Abrir menu principal

Bundesliga

Liga profissional de futebol da Alemanha
Fußball-Bundesliga
Bundesliga logo (2017).png
Dados gerais
Organização DFB / DFL
Edições 55
Local de disputa Alemanha Alemanha
Número de equipes 18
Sistema Temporada, Pontos corridos
Soccerball current event.svg Edição atual
editar

A Fußball-Bundesliga (em português: Liga Federal de Futebol), é uma liga profissional de futebol da Alemanha. É a principal competição de futebol do país.

A Bundesliga foi originalmente fundada em 1962 na cidade de Dortmund pela Deutscher Fußball-Bund (Associação Alemã de Futebol), mas agora é controlada pela Deutsche Fußball Liga (Liga Alemã de Futebol), sendo a liga mais lucrativa da Europa.[1] A primeira temporada foi em 1963 e teve como primeiro campeão o Colônia, sendo que o primeiro artilheiro foi o famoso Uwe Seeler, do Hamburgo, e desde então, apenas a cidade de Munique celebrou dois de seus clubes como campeões: o Bayern e o München 1860. Sua estrutura e organização, juntamente com outras ligas de futebol da Alemanha, sofreram mudanças frequentes até os dias de hoje. Atualmente a Bundesliga é formada por 18 equipes e todos os seus clubes estão automaticamente classificados para a DFB-Pokal (Copa da Alemanha); o campeão se classifica para a DFL-Supercup (Supercopa da Alemanha).

Cerca de dez anos após a sua fundação, o futebol alemão começou a alcançar resultados ainda mais relevantes, tanto a Seleção da Alemanha, como os clubes alemães, entre 1972 e 1983: A Seleção da Alemanha foi campeã do mundo em 1974 e da Eurocopa em 1972 e 1980 (vice em 1976, perdendo nos pênaltis). Bayern (3 títulos, 1974/75/76) e Hamburgo (1, em 1983) campeões na Liga dos Campeões da UEFA, com o Borussia Mönchengladbach vice em 1977. Borussia Mönchengladbach campeão da Copa UEFA (atual Liga Europa) em 1975 e 1979 (vice em 1972 e 1980, este último para o também alemão Eintrach Frankfurt), com o Hamburgo vice em 1982. Na Recopa Europeia foram campeões neste período o Hamburgo em 1976 e vice campeão o Fortuna Düsseldorf em 1979. Vale acrescentar que dois clubes alemães orientais foram finalistas, o Magdeburgo, campeão em 1974, e o Carl Zeiss Jena, vice campeão em 1981. Já a Seleção da Alemanha Oriental foi campeã do futebol nos Jogos Olímpicos em 1976, havia conquistado o bronze nesta competição em 1972 e conquistaria a prata em 1980.

Um total de 55 clubes já disputaram a competição[2] e o Bayern München é o clube que mais a venceu, com 28 títulos desde 1963-64. Doze clubes já se sagraram campeões, além do Bayern, Borussia Dortmund e Borussia Mönchengladbach (5 títulos), Werder Bremen (4), Hamburgo e Stuttgart (3), FC Köln e Kaiserslautern (2), além de Eintracht Braunschweig, München 1860, FC Nürnberg e Wolfsburg, com um título cada. Entre os clubes que não foram campeões alemães na Era Bundesliga, destacam-se os tradicionais Schalke 04, com 7 vice campeonatos e Bayer Leverkusen e com 5.[3] Nos últimos 20 anos o Bayern München foi campeão 14 vezes, sendo que nos últimos 10 anos foi campeão em 8, tendo essa última sequência só sido quebrada pelo Borrussia Dortmund. Outros campeões alemães no Século XXI, são apenas Werder Bremen, VfB Stuttgart e Vfl Wolfsburg e entre os vice-campeões que não ganharam títulos de campeão nesse período, apenas Schalke 04, Bayer Leverkusen e RB Leipzig conseguiram chegar lá.

A Bundesliga é classificada em quarto lugar na Europa, de acordo com o ranking de coeficientes da UEFA para a temporada 2017-2018, com base em desempenhos em competições europeias nas últimas cinco temporadas.[4] Entre todos os esportes, sua média de 45.134 torcedores por jogo durante a temporada 2011-12 foi a segunda maior de qualquer liga esportiva do mundo atrás apenas da National Football League.[5] A Bundesliga é transmitida pela televisão em mais de 200 países.

Visão globalEditar

 
O vencedor da Bundesliga recebe o "Meisterschale".

A Bundesliga é composta por duas divisões: a 1. Bundesliga (embora raramente seja referida com o primeiro prefixo) e, abaixo disso, a 2. Bundesliga (2ª Bundesliga), que tem sido a segunda divisão do futebol alemão desde 1974. Desde 2008, a 3. Liga (3ª Liga) também tem sido uma liga profissional, mas não pode ser chamada de Bundesliga porque a competição é organizada pela Federação Alemã de Futebol (DFB) e não, como as duas Bundesligen, pela Liga de Futebol Alemã (Deutsche Fußball-Liga ou DFL).

Abaixo do nível da 3. Liga, as ligas são geralmente subdivididas em uma base regional. Por exemplo, os Regionalligen são atualmente constituídos pelas divisões Nord (Norte), Nordost (Nordeste), Süd (Sul), Südwest (Sudoeste) e Oeste. Abaixo estão treze divisões paralelas, a maioria das quais são chamadas Oberligen, que representam estados federais ou grandes áreas urbanas e geográficas. Os níveis abaixo do Oberligen diferem entre as áreas locais. A estrutura da liga mudou com frequência e normalmente reflete o grau de participação no esporte em várias partes do país. No início da década de 1990, as mudanças foram motivadas pela reunificação da Alemanha e pela subsequente integração da liga nacional da Alemanha Oriental.

Cada equipe nas duas Bundesligen deve ter uma licença para jogar na liga ou eles são relegados para as ligas regionais. Para obter uma licença, as equipes devem ser financeiramente saudáveis ​​e atender a certos padrões de conduta como organizações.

Como em outras ligas nacionais, há benefícios significativos em estar na primeira divisão:

  • Uma parcela maior das receitas de licenças de transmissão de televisão vai para as facções da 1.Bundesliga.
  • As equipes da 1.Bundesliga obtêm níveis significativamente maiores de torcedores. A média de frequência na primeira liga é de 42.673 torcedores por jogo - mais que o dobro da média da 2. Bundesliga.
  • Maior exposição através da televisão e níveis mais altos de atendimento ajudam as equipes da 1.Bundesliga a atrairem patrocínios mais lucrativos.
  • As equipes da 1.Bundesliga desenvolvem uma força financeira substancial através da combinação de receitas de televisão, patrocínios e marketing. Isso permite que eles atraiam e retenham jogadores habilidosos de fontes nacionais e internacionais e construam instalações de estádio de primeira classe.
 
Borussia Dortmund contra o Schalke 04, no RevierDerby, em 2009.

A 1. Bundesliga é financeiramente mais forte mas a 2. Bundesliga começou a evoluir em uma direção similar, tornando-se mais estável organizacionalmente e financeiramente, e refletindo um padrão cada vez mais elevado de jogo profissional.

Na temporada de 2008-09, a Bundesliga restabeleceu um sistema de promoção e despromoção, que havia sido usado de 1981 a 1991:

  • Os dois últimos da 1.Bundesliga são automaticamente rebaixados para a 2. Bundesliga, com os dois primeiros colocados na 2. Bundesliga ocupando seus lugares.
  • O 16° lugar da 1.Bundesliga jogará uma eliminatória contra a equipe que ficou em 3° lugar na 2. Bundesliga, com o vencedor ocupando o último lugar na Bundesliga da temporada seguinte.

De 1992 a 2008, um sistema diferente foi usado, no qual os três últimos da Bundesliga era automaticamente rebaixados, sendo substituídos pelos três primeiros colocados da 2. Bundesliga. De 1963 a 1981, duas ou mais equipes foram rebaixadas da Bundesliga automaticamente, enquanto a promoção foi decidida total ou parcialmente nos play-offs de promoção.

A temporada começa no início de agosto e dura até o final de maio, com uma pausa de inverno de seis semanas (de meados de dezembro até o final de janeiro). Nos últimos anos, os jogos foram jogados aos sábados (cinco jogos a partir das 15h30 e um jogo a partir das 18h30) e aos domingos (um jogo começou às 15h30 e um jogo às 17h30). Um novo acordo para a televisão em 2006 reintroduziu um jogo de sexta-feira (a partir das 20h30).

HistóriaEditar

FundadoresEditar

Os 16 membros fundadores da Bundesliga são[6]:

Primeiros anos (1963-1968)Editar

O primeiro jogo da Bundesliga foi em 24 de agosto de 1963. Em apenas 58 segundos, Timo Konietzka fez o gol do Borussia Dortmund no jogo contra o Werder Bremen, o primeiro gol da Bundesliga. Nesse ano o FC Köln sagrou-se campeão, o primeiro da Era Bundesliga.

Na temporada seguinte, aconteceu a primeira grande crise de um clube na Bundesliga. O Hertha BSC foi privado de sua licença devido as dívidas com seus jogadores, sendo rebaixado para a segunda divisão, em seguida, Regionalliga. Assim os rebaixados Karlsruher SC e FC Schalke 04 recuperaram sua vaga. Posteriormente, o número de equipes foi aumentada para 18. O SC Tasmania 1900 foi definido como substituto para o Hertha BSC.

Apesar de uma vitória na abertura da temporada, o Tasmania permaneceu na 1.Bundesliga por apenas uma temporada sendo o pior time da história da Bundesliga e tendo sete recordes negativos: ​​menor número de gols marcados (15), maior número de gols sofridos (108), menos pontos (8), menos vitórias (2), maior número de derrotas (28), menor número de público em um jogo (827) e a mais longa série sem vitórias (31 jogos consecutivos). 

Borussia Mönchengladbach e Bayern de Munique eram os dois clubes que dominavam a Bundesliga, e esse domínio durou vários anos. Dos 16 membros fundadores, o Hamburger SV foi o único que permaneceu continuamente na Bundesliga.

Bayern de Munique vs Borussia Mönchengladbach (1969-1978)Editar

Devido à fraudes em partidas competitivas de rebaixamento, Rot-Weiss Oberhausen e Arminia Bielefeld conseguiram manter-se na Bundesliga. O promotor-chefe da DFB, Hans Kindermann, conduziu investigações que verificaram que 18 jogos dos últimos oito dias da temporada de 1970/71 foram manipulados. Um total de cinquenta e dois jogadores, dois treinadores e seis funcionários de clubes foram punidos. Além disso, os clubes Arminia Bielefeld e Kickers Offenbach tiveram a licença da Bundesliga revogadas.

O futebol alemão perdeu a sua credibilidade depois disso. Os espectadores decidiram "punir" os clubes com sua abstinência dos estádios. Os índices de audiência de 6,3 milhões na temporada 1970-71 caíram drasticamente para 5,4 milhões em 1971/72 e 5 milhões em 1972-1973. Além do escândalo na época, foram discutidas outras razões para a perda de visitantes, entre outras coisas, a falta de conforto nos estádios e o aumento da cobertura televisiva. Somente após a Copa do Mundo de 1974, a reputação da Bundesliga "ressuscitou". Além disso, as equipes da Bundesliga foram muito bem sucedidas internacionalmente.

Borussia Mönchengladbach foi o primeiro campeão da década de 1970 (1970-1971). As três temporadas seguintes foram conquistadas pelo Bayern de Munique (1971-1974) e, em seguida, Mönchengladbach foi tri-campeão também (1975-1977).

A maior goleada da história da Bundesliga foi do Borussia Mönchengladbach, em 29 de abril 1978, 12 a 0 contra o Borussia Dortmund.

Internacionalmente, os anos 1970 foram a década de mais sucesso dos clubes da Bundesliga. A cada ano, pelo menos um clube chegou em uma semifinal, por três vezes foram campeões da Liga dos Campeões da UEFA (Bayern de Munique em 1974, 1975 e 1976 ), uma vez da Recopa Européia (Hamburger SV em 1977) e três vezes da Liga Europa (Borussia Mönchengladbach em 1975 e 1979, Eintracht Frankfurt 1980). 

Norte contra Sul (1979-1990)Editar

Na década de 1980, o número de espectadores caiu nos estádios da Bundesliga novamente. Isto foi devido, entre outras coisas, ao número de estrelas alemãs que foram para clubes estrangeiros. A maior transferência foi a mudança de Karl-Heinz Rummenigge do Bayern de Munique para a Inter de Milão. Através dos sucessos de Boris Becker e Steffi Graf, o interesse do público e de mídia foi deslocado para o tênis. Embora a Seleção Alemã de 1982 e 1986 tinha chegado à final da Copa do Mundo nas duas ocasiões, suas performances eram menos atraentes. Para contrariar esta falta de espectadores por causa de más condições climáticas, a partir de 1986 a pausa de Inverno foi prorrogada para oito semanas.

O Bayern de Munique teve os melhores jogadores da década de 1970, aproveitando-se bem disso, sendo capaz de crescer ainda mais. A partir de meados da década de 1980, o Werder Bremen se tornou o grande rival do norte do país. O Bayern de Munique, expandiu seu domínio e venceu o seu nono e décimo títulos em 1986 e 1987, assim estabelecendo um novo recorde da competição, superando o FC Nuremberg com seus nove campeonatos conquistados (oito deles antes da introdução da Bundesliga). O duelo com o Werder Bremen permaneceu por mais alguns anos. O Werder Bremen venceu a Bundesliga na temporada 1987-88 e manteve-se forte nos anos seguintes.

Na década de 1980, dois clubes alemães chegaram às finais da Liga dos Campeões da UEFA (Hamburger SV em 1983) e da Liga Europa (Bayer 04 Leverkusen em 1988). Quase sempre nesta década pelo menos um clube da Bundesliga atingiu a semifinal de alguma competição europeia.

Reunificação e comercialização (1991-1999)Editar

A Bundesliga novamente viu crescer sua popularidade no inicio da década de 1990. De um lado pelo sucesso desportivo da Seleção Alemã (terceiro título mundial em 1990 e terceiro título europeu em 1996), por outro lado, a Bundesliga gozava de mais prestigio na mídia. A Bundesliga de 1991-1992, contou temporariamente com 20 clubes (por causa da reunificação da Alemanha), quatro dos quais tiveram que descer. O primeiro campeão da Bundesliga após a reunificação foi o VfB Stuttgart.

A competição foi consideravelmente mais equilibrada do que em anos anteriores. Cinco equipes diferentes ganharam o campeonato neste período de tempo. O sucesso do Borussia Dortmund foi o resultado do talento dos jogadores que disputaram a Eurocopa, como Jürgen KohlerStefan Reuter e Andreas Möller e assim aumentaram as rivalidades nacionais nos anos 1990, com o Dortmund virando um dos principais rivais do Bayern de Munique daí por diante.

Também na década de 1990, clubes da Bundesliga chegaram a cada ano, pelo menos a uma semifinal europeia. O Borussia Dortmund venceu a Liga dos Campeões da UEFA em 1997, o Bayern de Munique (1996) e Schalke 04 (1997) venceram a Liga Europa e o Werder Bremen foi campeão da Recopa Europeia em 1992.

Crescimento e amplo domínio do Bayern (desde 2000)Editar

Desde 2000, o Bayern de Munique venceu quatorze títulos. Os outros campeões foram o Borussia Dortmund em 2002, 2011 e 2012, o Werder Bremen em 2004, o VfB Stuttgart em 2007 e o VfL Wolfsburg em 2009.

Imediatamente após o novo milênio chegar, os clubes alemães por duas vezes foram a final da Liga dos Campeões da UEFA (Bayern de Munique em 2001 e Bayer Leverkusen em 2002) e uma vez para a final da Liga Europa (Borussia Dortmund em 2002).

O Bayern foi para a final da Liga dos Campeões da UEFA novamente, porém perdeu o título para o Chelsea. Na temporada de 2012/13 estavam nas duas competições um total de nada menos que sete equipes alemãs na fase de grupos, o que é um recorde histórico. Além disso, a final da Liga dos Campeões de 2013 um duelo entre clubes da Alemanha, reunindo Borussia Dortmund e Bayern de Munique. O Bayern de Munique venceu a final por 2 a 1.

Sistema de competiçãoEditar

 
Son Heung-min, do Hamburgo, contra Elijero Elia, do Werder Bremen, no Nordderby.

A temporada começa no início de agosto e dura até o final de maio do ano seguinte, com uma pausa de inverno de seis semanas (meados de dezembro até o final de janeiro). A partir do novo contrato de televisão de 2006, um jogo é jogado na sexta-feira, seis jogos no sábado e dois no domingo.

As dezoito equipes desta categoria se enfrentam entre si, todos contra todos em um sistema de pontos corridos com turno e returno, com trinta e quatro rodadas de nove jogos, totalizando um total de trezentos e seis jogos, seguindo um cronograma estabelecido por sorteio. O vencedor de cada jogo tem três pontos, empate dá um ponto e a derrota zero pontos. A equipe que atingir o maior número de pontos ao final da temporada, será o vencedor da liga.

O campeão ganha o direito de participar da próxima edição da Liga dos Campeões da UEFA, junto com o segundo, terceiro e quarto classificado. O quinto e o sexto participam da Liga Europa da UEFA.

Se o campeão da Copa da Alemanha (que ganha o direito de disputar a Liga Europa da UEFA) se classificar para a Liga dos Campeões, o vice-campeão vai jogar a Liga Europa, independentemente da posição que ocupar no campeonato.

Integrantes da Bundesliga de 2019–20Editar

Equipe Posição em 2018–19 Temporadas na Bundesliga Títulos da Bundesliga Títulos nacionais Último título Estádio Capacidade
Augsburg 15° 8 0 0 --- SGL Arena 30.660
Bayer Leverkusen 40 0 0 --- BayArena 30.210
Bayern de Munique 54 27 28 2018 Allianz Arena 75.000
Borussia Dortmund 52 5 8 2012 Westfalenstadion 81.359
Borussia Mönchengladbach 51 5 5 1977 Borussia-Park 54.010
Eintracht Frankfurt 50 0 1 1959 Commerzbank-Arena 51.500
Fortuna Düsseldorf 10° 24 0 1 1933 Merkur Spiel-Arena 54,600
SC Freiburg 13° 19 0 0 --- Mage Solar Stadion 24.918
Hertha Berlin 11° 36 0 2 1931 Olympiastadion 74.244
Hoffenheim 11 0 0 --- Rhein-Neckar-Arena 30.150
Köln 2.:1° 47 0 2 1978 Müngersdorfer Stadion 49,698
RB Leipzig 3 0 0 --- Red Bull Arena 44.345
Mainz 05 12° 13 0 0 --- Coface Arena 34.000
Paderborn 2.: 2° 1 0 0 --- Benteler-Arena 15.000
Schalke 04 14° 51 0 7 1958 Veltins-Arena 61.973
Union Berlin 2.: 3° 0 0 0 --- Stadion An der Alten Försterei 22.012
Werder Bremen 55 4 4 2004 Weserstadion 42.100
Wolfsburg 22 1 1 2009 Volkswagen Arena 30,000

Modelo de negócioEditar

Na temporada de 2009-10, o faturamento da Bundesliga foi de € 1,7 bilhão, dividido em receitas de dias de jogos (€ 424 mi), receita de patrocínio (€ 573 mi) e receita de transmissão (€ 594 mi). Naquele ano, foi a única liga de futebol da Europa, onde os clubes coletivamente lucravam. Os clubes da Bundesliga pagavam menos de 50% da receita dos jogadores, a menor porcentagem das ligas europeias. A Bundesliga tem os menores preços de ingressos e a maior média de presença nas cinco principais ligas da Europa.[7]

Os clubes da Bundesliga tendem a formar associações próximas com empresas locais, muitas das quais cresceram desde então para grandes empresas globais; Em uma comparação entre os principais clubes da Bundesliga e da Premiership, o Bayern de Munique recebeu 55% de sua receita de patrocínio de empresas, enquanto o Manchester United obteve 37%.[8]

Os clubes da Bundesliga devem ser de propriedade majoritária dos sócios alemães (conhecidos como a regra "50 + 1" para desencorajar o controle de uma única entidade) e operar sob restrições rígidas (uma equipe recebe apenas uma licença de operação se tiver dados financeiros sólidos). Por outro lado, nas outras grandes ligas europeias, numerosas equipes de alto nível passaram a ser proprietárias de bilionários estrangeiros e um número significativo de clubes tem altos níveis de endividamento.

As exceções à regra "50 + 1" permitem que Bayer Leverkusen, 1899 Hoffenheim e VfL Wolfsburg sejam de propriedade de corporações ou investidores individuais. Nos casos de Bayer Leverkusen e Wolfsburg, os clubes foram fundados por grandes corporações (respectivamente Bayer e Volkswagen) como clubes esportivos para seus funcionários, enquanto o Hoffenheim recebeu seu principal apoio do co-fundador da SAP, Dietmar Hopp.[9]

Depois de 2000, a Federação Alemã de Futebol e a Bundesliga determinaram que todos os clubes administrassem uma academia de jovens, com o objetivo de fortalecer o fluxo de talentos locais para o clube e a seleção. A partir de 2010, a 1.Bundesliga e a 2. Bundesliga gastaram 75 milhões de euros por ano nessas academias de jovens, que treinam cinco mil jogadores com idades entre 12 e 18 anos. Isso permite que mais dinheiro seja gasto com os jogadores que são comprados e há uma chance maior de comprar jogadores melhores em vez de médios.

Na primeira década do terceiro milênio (2000), a Bundesliga foi considerada competitiva, já que cinco equipes conquistaram o título da liga. Isso contrastou com a La Liga (Campeonato Espanhol), dominado pelos "dois grandes", Barcelona e Real Madrid, a Premier League (Campeonato Inglês) dominada pelo "Big Four" (Manchester United, Chelsea, Liverpool e Arsenal), bem como a Ligue 1 (Campeonato Francês), vencida sete anos consecutivos pelo Lyon.[10]

Regulamentação financeiraEditar

Durante vários anos, os clubes da Bundesliga foram sujeitos a regulamentos não muito diferentes dos regulamentos do Fair Play financeiro da UEFA acordados em Setembro de 2009.

No final de cada temporada, os clubes da Bundesliga devem solicitar à Federação Alemã de Futebol (DFB) uma licença para participar novamente no ano seguinte; somente quando a DFB, que tem acesso a todos os documentos e contas de transferência, está convencida de que não há ameaça de insolvência, eles aprovam. A DFB tem um sistema de multas e deduções de pontos para os clubes que desrespeitam as regras e aqueles que vão para o vermelho só podem comprar um jogador depois de vender um por pelo menos a mesma quantia.

Apesar da boa governança econômica, ainda houve alguns casos de clubes entrando em dificuldades. Em 2004, o Borussia Dortmund registrou uma dívida de € 118,8 milhões. Tendo vencido a Liga dos Campeões em 1997 e vários títulos da Bundesliga, o Dortmund tinha apostado para manter seu sucesso com um grupo caro de jogadores estrangeiros, mas fracassou, escapando por pouco da liquidação em 2006. Nos anos seguintes, o clube passou por uma extensa reestruturação para retornar para a saúde financeira, em grande parte com jovens jogadores locais. Em 2004, o Hertha BSC relatou dívidas de €24,7 milhões e só pôde continuar na Bundesliga depois de comprovar que tinha um crédito de longo prazo com o banco.

PúblicosEditar

Com base na média por jogo, a Bundesliga é a liga de futebol mais bem frequentada do mundo; Entre todos os esportes, sua média de 45.116 torcedores por jogo durante a temporada 2011-12 foi a segunda maior de qualquer liga profissional de esportes em todo o mundo, atrás apenas da National Football League. O Borussia Dortmund tem a maior média de frequência de qualquer clube de futebol do mundo.[11]

Das cinco principais ligas de futebol da Europa (Premier League, La Liga, Ligue 1 e Serie A), a Bundesliga tem os menores preços de ingressos e a maior média de comparecimento. Muitos estandes de clubes têm grandes áreas de terraços para os torcedores ficarem em pé. As equipes limitam o número de ingressos da temporada para garantir que todos tenham a chance de ver os jogos ao vivo e o clube visitante tem direito a 10% da capacidade disponível. De acordo com Christian Seifert, diretor-executivo da Bundesliga, os ingressos são baratos (especialmente para o público que fica em pé), já que "não é tanto na cultura dos clubes (para aumentar os preços). Eles são muito orientados para os torcedores". Uli Hoeneß, presidente do Bayern de Munique, foi citado dizendo: "Não achamos que os torcedores sejam como vacas a serem ordenhadas. O futebol precisa ser para todos".

 
A Bundesliga tem a maior média de público de futebol do mundo. O Borussia Dortmund tem a maior média de público no Signal Iduna Park no mundo.

Média das últimas onze temporadas:

Estatísticas de público da Bundesliga
Temporada Total Média Clube de maior média Média
2007–08[12] 12,069,813 39,444 Borussia Dortmund 72,510
2008–09[13] 13,011,578 42,521 Borussia Dortmund 74,851
2009–10[14] 13,001,871 42,490 Borussia Dortmund 77,246
2010–11[15] 13,054,960 42,663 Borussia Dortmund 79,151
2011–12[16] 13,805,514 45,116 Borussia Dortmund 80,521
2012–13[17] 13,042,263 42,622 Borussia Dortmund 80,520
2013–14[18] 13,311,145 43,500 Borussia Dortmund 80,297
2014–15[19] 13,323,031 43,539 Borussia Dortmund 80,463
2015–16[20] 13,249,778 43,300 Borussia Dortmund 81,178
2016–17[21] 12,703,167 41,514 Borussia Dortmund 79,653
2017–18[22] 13,661,796 44,646 Borussia Dortmund 79,496

Cobertura da mídiaEditar

DomésticoEditar

A TV da Bundesliga, rádio, internet e direitos de transmissão móvel são distribuídos pela DFL Sports Enterprises, uma subsidiária da Deutsche Fußball Liga. Os direitos de transmissão da Bundesliga são vendidos juntamente com os direitos de transmissão para os Playoffs de Despromoção da Bundesliga, 2. Bundesliga e DFL-Supercup.

Até 2020-21, os jogos da Bundesliga são transmitidos pela TV na Alemanha na Sky Germany e na Eurosport. Três jogos de sexta-feira à noite - os jogos inaugurais da primeira e segunda metade da temporada, e na última rodada antes das férias de inverno - são transmitidos na ZDF.

Dia Horário Emissora
Sexta-feira 20:30 Eurosport 2 Xtra

ZDF

Sábado 15:30 Sky Sport Bundesliga
Sábado 18:30 Sky Sport Bundesliga
Domingo 13:30 Eurosport 2 Xtra
Domingo 15:30 Sky Sport Bundesliga
Domingo 18:00 Sky Sport Bundesliga
Segunda-feira 20:30 Eurosport 2 Xtra

GlobalEditar

 
A Bundesliga é transmitida pela TV em mais de 200 países.

A Bundesliga é transmitida pela TV em mais de 200 países. Em outubro de 2013, a 21st Century Fox, através das divisões Fox Sports, Fox International Channels e Sky plc, adquiriu direitos televisivos e digitais para a Bundesliga em 80 territórios, incluindo a América do Norte e Ásia (fora da Índia e Oceania) por cinco anos, e territórios europeus selecionados por dois anos, começando na temporada 2015-16. O CEO, James Murdoch, explicou que o acordo foi feito para "alavancar nosso incomparável portfólio global de canais de esportes para reforçar a marca da Bundesliga em todos os cantos do mundo".[23][24]

Como resultado dessa parceria, a Fox Sports substituiu a GOL TV como detentora de direitos dos Estados Unidos a partir da temporada 2015-2016. Os jogos são transmitidos pela Fox, Fox Sports 1, Fox Sports 2 e Fox Soccer Plus. Transmissões ao vivo em espanhol na Fox Deportes. As partidas são transmitidas on-line para assinantes desses canais nos provedores participantes via Fox Sports Go, e também estão disponíveis por meio do serviço de assinatura Fox Soccer Match Pass.[25][26] No Canadá, os direitos de transmissão foram sub-licenciados para a Sportsnet e a Sportsnet World.[27]

No Reino Unido e na Irlanda, a Bundesliga é transmitida ao vivo pela BT Sport. Esse acordo dura até a temporada de 2017. Na Espanha, a Bundesliga é transmitida ao vivo pela Movistar +.

Em 2015, a operadora de TV digital StarTimes adquiriu direitos exclusivos de televisão para a África por 5 anos a partir da temporada 2015-2016.[28]

Títulos por clubeEditar

Campeões por anoEditar

Ver os campeões da Oberliga (campeonato da Alemanha Oriental) no artigo Futebol na Alemanha Oriental

Temporada Campeão[29] Vice campeão Terceiro lugar Artilheiro
1963-64 1. FC Köln Meidericher Eintracht Frankfurt   Uwe Seeler (Hamburger SV), 30
1964-65 Werder Bremen 1. FC Köln Borussia Dortmund   Rudi Brunnenmeier (München 1860), 24
1965-66 München 1860 Borussia Dortmund Bayern München   Lothar Emmerich (Borussia Dortmund), 31
1966-67 Eintracht Braunschweig München 1860 Borussia Dortmund   Lothar Emmerich (Borussia Dortmund),
  Gerd Müller (Bayern München), 28
1967-68 Nuremberg Werder Bremen Borussia Mönchengladbach   Johannes Löhr (1. FC Köln), 27
1968-69 Bayern München Alemannia Aachen Borussia Mönchengladbach   Gerd Müller (Bayern München), 30
1969-70 Borussia Mönchengladbach Bayern München Hertha Berlim   Gerd Müller (Bayern München), 38
1970-71 Borussia Mönchengladbach Bayern Munique Hertha Berlim   Lothar Kobluhn (Rot Weiss Oberhausen), 24
1971-72 Bayern München Schalke 04 Borussia Mönchengladbach   Gerd Müller (Bayern München), 40
1972-73 Bayern München Colônia Fortuna Düsseldorf   Gerd Müller (Bayern München), 36
1973-74 Bayern München Borussia Mönchengladbach Fortuna Düsseldorf   Jupp Heynckes (Mönchengladbach),
  Gerd Müller (Bayern München), 30
1974-75 Borussia Mönchengladbach Hertha Berlim Hamburger SV   Jupp Heynckes (Mönchengladbach), 27
1975-76 Borussia Mönchengladbach Hamburger SV Bayern München   Klaus Fischer (Schalke 04), 29
1976-77 Borussia Mönchengladbach Schalke 04 Eintracht Braunschweig   Dieter Müller (1. FC Köln), 34
1977-78 1. FC Köln Borussia Mönchengladbach Hertha Berlim   Dieter Müller (1. FC Köln),
  Gerd Müller (Bayern München), 24
1978-79 Hamburger SV VfB Stuttgart Kaiserslautern   Klaus Allofs (Fortuna Düsseldorf), 22
1979-80 Bayern München Hamburger SV FC Kaiserslautern   Karl Heinz Rummenigge (Bayern München), 26
1980-81 Bayern München Hamburger SV VfB Stuttgart   Karl Heinz Rummenigge (Bayern München), 29
1981-82 Hamburger SV 1. FC Köln Bayern München   Horst Hrubesch (Hamburger SV), 27
1982-83 Hamburger SV Werder Bremen VfB Stuttgart   Rudi Völler (Werder Bremen), 23
1983-84 VfB Stuttgart Hamburgo Borussia Mönchengladbach   Karl Heinz Rummenigge (Bayern München), 26
1984-85 Bayern München Werder Bremen 1. FC Köln   Klaus Allofs (1. FC Köln), 26
1985-86 Bayern München Werder Bremen Bayer Uerdingen   Stefan Kuntz (VfL Bochum), 22
1986-87 Bayern München Hamburger SV Borussia Mönchengladbach   Uwe Rahn (Mönchengladbach), 24
1987-88 Werder Bremen Bayern München 1. FC Köln   Jürgen Klinsmann (VfB Stuttgart), 19
1988-89 Bayern München Colônia Werder Bremen   Thomas Allofs (Colônia),
  Roland Wohlfarth (Bayern München), 17
1989-90 Bayern München 1. FC Köln Eintracht Frankfurt   Jørn Andersen (Eintracht Frankfurt), 18
1990-91 FC Kaiserslautern Bayern München Werder Bremen   Roland Wohlfarth (Bayern München), 21
Depois da Reunificação da Alemanha.
1991-92 VfB Stuttgart Borussia Dortmund Eintracht Frankfurt   Fritz Walter (VfB Stuttgart), 22
1992-93 Werder Bremen Bayern München Eintracht Frankfurt   Ulf Kirsten (Bayer Leverkusen)
  Anthony Yeboah (Eintracht Frankfurt), 20
1993-94 Bayern München FC Kaiserslautern Bayer Leverkusen   Stefan Kuntz (1.FC Kaiserslautern),
  Anthony Yeboah (Eintracht Frankfurt), 18
1994-95 Borussia Dortmund Werder Bremen SC Freiburg   Heiko Herrlich (Mönchengladbach),
  Mario Basler (Werder Bremen), 20
1995-96 Borussia Dortmund Bayern München Schalke 04   Fredi Bobic (VfB Stuttgart), 17
1996-97 Bayern München Bayer Leverkusen Borussia Dortmund   Ulf Kirsten (Bayer Leverkusen), 22
1997-98 FC Kaiserslautern Bayern München Bayer Leverkusen   Ulf Kirsten (Bayer Leverkusen), 22
1998-99 Bayern München Bayer Leverkusen Hertha Berlím   Michael Preetz (Hertha Berlím), 23
1999-00 Bayern München Bayer Leverkusen Hamburger SV   Martin Max (München 1860), 19
2000-01 Bayern München Schalke 04 Borussia Dortmund   Sergej Barbarez (Hamburger SV)
  Ebbe Sand (Schalke 04), 22
2001-02 Borussia Dortmund Bayer Leverkusen Bayern München   Márcio Amoroso (Borussia Dortmund)
  Martin Max (Munique 1860), 18
2002-03 Bayern München VfB Stuttgart Borussia Dortmund   Giovane Élber (Bayern München)
  Thomas Christiansen (Bochum), 21
2003-04 Werder Bremen Bayern München Bayer Leverkusen   Aílton Gonçalves da Silva (Werder Bremen), 28
2004-05 Bayern München Schalke 04 Werder Bremen   Marek Mintál (Nuremberg), 24
2005-06 Bayern München Werder Bremen Hamburgo   Miroslav Klose (Werder Bremen), 25
2006-07 VfB Stuttgart Schalke 04 Werder Bremen   Theofanis Gekas (Bochum), 20
2007-08 Bayern München Werder Bremen Schalke 04   Luca Toni (Bayern München), 24
2008-09 Vfl Wolfsburg Bayern München VfB Stuttgart   Grafite (Vfl Wolfsburg), 28
2009-10 Bayern München Schalke 04 Werder Bremen   Edin Džeko (Vfl Wolfsburg), 22
2010/11 Borussia Dortmund Bayer Leverkusen Bayern München   Mario Gómez (Bayern München), 28
2011/12 Borussia Dortmund Bayern München Schalke 04   Klaas-Jan Huntelaar (Schalke 04), 29
2012/13 Bayern München Borussia Dortmund Bayer Leverkusen   Stefan Kießling (Bayer Leverkusen), 25
2013/14 Bayern München Borussia Dortmund Schalke 04   Robert Lewandowski (Borussia Dortmund), 20
2014/15 Bayern München Vfl Wolfsburg Borussia Mönchengladbach   Alexander Meier (Eintracht Frankfurt), 19
2015/16 Bayern München Borussia Dortmund Bayer Leverkusen   Robert Lewandowski (Bayern München), 30
2016–17 Bayern München RB Leipzig Borussia Dortmund   Pierre Aubameyang (Borussia Dortmund), 31
  2017–18 Bayern München Schalke 04 Borussia Dortmund   Robert Lewandowski (Bayern München), 29
  2018–19 Bayern München Borussia Dortmund RB Leipzig   Robert Lewandowski (Bayern München), 22

HonrasEditar

 
Oliver Kahn venceu oito títulos da Bundesliga.

Em 2004, a honra de "Verdiente Meistervereine" foi introduzida, seguindo um costume praticado na Itália[30] para reconhecer times que ganharam vários campeonatos ou outras honras pela exibição de estrelas de ouro em seus emblemas e camisas. O uso de cada país é único e na Alemanha a prática é premiar uma estrela por três títulos, duas estrelas por cinco títulos, três estrelas por dez títulos e quatro estrelas por 20 títulos.

O antigo time da Alemanha Oriental, Dínamo de Berlim, pediram a liga para ter seus títulos da DDR-Oberliga reconhecidos, mas não receberam resposta. O Dínamo acabou por resolver o problema com as próprias mãos e colocou três estrelas nas camisas. Isso causou algum debate, pois a equipe era patrocinada pela polícia secreta da Alemanha Oriental, a Stasi. A questão também afeta outros ex-campeões da Alemanha Oriental e pré-Bundesliga. Em novembro de 2005, a DFB permitiu que todos os ex-campeões exibissem uma única estrela com o número de títulos, incluindo todos os títulos masculinos alemães desde 1903, títulos femininos desde 1974 e títulos da Alemanha Oriental.[31]

O Dínamo de Berlim não seguiu esta diretriz e continua a usar três estrelas, em vez de uma única estrela inscrita com o número 10. Greuther Fürth exibe não oficialmente três (prata) estrelas de títulos pré-guerra.

Desde junho de 2010, os seguintes clubes foram oficialmente autorizados a usar estrelas enquanto jogam na Bundesliga. O número entre parênteses é para títulos da Bundesliga ganhos.

  • 5 Estrelas - Bayern Munich (27)
  • 2 Estrelas - Borussia Mönchengladbach (5)
  • 2 Estrelas - Borussia Dortmund (5)
  • 1 Estrela - Werder Bremen (4)
  • 1 Estrela - Hamburger SV (3)
  • 1 Estrela - VfB Stuttgart (3)

Além disso, um sistema de designação de uma estrela foi adotado para uso. Este sistema destina-se a ter em conta não apenas os títulos da Bundesliga, mas também outros títulos nacionais. Em julho de 2014, os seguintes clubes foram autorizados a usar uma estrela enquanto jogam fora da Bundesliga. O número entre parênteses é para o total de títulos da liga conquistados ao longo da história do futebol alemão e seria exibido dentro da estrela. Algumas equipes listadas aqui tinham nomes diferentes ao ganhar seus respectivos campeonatos, esses nomes também são indicados entre parênteses.

  • Bayern Munich* (28)
  • Dynamo Berlin (10)
  • 1. FC Nürnberg* (9)
  • Borussia Dortmund* (8)
  • Dynamo Dresden** (8)
  • Schalke 04* (7)
  • Hamburger SV** (7) (1921–22, Title declined per DFB)
  • 1. FC Frankfurt (as Vorwärts Berlin in the DDR-Oberliga) (6)
  • VfB Stuttgart* (5)
  • Borussia Mönchengladbach* (5)
  • Werder Bremen* (4)
  • 1. FC Kaiserslautern*** (4)
  • Erzgebirge Aue** (include 1955 DDR-Oberliga unofficial fall championship) (4)
  • Carl Zeiss Jena*** (3)
  • 1. FC Köln** (3)
  • Lokomotive Leipzig (as VfB Leipzig) (3)
  • 1. FC Magdeburg** (3)
  • Greuther Fürth** (3)
  • Hertha BSC* (2)
  • FC Viktoria 1889 Berlin (as BFC Viktoria 1889) (2)
  • Rot-Weiß Erfurt (as Turbine Erfurt in the DDR-Oberliga) (2)
  • Dresdner SC (2)
  • BSG Chemie Leipzig (as Chemie Leipzig in the DDR-Oberliga) (2)
  • Hannover 96* (2)
  • FSV Zwickau*** (as ZSG Horch Zwickau in the DDR-Oberliga) (2)
  • Turbine Halle (as BSG Turbine Halle in the DDR-Oberliga) (2)
  • Hansa Rostock*** (in the DDR-Oberliga) (1)
  • Karlsruher FV (1)
  • Holstein Kiel** (1)
  • 1860 Munich*** (1)
  • Blau Weiss Berlin (as SpVgg Blau-Weiß 1890 Berlin) (1)
  • Karlsruher SC*** (1)
  • Fortuna Düsseldorf* (1)
  • Eintracht Frankfurt* (1)
  • VfL Wolfsburg* (1)
  • Chemnitzer FC (as FC Karl-Marx-Stadt in the DDR-Oberliga) (1)
  • Freiburger FC (1)
  • VfR Mannheim (1)
  • Rot-Weiss Essen (1)
  • Eintracht Braunschweig*** (1)

* Membro atual da 1. Bundesliga

** Membro atual da 2. Bundesliga

*** Membro atual da 3. Liga

Campeonatos Pré-BundesligaEditar

Temporada Campeão Vice campeão Terceiro lugar Quarto lugar
Campeonato Alemão 1903-1934 (Império Alemão)
1903 Leipzig DFC Prag Altonaer 1893 Karlsruher FV
1904 A final entre Leipzig e Britannia Berlin não foi realizada devido a protestos do Kalrsruher FV, alegando que a partida contra o Britannia, em que perdeu por 6 a 1 e ocorreu em Berlim, não foi realizada em campo neutro, como estava previsto no regulamento. O Campeonato terminou sem um vencedor.
1905 Union Berlin Karlsruher FV Dresdner Duisburger SpV
1906 Leipzig 1. FC Pforzheim Hertha Berlim Union Berlim
1907 Freiburger Viktoria Berlim Leipzig Victoria Hamburg
1908 Viktoria Berlim Stuttgarter Kickers Wacker Leipzig Duisburger SpV
1909 Phönix Karlsruher Viktoria Berlim Altonaer 1893 Erfurt 95
1910 Karlsruher FV Holstein Kiel Phönix Karlsruher Tasmania Rixdorf
1911 Viktoria Berlim Leipzig Karlsruher FV Holstein Kiel
1912 Holstein Kiel Karlsruher FV Viktoria Berlim SpVgg Leipzig
1913 Leipzig Duisburger SpV Holstein Kiel Viktoria Berlim
1914 Greuther Fürth Leipzig Berliner BC Duisburger SpV
Os campeonatos de 1915 a 1919 não foram realizados devido a Primeira Guerra Mundial
1920 Nuremberg Greuther Fürth Titania Stettin Vereinigte Breslauer
1921 Nuremberg Vorwärts Berlim Duisburger SpV Hallescher Wacker
1922 A final do campeonato foi realizada entre Nuremberg e Hamburgo. A partida final estava empatada em 2 a 2 e o árbitro teve que encerrar a partida por falta de iluminação. Um novo jogo foi marcado e a equipe do Nuremberg só pode comparecer com 9 jogadores e após 2 jogadores se lesionarem quando o jogo estava 1 a 1, o árbitro teve que encerrar a partida por falta de número mínimo de jogadores em campo. Após a reunião da comissão da federação alemã, o título foi dado ao Hamburgo, sob protestos da equipe do Nuremberg. Pouco tempo depois o Hamburgo abdicou do título e a federação alemã acatou, colocando o título como vago. Anos mais tarde, o Hamburgo declarou que abdicou do título mediante pressão de dirigentes da federação alemã, mas até o momento, o clube não manifestou interesse de reivindicar o título de 1922.
1923 Hamburgo FC Union Berlim Greuther Fürth Königsberg
1924 Nuremberg Hamburgo SpVgg Leipzig Duisburger SpV
1925 Nuremberg Frankfurt Hertha Berlim Duisburger SpV
1926 Greuther Fürth Hertha Berlim Hamburgo Holstein Kiel
1927 Nuremberg Hertha Berlim Greuther Fürth Munique 1860
1928 Hamburgo Hertha Berlim Wacker Munique Bayern de Munique
1929 Greuther Fürth Hertha Berlim Nuremberg Breslauer SC
1930 Hertha Berlim Holstein Kiel Nuremberg Dresdner
1931 Hertha Berlim Munique 1860 Hamburgo Holstein Kiel
1932 Bayern de Munique Eintracht Frankfurt Nuremberg Schalke 04
1933 Fortuna Düsseldorf Schalke 04 Eintracht Frankfurt Munique 1860
Gauliga 1934-1944 (Alemanha Nazista)
1934 Schalke 04 Nuremberg Viktoria Berlim Waldhof Mannheim
1935 Schalke 04 Stuttgart Benrath Chemnitz
1936 Nuremberg Fortuna Düsseldorf Schalke 04 Vorwärts-Rasensport Gleiwitz
1937 Schalke 04 Nuremberg Stuttgart Hamburgo
1938 Hannover 96 Schalke 04 Fortuna Düsseldorf Hamburgo
Com a anexação da Áustria em 1938 pela Alemanha nazista, as equipes austríacas passaram a disputar a Gauliga, juntamente com as equipes alemãs.
1939 Schalke 04 Admira Viena (Áustria) Dresdner Hamburgo
1940 Schalke 04 Dresdner Rapid Viena (Áustria) Waldhof Mannheim
1941 Rapid Viena (Áustria) Schalke 04 Dresdner Köln 1899
1942 Schalke 04 First Vienna (Áustria) Blau-Weiss Berlim Kickers Offenbach
1943 Dresdner Saarbrücken Holstein Kiel First Vienna (Áustria)
1944 Dresdner Luftwaffen Hamburg Nuremberg Groß Born
Os campeonatos de 1945 a 1947 não foram realizados devido a Segunda Guerra Mundial. A partir de 1945, a Alemanha foi dividida em zonas de influência, mas o campeonato de 1947-48 foi disputado ainda com as equipes da antiga Alemanha, com os clubes divididos em grupos por zona de influência (inglesa, francesa, americana e soviética). A equipe do SG Planitz, da zona soviética, acabou sendo impedida de disputar a fase final do campeonato pelos comunistas, fazendo com que os campeonatos das Alemanhas Ocidental e Oriental surgissem no ano seguinte.
1947-48 Nuremberg Kaiserslautern Sankt Pauli Neuendorf
Oberliga 1948-1963 (Alemanha Ocidental)
1948-49 Mannheim Borussia Dortmund Kickers Offenbach Kaiserslautern
1949-50 Stuttgart Kickers Offenbach Greuther Fürth Preußen Dellbrück
1950-51 Kaiserslautern Preußen Münster Nuremberg Schalke 04
1951-52 Stuttgart Saarbrücken Nuremberg Rot-Weiss Essen
1952-53 Kaiserslautern Stuttgart Borussia Dortmund Eintracht Frankfurt
1953-54 Hannover 96 Kaiserslautern Colônia Stuttgart
1954-55 Rot-Weiss Essen Kaiserslautern Hamburgo Bremerhaven 93
1955-56 Borussia Dortmund Karlsruher Hamburgo Schalke 04
1956-57 Borussia Dortmund Hamburgo Kickers Offenbach Duisburger SpV
1957-58 Schalke 04 Hamburgo Karlsruher Nuremberg
1958-59 Eintracht Frankfurt Kickers Offenbach Hamburgo Colônia
1959-60 Hamburgo Colônia Werder Bremen Karlsruher
1960-61 Nuremberg Borussia Dortmund Eintracht Frankfurt Werder Bremen
1961-62 Colônia Nuremberg Eintracht Frankfurt Tasmania Berlim
1962-63 Borussia Dortmund Colônia Nuremberg Munique 1860

RecordesEditar

Mais partidas[32]
Jogador Período Clube(s) Jogos
1   Karl-Heinz Körbel 1972–1991 Eintracht Frankfurt 602
2   Manfred Kaltz 1971–1991 Hamburgo 581
3   Oliver Kahn 1987–2008 Karlsruher, Bayern München 557
4   Klaus Fichtel 1965–1988 Schalke 04, Werder Bremen 552
5   Mirko Votava 1976–1996 Borussia Dortmund, Werder Bremen 546
6   Klaus Fischer 1968–1988 Munique 1860, Schalke 04, Köln, Bochum 535
7   Eike Immel 1978–1995 Borussia Dortmund, Stuttgart 534
8   Willi Neuberger 1966–1983 Borussia Dortmund, Werder Bremen, Eintracht Frankfurt 520
9   Michael Lameck 1972–1988 Bochum 518
10   Ulrich Stein 1976–1997 Arminia Bielefeld, Eintracht Frankfurt Hamburgo 512
Maiores artilheiros[33]
Player Período Clube(s) Gols
1   Gerd Müller 1965–1979 Bayern München 365
2   Klaus Fischer 1968–1988 Munique 1860, Schalke 04, 1. FC Köln, VfL Bochum 268
3   Jupp Heynckes 1965–1978 Borussia Mönchengladbach, Hannover 96 220
4   Manfred Burgsmüller 1969–1990 Rot-Weiss Essen, Borussia Dortmund, Nuremberg, Werder Bremen 213
5   Robert Lewandowski 2010– Borussia Dortmund, Bayern München 202
6   Claudio Pizarro 1999– Werder Bremen, Bayern München, 1. FC Köln 195
7   Ulf Kirsten 1990–2003 Bayer Leverkusen 181
8   Stefan Kuntz 1983–1999 VfL Bochum, Bayer Uerdingen, 1. FC Kaiserslautern, Arminia Bielefeld 179
9   Dieter Müller 1973–1986 1. FC Köln, VfB Stuttgart, 1. FC Saarbrücken 177
  Klaus Allofs 1975–1993 Fortuna Düsseldorf, 1. FC Köln, Werder Bremen 177


Ver tambémEditar

Referências

  1. Wenzel, Gerd. «Bundesliga é a liga mais lucrativa da Europa | Bundesliga». Consultado em 11 de março de 2019 
  2. STEIN, Leonardo - Site TRIVELA, Página editada e disponível em 2 de setembro de 2016
  3. «Campeões do Campeonato Alemão (Bundesliga e pré-Bundesliga)». Alemanha Futebol Clube. Consultado em 11 de março de 2019 
  4. «UEFA Country Ranking 2015». kassiesa.home.xs4all.nl. Consultado em 11 de março de 2019 
  5. «Bundesliga attendance reigns supreme despite decrease». SportBusiness (em inglês). 15 de junho de 2010. Consultado em 11 de março de 2019 
  6. «Fundadores da Bundesliga». Consultado em 15 de Junho de 2015 
  7. Jackson, Jamie (10 de abril de 2010). «How the Bundesliga puts the Premier League to shame | Jamie Jackson». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  8. Evans, Stephen (24 de maio de 2013). «German football model is a league apart» (em inglês) 
  9. «Issues looming for Germany's footballing landscape». ESPNFC.com. Consultado em 11 de março de 2019 
  10. Lowe, Sid (4 de maio de 2013). «Barcelona and Real Madrid are symbolic of Spain's pain |». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  11. «2011-12 World Football Attendances – Best Drawing Leagues (Chart of Top-20-drawing national leagues of association football) / Plus list of 35-highest drawing association football clubs in the world in 2011-12. « billsportsmaps.com» (em inglês). Consultado em 11 de março de 2019 
  12. «Bundesliga 2007/2008 - Zuschauer». weltfussball.de (em alemão). Consultado em 11 de março de 2019 
  13. «Bundesliga 2008/2009 - Zuschauer». weltfussball.de (em alemão). Consultado em 11 de março de 2019 
  14. «Bundesliga 2009/2010 - Zuschauer». weltfussball.de (em alemão). Consultado em 11 de março de 2019 
  15. «Bundesliga 2010/2011 - Zuschauer». weltfussball.de (em alemão). Consultado em 11 de março de 2019 
  16. «Bundesliga 2011/2012 - Zuschauer». weltfussball.de (em alemão). Consultado em 11 de março de 2019 
  17. «Bundesliga 2012/2013 - Zuschauer». weltfussball.de (em alemão). Consultado em 11 de março de 2019 
  18. «Bundesliga 2013/2014 - Zuschauer». weltfussball.de (em alemão). Consultado em 11 de março de 2019 
  19. «Bundesliga 2014/2015 - Zuschauer». weltfussball.de (em alemão). Consultado em 11 de março de 2019 
  20. «Bundesliga 2015/2016 - Zuschauer». weltfussball.de (em alemão). Consultado em 11 de março de 2019 
  21. «Bundesliga 2016/2017 - Zuschauer». weltfussball.de (em alemão). Consultado em 11 de março de 2019 
  22. «Bundesliga 2017/2018 - Zuschauer». weltfussball.de (em alemão). Consultado em 11 de março de 2019 
  23. «21st Century Fox Takes Global Rights to German Soccer League». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 11 de março de 2019 
  24. Welle (www.dw.com), Deutsche. «Rupert Murdoch buys further Bundesliga broadcast rights | DW | 14.10.2013». DW.COM (em inglês). Consultado em 11 de março de 2019 
  25. Dowley, Conor (31 de julho de 2015). «Backheel Breakfast: Fox announces German coverage». SBNation.com. Consultado em 11 de março de 2019 
  26. Tannenwald, Jonathan. «Fox Sports 2015-16 Bundesliga television schedule». https://www.philly.com (em inglês). Consultado em 11 de março de 2019 
  27. «Watch Germany's Bundesliga on Sportsnet - Sportsnet.ca». www.sportsnet.ca. Consultado em 11 de março de 2019 
  28. «StarTimes Confirms Bundesliga Deal | www.sportindustry.co.za». www.sportindustry.co.za. Consultado em 11 de março de 2019 
  29. «DFB - Deutscher Fußball-Bund e.V. -  Deutsche Meister der Männer». web.archive.org. 29 de março de 2014. Consultado em 11 de março de 2019 
  30. FIFA.com. «FIFA Club World Cup archive». FIFA.com (em inglês). Consultado em 11 de março de 2019 
  31. «Wayback Machine» (PDF). web.archive.org. 9 de maio de 2013. Consultado em 11 de março de 2019 
  32. «Germany – All-Time Most Matches Played in Bundesliga». RSSSF. 21 de julho de 2011. Consultado em 4 de janeiro de 2012 
  33. «(West) Germany – Top Scorers». RSSSF. 21 de julho de 2011. Consultado em 4 de janeiro de 2012 

Ligações externasEditar