Abrir menu principal

Boris Gardiner

músico jamaicano
Boris Gardiner
Informação geral
Nascimento 13 de janeiro de 1943 (76 anos)
Local de nascimento Kingston
Jamaica
Gênero(s) ska, reggae, lovers rock, soul, r&b
Instrumento(s) vocais, baixo
Período em atividade 1960-presente

Boris Gardiner (Kingston, 13 de janeiro de 1943)[1] é um cantor, compositor e baixista jamaicano.[nt 1]

CarreiraEditar

Nascido na região de Rollington, em Kingston, Jamaica, Gardiner frequentou a Franklin Town Government School e o St Monica's College, deixando-as após ser diagnosticado com taquicardia.[2]

Em 1960, ele se juntou à banda de Richard Ace, The Rhythm Aces, que incluía também Delano Stewart, que mais tarde fez parte dos The Gaylads.[2][3] Com o grupo, Gardiner gravou "Angella" e o sucesso local "A Thousand Teardrops".[2] O grupo se separou e, em 1963, Gardiner se juntou ao Kes Chin and The Souvenirs como vocalista, e começou a aprender guitarra.[2] O músico entrou mais tarde no grupo Carlos Malcolm & the Afro Caribs, onde começou a tocar baixo depois que o integrante original saiu; e quando o grupo se desfez, Gardiner formou o seu próprio grupo, The Broncos.[2] Tocou mais tarde também no grupo Byron Lee and the Dragonaires.[1] Entre as décadas de 1960 e 1970, ele trabalhou extensivamente como músico de sessão nos grupos Now Generation, The Upsetters, The Aggrovators e Derrick Harriott.[1][4] Enquanto trabalhava no Studio One, tocou em sucessos como "On Top" dos The Heptones, "Nanny Goat" de Larry Marshall, e "Feel Like Jumping" de Marcia Griffiths.[2]

Como artista solo, Gardiner teve êxito com a canção "Elizabethan Reggae" em 1970, uma versão de "Elizabethan Serenade" de Ronald Binge.[1] Quando o single foi lançado no Reino Unido, as primeiras cópias foram impressas com o rótulo identificando incorretamente como o intérprete Bryon Lee (e não Gardiner). Lee foi o produtor da faixa. O UK Singles Chart chegou a mostrar o crédito incorreto nas listas das quatro primeiras semanas em que apareceram a canção. A partir de 28 de setembro de 1970, todas as impressões passaram a creditar Gardiner pelo single.[5]

Seu álbum de estreia, Reggae Happening, foi lançado também em 1970. O jornalista musical Ian McCann disse que o álbum "teve índices de vendas respeitáveis para um LP de reggae" no Reino Unido. A música de Gardiner continuou a ser popular na Jamaica, mas o interesse diminuiu no Reino Unido. Durante a década de 1970 ele continuou o trabalho de sessão, incluindo várias gravações para Lee "Scratch" Perry e Junior Murvin.[2]

The Boris Gardiner Happenning gravou uma versão de "Ain't No Sunshine" em 1973 com Paul Douglas como vocalista e Gardiner tocando o baixo, para o álbum Is What's Happening.[6]

Em 1986, Gardiner gravou o single "I Wanna Wake Up with You", que ficou em um surpreendente primeiro lugar no Reino Unido, tendo ficado por dois meses entre as dez canções mais tocadas no país. O álbum que continha a canção, Everything to Me, possuía também outra canção de sucesso, "You're Everything to Me", que atingiu o 11º lugar. O single "The Meaning of Christmas" foi lançado também naquele ano.[5] Mais tarde, Gardiner assinou contrato com a RCA Records. Em 2002, uma antologia de 22 faixas, The Very Best of Boris Gardiner, foi lançada em CD pela Music Club Records.

Em 2015, sua canção "Every Nigger Is a Star" teve partes utilizadas em "Wesley's Theory", a faixa de abertura do álbum To Pimp a Butterfly de Kendrick Lamar.[7] A canção também é utilizada na abertura do filme de 2016 Moonlight.[8][9]

DiscografiaEditar

  • Reggae Happening (1970), Trojan
  • It's So Nice to Be with You (1970), Steady
  • Soulful Experience (1971), Dynamic Sounds
  • Is Whats Happening (1973), Dynamic Sounds
  • Every Nigger is a Star OST (1973), Leal Productions
  • Everything to Me (1986), Revue
  • Let's Take a Holiday (1992), WKS
  • Next to You (1992), VP

CompilaçõesEditar

  • The Very Best of Boris Gardiner (2002), Music Club
  • I Want to Wake Up With You: The Best Of Boris Gardiner (2004), Sanctuary/Trojan

Notas (nt)

  1. A maior parte do texto foi inicialmente baseado no artigo «Boris Gardiner» na Wikipédia em inglês (acessado nesta versão).

Referências

  1. a b c d Thompson, Dave (2002). Reggae & Caribbean music (em inglês). São Francisco: Backbeat Books. p. 420. ISBN 0879306556 
  2. a b c d e f g «Gardiner - The Man Behind The Music» (em inglês). Jamaica Gleaner. 9 de março de 2014. Consultado em 6 de maio de 2017 
  3. Johnson, Richard (14 de dezembro de 2014). «Boris Gardiner spells it out» (em inglês). Jamaica Observer. Consultado em 6 de maio de 2017 
  4. Larkin, Colin (1998). The Virgin Encyclopedia of Reggae (em inglês). Londres: Virgin. p. 106. ISBN 0753502429 
  5. a b Roberts, David (2006). British Hit Singles & Albums (em inglês). Londres: Guinness World Records Limited. p. 222. ISBN 1904994105 
  6. «The Boris Gardiner Happening (1973) Is Whats Happening.» (em inglês). ReggarRecord.com. Consultado em 6 de maio de 2017 
  7. Campbell, Howard (25 de março de 2015). «KENRICK LAMAR BRIGHTENS BORIS'S STAR» (em inglês). Jamaica Observer. Consultado em 6 de maio de 2017. Cópia arquivada em 31 de março de 2015 
  8. Bonitto, Brian (27 de fevereiro de 2017). «Gardiner basks in the Moonlight» (em inglês). Jamaica Observer. Consultado em 6 de maio de 2017 
  9. Müller, Peter (12 de abril de 2017). «Stilsicheres Drama der Obama-Epoche – Berry Jenkins' Drama „Moonlight"geht unter die Haut» (em alemão). Wiesbadener Kurier. Consultado em 6 de maio de 2017 

Ver tambémEditar