Abrir menu principal

Brandãozinho

futebolista brasileiro

Antenor Lucas, mais conhecido como Brandãozinho (Campinas, 9 de junho de 1925São Paulo, 4 de abril de 2000), foi um futebolista brasileiro que atuava como volante.

Brandãozinho
Brandãozinho
Brandãozinho, c.1952. Arquivo Nacional
Informações pessoais
Nome completo Antenor Lucas
Data de nasc. 9 de junho de 1925
Local de nasc. Campinas (SP), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Falecido em 4 de abril de 2000 (74 anos)
Local da morte São Paulo (SP), Brasil
Altura 1,77m
Informações profissionais
Posição Volante
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1940–1942
1943–1949
1949–1955
Campinas
Portuguesa Santista
Portuguesa
0000? 0000(?)
0000? 0000(?)
0000? 0000(?)
Seleção nacional
1952–1954 Brasil 00016 0000(0)[1]
Medalhas
Jogos Pan-Americanos
Ouro Santiago 1952 Equipe

CarreiraEditar

Jogando como médio-volante, destacou-se na Portuguesa entre 1950 e 1955. Fez dezoito partidas (duas não oficiais)[1] pela Seleção Brasileira, entre 1952 e 1954, inclusive atuou como titular na Copa do Mundo de 1954.[2]

Em 1952 a Portuguesa montou um grande time, tanto é, que da Seleção Paulista daquele ano, nada mais, nada menos, seis jogadores pertenciam a Portuguesa; Julinho Botelho, Pinga, Djalma Santos, Muca, Noronha e Brandãozinho. Conquistou o Torneio Rio-São Paulo com uma belíssima campanha, vencendo Palmeiras, Flamengo, Corinthians, Botafogo e goleando Bangu e Santos pelo mesmo placar, 5 a 1. Portuguesa e Vasco terminaram empatados em número de pontos, sendo assim, precisaram fazer duas partidas para decidir quem seria o legítimo campeão.

A primeira partida foi realizado no Estádio Municipal do Pacaembu e a Portuguesa venceu por 4 a 2, gols de Nininho (2), Julinho e Pinga para a Lusa, enquanto que Ademir de Meneses e Manéca marcaram para o Vasco. Este jogo foi realizado dia 15 de junho de 1952. A segunda partida foi realizado no Maracanã e o jogo terminou empatado em 2 a 2, gols de Ademir de Menezes e Manéca para o Vasco, enquanto que Pinga marcou os dois gols da Portuguesa. Esse jogo aconteceu dia 19 de junho de 1952. 

Em 1955, a Portuguesa estava novamente com um grande elenco e mais uma vez conquistou o Torneio Rio-São Paulo. A Lusa não começou bem a competição, perdeu para o Botafogo por 3 a 1. Cinco dias depois empatou com o Corinthians em 5 a 5. Como este placar não é nada comum, o que chamou a atenção na época, foi que o Corinthians três dias depois empatou novamente em 5 a 5, desta vez contra o Vasco da Gama, o que nos faz chegar a conclusão de que o ataque corintiano era muito bom, mas sua defesa era um desastre. Depois a Lusa reagiu e começou a vencer.

 Primeiro foi o América, depois o São Paulo, depois o Palmeiras, depois goleou o Santos por 5 a 1 e finalmente derrotou o Fluminense. Ao término desta fase do Torneio, Portuguesa e Palmeiras terminaram empatados, sendo assim houve necessidade de uma partida extra, que aconteceu no dia 29 de maio de 1955, quando a Portuguesa venceu por 4×2 e sagrou-se “Campeã do Torneio Rio São Paulo daquele ano. Neste jogo a Portuguesa jogou com; Cabeção, Djalma Santos, Floriano, Nena e Zinho; Brandãozinho e Airton; Julinho Botelho, Ipojucan, Edmur e Ortega.

Brandãozinho teve a honra de vestir a camisa da Seleção Paulista por inúmeras vezes e naquela época não era qualquer um que tinha este privilégio, precisava jogar muita bola. A inauguração oficial do Maracanã aconteceu dia 16 de junho de 1950, alguns dias antes da abertura da Copa realizada no Brasil. O jogo foi entre Seleção Paulista e Seleção Carioca, e o placar foi de 3 a 1 para os paulistas. O primeiro gol do estádio foi marcado por Didi, que na época jogava no Fluminense. Neste dia os paulistas jogaram com; Oswaldo Pizoni, Djalma Santos, Homero, Dema e Alfredo Ramos; Brandãozinho e Rubens; Renato, Ponce de Leon, Augusto e Brandãozinho II. O técnico foi Aymoré Moreira.

Com a camisa da nossa seleção, Brandãozinho disputou 18 jogos, entre 6 de abril de 1952 e 27 de junho de 1954. Foram 13 vitórias, 2 empates e 3 derrotas. Nesse período sagrou-se campeão Pan-Americano no Chile em 1952 e vice-campeão Sul-Americano em 1953, além de disputar todos os jogos das eliminatórias para a Copa de 54, na Suíça. Em 1954 fraturou a perna e, após uma cirurgia mal sucedida, foi obrigado a encerrar a carreira. Recebeu passe livre da Portuguesa em 3 de junho de 1957 e passou a trabalhar com as categorias inferiores de Lusa, juntamente com Nena e Hermínio.

Brandãozinho estudou Direito e trabalhou como investigador de Polícia. Antenor Lucas faleceu no dia 4 de abril de 2000.[3]

TítulosEditar

Portuguesa
Seleção Brasileira

Referências

  1. a b «Todos os brasileiros 1954». Folha de S.Paulo. 9 de dezembro de 2015. Consultado em 16 de outubro de 2018 
  2. «Brandãozinho...uma carreira rubro-verde». Tardes de Pacaembu. 9 de dezembro de 2012. Consultado em 20 de setembro de 2013 
  3. «Brandãozinho... Ex-volante da Portuguesa». Terceiro Tempo. Consultado em 16 de outubro de 2018 

Ligações externasEditar