Abrir menu principal
Brasão de Armas de Alagoas
Brasão de Armas de Alagoas
Versões
COA Alagoas (ancient).jpg
Brasão de 1894
Brasão do Estado de Alagoas.svg
Segunda versão
Detalhes
Detentor Estado de Alagoas
Adoção 23 de setembro de 1963
Timbre Estrela de prata de cinco pontas.
Escudo Escudo português antigo, em posição natural, partido de prata. À destra com um rochedo de goles (vermelho), sainte de um mar ondado e movente da ponta que sustem uma torre de goles (vermelho), que é de Penedo; à sinestra, com três morros de goles (vermelho), unidos, o do meio mais alto, saintes de um contra-chefe de oito faixas onduladas de blau (azul) e prata, alternadas, que é de Porto Calvo. No chefe, ondado de blau (azul), três tainhas nadantes de prata, postas em contra-roquete, que é das Alagoas (Alagoas do Sul, atual Marechal Deodoro).
Suportes À destra, um coimo de cana-de-açúcar empedoado, e à sinestra, um ramo de algodoeiro, encapuchado e florado, ambos de sua cor.
Lema "AD BONUM ET PROSPERITATEM" (latim para "Para o bem e para a prosperidade"), em listel de sinopla (verde) debruado de jalne (oiro).
Versões anteriores 1894

O brasão de armas de Alagoas é o emblema heráldico e um dos símbolos oficias do estado brasileiro de Alagoas.

HistóriaEditar

Foi projeto do professor Théo Brandão, e instituído pela mesma Lei que estabeleceu a bandeira do estado (lei nº 2.628 de 23 de setembro de 1963).

Descrição heráldicaEditar

É assim descrito:

"Escudo português antigo, em posição natural, partido de prata. À destra com um rochedo de goles (vermelho), sainte de um mar ondado e movente da ponta que sustem uma torre de goles (vermelho), que é de Penedo; à sinestra, com três morros de goles (vermelho), unidos, o do meio mais alto, saintes de um contra-chefe de oito faixas onduladas de blau (azul) e prata, alternadas, que é de Porto Calvo. No chefe, ondado de blau (azul), três tainhas nadantes de prata, postas em contra-roquete, que é das Alagoas (Alagoas do Sul, atual Marechal Deodoro). Por apoios, à destra, um coimo de cana-de-açúcar empedoado, e à sinestra, um ramo de algodoeiro, encapuchado e florado, ambos de sua cor. Em cima, estrela de prata, de cinco pontas, como timbre. Em baixo, listel de sinopla (verde) debruado de jalne (oiro) com o mote: AD BONUM ET PROSPERITATEM, LETRAS DO MESMO".

SignificadoEditar

O brasão de armas do Estado de Alagoas, lembra sua formação política, sua história e sua geografia. Tornou-se independente por ato do Rei D. João VI, a 16 de setembro de 1817, separando-se da então capitania de Pernambuco e constituindo-se do território da então comarca das Alagoas, formada pelas três vilas: Alagoas - cabeça da comarca - Porto Calvo e Penedo, seus termos.

Os motivos invocados pelo soberano do Reino Unido do Brasil, Portugal e Algarve constam do decreto real e podem ser sintetizados nas suas próprias palavras iniciais: quem me proponho elevá-lo, etc". O brasão de armas de Alagoas recorda em seu simbolismo esta formação histórica e os motivos determinantes da criação da então Capitania das Alagoas ao constituir-se dos escudos das três vilas da comarca e ao inscrever em seu mote as mais significativas palavras do decreto. Para o bem ou o bom regime e para a prosperidade" - AD BONUM ET PROSPERITATEM (nas cores verde - letras - e amarela).

Os escudos representativos das três vilas formadoras do Estado, Alagoas, Porto Calvo e Penedo, possuem também uma significação histórica e ao mesmo tempo geográfica. "As três tainhas postas em pala, isto é, uma por sobre a outra… representam as três principais e maiores lagoas da então povoação: A Mundaú ou do Norte, a Manguaba, ou do Sul … e a de Jequiá, isolada. Representam igualmente a maior riqueza da região: a pesca, com as indústrias e cultura do coqueiro (Cocus Nucifera), etc."

"O timbre - estrela de prata de cinco pontas - posta no alto do escudo, é uma tradição da heráldica brasileira e faz referência a uma das estrelas que estão no brasão e na bandeira do Brasil e quer dizer que Alagoas é uma das unidades da Federação Brasileira."

Fonte: Guia dos Municípios de Alagoas e Enciclopédia dos Municípios Alagoanos - 1977

Brasões anterioresEditar

ColôniaEditar

Foram os portugueses, à época da colônia, que instituíram o primeiro brasão para o território alagoano. Trata-se de um escudo redondo de campo em prata, dispondo três tainhas postas em pala (uma por sobre a outra), representando as três principais lagoas da região: Mundaú ou "do Norte", a Manguaba, ou "do Sul" e Jequiá, isolada. Não se sabe ao certo quando se instituiu esse primeiro brasão. À época da ocupação holandesa do nordeste do Brasil é certo que tal escudo figurava como representativo da região, sendo adotado e adaptado pelos ocupantes, como atestam antigas estampas. A região só se tornou comarca em 1711, e capitania em 1817, o que denota certa carência de relevância administrativa à época.

RepúblicaEditar

O primeiro brasão do estado de Alagoas, já no período republicano, foi instituído por meio do decreto n.º 53, de 25 de maio de 1894, e suspensa em 10 de novembro de 1937, juntamente com todos os símbolos estaduais do Brasil, por meio da constituição brasileira de 1937.

Brasões de armas do Brasil
 
AC
 
AL
 
AP
 
AM
 
BA
 
CE
 
DF
 
ES
 
GO
 
MA
 
MG
 
MS
 
MT
 
PA
 
PB
 
PE
 
PI
 
PR
 
RJ
 
RN
 
RO
 
RR
 
RS
 
SC
 
SE
 
SP
 
TO