Brasão de armas da Região Autónoma da Madeira

O brasão de armas da Região Autónoma da Madeira foi aprovada pelo Decreto Legislativo Regional n.º 11/91/M, de 24 de Abril. O brasão consiste de um escudo de azul, com uma pala de ouro carregada com a cruz da Ordem de Cristo (idêntico, portanto, à bandeira da Madeira), encimado por um elmo posto de frente, de ouro e forrado de vermelho e rodeado por um paquife de azul e ouro. Tem por timbre uma esfera armilar de ouro, por suportes dois lobos marinhos e, sob o conjunto, um listel branco com a divisa: «DAS ILHAS, AS MAIS BELAS E LIVRES», que constitui o lema da região autónoma.

Coat of arms of Madeira.svg

InformaçõesEditar

Por decisão da Assembleia Regional de 28 de Julho de 1978, foram definidas em 1978 as insígnias da Região Autónoma da Madeira, na forma de Bandeira, Escudo e Selo Branco, elementos que, ao longo destes doze anos, se tornaram efectivamente os símbolos da Autonomia Política da Região Autónoma da Madeira.

Passados que foram estes anos, é altura de se fixarem heraldicamente estes símbolos, completando-os com os diversos atributos utilizados em casos semelhantes.

Em face de se não alterar o estabelecido, mantém-se o azul e o oiro como base geral da ornamentação, como o caso do Paquife e Virol.

Como Elmo, optou-se pela utilização do elmo atribuído a D. João I, existente no Museu Militar de Lisboa, dado ter sido este rei que determinou o povoamento do Arquipélago. Como armas, colocou-se o elmo de frente e em oiro, forrado a vermelho.

Como Timbre, optou-se por uma Esfera Armilar, pela sua ligação aos Descobrimentos e a D. Manuel I, existente em inúmeros edifícios públicos antigos do Funchal, assim como por ser um elemento ligado ao Estudo, Saber e Ponderação timbres seguidos pela população da Madeira ao longo de séculos.

A utilização dos Lobos Marinhos, vivos e de sua cor, simboliza a homenagem da Região aos únicos grandes mamíferos encontrados quando da chegada dos primeiros povoadores. Esta homenagem integra-se no esforço geral desenvolvido para a preservação ecológica.

A cor dos lobos será castanha escura acinzentada de forma a dar a ideia do animal no seu habitat. O ventre do lobo marinho possui uma grande mancha clara, quase branca bem definida de forma irregular, contrastando com a coloração do resto do corpo.

A Divisa exprime inquestionáveis virtudes regionais, inclusive de forte sentido actual.

Ligações externasEditar