Brennus (couraçado)

O Brennus foi o primeiro couraçado pré-dreadnought operado pela Marinha Nacional Francesa. Sua construção começou em janeiro de 1889 no Arsenal de Lorient e foi lançado ao mar em outubro de 1891, porém sofria de problemas de instabilidade que adiaram seu comissionamento até janeiro de 1896 para que pudesse passar por obras corretivas.[1] Era armado com uma bateria principal composta por três canhões de 340 milímetros montados em uma torre de artilharia duplas e uma única,[2] tinha um deslocamento de mais de onze mil toneladas e conseguia alcançar uma velocidade máxima de dezessete nós.[3] Seu projeto serviu de base para vários dos couraçados franceses sucessores.[4]

Brennus
Brennus-Marius Bar-img 3134.jpg
 França
Operador Marinha Nacional Francesa
Fabricante Arsenal de Lorient
Homônimo Breno
Batimento de quilha 2 de janeiro de 1889
Lançamento 17 de outubro de 1891
Comissionamento 11 de janeiro de 1896
Descomissionamento 1º de abril de 1914
Destino Desmontado
Características gerais
Tipo de navio Couraçado pré-dreadnought
Deslocamento 11 370 t (carregado)
Maquinário 2 motores de tripla-expansão
32 caldeiras
Comprimento 114,46 m
Boca 20,4 m
Calado 8,28 m
Propulsão 2 hélices
- 12 500 cv (9 190 kW)
Velocidade 17 nós (31 km/h)
Autonomia 2 805 milhas náuticas a 11 nós
(5 195 km a 20 km/h)
Armamento 3 canhões de 340 mm
10 canhões de 164 mm
4 canhões de 65 mm
14 canhões de 47 mm
14 canhões de 37 mm
4 tubos de torpedo de 450 mm
Blindagem Cinturão: 300 a 400 mm
Convés: 60 mm
Torres de artilharia: 405 a 455 mm
Torre de comando: 120 mm
Tripulação 667

O Brennus passou a maior parte de sua carreira na Esquadra do Mediterrâneo, em que serviu como capitânia durante seus primeiros anos. Ele acidentalmente colidiu e afundou o contratorpedeiro Framée em 1900. A embarcação acabou relegada à Esquadra de Reserva no início do século XX a medida que novos e mais modernos couraçados foram entrando em serviço, atuando a partir de então como um navio-escola. Ele foi descomissionado em julho de 1914, pouco antes do início da Primeira Guerra Mundial, e desarmado no ano seguinte. O Brennus foi canibalizado atrás de peças sobressalentes para outros navios. Foi removido do registro naval em 1919 e desmontado três anos depois.[5][6]

Referências

  1. Caresse 2019, pp. 32–33, 35
  2. Campbell 1979, p. 292
  3. Caresse 2019, pp. 30–31
  4. Ropp 1987, p. 223
  5. Jordan & Caresse 2017, pp. 20, 217–219, 223
  6. Smigielski 1985, p. 191

BibliografiaEditar

  • Campbell, N. J. M. (1979). «France». In: Gardiner, Robert (ed.). Conway's All the World's Fighting Ships 1860–1905. Londres: Conway Maritime Press. ISBN 978-0-85177-133-5 
  • Caresse, Philippe (2019). «The French Battleship Brennus». In: Jordan, John (ed.). Warship 2019. Osprey: Osprey Publishing. ISBN 978-1-4728-3595-6 
  • Ropp, Theodore (1987). Roberts, Stephen S., ed. The Development of a Modern Navy: French Naval Policy, 1871–1904. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 978-0-87021-141-6 
  • Smigielski, Adam (1985). «France». In: Gardiner, Robert & Chesneau, Roger (eds.). Conway's All the World's Fighting Ships: 1906–1921. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 978-0-87021-907-8 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.