Abrir menu principal

Família Karin

(Redirecionado de Cúmulo Karin)
O asteroide 243 Ida e sua lua, Dactyl. Ida é um membro da família Koronis embora não no cúmulo Karin

A família de asteroide Karin ou cúmulo Karin é uma subfamília da família Koronis. É constituída por, pelo menos, 90 asteroides localizados no cinturão principal. O que os torna especial é que os cientistas têm usado as órbitas de 13 desses membros para reconstituir o passado e calcular quando todos eles compartilhavam a mesma órbita - a órbita do corpo-mãe a partir do qual todos eles se originaram.

CaracterísticasEditar

A família é nomeado devido ao seu principal membro, 832 Karin, que tem um diâmetro de cerca de 19 km. Ela representa cerca de 15-20% da massa do corpo original que tinha um diâmetro estimado de 33 km. 832 Karin é um asteroide tipo S. 4507 Petercollins foi originalmente creditado para ser um membro da família, mas foi identificado em 2004 como um intruso. Os outros membros têm diâmetros na gama de 1-7 km.

Acredita-se que a família tenha sido criada há 5,8 ± 0,2 milhões de anos atrás,[1] tornando-se a mais recente colisão de asteroides conhecidas. Porque as superfícies dos membros da família estão relativamente intocada, análise espectroscópica pode dizer aos cientistas muito sobre a sua composição e pode lançar uma nova luz sobre a questão de como estreitamente os asteroides e meteoritos estão relacionados. O fato de que nós sabemos quando suas superfícies foram formados também será útil na determinação da taxa de formação de crateras em asteroides. Estima-se que cerca de 100 milhões de anos, a família terá disperso num grau tal que ela não poderá ser separada a partir da população de asteroides do fundo.

A família também pode ser a fonte de uma das bandas de poeira interplanetária descoberta pelo satélite IRAS e também pode ter gerado meteoritos que teriam composições consistentes com os asteroides do tipo S e raios cósmicos com idades de exposição de aproximadamente 5,8 milhões de anos.

Um estudo da família Karin tem pela primeira vez detectado o efeito de Yarkovsky em principais asteroides do cinturão.

Veja tambémEditar

Referências

  1. «Space.com: Recent Crash Created Youngest Known Asteroid Family» (em inglês). Consultado em 23 de dezembro de 2014. Arquivado do original em 12 de junho de 2009 

1. Nesvorný, D., et al. 2002. The recent breakup of an asteroid in the main-belt region. Nature 417(6890):720-722.

2. Nesvorný, D., Bottke, W.F., Levison, H.F., Dones, L., 2003. Recent origin of the Solar System dust bands. Astrophys. J. 591, 486–497.

3. Nesvorný, D., & Bottke, W. F. 2004. Detection of the Yarkovsky effect for main-belt asteroids. Icarus 170: 324-342.

4. Nesvorný, D et al. 2006. Karin cluster formation by asteroid impact. Icarus 183: 296-311.