Bruto (Cícero)

Bruto (em latim: Brutus) é uma obra escrita pelo filósofo, orador e político romano Cícero, na qual faz uma exposição de toda a história da oratória romana.[1] A obra inicia-se com uma breve resumo da oratória grega e em seguida passa em revista os oradores romanos de maior relevância até o tempo de Cícero (que viria, ele mesmo, a ser considerado o maior orador romano).

A obra é hoje nossa única fonte de informações sobre vários personagens importantes na história da literatura e da oratória latina.[2] Participam do diálogo o próprio Cícero e seus dois amigos Bruto (a quem a obra é dedicada e deve o título) e Ático.

Traduções em língua portuguesaEditar

Em 2013, entrou em circulação no nosso mercado editorial uma tradução feita pelo professor José R. Seabra Filho[1].

Em 2014 tornou-se disponível on-line a tradução de Olavo Vinícius Barbosa de Almeida, fruto de uma dissertação de mestrado[3].

Links externosEditar

Tradução em língua portuguesa.

Referências

  1. a b CÍCERO, Marco Túlio. Brutus e A perfeição oratória - tradução de José R. Seabra Filho. Belo Horizonte, Edições Nova Acrópole, 2013.
  2. CITRONI, M., CONSOLINO, F. E., LABATE, M., NARDUCCI, E., "Cícero", in Literatura de Roma Antiga, trad. port. Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 2006
  3. ALMEIDA, Olavo Vinícius Barbosa de. O Brutus de Marco Túlio Cícero: estudo e tradução. 2014. 208 f. Dissertação (Mestrado em Letras Clássicas) - Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas, Universidade de São Paulo, São Paulo,2014.
  Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.