Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Cálice (desambiguação).

O cálice, do latim calix ou do grego kylix que era usado nos simpósios, é um recipiente destinado a conter líquidos.[1]

Cálice em ouro, prata dourada e pedras preciosas do século XVIII
O cálice e, ao fundo, a patena
Cálice de Cristal

É usado concretamente em certos rituais cristãos para conter o vinho com água, sendo apresentado no altar.

Uso na missa cristãEditar

Na missa católica, o cálice representa o Santo Graal, ou seja, o cálice que Jesus Cristo teria usado n a Última Ceia. É usado na Liturgia eucarística e no Rito da Comunhão. Antes e depois desses momentos, ele fica vazio, de forma que água e o vinho que serão usados na Consagração ficam em recipientes à parte, as galhetas.

Objetos e alfaias que acompanham o cáliceEditar

Junto ao cálice, encontramos sempre:

  • a patena, que leva consigo a hóstia grande.
  • o sanguíneo, um pano retangular e comprido que serve para purificar, ou seja, limpar o cálice após a Comunhão.
  • a pala, que serve para cobrir o cálice.
  • o corporal, pano no qual se coloca o cálice, a patena e as âmbulas.

Exigências para o fabricoEditar

O cálice não tem matéria-prima certa para ser confeccionado: pode ser feito de metal, vidro, entre outros materiais. Todavia, depois do Concílio Ecumênico Vaticano II, determinou-se que nos cálices feitos de metal devem ter a sua copa, ou seja, o lugar em que se deposita o vinho e a água, na cor dourada, não sendo necessário ser composto de Ouro.

Uso no WiccanismoEditar

O cálice é usado em rituais e sabbat da religião Wicca. Representa o feminino e o elemento água. No altar, é colocado no lado esquerdo.[2][3]

Objetos que acompanham o cáliceEditar

Fabricação do cáliceEditar

Não há exigências com relação ao material usado. Mas precisa de cuidados em relação ao material do cálice que irá utilizar no ritual, para que não haja reação química com a bebida a ser utilizada.[3]

Uso no JudaísmoEditar

Com a importância do vinho em muitos rituais judaicos, foram produzidos cálices com técnicas diferentes para cada solenidade. No Sêder de Pessach, é colocado um cálice especial na mesa para homenagear o Messias. E durante o ritual, são passados quatro cálices durante momentos distintos: o cálice de qiddush, o cálice de hagadá, o cálice da benção e o cálice de Hallel. Os antigos artesãs judaicos tinham técnicas tão elaboradas para a confecção de cálices cerimoniais, que muitos desses cálices estão expostos em museus como na Casa Museu Eva Klabin no Rio de Janeiro, Museu Judaico em Nova York e Museu de Israel em Jerusalém,[4][5]

Simbolismo do CáliceEditar

Na farmáciaEditar

No símbolo dos farmacêuticos é utilizado um cálice e uma serpente. Este símbolo chama-se cálice de Hígia.[6]

Na imagem de Santa BárbaraEditar

Nas imagens de Santa Bárbara, no catolicismo, é utilizado um cálice em uma mão e uma palma e espada na outra mão. O cálice simboliza a conversão e comunhão de Santa Bárbara ao catolicismo.[7]

Na imagem de DionísioEditar

Nas imagens de Dionísio, da mitologia grega, é utilizado um cálice em uma mão e um cacho de uvas na outra mão. O cálice, juntamente com a uva, representa o vinho.[8]

Nas Escadas de JacóEditar

Nas imagens da Escadas de Jacó, na maçonaria, é utilizado um cálice, uma cruz e uma âncora nos degraus. O cálice representa a caridade.[9]

O Cálice de LicurgoEditar

O Cálice de Licurgo é um cálice romano do século IV, que faz parte do acervo do Museu Britânico desde 1950. Este cálice de vidro muda de cor, do verde ao vermelho, dependendo da posição que é iluminado. Pesquisadores, depois de testes e análises, descobriram que os romanos utilizaram a técnica de nanotecnologia, onde utilizaram nano partículas de ouro e prata no vidro para esse ocorrer o efeito na mudança de cor. Os pesquisadores fizeram testes, e descobriram que quando derramavam líquidos diferentes, o vidro mudava de cor.[10]

Referências

  1. «Origem da palavra CáLICE - Etimologia». Dicionário Etimológico. Consultado em 29 de abril de 2021 
  2. Barroso, Eduarda Neto de. (2017). O Resgate do Sagrado Feminino: Fundamentos e Práticas da Wicca. Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).
  3. a b Freitas, Angélica (6 de julho de 2016). «Para que serve o Cálice? - Charming Wiccan». www.charmingwiccan.com. Consultado em 29 de abril de 2021 
  4. Cáliice "Caça à Lebre". Casa Museu Eva Klabin.
  5. Carvalho, Glacilda Soares da Silva. (2009). O Sistema Simbólico Ritual Judaico do Tempo de Jesus , uma das Principais Raízes do Cristianismo. Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP).
  6. «Cálice de Hígia». Wikipédia, a enciclopédia livre. 22 de fevereiro de 2020. Consultado em 29 de abril de 2021 
  7. «Significado e Simbolismo de Santa Bárbara - Santos e Ícones Católicos - Cruz Terra Santa». cruzterrasanta.com.br. Consultado em 29 de abril de 2021 
  8. Diana, Daniela. «Deus Dionísio: deus do vinho na mitologia grega». Toda Matéria. Consultado em 30 de abril de 2021 
  9. Petry, Daniel (2 de novembro de 2011). «Maçonaria 300 Perguntas e Respostas.». Issuu. Consultado em 30 de abril de 2021 
  10. «Taça de 1.600 anos que muda de cor já usava princípios de nanotecnologia». Ciência e Saúde. Site do G1. 27 de agosto de 2013. Consultado em 30 de abril de 2021 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um objeto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.