Abrir menu principal

Paços do Concelho de Angra do Heroísmo

Câmara Municipal de Angra do Heroísmo com a Praça Velha em frente.
Câmara Municipal de Angra do Heroísmo (noite de folclore na Praça Velha).
Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, entrada principal.
"Angra - Salão Nobre da Câmara Municipal" (fotografia do Álbum Açoriano, 1903).
Câmara Municipal de Angra do Heroísmo: Salão Nobre (2011).
Câmara Municipal de Angra do Heroísmo (pedra de armas existente no saguão).
Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, as chaves do Castelo de São João Baptista do Monte Brasil, a grã-cruz da Ordem da Torre e Espada e a Carta Régia que dá nova heráldica ao concelho e muda o nome da cidade de «Angra» para »Angra do Heroísmo».

Os Paços do Concelho de Angra do Heroísmo é um imóvel de interesse público localizado no topo leste da Praça Velha no centro histórico da cidade de Angra do Heroísmo, na Ilha Terceira, Região Autónoma dos Açores. Destaca-se por constituir, no país, um dos raros exemplos de edifício camarário construído de raiz para a função que ocupa. A sua implantação, na praça principal e mais central da cidade, contribuiu para que sempre houvesse sido o mais importante edifício civil da cidade, aí tendo se mantido ao longo de mais de 500 anos. O actual edifício, considerado o mais belo palácio municipal dos Açores, tendo nas suas salas peças de inestimável valor histórico e patrimonial, foi inaugurado a 11 de agosto de 1866.[1]

HistóriaEditar

A Câmara Municipal de Angra ocupou três edifícios ao longo da sua existência. O primeiro Senado de Angra data de 1474, tendo sido estabelecido por João Vaz Corte Real. O seu edifício situava-se sensivelmente no mesmo local do atual, possuía torre e "sino de correr" a um lado, e beneficiava de uma pequena praça defronte, como se pode reconhecer pela detalhada carta de Jan Huygen van Linschoten, em fins do século XVI.

As inundações de fevereiro de 1608 causaram enormes prejuízos ao casario da cidade. Estava-se no período da Dinastia Filipina (1580-1640), o volume do comércio ultramarino e a importância que a cidade desfrutava à época, terão contribuído também para a iniciativa da construção de um novo edifício para a Câmara de Angra, em 1610. Este novo edifício era recuado em relação ao anterior, vindo a constituir-se assim a atual praça.

Em meados do século XIX o edifício foi uma vez mais reconstruído, tendo sido escolhida a data da comemoração do 20.º aniversário da Batalha da Praia, 11 de agosto de 1849, para o lançamento da pedra fundamental. A inauguração solene ocorreu no mesmo dia, em 1866. Este novo edifício inspirou-se no dos Paços do Concelho do Porto, então situados na Praça da Liberdade.

Encontra-se classificado como Imóvel de Interesse Público pela Resolução n.º 41/80, de 11 de junho, classificação consumida por inclusão no conjunto classificado da Zona Central da Cidade de Angra do Heroísmo, conforme a Resolução n.º 41/80, de 11 de junho, e artigo 10.º e alínea a) do artigo 57.º do Decreto Legislativo Regional n.º 29/2004/A, de 24 de agosto.

CaracterísticasEditar

A entrada principal do edifício abre-se num amplo saguão que se desenvolve numa imponente escadaria, ao cimo da qual se vê um busto do Infante D. Henrique, esculpido por Numídico Bessone em 1960, ano das celebrações do V Centenário da Morte do Príncipe Navegador.

Ao cimo do primeiro lance de escadaria destacam-se os vitrais que representam, os laterais, a heráldica da cidade de Angra e, ao centro, o emblema nacional. Com risco de Abraham Abohbot (1897-1959), datam do primeiro quartel do século XX, tendo sido fabricados em Lisboa.

No átrio superior destacam-se um valioso tapete de Arraiolos e uma mesa de bufete em madeira de pau santo dos finais do século XVIII.

Na Sala de Sessões destaca-se o valioso mobiliário do hemiciclo em madeira de jacarandá, executado na década de 1950 pelas oficinas da escola da Fundação Ricardo Espírito Santo Silva, ostentando em talha os três brasões usados pelo município ao longo dos séculos.

Entre outras peças de interesse, em seu acervo, podem ser citadas:[1]

Lista de Presidentes da Câmara MunicipalEditar

No sentido moderno do termo, o cargo de Presidente da Câmara Municipal surgiu após as profundas reformas que resultaram da implantação da Monarquia Constitucional Portuguesa em 1830-1834 e da aplicação da Carta Constitucional da Monarquia Portuguesa e dos textos constitucionais que se seguiram. Sendo Angra a sede da Regência de Angra, a sua Câmara Municipal foi a primeira a ter, com posse a 1 de janeiro de 1831, um presidente eleito no moderno sentido do termo. O quadro que se segue inclui uma lista dos presidentes, após a implantação do regime liberal, da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo:[5][6]

Monarquia ConstitucionalEditar

Presidentes da Câmara Municipal na Monarquia Constitucional
Mandato Nome Nomeação/eleição Exoneração Observações
* Teotónio de Ornelas Bruges Paim da Câmara 1 de Janeiro de 1831 17 de Agosto de 1832 Primeiro Presidente de Câmara eleito nos termos da Carta Constitucional
* Pedro Homem da Costa Noronha 18 de Agosto de 1832 9 de Julho de 1833 .
* Pedro Homem da Costa Noronha Ponce de Leão, barão de Noronha 10 de Julho de 1833 10 de Fevereiro de 1835 .
* Teotónio de Ornelas Bruges Paim da Câmara 11 de Fevereiro de 1835 9 de Fevereiro de 1836 (2.º mandato)
* Luís António da Silva Carvalho 10 de Fevereiro de 1836 7 de outubro de 1836 .
* Teotónio de Ornelas Bruges Paim da Câmara 8 de Outubro de 1836 24 de Março de 1837 (3.º mandato)
* Alexandre Martins Pamplona 25 de Março de 1837 17 de Janeiro de 1839 .
* Francisco de Meneses Lemos e Carvalho 18 de Janeiro de 1839 31 de Dezembro de 1839 .
* Manuel José Pereira de Bettencourt 1 de Janeiro de 1840 1 de Janeiro de 1843 (1.º mandato)
* António Teles Peixoto Gutierrez Palhinha 2 de Janeiro de 1843 1 de Janeiro de 1845 .
* Teotónio de Ornelas Bruges Paim da Câmara 2 de Janeiro de 1845 13 de Janeiro de 1848 (4.º mandato)
* Manuel José Pereira de Bettencourt 14 de Agosto de 1848 1 de Janeiro de 1850 (2.º mandato)
* Manuel Gomes de Sampaio 2 de Janeiro de 1850 1 de Janeiro de 1852 .
* João Toste Parreira 2 de Janeiro de 1852 1 de Janeiro de 1854 .
* Teotónio de Ornelas Bruges Paim da Câmara 2 de Janeiro de 1854 1 de Janeiro de 1870 (5.º mandato)
* António da Fonseca Carvão Paim da Câmara, 2.º barão do Ramalho 2 de Janeiro de 1870 31 de Dezembro de 1871 .
* Júlio Maria Silvano 2 de Janeiro de 1872 31 de Dezembro de 1873 .
* José Maria Sieuve de Meneses, visconde de Sieuve de Meneses 2 de Janeiro de 1874 31 de Dezembro de 1875 (1.º mandato)
* Manuel José Pereira de Bettencourt 2 de Janeiro de 1876 4 de Janeiro de 1878 (3.º mandato)
* Cândido Pacheco de Melo e Meneses Forjaz de Lacerda 5 de Janeiro de 1878 18 de Janeiro de 1881 .
* Jacinto Inácio dos Reis 19 de Janeiro de 1881 7 de Junho de 1881 .
* João Tomás Teixeira 8 de Junho de 1881 31 de Dezembro de 1881 .
* José Inácio de Almeida Monjardino 2 de Janeiro de 1882 31 de Dezembro de 1886 (1.º mandato)
* Vital de Bettencourt Vasconcelos e Lemos 2 de Janeiro de 1887 6 de Janeiro de 1890 .
* António do Rego Botelho de Faria, 1.º conde de Rego Botelho 7 de Janeiro de 1891 31 de Dezembro de 1892 .
* José Maria Sieuve de Meneses, 1.º conde de Sieuve de Meneses 2 de Janeiro de 1893 3 de Novembro de 1893 (2.º mandato)
* José Narciso Parreira Fagundes 4 de Novembro de 1893 2 de Janeiro de 1894 (1.º mandato)
* José Narciso Parreira Fagundes 3 de Janeiro de 1894 31 de Dezembro de 1894 (2.º mandato)
* José Narciso Parreira Fagundes 2 de Janeiro de 1895 12 de Novembro de 1895 (3.º mandato)
* Heitor Homem da Costa Noronha 13 de Novembro de 1895 6 de Janeiro de 1896 .
* José Ignácio de Almeida Monjardino 7 de Janeiro de 1896 7 de Julho de 1896 (2.º mandato)
* António Mariano da Silva Sarmento 8 de Julho de 1896 18 de Agosto de 1896 (1.º mandato)
* Emigdio Lino da Silva 19 de Agosto de 1896 20 de Outubro de 1896 .
* José Ignácio de Almeida Monjardino 21 de Outubro de 1896 6 de Janeiro de 1897 (3.º mandato)
* José Ignácio de Almeida Monjardino 7 de Janeiro de 1897 23 de Fevereiro de 1897 (4.º mandato)
* António Mariano da Silva Sarmento 24 de Fevereiro de 1897 13 de Janeiro de 1898 (2.º mandato)
* José Ignácio de Almeida Monjardino 14 de Janeiro de 1898 31 de Dezembro de 1898 (5.º mandato)
* José Pimentel Homem de Noronha 2 de Janeiro de 1899 12 de Dezembro de 1899 (1.º mandato)
* Pedro Álvares da Câmara Paim de Bruges 13 de Dezembro de 1899 4 de Janeiro de 1900 (1.º mandato)
* Pedro Álvares da Câmara Paim de Bruges 5 de Janeiro de 1900 20 de Novembro de 1900 (2.º mandato)
* José Pimentel Homem de Noronha 21 de Novembro de 1900 3 de Janeiro de 1901 (2.º mandato)
* José Pimentel Homem de Noronha 4 de Janeiro de 1901 8 de Setembro de 1901 (3.º mandato)
* José Narciso Parreira Fagundes 9 de Setembro de 1901 4 de Dezembro de 1901 (4.º mandato)
* Alfredo Mendonça 5 de Dezembro de 1901 31 de Dezembro de 1901 .
* Raimundo Sieuve de Menezes 2 de Janeiro de 1902 28 de Fevereiro de 1902 .
* Jacinto Carlos da Silva, 1.º visconde da Agualva 29 de Fevereiro de 1902 3 de Junho de 1902 (2.º mandato)
* Jacinto Carlos da Silva, 1.º visconde da Agualva 4 de Junho de 1902 29 de Dezembro de 1904 (2.º mandato)
* Vital de Bettencourt de Vasconcelos e Lemos do Carvalhal 2 de Janeiro de 1905 5 de Agosto de 1906 .
* Pedro Álvares da Câmara Paim de Bruges 22 de Agosto de 1906 27 de Dezembro de 1906 (3.º mandato)
* Vital de Bettencourt de Vasconcelos e Lemos do Carvalhal 3 de Janeiro de 1907 31 de Dezembro de 1907 .
* José dos Reis Fisher 1 de Janeiro de 1908 18 de Fevereiro de 1908 .
* Pedro Álvares da Câmara Paim de Bruges 11 de Março de 1908 3 de Fevereiro de 1910 (4.º mandato)
* Francisco José da Costa Vidal 14 de Março de 1910 11 de Outubro de 1910 .

Primeira RepúblicaEditar

Presidentes da Câmara Municipal na Primeira República
Mandato Nome Nomeação/eleição Exoneração Observações
* Álvaro António Bulhão Pato 12 de Outubro de 1910 3 de Janeiro de 1911 Funcionário das alfândegas.
Primeiro presidente nomeado após a implantação da República.
Político e escritor.
Senador e ministro durante a I República.
* Luís da Silva Ribeiro 12 de Janeiro de 1911 19 de Outubro de 1911 Jurista e advogado.
Dedicou-se à história e à etnologia.
* José Pedro Soares 20 de Outubro de 1911 23 de Novembro de 1911 Oficial do Exército.
* António de Amorim Pires Toste 7 de Dezembro de 1911 8 de Maio de 1912 Engenheiro civil, professor e jornalista.
Director distrital de obras públicas.
* Amadeu de Almeida Monjardino 22 de Maio de 1912 7 de Junho de 1912 Comerciante.
Voltou à presidência durante o Estado Novo.
* João de Mendonça Pacheco de Melo 24 de Junho de 1912 31 de Dezembro de 1913 Graciosense.
Engenheiro civil.
* Elias Cunha Pinto 2 de Janeiro de 1914 7 de Abril de 1914
* Fernando Torres 15 de Abril de 1914 15 de Junho de 1914
* Álvaro de Castro Meneses 22 de Junho de 1914 13 de Julho de 1917 Artista plástico.
Professor de desenho na Escola Industrial.
* Francisco Lourenço Valadão Júnior 11 de Janeiro de 1918 7 de Dezembro de 1918 Advogado, político e intelectual.
Secretário do governo civil e governador civil interino.
* Jácome Ornelas Bruges 27 de Dezembro de 1918 3 de Março de 1919 Engenheiro agrónomo.
* Henrique Ferreira de Oliveira Brás 30 de Março de 1919 1 de Junho de 1919 Advogado, jornalista, político e historiógrafo.
Foi governador civil de Angra (1910-1912).
Voltou à presidência.
* Jacinto Carlos da Silva 16 de Agosto de 1919 29 de Dezembro de 1922 Primeiro e único visconde de Agualva.
Grande comerciante, capitalista e político.
Governador civil.
* Henrique Ferreira de Oliveira Brás 10 de Janeiro de 1923 19 de Dezembro de 1923 2.ª vez.
* Amadeu de Almeida Monjardino 23 de Janeiro de 1924 28 de Abril de 1924
* Manuel Borges de Ávila 7 de Maio de 1924 13 de Agosto de 1924 Jorgense.
Grande comerciante.
Jornalista das correntes monárquicas e conservadoras.
Dedicou-se à filantropia.
* Henrique Ferreira de Oliveira Brás 28 de Agosto de 1924 19 de Dezembro de 1925 3.ª vez.
* Tomé Belo de Castro 1 de Janeiro de 1926 22 de Julho de 1926 Desportista.
Cavaleiro tauromáquico amador.

Segunda RepúblicaEditar

Presidentes da Câmara Municipal na Segunda República
Mandato Nome Nomeação/eleição Exoneração Observações
* Manuel de Mesquita 5 de Agosto de 1926 24 de Novembro de 1927 Presidente da Comissão Administrativa.
Graciosense. Oficial do Exército Português (major)
Presidente nomeado após a Revolução de 28 de Maio de 1926.
Foi posteriormente Governador Civil de Angra.
* João Alpoim Borges do Canto 17 de Dezembro de 1927 15 de Março de 1928 Presidente da Comissão Administrativa.
Oficial do Exército.
Nomeado pelo Governo da Ditadura Nacional.
Foi deputado na Primeira República Portuguesa.
Aderiu ao Estado Novo e foi deputado à Assembleia Nacional.
* Guilherme Espínola de Melo 27 de Março de 1928 4 de Outubro de 1928 Presidente da Comissão Administrativa.
Capitão do Exército.
Nomeado pelo Governo da Ditadura Nacional.
* José Agostinho 12 de Outubro de 1928 20 de Novembro de 1928 Presidente da Comissão Administrativa.
Capitão do Exército e meteorologista.
Director do Serviço Meteorológico dos Açores.
Presidente interino, por impedimento do titular.
* Guilherme Espínola de Melo 22 de Novembro de 1928 1 de Agosto de 1929 Presidente da Comissão Administrativa.
Retomou o mandato.
* Teotónio Machado Pires 8 de Agosto de 1929 10 de Outubro de 1929 Presidente interino da Comissão Administrativa.
Jurista.
Governador civil durante o Estado Novo.
* Guilherme Espínola de Melo 11 de Outubro de 1929 27 de Agosto de 1930 Retomou o mandato.
* Amadeu de Almeida Monjardino 28 de Agosto de 1930 13 de Agosto de 1931 Empresário e destacado comerciante.
Deputado na Primeira República Portuguesa, mas apoiante da Ditadura Nacional.
* João Alpoim Borges do Canto 12 de Novembro de 1931 7 de Janeiro de 1932 2.º mandato.
* Amadeu de Almeida Monjardino 15 de Janeiro de 1932 29 de Dezembro de 1932 2.º mandato.
* Joaquim Moniz de Sá Corte-Real e Amaral  4 de Janeiro de 1933 29 de Junho de 1933 Professor do Liceu e intelectual.
* Frederico Augusto Lopes da Silva Júnior     8 de Julho de 1933 29 de Setembro de 1933 Oficial do Exército.
Escritor e etnólogo.
* Joaquim da Rocha Alves 19 de Outubro de 1933 17 de Janeiro de 1934 Médico.
Primeiro presidente nomeado pelo Governo do Estado Novo.
* Elmiro Borges da Costa Mendes 24 de Janeiro de 1934 14 de Março de 1934 Professor liceal, político e intelectual.
Exerceu diversos cargos administrativos durante o Estado Novo.
* Isidro Augusto Alves da Costa 24 de Março de 1934 1 de Agosto de 1934
* Joaquim da Rocha Alves 10 de Agosto de 1934 6 de Abril de 1936 2.ª vez.
* Manuel de Mesquita 20 de Abril de 1936 30 de Julho de 1936 Tenente-coronel do Exército.
2.º mandato.
* Elmiro Borges da Costa Mendes 6 de Agosto de 1936 5 de Novembro de 1936 2.º mandato.
* Manuel de Mesquita 19 de Novembro de 1936 5 de Janeiro de 1937 Tenente-coronel do Exército.
3.º mandato.
* Elmiro Borges da Costa Mendes 9 de Janeiro de 1937 12 de Fevereiro de 1938 2.º mandato.
* Joaquim da Rocha Alves 19 de Fevereiro de 1938 4 de Abril de 1939 3.º mandato.
* Joaquim Moniz de Sá Corte-Real e Amaral 13 de Abril de 1939 17 de Novembro de 1939 2.º mandato.
* Eliseu Pereira Pato François 22 de Novembro de 1939 13 de Março de 1940 Professor do Liceu.
Futuro reitor do Liceu de Angra.
* Joaquim Moniz de Sá Corte-Real e Amaral 25 de Março de 1940 6 de Novembro de 1952 3.º mandato.
* António Augusto Osório de Carvalho 13 de Novembro de 1952 9 de Abril de 1953
* Anselmo de Sousa Bettencourt e Silveira 16 de Abril de 1953 22 de Agosto de 1956 Jorgense.
Médico. Jornalista.
* Manuel Rodrigues Miranda 30 de Agosto de 1956 7 de Novembro de 1957 Graciosense.
Engenheiro.
* Manuel Nunes Flores Brasil 17 de Novembro de 1957 28 de Março de 1959 Médico.
Administrador de empresas.
Procurador à Câmara Corporativa.
* Rafael Lisboa Vaz 2 de Abril de 1959 29 de Maio de 1959
* Manuel Coelho Baptista de Lima 4 de Junho de 1959 20 de Abril de 1966 Bibliotecário e diretor do Museu de Angra.
Historiador, intelectual e colecionador de artefatos militares.
* Francisco Moniz de Oliveira 21 de Abril de 1966 12 de Setembro de 1974 Farmacêutico.
Último presidente nomeado pelo Estado Novo.

Terceira RepúblicaEditar

Presidentes da Câmara Municipal na Terceira República
Mandato Nome Nomeação/eleição Exoneração Observações
1974 - 1976 Emanuel Félix Borges da Silva 19 de Setembro de 1974 22 de Julho de 1975 Presidente da Comissão Administrativa nomeado após a Revolução de 25 de Abril de 1974.
Henrique de Sousa Barcelos 24 de Julho de 1975 31 de Dezembro de 1976 Presidente da Comissão Administrativa (cooptado após demissão do anterior presidente).
1977-1979 Leopoldino da Rocha Tavares (PSD) 1 de Janeiro de 1977 31 de Dezembro de 1979 Eleito nas eleições autárquicas de 12 de Dezembro de 1976.
Professor primário. Primeiro presidente eleito na Terceira República Portuguesa.
Completou o mandato.
1980-1982 Rui Manuel Miranda de Mesquita (PSD) 1 de Janeiro de 1980 31 de Dezembro de 1982 Eleito nas eleições autárquicas de 16 de Dezembro de 1979.
Completou o mandato.
1983-1985 Leopoldino da Rocha Tavares (PSD) 1 de Janeiro de 1983 31 de Dezembro de 1985 Eleito nas eleições autárquicas de 12 de Dezembro de 1982.
Completou o mandato.
1986-1989 Joaquim Carlos Vasconcelos da Ponte (PSD) 1 de Janeiro de 1986 31 de Dezembro de 1989 Eleito nas eleições autárquicas de 15 de Dezembro de 1985.
Completou o mandato.[7]
1990-1992 Joaquim Carlos Vasconcelos da Ponte (PSD) 1 de Janeiro de 1990 31 de Dezembro de 1992 Eleito nas eleições autárquicas de 17 de Dezembro de 1989.
Completou o mandato.
1993-1997 Joaquim Carlos Vasconcelos da Ponte (PSD) 1 de Janeiro de 1993 31 de Março de 1996 Eleito nas eleições autárquicas de 12 de Dezembro de 1993.
Renunciou ao mandato em 31 de Março de 1996.
António Rui de Mendonça Andrade (PSD) 1 de Abril de 1996 31 de Dezembro de 1997 Por renúncia do anterior presidente.
1997-2001 Sérgio Humberto Rocha de Ávila (PS) 1 de Janeiro de 1998 31 de Dezembro de 2001 Eleito nas eleições autárquicas de 14 de Dezembro de 1997.
Completou o mandato.
2001-2005 Sérgio Humberto Rocha de Ávila (PS) 1 de Janeiro de 2002 16 de Novembro de 2004 Eleito nas eleições autárquicas de 16 de Dezembro de 2001.
Renunciou ao mandato (por ser nomeado vice-presidente do
IX Governo Regional dos Açores).
José Pedro Parreira Cardoso (PS) 16 Novembro de 2004 16 de Outubro de 2005 Por renúncia do anterior presidente.
2005-2009 José Pedro Parreira Cardoso (PS) 16 de Outubro de 2005 10 de Junho de 2008 Eleito nas eleições autárquicas de 9 de outubro de 2005
Renunciou ao mandato a 10 de Junho de 2008.
Andreia Martins Cardoso da Costa (PS) 11 de junho de 2008 11 de Outubro de 2009 Por renúncia do anterior presidente.
2009-2013 Andreia Martins Cardoso da Costa (PS)  11 de Outubro de 2009 11 de Dezembro de 2011 Eleita nas eleições autárquicas de 11 Outubro de 2009.
Renunciou ao mandato a 2 de Dezembro de 2011.[8]
Sofia Machado do Couto Gonçalves (PS) 12 de Dezembro de 2011 23 de Outubro de 2013 Por renúncia da anterior presidente.
2013-2017 José Gabriel do Álamo de Meneses (PS) 24 de Outubro de 2013 17 de Outubro de 2017 Eleito nas eleições autárquicas de 13 de Setembro de 2013.
Completou o mandato.
2017-2021 José Gabriel do Álamo de Meneses (PS) 17 de Outubro de 2017 --- Reeleito nas eleições autárquicas de 1 de Outubro de 2017.
Actual presidente.

Notas

  1. a b c d e Pedro de Merelim et. al., Memória Histórica da Edificação dos Paços do Concelho de Angra do Heroísmo (edição comemorativa dos 150 anos). Angra do Heroísmo, 2016 (ISBN 978-972-9135-23-1).
  2. Maison Fontaine, serrurerie d'Art.
  3. Arquipélagos : banco de imagens.
  4. Memória Histórica, pp. 424-425.
  5. José Avelino Rocha dos Santos et al, Freguesia da Sé: coração de Angra, espelho da Terceira, glória dos Açores, pp. 75-79. Junta de Freguesia da Sé, Angra do Heroísmo, 2017 (ISBN 978-989-20-7806-9).
  6. CMAH: Presidentes Câmara Municipal.
  7. "Ponte, Joaquim Carlos Vasconcelos" na Enciclopédia Açoriana.
  8. Destaques : Andreia Cardoso demite-se da Câmara de Angra Arquivado em 3 de fevereiro de 2015, no Wayback Machine..

BibliografiaEditar

  • Angra do Heroísmo: Janela do Atlântico Entre a Europa e o Novo Mundo. Horta (Faial): Direcção Regional de Turismo dos Açores, s.d..
  • O Angrense, nº 3038, 18 Nov. 1905.

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar