Brasil nos Jogos Olímpicos

visão geral das participações do Brasil nos Jogos Olímpicos

A primeira vez do Brasil nos Jogos Olímpicos ocorreu nos Jogos Olímpicos de 1920, em Antuérpia, Bélgica.[1] Participou de cada edição desde então, com exceção dos jogos de 1928, em Amsterdã, na Holanda. A crise econômica que o país atravessava impediu que houvesse recursos suficientes para enviar uma delegação[2].

Brasil nos Jogos Olímpicos
Comitê Olímpico Nacional
Código do COI BRA
Nome Comitê Olímpico do Brasil
site oficial
Participações nos Jogos Olímpicos
Verão 192019241928193219361948195219561960196419681972197619801984198819921996200020042008201220162020

Inverno 19921994199820022006201020142018
Esporte do Brasil
Flag of Brazil.svg
Comitê Olímpico Brasileiro (COB)
Código do COI BRA
Eventos Multiesportivos
Olimpíadas  • Pan  • Sul-Americanos  • Sul-Americanos de Praia  • Lusofonia
Esportes
Futebol (FIFA) Copa do Mundo  • Copa América  • Copa das Confederações
Futsal (FIFA) Copa do Mundo  • Copa América
Voleibol (FIVB) Copa do Mundo  • Mundial  • Liga  • Grand Prix  • Sul-Americano
Natação (FINA) Campeonato Mundial
Atletismo (World Athletics) Campeonato Mundial
Rugby (WR) Copa do Mundo  • Sul-Americano

Nos Jogos Olímpicos de Inverno, o Brasil estreou em 1992, em Albertville, na França. As participações do país em Jogos Olímpicos totalizam 30 em sua história. Com 150 medalhas em 18 esportes, é o país mais bem-sucedido da América do Sul nos Jogos. Suas melhores participações foram como país-sede dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, com 19 medalhas, 7 de ouro, e na edição seguinte, Tóquio 2020, igualando o número de ouros e superando o total de medalhas com 21.

Voleibol (quadra e praia) e judô são os esportes que mais medalhas renderam ao Brasil, 24 no total - com o judô tendo garantido pódios em toda edição desde 1984 - e o vôlei sendo ao lado da vela o esporte mais vitorioso, 8 ouros. No vôlei, o Brasil foi o primeiro a ganhar o ouro em todas as quatro modalidades (quadra masculino em 1992, praia feminino em 1996, praia masculino em 2004 e quadra feminino em 2008),[3] sendo igualado pelos Estados Unidos em 2020. O país também é o maior medalhista da história da competição de futebol com 9, sete do masculino, incluindo títulos em 2016 e 2020, e duas pratas no feminino.[4][5][6]

Por fim, um atleta do Brasil conquistou a Medalha Pierre de Coubertin: Vanderlei Cordeiro de Lima, corredor de longa distância que foi atacado por um espectador durante a maratona masculina da edição de 2004 em Atenas, Grécia, quando liderava a prova. Vanderlei perdeu duas posições, e chegou em terceiro ao final da prova, conquistando a medalha de bronze. Apesar da situação, ele ainda comemorou o terceiro lugar, mostrando bom espírito esportivo[7].

História nos Jogos Olímpicos de VerãoEditar

A primeira participação brasileira em Olimpíadas foi nos Jogos Olímpicos de 1920, em Antuérpia, Bélgica.[nota 1] A delegação era constituída por 22 atletas, todos homens, que conquistaram 3 medalhas no tiro desportivo, uma de ouro, uma de prata e uma de bronze. Os atletas foram enviados pela Confederação Brasileira de Desportos (CBD).

O primeiro brasileiro a competir nos Jogos Olímpicos, porém, foi Adolphe Christiano Klingelhoeffer, em Paris 1900. Cidadão brasileiro nascido em Paris, filho de um francês com uma brasileira, ele competiu nos 60 metros rasos, 200 metros rasos e 110 metros com barreiras. Klingelhoeffer não é reconhecido pelo Comitê Olímpico Brasileiro porque em 1900 ainda não existiam comitês olímpicos nacionais.[2]

Em 1924, por falta de verba da União e desistência da CBD, por pouco o Brasil não fica de fora dos Jogos Olímpicos de Paris. Situação que foi contornada graças a iniciativa dos esportistas de São Paulo, chefiados pelo jornalista Américo Neto, do Jornal O Estado de São Paulo e com apoio da Federação Paulista de Atletismo. Com delegação reduzida de somente 11 atletas homens, o Brasil participou das provas de Tiro, Atletismo e Remo[9].

Em 1932, nos Jogos Olímpicos de Los Angeles o Brasil envia 82 atletas de navio para os Jogos, chegando lá, os mesmos precisavam pagar um dólar para poder desembarcar, fato que acabou acarretando a não participação de 50 atletas. Somente os com maiores chances de exito puderam competir, entre esses a primeira mulher brasileira a participar dos Jogos Olímpicos, Maria Lenk. Nesses Jogos o Brasil participou nas modalidades Pólo Aquático, Remo e Atletismo[10].

Em 1935, foi reativado o Comitê Olímpico Brasileiro, fundado inicialmente em 1914. Nos jogos realizados em 1936, a CBD mandou uma delegação e o COB enviou outra. Antes que o Comitê Olímpico Internacional (COI) proibisse a participação do Brasil, ambas as delegações se fundiram. Desde então, o COB organiza e leva os atletas aos Jogos.

Depois de 1920, o Brasil só voltou a ganhar medalhas em 1948, com um bronze do basquete masculino. Na edição seguinte, 1952, voltou a ganhar um ouro com Adhemar Ferreira da Silva no salto triplo do atletismo. Desde então, o país tem conseguido medalhas em todas as edições.

No total, o Brasil conquistou 150 medalhas na história dos jogos olímpicos, todas nas edições de verão. São 37 de ouro, 42 de prata e 71 de bronze, o que o torna o país sul-americano com o melhor retrospecto na história das Olimpíadas da era moderna e o 4º maior ganhador das Américas atrás apenas dos EUA, Canadá e Cuba, respectivamente. Essa posição foi conquistada nos jogos de Atenas, em 2004, quando ultrapassou a sua arquirrival Argentina, que era a primeira colocada na América do Sul até então. É também um dos raros países a ter um atleta que recebeu a Medalha Pierre de Coubertin: Vanderlei Cordeiro de Lima.

Desde que iniciou seu Histórico olímpico, a delegação brasileira enviou milhares de atletas em suas mais de 2 mil vagas olímpicas até o momento. Em 2016, o Rio de Janeiro sedia os Jogos Olímpicos de Verão de 2016, sendo a primeira cidade da América do Sul a sediar o maior evento do esporte mundial. A maior delegação brasileira da história teve 465 atletas em 28 esportes. O país teve sua melhor participação, com 19 medalhas no total, 7 delas de ouro.

Os Jogos de 2020 em Tóquio tiveram o Brasil superando seus números do Rio 2016 com 21 medalhas no total, e igualando os 7 ouros.[11] O país conseguiu também conseguiu sua maior variedade de esportes no pódio com 13, incluindo os estreantes surfe e skate e a primeira medalha no tênis.[12]

História nos Jogos Olímpicos de InvernoEditar

Em sua primeira participação em Albertville em 1992, o país levou 6 homens e 1 mulher, todos competindo no esqui alpino. Quatorze anos depois, em Turim 2006, Isabel Clark, praticante de snowboard, alcançou o melhor resultado histórico de participação brasileira (bem como latino-americana) nos Jogos de Inverno, ficando em nono lugar no snowboard em Turim 2006. A tabela abaixo sintetiza as participações do Brasil nos Jogos de Inverno:[1]

Ano Cidade Atleta Prova Resultado
1992
(Detalhes)
Albertville Evelyn Schuler E.Alpino-Slalom Gigante 40°
Christian Lothar Munder E.Alpino-Slalom Gigante 41°
Sérgio Schuler E.Alpino-Slalom Gigante 64°
Marcelo Apovian E.Alpino-Slalom Gigante 73°
Hans Egger E.Alpino-Slalom Gigante DNF
Flávio Igel E.Alpino-Slalom Gigante DNS
1994
(Detalhes)
Lillehammer Christian Lothar Munder E.Alpino-Super combinado 50°
1998
(Detalhes)
Nagano Marcelo Apovian E.Alpino-Slalom Gigante 37°
2002
(Detalhes)
Salt Lake City Franziska Becskehazy E.Cross country 10 km 59°
Mirella Arnold E.Alpino-Slalom gigante 48°
Alexandre Penna E.Cross country 50 km 59°
Nikolai Hentsch E.Alpino-Slalom gigante DSQ
Renato Mizoguchi Luge 46°
Ricardo Raschini Luge 45°
  Equipe Trenó/4(Bobsleigh) 27°
2006
(Detalhes)
Turim Isabel Clark Snowboard-boardercross
Jaqueline Mourão E.Cross country 10 km 67°
Mirella Arnold E.Alpino-Slalom gigante 43°
Hélio de Freitas E.Cross country 15 km 93°
Nikolai Hentsch E.Alpino-Slalom gigante 30°
E.Alpino-Downhill 43°
  Equipe Trenó/4(Bobsleigh) 25°
2010
(Detalhes)
Vancouver Maya Harrisson E.Alpino-Slalom DNF
E.Alpino-Slalom gigante 48º
Jhonatan Longhi E.Alpino-Slalom DNF
E.Alpino-Slalom gigante 56º
Jaqueline Mourão E.Cross country 10 km 67º
Leandro Ribela E.Cross country 15 km 90º
Isabel Clark Ribeiro Snowboard cross 19º
2014
(Detalhes)
Sóchi
Jaqueline Mourão Biatlo-Velocidade 76°
Biatlo-Individual 77°
  Dupla Trenó/2(Bobsleigh) 19°
  Equipe Trenó/4(Bobsleigh) 29°

Quadros de medalhasEditar

Brasileiros bicampeões olímpicosEditar

São treze os brasileiros com duas medalhas de ouro olímpicas.

Atleta Esporte Anos Gênero Ouro
Adhemar Ferreira da Silva   Atletismo 1952 e 1956 M 2
Fabi Alvim   Vôlei 2008 e 2012 F 2
Fabiana Claudino   Vôlei 2008 e 2012 F 2
Giovane Gávio   Vôlei 1992 e 2004 M 2
Jaqueline Carvalho   Vôlei 2008 e 2012 F 2
Marcelo Ferreira   Vela 1996 e 2004 M 2
Maurício Lima   Vôlei 1992 e 2004 M 2
Paula Pequeno   Vôlei 2008 e 2012 F 2
Robert Scheidt   Vela 1996 e 2004 M 2
Serginho   Vôlei 2004 e 2016 M 2
Sheilla Castro   Vôlei 2008 e 2012 F 2
Thaísa Menezes   Vôlei 2008 e 2012 F 2
Torben Grael   Vela 1996 e 2004 M 2
Kahena Kunze   Vela 2016 e 2020 M 2
Martine Grael   Vela 2016 e 2020 M 2

Brasileiros multimedalhistasEditar

Dezesseis atletas brasileiros obtiveram 3 ou mais medalhas. Não-oficialmente, por não receber medalhas, há um tricampeão olímpico, o técnico de voleibol José Roberto Guimarães, que liderou ao ouro a equipe masculina em Barcelona 1992 e a equipe feminina em Pequim 2008 e Londres 2012.[14]

Número Atleta Esporte Anos Edições Gênero Ouro Prata Bronze Total
1 Robert Scheidt   Vela 1996–2012 6 M 2 2 1 5
2 Torben Grael   Vela 1984–2004 6 M 2 1 2 5
3 Serginho   Vôlei 2004–2016 4 M 2 2 0 4
4 Isaquias Queiroz   Canoagem 2016-2020 1 M 1 2 1 4
5 Gustavo Borges   Natação 1992–2004 4 M 0 2 2 4
6 Marcelo Ferreira   Vela 1992–2004 4 M 2 0 1 3
7 Bruno Rezende   Vôlei 2008–2016 3 M 1 2 0 3
Dante Amaral   Vôlei 2000–2012 4 M 1 2 0 3
Gilberto Godoy Filho   Vôlei 2000–2012 4 M 1 2 0 3
Rodrigo Santana   Vôlei 2004–2012 3 M 1 2 0 3
11 Emanuel Rego   Voleibol de Praia 1996–2012 5 M 1 1 1 3
Ricardo Santos   Voleibol de Praia 2000–2012 4 M 1 1 1 3
13 César Cielo Filho   Natação 2008–2012 2 M 1 0 2 3
Fofão   Vôlei 1992–2008 5 F 1 0 2 3
Rodrigo Pessoa   Hipismo 1992–2012 6 M 1 0 2 3
16 Mayra Aguiar   Judô 2012-2020 3 F 0 0 3 3

Mais de uma medalha numa mesma edição dos JogosEditar

Apenas 6 atletas brasileiros conquistaram mais de 1 medalha numa mesma edição dos Jogos.

Número Atleta Esporte Anos Gênero Ouro Prata Bronze
1 Guilherme Paraense   Tiro Esportivo 1920 M 1 0 1 2 Total
2 Afrânio da Costa   Tiro Esportivo 1920 M 0 1 1 2 Total
3 Gustavo Borges   Natação 1996 M 0 1 1 2 Total
4 César Cielo   Natação 2008 M 1 0 1 2 Total
5 Isaquias Queiroz   Canoagem 2016 M 0 2 1 3 Total
6 Rebeca Andrade   Ginástica Artística 2020 F 1 1 0 2 Total

Ver tambémEditar

Notas e referências

Notas

  1. Pesquisadores atuais descobriram, porém, que o primeiro brasileiro a competir nos Jogos Olímpicos o fez em Paris 1900. Trata-se de Adolphe Christiano Klingelhoeffer, cidadão brasileiro nascido em Paris, filho de um francês com uma brasileira. Ele competiu nos 60 m rasos, 200 m rasos e 110 metros com barreiras. Klingelhoeffer não é reconhecido pelo Comitê Olímpico Brasileiro porque em 1900 ainda não existiam comitês olímpicos nacionais.[8]
  2. a b Inclui maratona aquática.

Referências

  1. a b «Olimpíadas de Antuérpia, 1920 - UOL Esporte». olimpiadas.uol.com.br. Consultado em 4 de julho de 2016 
  2. caras.uol.com.br/ Brasil fica de fora dos Jogos de Amsterdã, em 1928
  3. Dia do Vôlei: relembre conquistas e conheça curiosidades
  4. O histórico da seleção brasileira nas Olimpíadas até alcançar o ouro
  5. Neymar faz gol relâmpago, e Brasil lutará por ouro no futebol masculino
  6. Brasil se torna o país com mais medalhas no futebol em Olimpíadas
  7. Ball, Off The. «Will anyone at the Rio Olympics claim the fourth type of medal?». Off The Ball 
  8. «Enciclopédia mapeia 1.797 atletas brasileiros que foram a Olimpíadas». Folha de S Paulo. Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  9. Almeida., Rocha, Aristides (2008). Olimpismo no Brasil : medalhas e classificações. São Paulo: Phorte. ISBN 9788576550587. OCLC 319225305 
  10. Almeida., Rocha, Aristides (2008). Olimpismo no Brasil : medalhas e classificações. São Paulo: Phorte. ISBN 9788576550587. OCLC 319225305 
  11. Os medalhistas do Brasil na Olimpíada de Tóquio 2020
  12. Em 12.º, Brasil faz em Tóquio a melhor participação olímpica da história
  13. Na Olimpíada de Atenas, Vanderlei Cordeiro de Lima recebeu a Medalha Pierre de Coubertin, a mais rara e alta honraria concedida pelo Comitê Olímpico Internacional. Até então fora concedida apenas 29 vezes.
  14. «Vôlei feminino do Brasil é bicampeão olímpico com virada sobre os EUA». O Estado de S. Paulo. Consultado em 4 de janeiro de 2014 

Leitura adicionalEditar