Brasil na Copa do Mundo FIFA de 1994

desempenho em competição esportiva
Brasil
Campeão
Flag of Brazil.svg
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Alternativo
Associação CBF
Confederação Conmebol
Participação 15º (todas as copas)
Melhor resultado Nuvola apps mozilla.png Campeão: 1958, 1962, 1970, 1994, 2002
Treinador Brasil Parreira

A Edição de 1994 da Copa do Mundo marcou a décima quinta participação do Brasil nessa competição. Era o único país a participar de todas as edições do torneio da FIFA, fato que persiste até a última edição realizada da Copa, em 2018.

Preparação para a CopaEditar

AmistososEditar

23 de Março Brasil   2 – 0   Argentina   Estádio do Arruda, Recife

Bebeto     Árbitro:  BRA Wilson Souza de Mendonça

20 de Abril Paris Saint-Germain   0 – 0   Brasil   Parc des Princes, Paris

Árbitro:  FRA Alain Sars

4 de Maio Brasil   3 – 0   Islândia   Estádio da Ressacada, Florianópolis

Ronaldo  
Zinho  
Viola  
Árbitro:  BRA Dalmo Bozzano

5 de Junho Canadá   1 – 1   Brasil   Estádio Commonwealth, Edmonton

Eddy Berdusco   Romário   Árbitro:  MEX Antonio Marrufo Mendoza

8 de Junho Brasil   8 – 2   Honduras   Qualcomm Stadium, San Diego

Romário      
Bebeto    
Cafu  
Dunga  
Raí  
Luis Enrique Cálix  
Eugenio Dolmo Flores  
Árbitro:  USA Brian Hall

12 de Junho Brasil   4 – 0   El Salvador   Bulldog Stadium, Fresno

Romário  
Bebeto  
Zinho  
Raí  
Árbitro:  USA Brian Hall

23 de Dezembro Brasil   2 – 0   Iugoslávia   Estádio Olímpico Monumental, Porto Alegre

Viola  
Branco  
Árbitro:  BRA José Mocellin

A CopaEditar

ConvocadosEditar

Técnico: Carlos Alberto Parreira

Nº Camisa Jogador Posição Data de nascimento Clube
1 Taffarel Goleiro 08/05/1966
   Reggiana
2 Jorginho Lateral Direito 17/08/1964    Bayern
3 Ricardo Rocha Zagueiro 11/09/1962    Vasco da Gama
4 Ronaldão Zagueiro 19/06/1965    Shimizu S-Pulse
5 Mauro Silva Volante 12/01/1968    Deportivo La Coruña
6 Branco Lateral Esquerdo 04/04/1964    Fluminense
7 Bebeto Atacante 16/02/1964    Deportivo La Coruña
8 Dunga Volante 31/10/1963    Stuttgart
9 Zinho Meia 17/06/1967    Palmeiras
10 Raí Meia 15/05/1965    Paris Saint-Germain
11 Romário Atacante 29/01/1966    Barcelona
12 Zetti Goleiro 10/01/1965    São Paulo
13 Aldair Zagueiro 30/11/1965    Roma
14 Cafu Lateral Direito 19/06/1970    São Paulo
15 Márcio Santos Zagueiro 15/09/1969    Bordeaux
16 Leonardo Lateral Esquerdo 05/09/1969    São Paulo
17 Mazinho Volante
Lateral Direito
08/04/1966    Palmeiras
18 Paulo Sérgio Meia 02/06/1969    Bayer Leverkusen
19 Muller Atacante 31/01/1966    São Paulo
20 Ronaldo Atacante 22/09/1976    Cruzeiro
21 Viola Atacante 01/01/1969    Corinthians
22 Gilmar Goleiro 13/01/1959    Flamengo

CampanhaEditar

O Brasil, liderado por Romário, dirigido pela dupla Parreira e Zagallo, foi para a Copa desacreditado pela difícil campanha nas Eliminatórias. Jogando um futebol burocrático, porém consistente em seu sistema de marcação e obediência tática, a seleção canarinho tinha na dupla de ataque Bebeto e Romário sua principal arma. Branco firmou-se como um dos principais jogadores da equipe. O gol da vitória na partida contra a Holanda foi uma combinação da força e precisão de seu chute bem como excelente comunicação entre os jogadores da equipe.

No primeiro jogo , o Brasil venceu a Rússia por 2x0, com gol de Romário aos 26 minutos e também o de Raí, de pênalti, aos 52; infelizmente com 20 minutos Ricardo Rocha deixou o jogo. Contra os Camarões Dunga lançou Romário, deixando-o livre na frente do grandalhão Bell. Como fazia com frequência na época, o atacante ganhou a corrida que apostou com a zaga e tocou a bola antes que o goleiro pudesse abafá-la. Márcio Santos e Bebeto completaram na etapa final:3x0. No terceiro jogo, Brasil e Suécia jogaram em esquemas muito defensivos. No primeiro tempo, Andersson marcou para os suecos; no início da etapa final Romário chutou de bico de fora da área e igualou.

Brasil e Estados Unidos jogaram em San Francisco no dia 4 de Julho, dia do aniversário da independência norte-americana, diante de quase 85 mil pagantes. Começava o mata-mata. A equipe da casa entrou com uma prioridade: sustentar o empate que levaria a decisão da vaga nas quartas-de-final para os pênaltis, pelos quais, obviamente, teriam mais chances de vencer. Armou uma retranca feroz. O Brasil pôs em prática uma das características do estilo Parreira, tocando a bola com toda a paciência, em busca da brecha que pudesse levar o time à vitória. Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura. Aos 72 minutos, Romário percebeu a entrada de Bebeto pelo lado direito da grande área e rolou a bola que o jogador, num toque mágico, de sinuca, pôs do lado esquerdo de Tony Meola, garantindo a suada, mas justa, vitória.

A nota desagradável foi a cotovelada de Leonardo em Tab Ramos, que causou não só a expulsão do lateral pelo resto da Copa, além dos danos físicos ao jogador norte-americano, que só se recuperou definitivamente em dezembro, quando voltou a jogar com o seu clube de então, o Bétis, da Espanha.

Havia a expectativa de um jogo mais aberto entre Brasil e Holanda, dada a qualidade do adversário, mas o esperado só ocorreu no segundo tempo. O Brasil fez 2x0 em dois contra-ataques. No primeiro gol, Romário completou de bico o cruzamento de Bebeto. No segundo, Aldair deu passe longo para Romário, que serviu Bebeto. A zaga holandesa vacilou, imaginando que o atacante estivesse em posição de impedimento, e Bebeto driblou o goleiro De Goeij para pôr a bola na rede e comemorar com o "nana nenê" que fez história. Nos outros dois descuidos brasileiros durante toda a Copa, a Holanda empatou nos 12 minutos seguintes. Até que Branco sofreu uma falta na intermediária. Branco era o substituto de Leonardo e uma aposta de Parreira condenada por muita gente. No entanto, não só manteve o nível, como cobrou com perfeição a tal falta que recebera, garantindo a vitória de 3x2 que pôs o Brasil na semifinal.

E lá estava a Suécia, fechada como de hábito e como nunca, representando mais perigo do que a Suécia da primeira fase, por ter ensaiado á exaustão ao contra-ataque que já surpreendera o Brasil. Restavam 10 minutos e o time do técnico Tommy Svensson começava a sonhar com a decisão por pênaltis que poderia levá-lo, pela segunda vez, à decisão de uma Copa do Mundo, quando Jorginho fez cruzamento da direita que Romário, aparou de cabeça na pequena área, no meio de uma floresta de gigantes, para tornar o Brasil finalista:1x0.

Para a final, o Brasil jogou pouco mais ofensivo e a Azurra, jogou excessivamente defensivo, para pressionar o Brasil. O Brasil, anote, chutou vinte e duas vezes ao gol de Pagliuca, contra seis do adversário. E acreditou na vitória até na prorrogação, quando Parreira trocou Zinho por Viola, um atacante genuíno. Romário desperdiçou uma bola sob as traves. O jogo acabou 0x0.

Começou a cobrança de pênaltis: Baresi chutou para fora; Márcio Santos chutou para as mãos de Pagliuca; Albertini fez 1x0 para a Itália; Romário empatou para o Brasil; Evani acertou, fazendo 2x1; Branco tornou a empatar para o Brasil; Massaro chutou para uma espetacular defesa de Taffarel; Dunga com muita raça virou para o Brasil, 3x2; restava Baggio, que chutou para o alto. O Brasil tornou-se tetracampeão do mundo. E Dunga levantou a Taça do Mundo, mostrando, quatro anos depois, que o jocoso apelido "Era Dunga" que a imprensa dera ao desastre de 1990 fora, sobretudo, um apressado equívoco. Os atletas comemoraram com uma faixa homenageando o falecido piloto de corrida Ayrton Senna, onde escreveram Senna este tetra é nosso.

Primeira Fase: Grupo BEditar

Grupo BEditar

Time Pts J V E D GF GC SG
  Brasil 7 3 2 1 0 6 1 5
  Suécia 5 3 1 2 0 6 4 2
  Rússia 3 3 1 0 2 7 6 1
  Camarões 1 3 0 1 2 3 11 -8

Brasil vs Rússia

20 de Junho de 1994   Brasil 2–0   Rússia Stanford Stadium, Palo Alto
13:00 PDT
Romário   26'
Raí   52' (pen.)
Report Público: 81,
Árbitro:  MUS Lim Kee Chong
     
 
 
Brasil
     
 
 
Rússia
Go 1 Taffarel
LD 2 Jorginho
ZA 3 Ricardo Rocha   75'
ZA 15 Márcio Santos
LD 16 Leonardo
VO 5 Mauro Silva
VO 8 Dunga   85'
MC 10 Raí  
MC 9 Zinho
AT 7 Bebeto
AT 11 Romário
Substituições:
ZA 13 Aldair   75'
MC 17 Mazinho   85'
Técnico:
Carlos Alberto Parreira
GO 16 Dmitri Kharine(c)
LD 2 Dmitri Kuznetsov   78'
ZA 3 Sergei Gorlukovich
ZA 5 Yuriy Nikiforov   61'
LE 6 Vladislav Ternavsky
VO 7 Andrei Piatnitski
MC 10 Valeri Karpin
MC 15 Dmitri Radchenko   77'
MF 17 Ilya Tsymbalar
DF 21 Dmitri Khlestov   65'
FW 22 Sergei Yuran   55'
Substituições:
FW 9 Oleg Salenko   55'
MF 13 Aleksandr Borodyuk   77'
Técnico:
Pavel Sadyrin
Bandeirinhas:
El Jilali Rharib (Marrocos)
Domenico Ramicone (Itália)
Quarto árbitro:
Fabio Baldas (Itália)

Brasil vs Camarões

24 de Junho de 1994   Brasil 3–0   Camarões Stanford Stadium, Palo Alto
13:00 PDT
Romário   39'
Márcio Santos   66'
Bebeto   73'
Report Público: 83,401
Árbitro:  MEX Arturo Brizio Carter
     
 
 
Brasil
     
 
 
Camarões
GO 1 Taffarel
LD 2 Jorginho
ZA 13 Aldair
ZA 15 Márcio Santos
LD 16 Leonardo
VO 5 Mauro Silva   44'
VO 8 Dunga
MC 10 Raí     81'
MC 9 Zinho   75'
AT 7 Bebeto
AT 11 Romário
Substituições:
MC 18 Paulo Sérgio   75'
AT 19 Müller   81'
Técnico:
Carlos Alberto Parreira
GK 1 Joseph-Antoine Bell
DF 3 Rigobert Song   63'
MF 6 Thomas Libiih
FW 7 François Omam-Biyik
MF 8 Emile Mbouh
FW 10 Louis-Paul Mfédé   71'
DF 13 Raymond Kalla   37'
DF 14 Stephen Tataw(c)   8'
DF 15 Hans Agbo
MF 17 Marc-Vivien Foé
FW 19 David Embé   64'
Substituições:
FW 9 Roger Milla   64'
MF 11 Emmanuel Maboang   71'
Técnico:
  Henri Michel

Bandeirinhas:
Douglas James (Trinidad and Tobago)
Carl-Johan Meyer Christensen (Denmark)
Quarto árbitro:
Peter Mikkelsen (Denmark)

Brasil vs Suécia

28 de Junho de 1994   Brasil 1–1   Suécia Pontiac Silverdome, Pontiac
16:00 EDT
Romário   46' Report K. Andersson   23' Público: 77,217
Árbitro:  HUN Sándor Puhl
     
 
 
Brasil
     
 
 
Suécia
GO 1 Taffarel
LD 2 Jorginho
ZA 13 Aldair   23'
ZA 15 Márcio Santos
LD 16 Leonardo
VO 5 Mauro Silva   45'
VO 8 Dunga
MC 9 Zinho
MC 10 Raí     83'
AT 7 Bebeto
AT 11 Romário
Substituições:
MF 17 Mazinho   45'
MF 18 Paulo Sérgio   83'
Técnico:
Carlos Alberto Parreira
GK 1 Thomas Ravelli
DF 2 Roland Nilsson
DF 3 Patrik Andersson
DF 5 Roger Ljung
MF 6 Stefan Schwarz   75'
FW 7 Henrik Larsson   65'
MF 8 Klas Ingesson
MF 9 Jonas Thern(c)
FW 11 Thomas Brolin
DF 14 Pontus Kåmark
FW 19 Kennet Andersson
Substituições:
MF 21 Jesper Blomqvist   65'
MF 18 Håkan Mild   83'   75'
Técnico:
Tommy Svensson

Bandeirinhas:
Sándor Márton (Hungary)
Luc Matthys (Belgium)
Quarto árbitro:
Manuel Díaz Vega (Spain)

OitavasEditar

Brasil vs Estados Unidos

4 de Julho de 1994   Brasil 1 – 0   Estados Unidos Stanford Stadium, Stanford
12:35
Bebeto   72' Report Público: 84,147
Árbitro:  FRA Joël Quiniou
     
 
 
Brasil
     
 
 
Estados Unidos
GO 1 Taffarel
LD 2 Jorginho   16'
ZA 13 Aldair
DF 15 Márcio Santos
DF 16 Leonardo   43'
MF 5 Mauro Silva
MF 8 Dunga  
MF 9 Zinho   69'
MF 17 Mazinho   8'
FW 7 Bebeto
FW 11 Romário
Substituições:
DF 14 Cafu   69'
Técnico:
Carlos Alberto Parreira
GK 1 Tony Meola (c)
DF 5 Thomas Dooley   80'
DF 17 Marcelo Balboa
DF 20 Paul Caligiuri   49'
DF 21 Fernando Clavijo     64', 85'
DF 22 Alexi Lalas
MF 7 Hugo Pérez   66'
MF 9 Tab Ramos   43'   45'
MF 13 Cobi Jones
MF 16 Mike Sorber
FW 8 Earnie Stewart
Substituições:
FW 11 Eric Wynalda   45'
FW 10 Roy Wegerle   66'
Técnico:
  Bora Milutinović

QuartasEditar

Países Baixos vs Brasil

9 de Julho de 1994   Países Baixos 2 – 3   Brasil Cotton Bowl, Dallas
14:35
Bergkamp   64'
Winter   76'
Report Romário   53'
Bebeto   63'
Branco   81'
Público: 63,500
Árbitro:  CRI Rodrigo Badilla
     
 
 
Países Baixos
     
 
 
Brasil
GK 1 Ed de Goeij
MF 3 Frank Rijkaard   65'
DF 4 Ronald Koeman (c)
MF 5 Rob Witschge
MF 6 Jan Wouters   89'
MF 7 Marc Overmars
MF 8 Wim Jonk
FW 10 Dennis Bergkamp
DF 18 Stan Valckx
FW 19 Peter van Vossen   54'
MF 20 Aron Winter   40'
Substituições:
FW 11 Bryan Roy   54'
MF 9 Ronald De Boer   65'
Técnico:
Dick Advocaat
GK 1 Taffarel
DF 2 Jorginho
DF 13 Aldair
DF 15 Márcio Santos
DF 6 Branco   90'
MF 5 Mauro Silva
MF 8 Dunga     74'
MF 9 Zinho
MF 17 Mazinho   81'
FW 7 Bebeto
FW 11 Romário
Substituições:
MF 10 Raí   81'
DF 14 Cafu   90'
Técnico:
Carlos Alberto Parreira

SemiEditar

Sweden vs Brasil

13 de Julho de 1994   Suécia 0 – 1   Brasil Rose Bowl, Pasadena
16:05
Report Romário   80' Público: 91,856
Árbitro:  COL José Torres Cadena
     
 
 
Suécia
     
 
 
Brasil
GK 1 Thomas Ravelli
DF 2 Roland Nilsson
DF 3 Patrik Andersson
DF 4 Joachim Björklund
DF 5 Roger Ljung   29'
MF 8 Klas Ingesson
MF 9 Jonas Thern (c)   63'
FW 10 Martin Dahlin   68'
FW 11 Tomas Brolin   86'
MF 18 Håkan Mild
FW 19 Kennet Andersson
Substituições:
MF 17 Stefan Rehn   68'
Técnico:
Tommy Svensson
GK 1 Taffarel
DF 2 Jorginho
DF 13 Aldair
DF 15 Márcio Santos
DF 6 Branco
MF 5 Mauro Silva
MF 8 Dunga  
MF 9 Zinho   3'
MF 17 Mazinho   45'
FW 7 Bebeto
FW 11 Romário
Substituições:
MF 10 Raí   45'
Técnico:
Carlos Alberto Parreira

Oitavas de finalEditar

 : Taffarel, Jorginho (Cafu), Márcio Santos, Aldair, Leonardo, Mazinho, Zinho, Mauro Silva, Dunga, Bebeto e Romário.

Técnico: Carlos Alberto Parreira.

 : Tony Meola, Fernando Clavijo, Marcelo Balboa, Alexi Lalas, Paul Caligiuri, Cobi Jones, Thomas Dooley, Hugo Perez (Roy Wegerle), Mike Sorber, Tab Ramos (Eric Wynalda) e Earnie Stewart.

Técnico: Bora Milutinović.

Quartas de finalEditar

 : Taffarel, Jorginho, Márcio Santos, Aldair, Branco (Cafu), Mazinho (Raí), Zinho, Mauro Silva, Dunga, Bebeto e Romário.

Técnico: Carlos Alberto Parreira.

 :Ed de Goeij, Ronald Koeman, Stan Valckx, Jan Wouters, Rob Witschge, Frank Rijkaard (Ronald de Boer), Wim Jonk, Aron Winter, Marc Overmars, Dennis Bergkamp e Peter van Vossen (Bryan Roy).

Técnico: Dick Advocaat.

SemifinalEditar

 : Taffarel, Jorginho, Márcio Santos, Aldair, Branco, Mazinho (Raí), Zinho, Mauro Silva, Dunga, Bebeto e Romário.

Técnico: Carlos Alberto Parreira.

 : Ravelli, Nilsson, Patrik Andersson, Joachim Björklund, Ljung, Thern, Mild, Ingesson, Brolin, Martin Dahlin e Kennet Andersson.

Técnico: Tommy Svensson.

FinalEditar

17 de julho Brasil   0 – 0 (pro)   Itália Rose Bowl, Pasadena
12:30 (UTC−7)
Relatório Público: 94 194
Árbitro:  HUN Sándor Puhl
Assistente 1: PAR Venancio Zarate
Assistente 2:  IRN Mohammed Fanaei
Quarto Árbitro: ARG Francisco Lamolina
    Penalidades  
Márcio Santos  
Romário  
Branco  
Dunga  
3 – 2   Baresi
  Albertini
  Evani
  Massaro
  R. Baggio
 
     
 
 
Brasil
     
 
 
Itália
 
BRASIL:
G 1 Taffarel
LD 2 Jorginho   21'
Z 13 Aldair
Z 15 Márcio Santos
LE 6 Branco
V 5 Mauro Silva
V 8 Carlos Dunga  
M 17 Mazinho   4'
M 9 Zinho   106'
A 11 Romário
A 7 Bebeto
Substituições:
LD 14 Cafu   87'   21'
A 21 Viola   106'
Treinador:
Carlos Alberto Parreira
 
 
ITÁLIA:
G 1 Gianluca Pagliuca
LD 8 Roberto Mussi   35'
Z 6 Franco Baresi  
Z 5 Paolo Maldini
LE 3 Antonio Benarrivo
MD 14 Nicola Berti
M 13 Dino Baggio   95'
M 11 Demetrio Albertini   42'
ME 16 Roberto Donadoni
A 10 Roberto Baggio
A 19 Daniele Massaro
Substituições:
LD 2 Luigi Apolloni   41'   35'
M 17 Alberigo Evani   95'
Treinador:
Arrigo Sacchi
Copa do Mundo FIFA de 1994
 
Brasil
Campeão
(4º título)

Ligações externasEditar