Buck-Tick

Banda japonesa de rock
(Redirecionado de Buck-tick)

Buck-Tick (estilizado como BUCK-TICK) é uma banda japonesa de rock visual kei formada em 1983 em Fujioka, Gunma. Sua formação conta com o vocalista Atsushi Sakurai, guitarristas Imai Hisashi e Hoshino Hidehiko e os irmãos Higuchi Yutaka, baixista, e Yagami Toll, baterista. Até o momento, lançaram 22 álbuns de estúdio e quase todos alcançaram o top 10 da Oricon Albums Chart.[1]

Buck-Tick
Informação geral
Origem Fujioka, Gunma
País Japão
Gênero(s)
Período em atividade 1985–atualmente
Gravadora(s)
Integrantes Sakurai Atsushi
Imai Hisashi
Hoshino Hidehiko
Higuchi Yutaka
Yagami Toll
Ex-integrantes Araki
Página oficial www.buck-tick.com

A banda experimentou vários gêneros musicais diferentes ao longo de sua carreira de três décadas,[2][3] como punk rock, rock industrial e gótico, entre outros. Buck-Tick é comumente creditado como um dos fundadores do movimento visual kei.[4][5][6]

Algumas de suas músicas ainda vieram a se tornar temas para animes, tais como: "Dress", "Gessekai", "Diabolo", "Kagerou",[7] "Kuchizuke" e "Gekka Reijin".[8]

CarreiraEditar

Formação e primeiros anos (1983–1985)Editar

 
Logotipo da banda

Buck-Tick foi originalmente formado no ano de 1983 em Fujioka com o nome de Hinan (非難) GO-GO por Imai Hisashi (que não sabia tocar nenhum instrumento até então) e os outros estudantes do ensino médio Higuchi Yutaka (também conhecido como U-ta), baixista, Hoshino Hidehiko na guitarra, Sakurai Atsushi, um estudante rebelde da mesma classe de Imai como baterista e Araki como vocalista. U-ta tentou convencer Hoshino de ser o vocalista por ser "bonito e alto" mas o guitarrista não estava interessado em ser o centro das atenções. Os membros também faziam parte do mesmo colégio que o vocalista do Boøwy, Kyosuke Himuro.[9] Nesta época, estavam tocando apenas covers, principalmente da banda punk japonesa the Stalin.[10][11]

Mais tarde, no mesmo ano, a banda passa a se chamar Buck-Tick, que significa fogo de artifício/ bombinha (do inglês, "firecracker"). Até este ponto Imai, Sakurai e Araki já estavam graduados, enquanto Higuchi e Hoshino terminavam seu último ano na escola.

Em 1985 a banda se muda para Tokyo, e essa não é a única mudança: Araki anuncia sua saída da banda. Após argumentar e muito trabalho em convencer os outros membros da banda, Sakurai sai da bateria para ocupar os vocais deixando um Buck-tick sem baterista. U-Ta retorna para casa com o intuito de recrutar seu irmão mais velho para o lugar desocupado na banda.

Mais experiente que os demais da banda, Yagami Toll já havia tocado em outras bandas, mas a sua banda mais recente, SP, havia acabado há pouco. Toll não estava muito entusiasmado em se juntar à banda de seu irmão mais novo mas, no final, U-ta o convenceu. Somando Toll á formação da banda, o Buck-tick permaneceu nesta formação até o atual momento.

Após 1986 houve muita atividade para o Buck-tick, começando pelo contrato com a Taiyo Records: Kazuyo Sawaki, representante deste selo indie independente, conheceu a banda em um show em Shibuya, fechando assim o contrato com o grupo.

No ano posterior o contrato foi feito com o selo Victor, selo este maior que o anterior.[12] A banda se empenhou em três turnês sem parar, muitas performances solo ao vivo e três álbuns, o que os manteve nos olhos do público, onde sua popularidade continuava a crescer.

Em 1988, quando a banda se apresentou no Sound on Wave 1988, eles anunciaram que "somente colocariam seu cabelo em pé quando estivessem afim". Assim, eles estavam deixando seu visual consagrado. Em setembro, Buck-Tick foi a Londres para gravar seu quarto álbum de estúdio, Taboo, produzido por Owen Paul. Também se apresentaram lá, no clube de música Greyhound, e entre os que compareceram ao show estavam membros da banda Der Zibet, que também estava gravando em Londres na época.[13] Os membros do Buck-Tick adoravam Londres, especialmente Sakurai, que sentia que a cena musical de lá era mais acolhedora com música dark e séria.[13] De fato, com Taboo, a banda entrou em um som mais sombrio e sério, que recebeu muitas críticas dos membros da cena musical japonesa que antes pensavam em Buck-Tick como pouco mais do que ídolos.[14] O álbum se tornou o primeiro da banda a alcançar o número um nas paradas quando foi lançado, em janeiro de 1989.[1]

Em março de 1989, a banda iniciou sua turnê em promoção ao Taboo. Nesse ponto, eles haviam parado de usar cortes de cabelo tão extravagantes e Sakurai parou de tingir o dele, mantendo-o preto. A turnê estava programada para durar até maio, mas foi cancelada abruptamente quando Imai foi preso por posse ilegal de LSD.[15] O incidente foi coberto por jornais e tabloides na época, contudo a banda não costuma comentar sobre o assunto.[14]

Em 1991 o BUCK-TICK lançou um álbum de rearranjos chamado "Symphonic Buck-Tick in Berlin", com a Orquestra de Câmara de Berlim.[16]

Em 1992, a banda grava a música Yokan, com a banda gótica holandesa Xymox (Clan of Xymox)

A parceria de sucesso com o selo Victor chega ao fim em 1997, com o contrato com a Mercury Music Entertainment.

Em 2001, num projeto paralelo intitulado "Schwein", Atsushi Sakurai e Hisashi Imai, junto com Sascha Konietzko (da banda industrial alemã KMFDM) e Raymond Watts (banda industrial PIG), lançando o álbum "Schweinstein"

Trocando de selo, em 2000 o Buck-tick assina contrato com BMG-Funhouse.

Aniversário de 25 anos e Lingua Sounda (2012–presente)Editar

Em comemoração do aniversário de 25 anos de banda em 2012, o Buck-Tick abriu um site especial onde anunciou a criação de sua própria gravadora independente, Lingua Sounda. Seus primeiros lançamentos na gravadora seriam um novo single na primavera de 2012 e um álbum no verão.[17]

O segundo álbum de tributo a banda, Parade II ~Respective Tracks of Buck-Tick~, foi lançado em 7 de julho contando com a participação de 13 artistas como Acid Black Cherry, Polysics, Mucc e etc.[18] Em 19 de setembro, lançaram seu décimo oitavo álbum de estúdio intitulado Yume Miru Uchuu.[19]

A banda lançou o álbum Atom Miraiha No.9 em 28 de setembro de 2016[20] e o álbum No.0 em 14 de março de 2018.[21]

Em 2020, o Buck-Tick lançou um single no começo do ano, "Datenshi" (堕天使) em 29 de janeiro.[22] Uma turnê para membros do fã clube foi anunciada, mas adiada devido a pandemia de COVID-19. Outro novo single, "Moonlight Escape" foi lançado em 26 de agosto.[23] No dia 22 de julho de 2020, a banda anunciou o lançamento de seu novo álbum, Abracadabra, disponível a partir de 21 de setembro.[24] Foi o primeiro álbum da banda a ser lançado internacionalmente, em 20 de novembro.[25]

O single "Go-Go BT Train" foi lançado em setembro de 2021 e uma turnê nacional foi anunciada, apesar da pandemia de COVID-19 em curso.[26] Em junho de 2022, a banda anunciou seus planos para comemorar o 35º aniversário de carreira. Eles lançarão um álbum de compilação especial intitulado CATALOG THE BEST 35th anniv. e durante o outono, farão vários shows de grande escala na Arena de Yokohama.[27][28]

Estilo musicalEditar

A música de Buck-Tick mudou e evoluiu imensamente ao longo de sua carreira. Seus trabalhos iniciais são o que os japoneses chamam de "punk positivo".[29] Com Taboo (1989), começaram a experimentar um som mais profundo, que amadureceu com Kurutta Taiyou (1991). Darker Than Darkness -Style 93- mergulhou em um som de rock industrial mais áspero que continuou até Mona Lisa Overdrive em 2003. Mais recentemente, com Juusankai wa Gekkou de 2005, eles adotaram deliberadamente um conceito "gótico",[30] que eles combinaram com um som de rock retrô para os álbuns Tenshi no Revolver (2007) e Memento Mori (2009).[31] Seu próximo álbum, Razzle Dazzle, de 2010, incorporou muitas instâncias de dance-rock.[32][33]

Jrock Revolution descreveu o estilo da banda como tendo ido "dos sons borbulhantes do pop ao zumbido do cyberpunk eletrônico, ao gótico aveludado lascivo, ao estilo suave do hard rock e vice-versa".[34] Sakurai, que é o principal letrista da banda,[35][36] é famoso pela decadência erótica de suas letras (que agora são predominantemente em japonês), mas também aborda frequentemente temas psicológicos existenciais. Suas letras também são descritas como "dança em um devaneio sobre a realidade".[37] A música "Rakuen (Inori Koinegai)" causou controvérsia porque algumas das letras foram retiradas do Alcorão e mais tarde o álbum foi relançado com a parte ofensiva removida em novembro de 1995.[38]

InfluênciaEditar

Considerado um dos fundadores do movimento visual kei,[39][40][41] Buck-Tick influenciou inúmeras bandas e músicos. Kiyoharu (Kuroyume, Sads) entrevistou Sakurai duas vezes em seu programa de rádio, durante os festivais de aniversário do Buck-Tick, e declarou que Sakurai era "tão sedutor" e "uma pessoa maravilhosa".[42][43] Takanori Nishikawa (Abingdon Boys School) é outro fã declarado de Buck-Tick, e entrevistou toda a banda no programa de TV Pop Jam.[44] O vocalista do Dir en grey, Kyo, se inspirou em Sakurai para se tornar um rock star depois de ver uma foto de Sakurai na mesa de um colega de escola.[45] Da mesma forma, no ensino médio seu colega de banda Die se interessou pelo rock após ouvir Aku no Hana.[46] O vocalista do D Asagi citou Buck-Tick como uma de suas maiores influências.[47] Seu colega de banda Tsunehito também nomeou Buck-Tick como uma de suas duas bandas japonesas favoritas.[47] A banda de Nagoya kei Deadman citou Buck-Tick como uma inspiração.[48] Conhecidos músicos da cena visual kei, Tatsurō (Mucc), Yuu (Merry), Aie (Deadman), Lay (Fatima) e Tsuyoshi (Karimero) formaram uma banda cover de Buck-Tick chamada Bluck-Tlick em 2011.[49]

IntegrantesEditar

Formação atualEditar

Ex-integrantesEditar

  • Araki (アラキ) - vocais (1983-1985)

DiscografiaEditar

 Ver artigo principal: Discografia de Buck-Tick

Álbuns de estúdioEditar

PrêmiosEditar

Ano Prêmio Categoria Trabalho Resultado
1988 30° Japan Record Awards Novo artista "Just One More Kiss"[11] Venceu
2017 MTV Video Music Awards Japan Artista inspirador Buck-Tick[50] Venceu

Referências

  1. a b «BUCK-TICKのアルバム売り上げランキング» (em japonês). Oricon. Consultado em 29 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 4 de dezembro de 2012 
  2. «Buck-Tick». Metropolis. 6 de dezembro de 2011. Consultado em 20 de setembro de 2018 
  3. «Buck-Tick サウンドはなぜ変貌し続ける? 大いなる実験作『或いはアナーキー』を紐解く». Real Sound (em japonês). 4 de junho de 2014. Consultado em 20 de setembro de 2018 
  4. Dejima, Kouji. «Bounce Di(s)ctionary Number 13 - Visual Kei». Bounce (em japonês). Consultado em 12 de setembro de 2007. Cópia arquivada em 1 de março de 2008 
  5. Christian Utz, Frederick Lau (2013). Vocal Music and Contemporary Identities: Unlimited Voices in East Asia and the West. [S.l.]: Routledge. 250 páginas. ISBN 978-1-136-15521-5 
  6. Tōru Mitsui, ed. (2014). Made in Japan. Col: Global Popular Music Series. [S.l.]: Routledge. 223 páginas. ISBN 9780415637572 
  7. «xxxHOLiC (TV) - Anime News Network». Anime News Network. Consultado em 15 de julho de 2020 
  8. «Shiki (TV) - Anime News Network». Anime News Network. Consultado em 15 de julho de 2020 
  9. Entrevista da Gunma Television com Atsushi Sakurai, apresentada em 3 de abril de 2005.
  10. Eremenko, Alexey. «Buck-Tick | Biography & History». AllMusic (em inglês). Consultado em 27 de agosto de 2020 
  11. a b LOVE ME, Yasue Matsuura, Takao Nakagawa; Shinko Music Publishing Company, Ltd. 1989. ISBN 4-401-61275-2.
  12. «Sexual XXXXX!». Buck-Tick Zone. Consultado em 26 de junho de 2020 
  13. a b Words by Buck-Tick, Shinko Music Publishing Company, Ltd. 2002. ISBN 4-401-61726-6
  14. a b Picture Product disc 3: "Sen-Sor", dirigido por Takashi Musha & Yuko Sakurai, Victor Entertainment, 2002.
  15. Artigo de jornal de 1989 com informações sobre a prisão de Imai Hisashi por posse de LSD
  16. «Symphonic Buck-Tick in Berlin | BUCK-TICK». KoME. Consultado em 15 de julho de 2020 
  17. «News from BUCK-TICK». JaME (em inglês). 21 de outubro de 2011. Consultado em 26 de junho de 2020 
  18. «New BUCK-TICK Tribute Album to be Released in July!» (em inglês). Music Japan Plus. 27 de abril de 2012. Consultado em 14 de dezembro de 2020. Arquivado do original em 19 de maio de 2012 
  19. «BUCK-TICK to release new album, "Yume Miru Uchuu"». tokyohive (em inglês). Consultado em 14 de dezembro de 2020 
  20. Zansouki (28 de julho de 2016). «BUCK-TICK to release new album "Atom mirai-ha No.9"». JROCK NEWS (em inglês). Consultado em 23 de julho de 2020 
  21. Ziggy (13 de março de 2018). «The count down to "No.0" for BUCK-TICK's new album». JROCK NEWS (em inglês). Consultado em 23 de julho de 2020 
  22. «BUCK-TICK welcomes angelic single "Datenshi" for new year». JROCK NEWS (em inglês). 13 de novembro de 2019. Consultado em 23 de julho de 2020 
  23. «Welcome to Buck-Tick Zone». Buck-Tick Zone (em inglês). 2020. Consultado em 23 de julho de 2020. Cópia arquivada em 23 de julho de 2020 
  24. Mandah (22 de julho de 2020). «News | BUCK-TICK et son ABRACADABRA». VerdamMnis Magazine (em francês). Consultado em 23 de julho de 2020 
  25. edoh+ (7 de novembro de 2020). «BUCK-TICK pulls international edition of "ABRACADABRA" out the hat». JROCK NEWS (em inglês). Consultado em 14 de dezembro de 2020 
  26. «Buck-Tick gets on board with "Go-Go BT Train" single and national tour». JrockNews. 18 de julho de 2021. Consultado em 11 de maio de 2022 
  27. «BUCK-TICK、35回目のメジャーデビュー記念日にコンセプトベストアルバム&ライヴ映像作品発売» (em japonês). Barks. Consultado em 17 de junho de 2022 
  28. «Buck-Tick 35th anniversary special site» (em japonês). JVC Music/Lingua Sounda. Consultado em 17 de junho de 2022 
  29. «The Origin of Beautiful Darkness――センセーショナルなデビュー~ブレイクの背景に流れるゴスの系譜». Tower Records (em japonês). 19 de setembro de 2012. Consultado em 16 de fevereiro de 2018 
  30. Fool’s Mate # 283, 「" 夜" は邪悪にもなれるし、ピュアにもなれる」("The night can become evil, or it can become pure"), Koh Imazu, May 2005.
  31. VMC Online Interview No. 71, "Buck-Tick," Eriko Ishii, 2007 Arquivado 2007-10-16 no Wayback Machine English translation available here Arquivado 2008-06-08 no Wayback Machine
  32. «Buck-Tick、「Japan」に14年ぶりのインタビューで登場!櫻井と今井が語る». Rockin'On (em japonês). Consultado em 17 de fevereiro de 2018 
  33. «Razzle Dazzle Feature». PHY (November). 2010. Consultado em 11 de maio de 2022 
  34. «BAND BIO: BUCK-TICK». Jrockrevolution. 27 de fevereiro de 2009. Consultado em 11 de maio de 2022 
  35. «「ヒロシ×櫻井敦司」» (em japonês). NHK. Consultado em 11 de maio de 2022 
  36. «Discrogaphy». Consultado em 11 de maio de 2022 
  37. «BUCK-TICKの歌詞はなぜ古びない? 様式美をすり抜ける「ふざけ」感覚を分析» (em japonês). Real Sound. Consultado em 11 de maio de 2022 
  38. McClure, Steve. «Japanese Label Recalls Album: Muslims Outraged By Koran Sample». Billboard. pp. 59–60 
  39. Dejima, Kouji. «Bounce Di(s)ctionary Number 13 - Visual Kei». bounce.com (em japonês). Consultado em 12 de setembro de 2007. Cópia arquivada em 1 de março de 2008 
  40. Christian Utz, Frederick Lau (2013). Vocal Music and Contemporary Identities: Unlimited Voices in East Asia and the West. [S.l.]: Routledge. 250 páginas. ISBN 978-1-136-15521-5 
  41. Tōru Mitsui, ed. (2014). Made in Japan. Col: Global Popular Music Series. [S.l.]: Routledge. 223 páginas. ISBN 9780415637572 
  42. "BayFM UpSound Radio (hosted by Kiyoharu)" interview with Atsushi Sakurai, August 31st 2007 broadcast.
  43. "BayFM UpSound Radio (hosted by Kiyoharu)" interview with Atsushi Sakurai, September 7th 2007 broadcast.
  44. Entrevista com Buck-Tick por Takanori Nishikawa no PopJam PJ Live Gold, apresentada em 1 de abril de 2005 no NHK.
  45. «Itami no Genten». Takarajimasha. Read. 002. Setembro de 2003 
  46. «Buck-Tick「惡の華 -Completeworks-」Special Site» (em japonês). JVCKenwood Victor Entertainment. Consultado em 10 de janeiro de 2020 
  47. a b Geisha (14 de maio de 2012). «Was verrieten D in Wien, München, Köln und Hamburg?». jame-world.com (em alemão). Consultado em 14 de julho de 2017 
  48. «deadman interview». jame-world.com. 5 de fevereiro de 2006. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  49. «Press conference and interview with MUCC». JaME World. 16 de agosto de 2005. Consultado em 14 de dezembro de 2020 
  50. «星野源が『MTV VMAJ 2017』で3冠達成 授賞イベントに欅坂46、MONDO GROSSOら出演». Real Sound|リアルサウンド (em japonês). Consultado em 28 de junho de 2022 

Ligações externasEditar

Buck-Tick no Twitter