Cécrope II

Cécrope II foi um rei mitológico de Atenas.

Em Eusébio de Cesareia, houve dois reis atenienses de nome Cécrope (Kekrops), o primeiro, Cécrope I, fundador de Atenas,[1] que poderia ser autóctone (existem várias versões sobre seu nascimento),[carece de fontes?] e o segundo, Cécrope II, sucessor de Erecteu, que reinou por quarenta anos e foi sucedido por seu filho Pandião II.[1]

Isaac Newton, para o qual vários personagens da mitologia grega foram duplicados pelos mitógrafos gregos, também considera dois reis de nome Cécrope. O primeiro fundou a Cecropia na Ática por volta do ano 1 080 a.C., e foi sucedido por Cranau, que era rei em 1 045 a.C..[2] O segundo era rei em 1 006 a.C., mas, em 1 005 a.C., o rei já era Pandião.[2]

AntepassadosEditar

Seu avô foi Pandião I, filho de Erictônio e da náiade Praxiteia.[3] Pandião se casou com Zeuxippe, irmã de sua mãe, e teve duas filhas, Procne e Filomela, e dois filhos gêmeos, Erecteu e Butes.[4] Após a morte de Pandião, Erecteu e Butes dividiram a herança paterna, Erecteu ficando com o reino, e Butes tornando-se o sacerdote de Atena e Posidão.[5]

Erecteu se casou com Praxiteia, filha de Phrasimus e Diogenia, filha do deus-rio Cefiso.[5] Eles tiveram três filhos, Cécrope, Pandorus e Metion e quatro filhas, Prócris, Creúsa, Ctonia e Orítia.[5]

Atenas entrou em guerra contra Elêusis, e o rei de Elêusis era Eumolpo;[6] ele era filho de Posidão e Quione,[6] filha de Bóreas e Orítia,[7] filha de Erecteu.[5] Durante a guerra, Erecteu perguntou ao oráculo como poderia vencer a guerra, e a resposta foi que ele devia sacrificar uma das suas filhas; ele sacrificou a mais nova, e as outras, por causa de um juramento, se mataram também.[6]

ReinadoEditar

Na batalha, Erecteu matou Eumolpo,[6] e Posidão aniquilou Erecteu e sua casa, passando então o reino para Cécrope II, o filho mais velho de Erecteu.[8]

Cécrope II se casou com Metiadusa, filha de Eupalamus,[8] filho de Metion.[9] Cécrope e Metiadusa foram os pais de Pandião II.[8]

SucessãoEditar

Após a morte de Cécrope II, seu filho e sucessor, Pandião II, foi expulso de Atenas pelos metiônidas, filhos de Metion.[8][10]

Ver tambémEditar

Caixa de sucessão

Precedido por
Erecteu
Rei de Atenas
Sucedido por
Pandião II

Referências

  1. a b Eusébio de Cesareia, Crônica, 66, Os reis dos atenienses
  2. a b Isaac Newton, The Chronology of Ancient Kingdoms, A Short Chronicle from the First Memory of Things in Europe, to the Conquest of Persia by Alexander the Great
  3. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 3.14.6
  4. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 3.14.8
  5. a b c d Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 3.15.1
  6. a b c d Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 3.15.4
  7. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 3.15.2
  8. a b c d Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 3.15.5
  9. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 3.15.8
  10. Pausânias (geógrafo), Descrição da Grécia, 1.5.3
  Este artigo sobre mitologia grega é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.