Brasas do Forró

Banda de forró eletrônico
Brasas do Forró
Logotipo da banda, usado desde 2018.
Informação geral
Também conhecido(a) como A máquina quente do sucesso!
Origem Fortaleza,  Ceará
País  Brasil
Gênero(s) Forró Eletrônico
Período em atividade 1989—presente
Gravadora(s) Somzoom (1997-2006)
DN Music (2007-2009)
Afiliação(ões) Gaúcho da Fronteira
Integrantes Zé Airton - Vocais
Assum Preto - Vocais
Wesley Ribeiro - Vocais
Jeová - Sanfona
Ronaldo Dantas - Guitarra
Berg - Contrabaixo
Danúbio - Bateria
DJ Turinha - Teclados
Hamilcar - Percussão
Pequeno - Trompete
Erismilton - Saxofone
Ex-integrantes Vocalistas:

Toca do Vale (1997-1999)
Ventura Neto (1997-1999) "In Memoriam"
Marileide (1997-2003)
Helio Barbosa (2001-2005) "In Memoriam"
Marli Nogueira (2002-2005)
Junior Raidan (2005)
Claudio Black (2005-2011)
Lince Bass (2009)
Vanessa Ville (2010)
Wenia Araújo (2005-2012)
Joelma Rios (2013)
Thays Oliveira (2014)
Nerivaldo Bezerra (2004-2014)
Jack Lins (2014)
Michelle Torres (2015)
Leandro Mendes (2003 e 2015)
Paulo Bala (2011-2015)

Músicos e outros:

Binha Cardoso - Backing Vocal (1998-2000)
Geó - Saxofone (2000-2003)
Didi - Sanfona (1989-2007)
Renato Ravel - Teclados (2004-2008)
Zé Maria - Bateria (1997-2008)
Marquinhos - Baixo (2003-2014)
Eudes - Trompete (2012-2014)
Esquerdinha - Bateria (2012-2015)
Romário Monteiro - Percussão (2012-2015)
Denis Pimenta - Bateria (2015)
Rafinha Bass - Contrabaixo (2014-2015)
Bruno - Teclados (2012-2016)
Jarbas - Guitarra (2015-2016)
Rivelino - Bateria (2016)
Nael - Trombone (2015-2016)
Fransax - Saxofone (2015-2016)
Renato Bass - Contrabaixo (2016-2017)
Léo Rodrigues - Sanfona (2004-2017)
Alessandro Gurgel - Bateria (2017-2019)
Alexandre Silva - Mídias sociais (2013-2019)
Fofinho Teclas - Teclados e sanfona (2018-2019)
Germano - Trombone (2017-2020)
Maestro Toinho - Sanfona (2002-2020)

Brasas do Forró[1], é uma banda de forró eletrônico brasileira, formada em Fortaleza, em meados de junho de 1989, sob a liderança do sanfoneiro Ivanildo Façanha Moreira (Didi).[2] É conhecida por ter sido a pioneira em fundir o forró nordestino com o vanerão gaúcho, criando o ritmo forronerão.[2]

Ao longo de sua história a banda acumula sucessos que até hoje são lembrados, como: "Pra recomeçar", "Pergunta sem Resposta", "Todo tempo é pouco pra te amar", "Irreverência", "Tão pedindo um vanerão", dentre outros.

HistóriaEditar

1982-1989: Banda "Só Cinco"Editar

Tudo começa em 1982 quando Didi monta a banda Só Cinco, conjunto que se apresentava pelo Ceará com um forró bem tradicional, tocando sucessos de outros artistas regionais.

1997: Assis Monteiro, A.M. Produções e o surgimento do "forronerão"Editar

Em 1996, já com o nome Brasas do Forró, conheceram o produtor musical Assis Monteiro, dono da A.M. Produções, dando início a uma das parcerias mais bem sucedidas do seguimento do forró no nordeste.[3]

Foi através da produtora Virgínia Guimarães, em São Paulo, que conheceram Gaúcho da Fronteira e dessa parceria surgiu o "forronerão" (mistura de forró nordestino com o ritmo gaúcho vanerão), que pouco tempo depois se tornaria a marca registrada da banda.[4]

O primeiro álbum foi gravado no ano de 1997, pela gravadora Somzoom, em Fortaleza, intitulado "Calorão - Live"[5], tendo à frente os vocalistas Toca do Vale[6], Ventura Neto e Marileide.

1998-2002: O augeEditar

Em 1998, a banda grava seu segundo álbum, intitulado "Belo Cinquentão no Vanerão".[7] O bordão "Puxa o fole Didi", criado pelo vocalista Toca do Vale, já era uma marca registrada nos shows.

1999: Gaúcho da Fronteira e o CD Forronerão Ao VivoEditar

Em 1999, o cantor Gaúcho da Fronteira e a banda Brasas do Forró se uniram na gravação do álbum Forronerão ao Vivo[8], gravado pela Warner Music.[9] A música que deu nome ao álbum fala, de modo descontraído, da mistura dos dois gêneros regionais, que se aproximam pela presença da sanfona como central, fazendo com que a banda ganhe projeção nacional.[10] Ventura deixa a banda e entra Zé Airton.

CDs Super IV, Ao Vivo I e saída de Toca do ValeEditar

No mesmo ano a banda gravou o seu quarto CD, intitulado "Super IV". Tal disco renderia a banda o Disco de Ouro, pela simbólica venda de mais de 100.000 cópias. Este álbum, trouxe em especial, algumas das canções mais conhecidas da banda, como "Todo Tempo É Pouco Pra Te Amar", que é uma regravação da dupla Gilberto & Gilmar e "Pergunta Sem Resposta", que pertencia a banda Os Três do Nordeste. Ainda no mesmo ano a banda grava o quinto álbum da sua carreira, intitulado "Ao Vivo I" em Fortaleza. Vale citar que este é até hoje o álbum mais bem sucedido do grupo, atingindo a impressionante marca de 1 milhão e meio de cópias vendidas. Após o lançamento do CD, Toca do Vale se desliga da banda para seguir em carreira solo e Assum Preto, recém desligado da banda Os 3 do Nordeste, assume seu lugar.

2000: CD Volume V e a chegada de Assum PretoEditar

No final do ano 2000, com a chegada de Assum Preto a banda grava seu sexto álbum, intitulado "Volume V", com os singles "Irreverência", "Eu te amei" e "Maria Tchá Tchá Tchá". Na verdade, como o próprio nome diz, este é o quinto álbum, porém a banda considera o CD "Forronerão Ao Vivo" como o terceiro de sua discografia.

2001: CDs Ao Vivo II e III e o sucesso "Pra Recomeçar"Editar

No começo de 2001 vem o sétimo álbum, intitulado "Ao Vivo II", com o single "Pra Recomeçar", de autoria de Marquinhos Maraial e Beto Caju, o qual também renderia Disco de Platina pelas suas mais de 500 mil cópias vendidas. No ano seguinte, a banda grava o álbum "Ao Vivo III", o oitavo de sua carreira. A essa altura, a banda Brasas do Forró já fazia shows em vários estados do Brasil.

2002: CD Ao Vivo IV e a saída de Zé AirtonEditar

Em 2002, Hélio Barbosa chega pra somar aos vocais e a banda grava o CD "Ao Vivo IV". No ano seguinte, Zé Airton deixa a banda e Leandro Mendes entra em seu lugar. A banda grava o volume 10. Este álbum não teve tanta representatividade, a não ser pela canção "Coração Turista", que era interpretada pelos quatro vocalistas. Leandro Mendes e Marileide deixam os vocais da banda e entra Marli Nogueira.

2004-2015: Várias mudanças no quadro de vocalistasEditar

2004: A saída de Assum PretoEditar

Em 2004, para comemorar 15 anos de carreira, a banda grava seu décimo primeiro álbum ao vivo na cidade de São Luís, no Maranhão. No final do ano, Assum Preto se desliga da banda[11] e entram Nerivaldo e Cláudio Black e a banda entra em estúdio para grava o CD "Catineirão: A nova Onda do Vanerão".

2005: Gravação do primeiro DVDEditar

Em 2005, lançam mais dois álbuns: "É Brasil" e "O Melhor de Todos os Tempos". No ano seguinte, Hélio Barbosa deixa a banda[12] e entram Junior Raidan e Wenya Araújo. A banda grava seu volume 15 e, alguns meses depois, grava seu primeiro DVD em Caruaru, Pernambuco. Após o lançamento do DVD, Junior Raidan, e Marli deixam a banda. Zé Airton retorna a banda e se junta a Nerivaldo, Claudio e Wenya. Com essa formação, lançam o décimo sexto álbum, ao vivo no Clube do Vaqueiro, em Fortaleza, no ano de 2006. Neste CD, Renato Ravel, até então tecladista da banda, canta em duas faixas do disco.

2008: Gravação do segundo DVDEditar

Em 2008, a banda grava seu volume 17, intitulado "O Sucesso que Nunca Acaba". Wenya se desliga da banda e entra Lince, ex-Capital do Sol. Didi participa da gravação do 2º DVD em Recife, Pernambuco e, depois, se afasta da banda por conta do seu problema de diabetes e passa a se apresentar-se apenas em ocasiões especiais. No ano seguinte, com a queda na venda de CDs devido ao aumento da pirataria, a banda passa a gravar somente CDs promocionais. Lince deixa a banda e entra Vanessa Ville, a qual não demora muito tempo. A direção da banda então anuncia o retorno de Wenya.

2011: Gravação do terceiro DVDEditar

Após participar da gravação dos CDs Promocionais de 2009 e 2010, Claudio Black se desliga da banda e Paulo Bala entra como substituto e se junta a Zé Airton, Nerivaldo e Wenya. Em 2011, a banda grava seu terceiro DVD em Campina Grande, Paraíba. Wenya deixa a banda no ano seguinte e a direção traz Joelma Rios, ex-Caviar com Rapadura.

2013: Álbum Brasas ElétricoEditar

Em 2013, a banda lança o CD Promocional "Brasas Elétrico" como aposta para o carnaval. No final do ano, com a saída de Joelma Rios, entra Thays Oliveira.

2014: Gravação do quarto DVDEditar

Em junho de 2014, a banda grava seu quarto DVD em Mossoró, Rio Grande do Norte e é lançado também o CD promocional "Brasas Canta Vaquejada". Thays deixa a banda e entra Jack Lins. A partir de outubro de 2014, a direção decidiu por não contar mais com a presença de dançarinas em suas apresentações.

No final do ano, a direção da empresa anuncia em suas redes sociais o retorno de Leandro Mendes. Nerivaldo deixa a banda. Logo depois, Zé Airton e Paulo Bala também pedem demissão e a banda a frente da banda fica temporariamente apenas com Leandro Mendes e Jack Lins. Zé Airton e Paulo Bala são convencidos pela direção da banda e retornam aos vocais. Jack Lins é demitida e Michelle Torres é contratada.

2015-2019: A banda recupera sua identidadeEditar

2015: Gravação do quinto DVD e o retorno de Assum PretoEditar

Em junho de 2015 com a saída da cantora Michelle Torres, a direção da banda resolve apostar em uma formação somente com vozes masculinas. No mês seguinte o cantor Leandro Mendes também deixa a banda. Para completar o quadro de vocalistas a direção da banda resolveu apostar em um jovem talento. Tratava-se do cantor Wesley Ribeiro, ex-Forró do Skenta. Em novembro do mesmo ano, Paulo Bala é demitido e a direção anuncia o retorno de Assum Preto.[13]

No final do mesmo ano de 2015, a banda Brasas do Forró gravou seu quinto DVD, no Sítio Siqueira em Fortaleza. O show, em comemoração aos 25 anos de carreira, trouxe diversas participações especiais, como Gaúcho da Fronteira, Novinho da Paraíba, dentre outros.[14]

2017: Álbum TOP 50Editar

No ano de 2017 a banda lançou o CD "Top 50 - Greatest Hits" que, como o própro nome já diz, reúne os 50 maiores sucessos da banda.

2018: Projeto Acústico ImaginarEditar

Em 2018, a banda aposta em um projeto diferente: Trata-se do "Acústico Imaginar", um compilado com alguns dos maiores sucessos da banda em formato acústico, onde metade das músicas são tocadas apenas com acompanhamento de piano e a outra metade em formato de xote (sanfona, zabumba e triângulo). Tal projeto foi disponibilizado na internet e, posteriormente, foi transformado em CD e DVD promocionais.

2019: Gravação de dois videoclipesEditar

Em 2019 a banda Brasas do Forró gravou dois clipes, um com a participação de Zé Cantor, na música "Fundo do Poço" (interpretada por Assum Preto) e o outro com a participação de Júnior Vianna na música "CPF do Vaqueiro" (interpretada por Wesley Ribeiro).

InfluenciadosEditar

A banda Brasas do Forró representa, ao longo de sua história na música brasileira, uma contribuição significativa para a evolução do forró eletrônico. Os maiores influenciados ao longo dos últimos anos — embora tenham dado uma nova roupagem ao estilo forronerão — são: Gaviões do Forró, Aviões do Forró, e Wesley Safadão[15]

Formação atualEditar

Ex-integrantesEditar

VocalistasEditar

  • Ventura Neto (1992-1999) "In Memoriam"
  • Toca do Vale (1997-1999)
  • Marileide (1997-2003)
  • Helio Barbosa (2001-2005) "In Memoriam"
  • Marli Nogueira (2002-2005)
  • Junior Raidan (2005)
  • Claudio Black (2005-2011)
  • Lince Bass (2009)
  • Vanessa Ville (2010)
  • Wenia Araújo (2005-2012)
  • Joelma Rios (2013)
  • Thays Oliveira (2014)
  • Nerivaldo Bezerra (2004-2014)
  • Jack Lins (2014)
  • Michelle Torres (2015)
  • Leandro Mendes (2003 e 2015)
  • Paulo Bala (2011-2015)

Músicos e outrosEditar

  • Binha Cardoso - Backing Vocal (1998-2000)
  • Geó - Saxofone (2000-2003)
  • Pimentinha - Dançarina (1999-2004)
  • Mimosa - Danaçarina (1999-2004)
  • Pepê - Dançarino (1999-2004)
  • Didi - Sanfona (1989-2007)
  • Renato Ravel - Teclados (2004-2008)
  • Zé Maria - Bateria (1992-2008)
  • Marquinhos - Baixo (2003-2014)
  • Eudes - Trompete (2012-2014)
  • Chocolate - Saxofone (2003-2014)
  • Iza Andrade - Dançarina (2012-2014)
  • Jéssica Camila - Dançarina (2012-2014)
  • Tahiny Gomes - Dançarina (2012-2014)
  • Aline Raniele - Dançarina (2014)
  • Esquerdinha - Bateria (2012-2015)
  • Romário Monteiro - Percussão (2012-2015)
  • Denis Pimenta - Bateria (2015)
  • Rafinha Bass - Contrabaixo (2014-2015)
  • Bruno - Teclados (2012-2016)
  • Jarbas - Guitarra (2015-2016)
  • Rivelino - Bateria (2016)
  • Nael - Trombone (2015-2016)
  • Fransax - Saxofone (2015-2016)
  • Renato Bass - Contrabaixo (2016-2017)
  • Léo Rodrigues - Sanfona (2004-2017)
  • Alessandro Gurgel - Bateria (2017-2019)
  • Alexandre Silva - Produção (2013-2019)
  • Fofinho Teclas - Teclados e sanfona (2018-2019)
  • Germano - Trombone (2017-2020)
  • Maestro Toinho - Sanfona (2002-2020)

DiscografiaEditar

 Ver artigo principal: Discografia de Brasas do Forró

Referências

  1. «Brasas do Forró - Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira» 
  2. a b Medeiros, Gustavo Silva (27 de maio de 2019). «Brasas do Forró: A Banda que revolucionou o cenário musical do forró no início dos anos 90» 
  3. Braga, Robson da Silva (14 de setembro de 2012). «Interações entre o tradicional e o massivo: em busca das matrizes regionais do forró eletrônico» (PDF). Cada pesquisa revela um mundo. Consultado em 30 de junho de 2016 
  4. «MaracaNET - O Portal de Notícias de Maracanaú». 8 de maio de 2020 
  5. «CD – Brasas do Forró – Calorão – Forró em Vinil» 
  6. «Toca do Vale - Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira» 
  7. «Brasas Do Forró - Vol. II - Belo Cinquentão No Vaneirão» (em inglês) 
  8. ME, FP Sistemas Ltda-. «LETRA DE MÚSICA GAÚCHA - letras de músicas gaúchas, você pode ouvir a música. Letras das músicas de Gaúcho da Fronteira, Forronerão ao Vivo - Gaúcho da Fronteira e Brasas do Forró» 
  9. CD FORRONERÃO AO VIVO - GAÚCHO DA FRONTEIRA & BRASAS DO FORRÓ, consultado em 9 de maio de 2020 
  10. Tárik de Souza (4 de maio de 1999). «Forró, distorção, evolução e fusão em 6 novos CDs». Jornal do Brasil, Ano CIX, edição 26, Caderno B, página 4 
  11. «Assum Preto é contratado pelo Forró Ferro na Boneca - Diário do Forró». Diário do Forró. 13 de março de 2014. Consultado em 16 de maio de 2016 
  12. «Morre ex-vocalista da banda Brasas do Forró». 20 de agosto de 2013 
  13. Portal Mais Forró. «Assum preto retorna à banda» 
  14. «PORTALFORRO.NET - Brasas do Forró comemora 25 anos e divulga making of do novo DVD». Consultado em 5 de janeiro de 2016 
  15. Rocha, Pedro (10 de maio de 2011). «O forró tá estourado!». Consultado em 7 de julho de 2016 
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Brasas do Forró