Abrir menu principal
Boris Nemtsov em março de 2013.

Boris Yefimovich Nemtsov (russo Борис Ефимович Немцов; Sóchi, 9 de outubro de 1959 - Moscou, 27 de fevereiro de 2015) foi um político liberal russo. Nemtsov foi primeiro-ministro adjunto da Rússia, membro do Parlamento Regional do Oblast de Iaroslavl, co-presidente do RPR-Parnas, um dos líderes do movimento Solidarnost.[1]

VidaEditar

Por um longo tempo ele era um membro das principais forças do partido União das Forças de Direita.[2] Após a primeira eleição do presidente Vladimir Putin, em 2000, ele se tornou um dos maiores críticos do chefe do Kremlin.[3][4] Ele denunciou a ineficiência e a corrupção e expressou fortes críticas da política russa na Ucrânia, mais recentemente em uma entrevista, poucas horas antes de sua morte. Nemtsov disse também ter trabalhado em um relatório sobre a participação da Rússia no conflito na Ucrânia.

Nemtsov foi assassinado nas proximidades do Kremlin em 27 de fevereiro 2015, dois dias após protestar contra a crise financeira russa e a guerra na Ucrânia.[5][6]

Referências

  1. Boris Nemtsov denunciava corrupção do governo Putin e atuação russa na Ucrânia, rfi português, 28 de fevereiro 2015
  2. União das Forças de Direita, finslab.com, pagina visitada em 28 de fevereiro 2015
  3. Patrícia Viegas (27 de fevereiro de 2015). «Boris Nemtsov, ex-vice-primeiro-ministro russo e crítico de Putin, morto a tiro em Moscovo». DN O Globo. Consultado em 28 de fevereiro de 2015 
  4. «Rússia: Opositor Boris Nemtsov assassinado em Moscovo». Euronews. 27 de fevereiro de 2015. Consultado em 28 de fevereiro de 2015 
  5. «Boris Nemtsov, um dos principais opositores de Putin, abatido a tiro na rua». Público. 28 de fevereiro de 2015. Consultado em 28 de fevereiro de 2015 
  6. Catarina Fernandes Martins. «Político da oposição Boris Nemtsov morto a tiro em Moscovo». Observador. Consultado em 28 de fevereiro de 2015 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.