Abrir menu principal

Brígida da Suécia

FamíliaEditar

É a segunda filha do príncipe Gustavo Adolfo, Duque da Bótnia Ocidental e sua esposa a princesa Sibila de Saxe-Coburgo-Gota, sendo neta do rei Gustavo VI Adolfo da Suécia. As suas irmãs são as princesas Margarida, Desidéria e Cristina.

Brígida é a viúva (embora os dois já estivessem separados) do príncipe João Jorge de Hohenzollern, morto em 2 de março de 2016.

Entre as suas irmãs, apenas ela casou com um homem de estatuto real e, mantendo a tradição de as princesas que casam com príncipes ficarem com o seu título de antes do casamento, Brígida manteve o seu tratamento de Alteza Real.[1] Uma Princesa consorte de Hohenzollern ficaria passaria normalmente a ter o título de Alteza Sereníssima.

CasamentoEditar

Numa visita a amigos e familiares à Alemanha, em 1959, a princesa conheceu o seu futuro marido num coquetel. A 15 de dezembro de 1960, o seu noivado com o príncipe João Jorge de Hohenzollern, foi anunciado.

A cerimónia civil realizou-se no Palácio Real de Estocolmo a 25 de maio de 1961, enquanto a religiosa teve lugar na Igreja de Sankt Johann, situada no Palácio da família do noivo, em Sigmaringa, a 31 de julho do mesmo ano. As damas de honra foram as princesas Cristina da Suécia e Benedita da Dinamarca, irmã e prima da noiva, respetivamente; os padrinhos do noivo foram o então Príncipe Herdeiro da Suécia, Carlos Gustavo, e Miguel Bernadotte, Conde de Wisborg, irmão e primo da noiva, respetivamente.

Brígida convertou-se ao Catolicismo aquando do seu casamento; consequentemente, ela e os seus filhos deixaram de ter lugar na linha de sucessão ao trono sueco, mesmo quando as novas regras constitucionais de sucessão entraram em vigor, em 1980.

O príncipe João Jorge e a princesa Brígida separaram-se em 1990, embora permanecessem oficialmente casados. Ela vive na ilha de Maiorca, em Espanha, enquanto o seu marido, conhecido como "Hansi", viveu em Munique e foi especialista em arte, sendo também diretor de um museu e membro da direção da leiloeira Christie's, até morrer em 2 de março de 2016, fazendo com que Brígida ficasse legalmente viúva.

Vida públicaEditar

A Princesa Birgitta está ligada ao golfe, participa em diversas campanhas de caridade (não na Suécia) e é Membro Honorário da Direção da Real Sociedade Sueca de Golfe (cargo que assumiu quando o seu tio, Bertil, Duque da Halândia, morreu).

Ela tem a sua própria competição de golfe em Maiorca, a Taça Princesa Brígida, que se realiza no campo de golfe da sua casa e participa nas celebrações anuais da Festa de Santa Luzia e na festa realizada no seu clube de golfe, aquando do Dia Nacional da Suécia. Marca também presença em eventos da Família Real Sueca; juntamente com o seu marido e filhos, foi convidada para o casamento da Princesa Herdeira, Vitória, com Daniel Westling, em 2010.

DescendênciaEditar

O casamento da Princesa Birgitta originou três filhos:

Títulos e tratamentosEditar

  • 19 de janeiro de 1937 – 25 de maio de 1961: "Sua Alteza Real, Princesa Brígida da Suécia"
  • 25 de maio de 1961 – presente: "Sua Alteza Real, Princesa Brígida da Suécia, Princesa de Hohenzollern"

Referências

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Brígida da Suécia
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.