Bueno de Andrada
  Distrito do Brasil  
Estação Ferroviária de Bueno de Andrada.
Estação Ferroviária de Bueno de Andrada.
Localização
Estado  São Paulo
Município Araraquara
História
Criado em 1924
Características geográficas
População total (2010) 1 695 habitantes hab.
Densidade hab./km²

Bueno de Andrada é um distrito do município paulista de Araraquara, localizado a noroeste do distrito-sede.

No distrito de Bueno de Andrade há cerca de uma dezena de quarteirões e tem como principais locais a estação de trem[1] (que é um ramal importante e de movimento de carga, para quem gosta de ver trem) e a praça em frente (da estação, das vendas, e da estrada).

É conhecido pelas suas famosas "coxinhas douradas". Turistas de várias localidades, passam por Bueno de Andrada para provarem esse salgado.

Bueno de Andrada é Distrito de Araraquara com destino a Matão e é cortada por uma estrada vicinal asfaltada paralela a rodovia SP 310. Ficou conhecido pelas “coxinhas douradas” quando, em visita ao Distrito em março de 2001[2], o escritor Araraquarense Ignácio de Loyola Brandão fez uma crônica referente ao local[3], voltando a citá-las em outra crônica escrita para o mesmo jornal em 2010[4].

Hoje em dia tem um grande número de visitantes e em razão das famosas coxinhas Bueno de Andrada está se transformando num centro de gastronomia que fica em frente à praça central que possui em paralelo uma ferrovia em funcionamento e na antiga e bem preservada Estação está em funcionamento o Telecentro e o Cartório. Ao fundo da Estação completa o cenário a Capela local. São elementos avistados da praça central aonde são montadas mesas e cadeiras a sombra das árvores de onde se pode fazer uma viagem de volta para o passado aonde os visitantes aspiram um ambiente de paz e tranquilidade que encanta a todos. Bueno de Andrada possui 90 famílias no Distrito e mais 320 nos assentamentos ao seu redor com cerca de 2.000 moradores na localidade.

Desde 2009 é realizado o Festival do Pastel & Caldo de Cana e desde 2010 é realizado o Festival Delícias do Milho. A iniciativa de realização dos eventos é do publicitário Teodoro Borelli Bratfisch (Théo Bratfisch), idealizador e organizador de eventos. Os pratos típicos resultantes deste festivais gastronômicos são respectivamente, o Pastelito de Bueno (um pastel no palito) e o Trem de Milho - prato à base de creme natural de milho verde com recheios opcionais de frango, carne seca, linguiça calabresa ou mussarela e cebolinha verde, acompanhado de bolinhos de bagaço de milho.

ComunicaçõesEditar

O distrito era atendido pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP)[5]. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica[6], sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[7] para suas operações de telefonia fixa.

Referências

  1. «Bueno de Andrada -- Estações Ferroviárias do Estado de São Paulo». www.estacoesferroviarias.com.br. Consultado em 5 de maio de 2016 
  2. «Referência à data da primeira crônica» (PDF). Jornal Tribuna Impressa. Jornal Tribuna Impressa. 1 de janeiro de 2012. Consultado em 5 de maio de 2016 
  3. «De Turista a Viajante: Coxinhas douradas de Bueno de Andrada (crônica)turista-viajante-dicas». www.deturistaaviajante.com. Consultado em 5 de maio de 2016 
  4. «De Johannesburgo à farinha de Igarapava - Cultura - Estadão». Estadão. Consultado em 5 de maio de 2016 
  5. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  6. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  7. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1