mission opportunities available while the Starliner remains in orbit. A joint news conference will be held at 9 a.m. ET on NASA TV». @BoeingSpace (em inglês). Consultado em 20 de dezembro de 2019 
  12. Bridenstine, Jim (20 de dezembro de 2019). «Moving news conference to 9:30 am ET. Watch live». @JimBridenstine (em inglês). Consultado em 20 de dezembro de 2019 
  13. Boeing Orbital Flight Test Launch Team Post-Launch News Conference (em inglês), consultado em 20 de dezembro de 2019 
  14. Bridenstine, Jim (20 de dezembro de 2019). «#Starliner Update: We have made a final decision - Starliner will not dock with the @Space_Station and will return to White Sands on Sunday.». @JimBridenstine (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2019 
  15. Bridenstine, Jim (21 de dezembro de 2019). «#Starliner Update: The Mission Management Team has given approval for a Mission Day 3 (Sunday) landing at 5:57 AM MST at the landing site at White Sands Space Harbor on the White Sands Missile Range in New Mexico, with a backup opportunity at the same site at 1:48 PM MST.» (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2019 
  16. Rachael Joy (21 de novembro de 2019). «Remember Rosie the Riveter? Meet Rosie the Rocketeer». Florida Today 
  17. Chelsea Gohd (16 de dezembro de 2019). «Rosie, a Bandana-Clad Test Dummy, Will Be the First to Fly on Boeing's Starliner». Space.com 

Ligação externa editar